A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MANUAL CATEQUÉTICA CELAM INTRODUÇÃO. Trata –se de um manual de catequética, não de catequese.É ciência, pedagogia, e não anuncio, doutrina ou ensino da.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MANUAL CATEQUÉTICA CELAM INTRODUÇÃO. Trata –se de um manual de catequética, não de catequese.É ciência, pedagogia, e não anuncio, doutrina ou ensino da."— Transcrição da apresentação:

1 MANUAL CATEQUÉTICA CELAM INTRODUÇÃO. Trata –se de um manual de catequética, não de catequese.É ciência, pedagogia, e não anuncio, doutrina ou ensino da fé. Propõem-se a servir de apoio e instrumento na formação catequética dos futuros pastores do povo de Deus, bem como dos formadores de catequistas. Esta dividido em cinco partes:

2 I - A CATEQUESE NO DINAMISMO DA REVELAÇÃO. DEUS DE COMUNICA COM NOSCO. AS FONTES DA CATEQUESE. CATEQUESE E COMUNICAÇÃO. II- A CATEQUESE NO DINAMISMO DA FÉ. NASCIMENTO E DESENVOLVIMENTO HISTORICO DA CATEQUESE. IDENTIDADE DA CATEQUESE. III- A CATEQUESE NO DINAMISMO DA EVANGELIZAÇÃO. OS AGENTES DA CATEQUESE. A FORMAÇÃO DOS CATEQUISTAS. OS CATEQUISANDOS. AMBITOS DA CATEQUESE. IV- A CATEQUESE NO DINAMISMO DA EDUCAÇÃO DA FÉ. CATEQUESE É COMUNICAÇÃO. A PEDAGOGIA DA FÉ. V- A CATEQUESE NO DINAMISMO ECLESIAL. O MINISTERIO ESPECIFICO DA CATEQUESE NA PASTORAL ORGANICA. CATEQUESE E EDUCAÇÃO RELIGIOSA ESCOLAR.

3 PARTE I A CATEQUESE NO DINAMISMO DA REVELAÇÃO DEUS SE COMUNICA CONOSCO Maravilha incomparável de nossa fé é o fato de Deus, transcendente e onipotente, ter querido se comunicar com seus filhos, os homens e as mulheres de todos os tempos. Esta automanifestação e autodoação de Deus ao gênero humano é designada na Igreja e na teologia como o ápice da Revelação. Deus tem se Revelado de muitas maneiras e por etapas: primeiro, gradualmente, por meio dos profetas; por último, plenamente, em seu Filho Jesus Cristo.

4 Deus continua revelando-se hoje a todos os seres humanos por meio da Sagrada Escritura, da Igreja e dos acontecimentos históricos. Mediante a Evangelização e Catequese, aIgreja faz chegar a Palavra de Deus, a Revelação, a todas as pessoas. É importante lembrar que a Revelação é entendida hoje na Igreja como o diálogo entre Deus e a humanidade, cujo ponto culminante é a pessoa de Jesus Cristo. Deus, criando e conservando todas as coisas pelo Verbo, oferece aos homens um testemunho perene de si mesmo na criação e, além disso, decidindo abrir o caminho da salvação sobrenatural, manifestou-se a si mesmo, desde o princípio, a nossos primeiros pais. Não foi Israel quem encontrou Dês, e sim Deus quem encontrou Israel. A iniciativa da Revelação partiu de Deus e alcançou seu ápice na pessoa de Jesus Cristo. A Revelação é uma iniciativa Divina. A nós corresponde dar uma resposta de fé.

5 A comunicação em todos os níveis é categoria fundamental da Revelação cristã, ou seja, a Revelação é em si mesma um ato de comunicação. Comunicação ad intra. Comunicação produzida no seio da Santíssima Trindade Comunicação ad extra. Comunicação do Verbo Comunicação eclesial da Revelação. Jesus é o comunicador pleno e definitivo do Pai, o evento último para o qual convergem todos os eventos da história da salvação A Revelação divina se desenvolve historicamente desde a aparição de Cristo até a desaparição dos apóstolos. Dimensões da Revelação: pessoal, comunitária, social, cristológica, dinâmica, histórica e libertadora. Dois pontos fundamentais desta Revelação para a catequese: interação fé e vida e inculturação.

6 AS FONTES DA CATEQUESE A fonte viva da catequese é a Palavra de Deus. A catequese comunica a Palavra de Deus. Esta fonte viva está: na Escritura, na Tradição e no Magistério. A estas fontes se somam: a Liturgia, o testemunho da Igreja, a investigação teológica e os valores religiosos morais. CATEQUESE E COMUNICAÇÃO DA MENSAGEM A apresentação da mensagem evangélica na catequese leva em conta certos critérios que brotam de sua única fonte. A catequese é anterior à formulação do Credo ou Símbolo da fé. A Igreja hoje proclama sem rodeios que o conteúdo essencial, central e último ou definitivo é a pessoa de Cristo. A tarefa da catequese é levar o crente à confissão de fé em Cristo. A comunicação da mensagem deve ser: Cristocentrismo trinitário Eclesialidade Historicidade Inculturação Integralidade Compromisso cristã

7 PARTE II A CATEQUESE NO DINAMISMO DA FÉ NASCIMENTO E DESENVOLVIMENTO HISTÓRICO DA CATEQUESE A catequese é tão antiga como a própria Igreja Na Igreja Apostólica, o conteúdo e o anúncio ou querigma inicial atestado pelos discípulos é a morte e ressurreição de Jesus Cristo. Na Idade Média, a sociedade torna-se oficialmente cristã. A cidade cresce ao redor de um mosteiro, catedral ou paróquia. Na Europa Renascentista, caracteriza-se nas Artes pela admiração à Antiguidade greco-romana pagã, o que inicia a secularização da cultura européia e obriga a catequese a se renovar. A Catequese Trindentina, Considera a catequese como tarefa dos pastores, inserida na estrutura diocesana e paroquial, e conectados aos momentos sacramentais. Influência catequética do Concílio Vaticano II Dei Verbum, apresenta a Revelação por atos e palavras Lúmen Gentium, troca a visão piramidal da Igreja pelo conceito Igreja povo de Deus Gaudium et Spes, abre o diálogo da Igreja com as culturas de hoje Sacrosanctum Concilium, renova o ministério da Liturgia por uma forma mais participativa.

8 IDENTIDADE DA CATEQUESE A Catequese é, antes de tudo, um ministério eclesial a serviço da Palavra de Deus, que busca a iniciação e a maturidade da fé tanto das pessoas como das comunidades cristãs. A catequese existe desde as origens da Igreja como uma das formas da pregação cristã. No Novo Testamento, a pregação apostólica tem dois momentos distintos e complementares: o primeiro deles é o anúncio da mensagem cristã, com o fim de suscitar a fé e a conversão; o segundo momento é o da instrução, e está orientado a compreender a mensagem de fé e as conseqüências para a vida cristã. A catequese ação eclesial, a catequese não é uma ação individual nem isolada, e sim profundamente eclesial A catequese, ministério, profético, a catequese faz ressoar a palavra libertadora de Deus no coração das pessoas que já receberam o primeiro anúncio A catequese, etapa do processo evangelizador, a catequese é um momento ou etapa essencial do processo evangelizador A catequese, ação educativa, se desenvolve no contexto da educação global da pessoa toda

9 PARTE III A CATEQUESE NO DINAMISMO DA EVANGELIZAÇÃO 1 - OS AGENTES DA CATEQUESE Entendemos por agentes da catequese o conjunto de pessoas que, com tarefas diferenciadas, com distintos níveis de responsabilidade e, por conseqüência, de formação, são encarregadas da realização e da organização da catequese na comunidade cristã. BISPOS PRESBÍTEROS DIÁCONOS PESSOAS DE VIDA CONSAGRADA FIÉIS LEIGOS

10 A comunidade eclesial é o ponto de referência fundamental da catequese, na medida em que é a responsável por conservar o tesouro da fé e, ao mesmo tempo, a encarregada de comunica-lo. A comunidade cristã é o primeiro agente da catequese, pois é sua origem e também sua meta. A catequese tem como finalidade o amadurecimento da fé não apenas dos indivíduos, mas também das comunidades. IDENTIDADE E MISSÃO DO CATEQUISTA Ser catequista é vocação O catequista é servidor da Palavra O catequista é educador da fé O catequista é mensageiro da Palavra

11 CARACTERÍSTICA Com relação a si mesmo: Ter um forte senso eclesial Ser alguém que conhece e aceita a si mesmo Ter equilíbrio Ser capaz de escutar Ser responsável Ser capaz de julgar Ter espírito de superação Em relação com a Igreja Amar a Igreja Ter conhecimento da Palavra de Deus Ser pessoa de fé autêntica Acolher com generosidade as orientações da Igreja Em sua relação com a catequese Acolher o chamado interior para dedicar-se a catequese Conhecer o que é a catequese e qual a mensagem comunicada Ter suficiente disponibilidade de tempo para cumprir o que lhe for comunicado

12 A FORMAÇÃO DOS CATEQUISTAS A formação dos catequistas é uma tarefa definida e fortalecida à luz da renovação catequética gerada pelo Concílio Vaticano II. A formação catequética deve estar integrada na opção fundamental de cada cristão e, em conseqüência, em seu próprio projeto vocacional. Acentos importantes Cristocentrismo da catequese A Eclesialidade da catequese O catequista é um comunicador A absoluta prioridade da formação de catequistas leigos Critérios da formação Formar catequistas para os cristãos de hoje Forjar catequistas capazes de assumir o conceito de catequese atual Formar catequistas conscientes Respeitar o caráter próprio do leigo na Igreja Dimensões da formação O SER O SABER O SABER FAZER Níveis de formação Formação inicial dos catequistas Formação permanente dos catequistas Os seminaristas e sua formação catequética Os presbíteros e sua formação catequética O formador dos catequistas A espiritualidade do catequista

13 – OS CATEQUIZANDOS O catequizando tem papel central nos processos catequéticos: a ele é orientada a ação catequizadora; é o responsável último por seu próprio crescimento na fé. É, ao mesmo tempo, destinatário e agente. A catequese é dirigida a todas as pessoas e abarca todas as etapas da vida: infância, adolescência, juventude, fase adulta e velhice. A catequese é concebida hoje como processo de iniciação, crescimento e amadurecimento na fé, que acompanha os catequizandos em todos os momentos e etapas de sua vida A catequese por idades deverá ser apresentada como processo permanente de educação na fé, no qual as diferentes etapas vitais se inter-relacionam e se complementam. A catequese por idades tem como principais interlocutores os adultos. A luz da catequese com adultos será orientada a catequese das outras etapas da vida. A centralidade da catequese com adultos se deve aos seguintes motivos: É a época das opções fundamentais; Os adultos são os que tem as maiores responsabilidades na Igreja e na sociedade; Os adultos são pessoas mais capazes para aderir à caridade de forma plena e madura; A infância e a juventude precisam de modelos adultos de identificação

14 Catequese das crianças Na infância acontece a primeira iniciação na vida cristã, na qual se dá progressivamente o despertar religioso das crianças e a celebração em comunidade dos sacramentos. Deve ser uma catequese aberta as outras etapas É uma processo de iniciação cristã que abarca a infância A catequese das crianças exige a inter-relação e a complementação de distintos educadores: os pais, os catequistas, paroquiais e os professores Catequese dos adolescentes A adolescência é a etapa da vida na qual a pessoa experimenta em si mesma intensas mudanças físicas, afetivas, sociais e religiosas. O adolescente vais em busca de sua própria identidade e, no campo religioso, revisa as crenças e atitudes que adquiriu durante a infância.

15 Catequese dos jovens A juventude é a idade do amadurecimento, a etapa da decisão vocacional, a época em que se pode fundamentar a vida e dar-lhe bases seguras em todas as esferas da existência humana. A catequese dos jovens está orientada a favorecer uma verdadeira personalização da fé, ajudando aos catequizandos a pôr as bases decisivas de uma autêntica personalidade cristã. O jovem constrói sua identidade cristã a partir de três grande pontos: Jesus Cristo A Igreja Sociedade em que vive Catequese na terceira idade Os idosos, cujo número tem aumentado cada vez mais em nossos países, sentem-se marginalizados pela sociedade, pela família e mesmo pela Igreja. Deve ser uma catequese que os ajude a viver em plenitude e com serenidade cristã este último período de vida. Uma catequese da esperança, que alimente a certeza do encontro definitivo com Deus. O catequizando não é um ser abstrato, e sim um sujeito que vive em determinado ambiente sociocultural que influi de maneira decisiva em sua forma de ser, de pensar e de agir

16 4 ÂMBITO DA CATEQUESE São lugares da catequese todas aquelas realidades ou campos onde, de fato ou de direito, desenvolve-se alguma atividade catequética. A família Comunidade cristã Paróquia Diocese Movimentos Grupos apostolados

17 PARTE IV A CATEQUESE NO DINAMISMO DA EDUCAÇÃO DA FÉ CATEQUESE É COMUNICAÇÃO Por sua natureza, o ser humano é um ser que se comunica e, portanto, um ser propenso à relação, ao encontro, ao diálogo e à comunhão. A catequese, como ato comunicativo, precisa de uma linguagem idônea para transmitir a fé cristã aos homens e às mulheres que vivem e fazem parte deste mundo. A PEDAGOGIA DA FÉ Deus, ao se revelar, utilizou uma pedagogia que constitui a fonte e o modelo referencial da pedagogia catequética A pedagogia divina é a forma histórica que Deus seguiu ao longo do tempo para dar-se a conhecer e manifestar seu projeto libertador A pedagogia de Deus no Antigo Testamento se caracteriza por ser uma pedagogia do dom, diálogo, historicidade, sinais, personalizante e comunitária, gradual e progressivo. O amor é alma da pedagogia divina A igreja, com a inspiração do Espírito Santo, gerou ao longo dos séculos um rico patrimônio de pedagogia da fé. A catequese é uma pedagogia da fé em ato

18 PARTE V A CATEQUESE NO DINAMISMO ECLESIAL 0 MINISTÉRIO ESPECÍFICO DA CATEQUESE NA PASTORAL ORGÂNICA A evangelização realiza-se de maneira orgânica: em unidade com os pastores, com critérios comuns e de maneira organizada A catequese é um momento ou etapa do processo evangelizador. Realiza-se dentro da totalidade da ação evangelizadora da Igreja, dando testemunho de a Igreja é um verdadeiro corpo que age organicamente Planejamento consiste no ordenamento e na revisão dos processos de ensino e aprendizagem da educação na fé. O planejamento é uma expressão de fidelidade a Deus e de respeito aos agentes e interlocutores No âmbito paroquial, precisa-se de um planejamento adequado das prioridades, dos métodos, dos recursos e dos processos de avaliação

19 O secretariado Diocesano de Catequese é o instrumento do bispo para promover todas as iniciativas catequéticas em sua diocese. Para uma melhor organização, a paróquia precisa de uma comissão Paroquial de Catequese e de uma coordenação paroquial. Também deve atender a catequese de todas as idades, cuidar da formação de seus catequistas e prover os recursos necessários. Geralmente as Conferências Episcopais têm uma Comissão Episcopal ou Comissão Nacional de Catequese, estrutura e organismo que orienta e coordena todas as forças vivas da catequese no âmbito nacional. Em nível latino – americano, existe o Departamento de missão e Espiritualidade que inclui a Seção de Catequese, organismo pertencente ao Celam, como serviço de animação e apoio para as Conferências Episcopais ou Comissões Nacionais de Catequese O múnus de ensinar é exercido pelos bispos em Comunhão, sob a guia do Papa, sucessor de Pedro. A Congregação para o Clero é o Dicastério da Santa Sé, que colabora com o Papa em tudo o que se refere à catequese

20 A CATEQUESE E A EDUCAÇÃO RELIGIOSA ESCOLAR ASPECTOSEDUCAÇÃO ESCOLARCATEQUESE 1. CONCEITO É uma disciplina do currículo com a mesma exigência, sistematicidade e rigor de qualquer outra disciplina. É a forma particular do ministério da palavra que faz amadurecer a conversão inicial ate fazer dela uma viva, explicita e ou operativa confissão de fé. 2. JUSTIFICATIVA Matéria ordinária daqueles alunos que a desejam por si mesmos ou em função de uma opção familiar. Missão pastoral da igreja para educar seus filhos na fé. 3.EXIGÊNCIAÉ uma exigência da sociedade, que deve transmitir aos seus membros todos seus bens culturais. É uma exigência da igreja. 4.FINALIDADEContribui para uma formação integral dos alunos dentro do projeto educacional de cada pais. Formação do cristão e da comunidade, orientada para o amadurecimento em sua vida de fé.

21 5.CONTEÚDOSSeleciona e acentua, da mensagem cristã, aqueles conteúdos com relação direta com a cultura construída pelos alunos por meio da disciplina. Oferece a globalidade da mensagem cristã. 6.METODOLOGIAInspira-se na metodologia da fé em coerência com as ofertas metodológicas próprias dos processo educativos escolares. É expressão privilegiada da pedagogia da fé, que encontra-se o modelo do cristo mestre. 7.DESTINATÁRIOSOs alunos da escola, católicos ou não católicos que aceitem livremente ser educados em sua dimensão religiosa. Todos os membros da igreja católica, de todas as idades e condições, especialmente os adultos. 8.AGENTESFamília, comunidade educativa e os docentes segundo sua própria identidade. A comunidade cristã, família e os catequista, segundo sua própria identidade. 9.LUGARA escola ou instituição educacional.A comunidade cristã, como animadora e lugar privilegiado da catequese. 10. MATERIAIS E SUBSÍDIOS Programa e texto educação religiosa, com caráter oficial e devidamente aprovado pela conferencia episcopal e ministério da educação. Catecismo e texto aprovados pela conferencia episcopal ou pela diocese. 11.AVALIAÇÃONecessária pelo caracter escolar, com seu rigor e exigência acadêmica. É necessário conforme sua natureza mas tem limites quando se trata de objetivos de adesão e comunhão com Deus que não são avaliáveis.

22 CONCLUSÃO. A catequese é a barca a vida humana por idades e a vida cristã por níveis, desde a iniciação até a maturidade.Desenvolve-se como caminho ou itinerário pedagógico formador dos crentes em cristo. É de tal maneira fundamental a evangelização, que, sem ela, não há autênticos cristãos. Pe. Orivaldo Egidio da Silva. Coordenador Arquidiocesano de Cuiabá. Páraco da Paróquia Cristo Rei.


Carregar ppt "MANUAL CATEQUÉTICA CELAM INTRODUÇÃO. Trata –se de um manual de catequética, não de catequese.É ciência, pedagogia, e não anuncio, doutrina ou ensino da."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google