A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Organização do SNC Profª Diane Luce Bonito Profª Diane Luce Bonito.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Organização do SNC Profª Diane Luce Bonito Profª Diane Luce Bonito."— Transcrição da apresentação:

1 Organização do SNC Profª Diane Luce Bonito Profª Diane Luce Bonito

2 O Sistema Nervoso Central divide-se em:

3 O tronco cerebral interpõe-se entre a medula e o diencéfalo, situando-se ventralmente ao cerebelo, ou seja, conecta a medula espinal com as estruturas encefálicas localizadas superiormente. O tronco cerebral interpõe-se entre a medula e o diencéfalo, situando-se ventralmente ao cerebelo, ou seja, conecta a medula espinal com as estruturas encefálicas localizadas superiormente.

4 Composição O tronco cerebral se divide em: O tronco cerebral se divide em: Mesenséfalo Mesenséfalo Ponte Ponte Bulbo Bulbo

5 Decussação Piramidal

6 Funções motoras do tronco cerebral Formação reticular bulbar do tronco cerebral. Formação reticular bulbar do tronco cerebral. Faz conexões com outras áreas do encéfalo e do corpo. Faz conexões com outras áreas do encéfalo e do corpo.

7 CONTROLE DA ATIVIDADE MUSCULAR PELO CÓRTEX CEREBRAL PELOS GÂNGLIOS E PELO CEREBELO. CONTROLE DA ATIVIDADE MUSCULAR PELO CÓRTEX CEREBRAL PELOS GÂNGLIOS E PELO CEREBELO.

8 Funções motoras do Córtex cerebral, Gânglios da base e Cerebelo Atividades motoras mais complexas Atividades motoras mais complexas Atuação em conjunto. Atuação em conjunto.

9

10 Córtex Atividade proposital da atividade motora Atividade proposital da atividade motora Capacidade funcional das mãos, dedos e partes distais do braço Capacidade funcional das mãos, dedos e partes distais do braço Área motora localiza-se no lobo frontal Área motora localiza-se no lobo frontal Dividida 2 partes: Dividida 2 partes: Posterior: Córtex 1º – Controla músculos individuais ou grupos de músculos intimamente associados. Posterior: Córtex 1º – Controla músculos individuais ou grupos de músculos intimamente associados. Anterior – Córtex Pré Motor – Controla atividades de contração coordenada de grupos musculares múltiplos. Anterior – Córtex Pré Motor – Controla atividades de contração coordenada de grupos musculares múltiplos.

11

12 Transmissão de sinais motores para a medula espinhal Feixe corticoespinhal- Feixe corticoespinhal- via direta com origem no córtex que vai no córtex que vai para medula espinhal.

13 Via corticoespinhal (anterior e lateral) ou via piramidal é uma via direta suas fibras sofrem decussação logo abaixo das pirâmides Via corticoespinhal (anterior e lateral) ou via piramidal é uma via direta suas fibras sofrem decussação logo abaixo das pirâmides

14 Via extracorticoespinhal- formada por todas outras vias neurais exceto a corticoespinhal. Via extracorticoespinhal- formada por todas outras vias neurais exceto a corticoespinhal. Essas vias incluem principalmente as vias com origem nos gânglios basais e na formação reticular bulbar. Essas vias incluem principalmente as vias com origem nos gânglios basais e na formação reticular bulbar.

15 Esses feixes incluem: Esses feixes incluem: Feixe rubroespinhal Feixe rubroespinhal Feixes reticuloespinhais Feixes reticuloespinhais Feixe tectoespinhal Feixe tectoespinhal Feixe vestibuloespinhal. Feixe vestibuloespinhal.

16

17 Essas vias terminam na medula espinhal e através das estruturas neurais emitem sinais para os músculos. Essas vias terminam na medula espinhal e através das estruturas neurais emitem sinais para os músculos.

18 Motoneurônios anteriores e interneurônios Motoneurônios anteriores- localizados na parte anterior da medula espinhal- neurônios grandes que enviam axônios calibrosos da medula para os músculos. Motoneurônios anteriores- localizados na parte anterior da medula espinhal- neurônios grandes que enviam axônios calibrosos da medula para os músculos. Interneurônios- localizados na parte central da medula ( subst cinzenta), são neurônios menores que recebem as informações sensoriais. Interneurônios- localizados na parte central da medula ( subst cinzenta), são neurônios menores que recebem as informações sensoriais.

19 Gânglios da Base Grande massa de neurônios na parte profunda do cérebro e superior mesencéfalo. Grande massa de neurônios na parte profunda do cérebro e superior mesencéfalo. Responsável pela produção de dopamina. Responsável pela produção de dopamina. Coordenação maior parte dos movimentos corporais subconscientes, como contração de vários músculos simultaneamente. Coordenação maior parte dos movimentos corporais subconscientes, como contração de vários músculos simultaneamente.

20 Função dos Gânglios Basais É composto por: É composto por: Núcleo caudado Núcleo caudado Putame Putame Globo pálido Globo pálido Núcleo subtalâmico Núcleo subtalâmico Substância negra Substância negra e núcleo vermelho. e núcleo vermelho.

21

22 Funções dos diferentes Gânglios da Base Núcleo caudado e putame- Controlam movimentos intencionais grosseiros do corpo, além de participar no controle global dos movimentos corporais. Núcleo caudado e putame- Controlam movimentos intencionais grosseiros do corpo, além de participar no controle global dos movimentos corporais. Globo pálido- posicionamento do corpo. Globo pálido- posicionamento do corpo. Núcleo subtalâmico e áreas associadas- controlam processo da marcha. Núcleo subtalâmico e áreas associadas- controlam processo da marcha.

23 Cerebelo Área posterior e inferior do encéfalo, atrás do tronco cerebral. Área posterior e inferior do encéfalo, atrás do tronco cerebral. Associação com outras áreas motoras do S.N. Associação com outras áreas motoras do S.N. Coordenação contrações musculares seqüenciais. Coordenação contrações musculares seqüenciais. Centro coletor de podas informações possíveis sobre o estado físico instantâneo do corpo. Centro coletor de podas informações possíveis sobre o estado físico instantâneo do corpo.

24

25 Principais feixes de fibras que transmitem as informações para o cerebelo feixes espinocerebelares- informações proprioceptivas com origem do corpo. feixes espinocerebelares- informações proprioceptivas com origem do corpo. Via cerebropontocerebelar- informações da área pré-motora. Via cerebropontocerebelar- informações da área pré-motora. Feixe olivocerebelar- impulsos dos gánglios da base. Feixe olivocerebelar- impulsos dos gánglios da base. Feixe vestibulocerebelar- impulsos do aparelho do equilíbrio.

26 Feixe reticulocerebelar- informações do tronco cerebral. Feixe reticulocerebelar- informações do tronco cerebral. Uma vez que o cerebelo processou as informações sobre o estado físico do corpo, ele manda o resultado para outras áreas do encéfalo pelas vias: Uma vez que o cerebelo processou as informações sobre o estado físico do corpo, ele manda o resultado para outras áreas do encéfalo pelas vias:

27 Feixe fastigiorreticular- informações para tronco cerebral. Feixe fastigiorreticular- informações para tronco cerebral. Feixe cerebelo-talamocortical- informações para o tálamo. Feixe cerebelo-talamocortical- informações para o tálamo. Células de Purkinje são as vias de saída do cerebelo- neurotransmissor inibitório (Gaba). Células de Purkinje são as vias de saída do cerebelo- neurotransmissor inibitório (Gaba).

28

29 Configuração funcional do Cerebelo ARQUICEREBELO ARQUICEREBELO VESTÍBULO VESTÍBULO PALEOCEREBELO PALEOCEREBELOESPINO NEOCEREBELO NEOCEREBELO CÉREBRO (cortical) CÉREBRO (cortical)

30 Controle da linguagem falada Córtex sensorial área de wernicke-lobo temporal transmitem sinais para área da broca- córtex pré-motor associação com córtex motor primário, gânglios basais e cerebelo controle das sequências de contrações dos músculos laríngeos, orais e respiratórios, necessários para a formação das diferentes palavras. Córtex sensorial área de wernicke-lobo temporal transmitem sinais para área da broca- córtex pré-motor associação com córtex motor primário, gânglios basais e cerebelo controle das sequências de contrações dos músculos laríngeos, orais e respiratórios, necessários para a formação das diferentes palavras.

31 Sistema nervoso autônomo

32 Controle das funções internas do corpo: Controle das funções internas do corpo: 2 Componentes: 2 Componentes: Sistema Nervoso Simpático Sistema Nervoso Simpático Sistema nervoso Parassimpático Sistema nervoso Parassimpático Estímulo e controle : Hipotálamo e Tronco cerebral.

33 Anatomia do Sistema Simpático Cadeia simpática situada a cada lado da medula espinhal. Cadeia simpática situada a cada lado da medula espinhal. Ao longo de cada cadeia existem pequenas dilatações bulbosas Os gânglios simpáticos onde ficam os corpos celulares neuronais. Ao longo de cada cadeia existem pequenas dilatações bulbosas Os gânglios simpáticos onde ficam os corpos celulares neuronais.

34 Gânglios simpáticos 1 gânglio simpático/ cada segmento medular torácico e lombar, mas existe apenas 3 gânglios simpáticos cervicais e 2 a 3 sacrais. 1 gânglio simpático/ cada segmento medular torácico e lombar, mas existe apenas 3 gânglios simpáticos cervicais e 2 a 3 sacrais. As fibras se dispersam a partir dos gânglios para todas as vísceras do coração. As fibras se dispersam a partir dos gânglios para todas as vísceras do coração. gânglios Cav. Abdominal Irrigação órgãos abdominais. gânglios Cav. Abdominal Irrigação órgãos abdominais.

35

36 A cadeia simpática é ligada á medula espinhal. A cadeia simpática é ligada á medula espinhal. Os sinais são transmitidos da medula para periferia por meio de dois neurônios: Os sinais são transmitidos da medula para periferia por meio de dois neurônios: 1° neurônio localizado na Faz sinapse com o 2º neurônio 1° neurônio localizado na Faz sinapse com o 2º neurônio substância cinzenta lateral gânglios da cadeia simpática substância cinzenta lateral gânglios da cadeia simpática da medula espinhal Fibra pós-gânglionar da medula espinhal Fibra pós-gânglionar Fibra pré- gânglionar Fibra pré- gânglionar

37 Fibras simpáticas raízes anteriores do nervo espinhal cadeia simpática. Fibras simpáticas raízes anteriores do nervo espinhal cadeia simpática. Algumas delas passam diretamente para os nervos viscerais órgão interno do corpo. Algumas delas passam diretamente para os nervos viscerais órgão interno do corpo.

38 Enquanto outras passam para o nervo espinhal ramo cinzento vão para o corpo todo vasos sanguíneos, glândulas sudoríparas e músculos eriçadores de pêlos. Enquanto outras passam para o nervo espinhal ramo cinzento vão para o corpo todo vasos sanguíneos, glândulas sudoríparas e músculos eriçadores de pêlos.

39 Fibras sensoriais Viscerais nos nervos simpáticos Órgãos internos fibras sensoriais nervos simpáticos ramo branco nervos espinhais fibra pré ganglionar substância cinzenta da medula 2 caminhos. Órgãos internos fibras sensoriais nervos simpáticos ramo branco nervos espinhais fibra pré ganglionar substância cinzenta da medula 2 caminhos. fibra pós ganglionar retículo bulbar fibra pós ganglionar retículo bulbar reflexos medulares SNC reflexos medulares SNC

40 Anatomia do sistema Parassimpático Origem: Diversos nervos Cranianos e vários segmentos sacrais da medula. Origem: Diversos nervos Cranianos e vários segmentos sacrais da medula. Principal décimo nervo craniano (vago) : Coração, Pulmão e Abdome. Principal décimo nervo craniano (vago) : Coração, Pulmão e Abdome.

41 Outros nervos cranianos carregam fibras parassimpática para cabeça, enquanto as fibras sacrais inervam a bexiga urinária, parte inferior do cólon e o reto. Outros nervos cranianos carregam fibras parassimpática para cabeça, enquanto as fibras sacrais inervam a bexiga urinária, parte inferior do cólon e o reto.

42 Gânglios de sistema parassimpático Os neurônios pós-gânglionares ficam nas paredes dos órgãos. Os neurônios pós-gânglionares ficam nas paredes dos órgãos.

43 Sinais Parassimpático Sinais neurônios prê-gânglionares tronco cerebral e medula neurônios pós-ganglionares parede do órgão. Sinais neurônios prê-gânglionares tronco cerebral e medula neurônios pós-ganglionares parede do órgão.

44 Gânglio ciliar situado atrás do globo ocular. Gânglio ciliar situado atrás do globo ocular. Gânglio esfenopalatino atrás do nariz, inervando as glândulas salivares. Gânglio esfenopalatino atrás do nariz, inervando as glândulas salivares. Gânglio ótico região da orelha, inervando as glândulas parôtidas Gânglio ótico região da orelha, inervando as glândulas parôtidas Gânglio submandibular situado na parte lateral da mandíbula, inervando as glândulas submandibulares. Gânglio submandibular situado na parte lateral da mandíbula, inervando as glândulas submandibulares.

45 Fibras Adrenérgicas As fibras pós-gânglionares dos dois sistemas secretam substâncias transmissoras hormonais diferentes: As fibras pós-gânglionares dos dois sistemas secretam substâncias transmissoras hormonais diferentes: Simpático Norepinefrina adrenérgico. Simpático Norepinefrina adrenérgico. Parassimpático Acetilcolina colinérgico. Parassimpático Acetilcolina colinérgico.

46 Ações dos sistemas simpáticos e parassimpático sobre os órgãos Olhos Olhos Secreções de sucos digestivos Secreções de sucos digestivos Glândulas sudoríparas Glândulas sudoríparas Coração Coração Vasos sanguíneos Vasos sanguíneos Pulmões Pulmões Movimentos gastrointestinais Movimentos gastrointestinais Rins Rins

47 Fígado Fígado Bexiga Bexiga Metabólico Metabólico Atividades mentais. Atividades mentais.

48 Bibliografia PLT PLT GUYTON, Arthur C.; HALL, Jhon E. Tratado de Fisiologia Médica. 11ª ed. Rio de Janeiro: Campus - Elsevier, GUYTON, Arthur C.; HALL, Jhon E. Tratado de Fisiologia Médica. 11ª ed. Rio de Janeiro: Campus - Elsevier, 2006.

49 Obrigada!!!!! Obrigada!!!!!


Carregar ppt "Organização do SNC Profª Diane Luce Bonito Profª Diane Luce Bonito."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google