A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Complexity and Criativity in Organizations Introduction and Chapter 1: Organizations are complex adaptative systems Carlos Henrique Prim Adriane Mendes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Complexity and Criativity in Organizations Introduction and Chapter 1: Organizations are complex adaptative systems Carlos Henrique Prim Adriane Mendes."— Transcrição da apresentação:

1 Complexity and Criativity in Organizations Introduction and Chapter 1: Organizations are complex adaptative systems Carlos Henrique Prim Adriane Mendes Vânia R. Barcellos Ferreira Kamile Theis Stadnick

2 Introdução O livro:...parâmetros para darmos sentido a vida em organizações em detrimento das abordagens que atualmente dominam nossa maneira de pensar e agir....especular sobre nossas razões para explicar a nossa rapidez......uma forma totalmente nova de pensar acerca de como as organizações evoluem e qual a participação que nós temos nesta evolução [...] desenvolver parâmetros de referência totalmente novos com vistas a entender a vida organizacional.

3 Paradigma administrativo dominante e o círculo vicioso

4 Introdução A Ciência da Complexidade: Estuda as propriedades fundamentais de feedback não linear e particularmente diagramas complexos adaptativos. Estuda as propriedades fundamentais de feedback não linear e particularmente diagramas complexos adaptativos. Sistemas ubíquos. Sistemas ubíquos. Simulação em computadores: analogia entre o código digital dos agentes do programa de computador e o código químico dos gens das criaturas vivas. Simulação em computadores: analogia entre o código digital dos agentes do programa de computador e o código químico dos gens das criaturas vivas.

5 Introdução Os sistemas complexos adaptativos têm uma ordem inerente que está simplesmente esperando para ser revelada através da experiência dos sistemas, mas ninguém sabe como será esta ordem até que realmente seja revelada. Os sistemas complexos adaptativos têm uma ordem inerente que está simplesmente esperando para ser revelada através da experiência dos sistemas, mas ninguém sabe como será esta ordem até que realmente seja revelada. Não é verdade que se não podemos saber dos resultados e se ninguém estiver no controle, nós estamos destinados à anarquia.

6 Introdução Critérios sobre a vida em organizações: Falsas criatividades à margem da desintegração Destruição criativa e paradoxal Retirada dos elos entre causa e efeito

7 MAPA B: Um Novo Paradigma de Administração e a Forma de Escapar do Círculo Vicioso

8 MAPA C: Organizações são Sistemas Adaptativos Complesxos

9 Organizações são Sistemas Adaptativos Complexos Toda organização humana é uma rede de pessoas, que são agentes individuais que interagem um com outro e com agentes de outras organizações que constituem esse ambiente.

10 Redes Humanas

11 A não-linearidade nas redes humanas Dois tipos de interações: A rede legitimada A rede de sombras

12 A rede legitimada De modo ideal, as ligações no sistema legitimado são lineares no sentido que: Um e apenas um responsável é permitido para dar estímulos; Algumas saídas são proporcionais para as entradas; e O sistema não é mais ou menos que a soma das partes.

13 A rede de sombras Por outro lado, a rede de sombras: É um tipo de sombra do sistema legitimado. Consiste de ligações informais, sociais e políticas. Os agentes desenvolvem suas próprias regras locais para interação com cada um, originando as regras próprias - regras de sombras que constituem um repertório de pensamento, percepção e comportamentos. O limite do sistema de sombras é impreciso, e normalmente não coincide com o nítido limite de um sistema legitimado.

14 A rede de sombras Numa organização, a rede de trabalho consiste de dois subsistemas: Um idealmente linear, mas na prática não-linear em muitas extensões, e Outro definitivamente não-linear. Esses subsistemas são conceitualmente distinguíveis, mas são operacionalmente tão entrelaçados que podem ser entendidos como um todo não-linear.

15 Uma organização se desenvolve através do processo de feedback no qual o agente individual deve: – Descobrir: Processo de reunir informações e saber o que fazer com elas, que serve como base para fazer uma escolha. Os agentes selecionam o que examinar e, ao selecionar o significado a ser agregado para a informação recolhida para sua análise, é determinada por todos os aspectos sociais e psicológicos de sua experiência anterior. O que os agentes escolhem para examinar é o passo principal do funcionamento do sistema. Feedback: como opera um sistema de redes

16 – Escolher: Os agentes escolhem o que descobrir, o que fazer com o que ele descobriu e que ação ele deve tomar. Para fazer todas essas escolhas, usam esquemas (especifico e compartilhado). – Agir : Escolhas são dirigidas por esquemas líderes para ação que são estratégias que agentes adotam para adaptar-se, tanto quanto possível, aquilo que esta acontecendo em torno dele. Cada ação de um agente tem efeito sobre outros agentes, conduzindo-os para responder e provocar efeito que realimente novamente o primeiro estágio da descoberta do agente. Feedback: como opera um sistema de redes

17 A estrutura interna dos agentes humanos que compõem a organização tem certos aspectos-chave que podem ser sintetizados em quatro importantes fluxos dinâmicos de tensão entre: –inspiração e ansiedade e seus conseqüentes desdobramentos, –conformidade e individualismo, –lider e seguidor, e –participativo e papel de observador. Feedback: como opera um sistema de redes

18 A Natureza Holográfica dos SACs A vida organizacional é essencialmente holográfica. O todo está nas partes, assim como as partes estão no todo. Agentes num nível são sistemas num nível inferior.

19 A Natureza Holográfica dos SACs Neurônio Cérebro Mente Grupo Organização Sociedade Comunidade Internacional Ecologia

20 A Natureza Holográfica dos SACs O Cérebro Toda percepção cerebral é governada por esquemas. Esquemas são formados por padrões de pulsos elétricos ativados por estímulos externos. Quando um estímulo externo se repete, o cérebro utiliza o esquema para representar internamente aquele estímulo.

21 A Natureza Holográfica dos SACs 2.Quando o esquema sofre uma modificação estrutural, ocorre o aprendizado de ciclo duplo. Tipos de aprendizagem 1.Quando o esquema sofre uma adaptação, ocorre o aprendizado de ciclo simples.

22 A Natureza Holográfica dos SACs Tipos de esquemas 1.Esquema dominante: dirige as percepções básicas atuais. 2.Esquema recessivo: disponível para ser usado futuramente.

23 A Natureza Holográfica dos SACs Estes princípios se aplicam a todos os diferentes níveis. Por exemplo: Um esquema dominante no nível organizacional representa sua cultura, ideologia ou burocracia. Um esquema recessivo, por sua vez, consiste de todas as percepções, pensamentos e comportamentos não compartilhados pelos membros da organização. A aprendizagem no nível organizacional ocorre pela adaptação/mudança desses esquemas.

24 A Natureza Holográfica dos SACs A aprendizagem num nível afeta o nível seguinte. Assim, por exemplo, a comunidade internacional possui um esquema compartilhado que afeta as sociedades nacionais, as quais afetam as organizações, as quais afetam os grupos, e assim por diante, voltando em seguida ao seu ponto inicial. O resultado dessas interações é um sistema complexo, com auto-similaridades em todos os níveis.


Carregar ppt "Complexity and Criativity in Organizations Introduction and Chapter 1: Organizations are complex adaptative systems Carlos Henrique Prim Adriane Mendes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google