A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Curso de Extensão Universitária Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas Juliano Gomes Penha.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Curso de Extensão Universitária Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas Juliano Gomes Penha."— Transcrição da apresentação:

1 Curso de Extensão Universitária Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas Juliano Gomes Penha

2 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas I.Introdução: Melhorar as condições clínicas do paciente II.Cardiopatias Congênitas: Cianogênicas Acianogênicas

3 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas CIV CIV PCA PCA Fluxo E-D DSAV Fluxo E-D DSAV Acianogênicas CIA Janela Ao-Pulmonar Janela Ao-Pulmonar EAo EAo CoAo CoAo Obstrutivas EM Obstrutivas EM ET ET EP (Valvar/Supra/Infundibular) EP (Valvar/Supra/Infundibular) TGA TGA Hiperfluxo Truncus Hiperfluxo Truncus DVSVD DVSVDCianogênicas TF TF Hipofluxo AT Hipofluxo AT Anomalia de Ebstein Anomalia de Ebstein

4 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas III. III. Tipos: Blalock-Taussig clássico e modificado Shunt sistêmico-pulmonar Potts(1946) Waterton-Cooley(1962) Bandagem da Artéria Pulmonar Septectomia Atrial

5

6 Blalock-Taussig

7 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas A. Indicações Hipofluxo pulmonar Hipofluxo pulmonar Aumentar o tamanho das aa.pulmonares Aumentar o tamanho das aa.pulmonares Permitir o desenvolvimento Permitir o desenvolvimento B. Tipos Clássica (1945) Clássica (1945) Modificada (1980) Modificada (1980)

8 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas C. Clássico

9 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas Vantagens Acompanha o crescimento da criança Acompanha o crescimento da criançaDesvantagens Perfusão diferencial das aa. Pulmonares Perfusão diferencial das aa. Pulmonares Retardo do crescimento da extremidade ipsilateral Retardo do crescimento da extremidade ipsilateral Gangrena Gangrena Distorção da a. pulmonar Distorção da a. pulmonar Ullon et al.Ann Thorac Surg 1987;44: Ullon et al.Ann Thorac Surg 1987;44:539-43

10 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas D. Modificado Toracotomia Lateral Direita Toracotomia Lateral Esquerda Esternotomia Mediana Melhor ventilação dos pulmões Shunt mais central CEC Menor deformidade músculo-esquelético Tubos de PTFE ( o fluxo é determinado pelo diâmetro da a. subclávia)

11 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas Vantagens Aumento do Crescimento da a. pulmonar (144 mm 2 / m mm 2 / m 2 X 118 mm 2 / m mm 2 / m 2 ) Menor distorção das aa. Pulmonares hipoplásicas Menor freqüência de insuficiência do enxerto Facilidade técnica Menor área de dissecção Integridade da a. subcláviaDesvantagens Obstrução parcial ou completa do ramo da pulmonar Fístula (seroma/quilotórax) Falso aneurisma Ullon et al.Ann Thorac Surg 1987;44: Ullon et al.Ann Thorac Surg 1987;44:539-43

12 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas E. Resultados Estudo de 546 shunts em 478 pacientes BT modificado: 418(77%) BT clássico: 128(23%) Idade: 78 1sem sem-12meses sem-12meses ano ano Sat O2 : 71% ,5% 83%+-17% Mortalidade hospitalar : 2,9% 2,3% BT clássico 3,1% BT modificado 3,1% BT modificado Al Jubair et al.Cardiol Young,1998;8(4): Al Jubair et al.Cardiol Young,1998;8(4):

13 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas Mortalidade precoce : 6,4% 1sem 3,7% 1 sem-1 ano 3,7% 1 sem-1 ano 0,5% 1ano 0,5% 1ano Baixo Fluxo (51 pac): peso 3kg (5,1% X 1%) heparinização (1,4% X 3,4%) heparinização (1,4% X 3,4%) PTFE (6,7%X 10,2%) PTFE (6,7%X 10,2%) diâmetro da pulmonar 4 mm (14,7% X 8,7%) diâmetro da pulmonar 4 mm (14,7% X 8,7%) AAS ( 6,7%X 11%) AAS ( 6,7%X 11%) Al Jubair et al.Cardiol Young,1998; 8(4): Al Jubair et al.Cardiol Young,1998; 8(4):

14 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas F.Complicações Trombose do shunt Fluxo inadequado Lesão do n.frênico Sd. Horner Sangramento Fístula linfática (quilotórax) Gangrena do membro Hipertensão pulmonar Roberts et al. Am J.Cardiol,1969; 24:335 Ross et al. Circulation 1958; 18:553 Hofschie et al. Circulation 1977; 56: 120-2

15 Septectomia Atrial

16 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas V. Septectomias Blalock-Hanlon(1950)Rashkind-Miller(1966) A. Indicações CIA restritiva CIA restritiva Melhorar a mistura sanguínea Melhorar a mistura sanguínea

17 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas A. Blalock-Hanlon TLD: 5ºEIC TLD: 5ºEIC

18 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas

19 B. Rashkind Objetivo: SatO2 >90%

20 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas ParâmetrosValoresScore Velocidade máx (m/s) < 1,5 1,5 – 1,8 >1, Diâmetro da CIA (mm) >4,5 3,5-4,5 < 3, Saturação O 2 % (FiO 2 =21%) >85% 80-84% <80% Score 6 CIA Restritiva J Heart Lung Transplant 2003 Aug;22(8):883-8 Avaliação Shunts FOP / CIA

21 Bandagem da Artéria Pulmonar

22 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas VI. Bandagem da Artéria Pulmonar Muller-Dammonn(1951) Reduzir o fluxo pulmonar Reduzir o fluxo pulmonar Trusler (1972) Qp Qs PA /DC Qp Qs PA /DC

23 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas A. Indicações CIV(s)múltiplas CIV(s)múltiplas Biventricular e DSV CIV(s) apicais Grupo I Biventricular e DSV CIV(s) apicais DSAV não balanceado DSAV não balanceado Univentricular Fontan Grupo II Univentricular Fontan TGA Grupo III TGA

24 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas B. Objetivo Pressão pulmonar 30%-50% da Pressão sistêmica SatO2 85%-90% PAP 15mmHg,SatO2>80% (FiO2=50%) Observar: Hipotensão, cianose, bradicardia e alteração do ECG

25 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas Acesso Cirúrgico : TLE (3º ou 4º EIC) TLD Esternotomia mediana Anterior Paraesternal

26 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas Q p :Q s = Sat Ao - Sat AD / Sat Ao – Sat AP

27 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas Método de Albus não cianóticos e s/ shunts intracardíacos: 20mm + 1mm/kg c/ shunts intracardíacos: 24mm + 1mm/kg VU p/ Fontan: 22mm + 1mm/kg Método de Trusler 20mm + 1mm/kg 24mm + 1mm/kg (cardiopatia complexa com shunt bidirecional)

28 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas C. Resultados Estudo em 209 pac. Piores resultados em paciente c/ CoAo, peso 2kg, EM ou Atresia Mitral Albus et al.J Thorac Cardiovasc Surg,1984;88(55): Albus et al.J Thorac Cardiovasc Surg,1984;88(55):645-53Mortalidade 36% 3% 36% 3%

29 Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas D. Complicações Migração da bandagem Distorção do TP e ramos das aa.pulmonares Relaxamento ou ruptura da bandagem Alterações nos folhetos da VP Pseudo-aneurisma da a.pulmonar Obstrução subaórtica pela hipertrofia conal

30 OBRIGADO!!! OBRIGADO!!!


Carregar ppt "Curso de Extensão Universitária Cirurgias Paliativas nas Cardiopatias Congênitas Juliano Gomes Penha."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google