A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO – PROGRAD PROFESSOR: Agostinho Carneiro Campos. Curso: Engenharia Ambiental Disciplina: Biodiversidade.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO – PROGRAD PROFESSOR: Agostinho Carneiro Campos. Curso: Engenharia Ambiental Disciplina: Biodiversidade."— Transcrição da apresentação:

1 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO – PROGRAD PROFESSOR: Agostinho Carneiro Campos. Curso: Engenharia Ambiental Disciplina: Biodiversidade e Unidades de Conservação Código: ENG 4288 Créditos:04 Período: 9º Dia/Aulas: 2ª e 5ª Horário: 15Hs. e 10 Min. Às 16Hs. e 40 Min. Ano: Local: Campus I – Área: 3. SL 304 BL F

2 ORIGEM E EVOLUÇÃO DA BIODIVERSIDADE Charles Darwin, naturalista inglês ( ): 200 anos do seu nascimento 150 anos desde a publicação de "A Origem das Espécies", obra fundamental que se tornou um dos marcos da ciência da atualidade e revolucionou as Ciências Naturais. Estabeleceu as bases para o conhecimento da evolução dos seres vivos e, explicação da respectiva diversidade.

3 BIODIVERSIDADE: (Conceitos) Edward O. Wilson (1994): A biodiversidade pode ser conceituada como o complexo resultante das variações das espécies e dos ecossistemas existentes em determinada região e nunca a terra teve tanta diversidade de vida como em nossa era, havendo muito ainda a se estudar e descobrir, principalmente na Amazônia, região pouco explorada cientificamente. Desde 1986, o termo e conceito têm adquirido largo uso entre biólogos, ambientalistas, líderes políticos e cidadãos informados no mundo todo. Este uso coincidiu com o aumento da preocupação com a extinção, observado nas últimas décadas do Século XX, e XXI. Variedade e a variabilidade existente entre os organismos vivos e as complexidades ecológicas nas quais elas ocorrem. Associação de vários componentes hierárquicos: ecossistema, comunidade, espécies, populações e genes em uma área definida. Varia com as diferentes regiões ecológicas, maior incidência nas regiões tropicais do que nos climas temperados.

4 Biodiversidade é a variabilidade entre os organismos vivos de todas as fontes, inter alia, meio terrestre, marinho, e outros ecossistemas aquáticos e os complexos ecológicos de que esses organismos fazem parte; isto inclui a diversidade dentro de cada espécie, entre espécies e entre ecossistemas (Nações Unidas 1992, Art. 2).

5 Não há uma definição consensual de Biodiversidade. Relação direta para a preservação ou conservação das espécies, Conservação é importantíssima e fundamental para um desenvolvimento e anseios mundiais, constituindo-se a base do desenvolvimento sustentável. Necessário desenvolver uma adequada educação ambiental nas escolas públicas e privadas e outros. Elaborar planos nacionais de ocupação territorial para as comunidades marginalizadas e carentes. TRÊS NÍVEIS TRADICIONAIS DE DIVERSIDADE ENTRE SERES VIVOS Genética: diversidade dos genes em uma espécie. Espécies: diversidade entre espécies. Ecossistemas: diversidade em um nível mais alto de organização, incluindo todos os níveis de variação desde o genético.

6 ABORDAGENS DA BIODIVERSIDADE Biólogos geneticistas: é a diversidade de genes e organismos processos como mutação, dinâmica do genoma, que ocorrem ao nível do DNA. Biol. Zoólogos ou botânicos: a Biodiversidade não é só apenas a diversidade de populações de organismos e espécies, também a forma como estes organismos funcionam. Surgem e desaparecem. Locais são colonizados pela mesma espécie ou de outra. Algumas desenvolvem organização social ou outras adaptações com vantagem evolutiva. As estratégias de reprodução dos organismos dependem do ambiente. Ecólogos: é também a diversidade de interações duradouras entre espécies. Isto se aplica também ao biótopo, seu ambiente imediato, e à ecorregião em que os organismos vivem. Em cada ecossistema os organismos são parte de um todo, interagem uns com os outros mas também com o ar, a água e o solo que os envolvem.

7 OS DIFERENTES NÍVEIS DA BIODIVERSIDADE

8 BIODIVERSIDADE: TEMPO E ESPAÇO Não é estática. Constante evolução tanto do ponto de vista das espécies como também de um só organismo. A vida média de uma espécie é de um milhão de anos e 99% das espécies que já viveram na Terra estão hoje extintas. Não é distribuída igualmente na Terra nos trópicos. Quanto maior a latitude, menor é o número de espécies, contudo, as populações tendem a ter maiores áreas de ocorrência (efeito rapoport - envolve disponibilidade energética, mudanças climáticas em regiões de alta latitude). Existem regiões do globo onde há mais espécies que outras. A riqueza de espécies tendem a variar de acordo com a disponibilidade energética, hídrica (clima, altitude) e também pelas suas histórias evolutivas.

9 BIODIVERSIDADE: CONSERVAÇÃO, PRESERVAÇÃO. Tornou-se uma preocupação global. Apesar de não haver consenso quanto ao tamanho e ao significado da extinção atual, muitos consideram a Biodiversidade essencial. Há dois tipos principais de opções de conservação: Conservação in-situ é geralmente vista como uma estratégia de conservação elementar. Entretanto, sua implementação é às vezes impossível. Por exemplo, a destruição de hábitats de espécies raras ou ameaçadas de extinção às vezes requer um esforço de conservação ex-situ. Conservação ex-situ, além disso, pode dar uma solução reserva para projetos de conservação in-situ. Alguns acham que ambos os tipos de conservação são necessários para assegurar uma preservação apropriada. EXEMPLOS: Conservação in-situ é a construção de áreas de proteção. Conservação ex-situ, ao contrário, seria a plantação de germoplasma em bancos de sementes. Tais esforços permitem a preservação de grandes populações de plantas com o mínimo de erosão genética.

10 BIODIVERSIDADE NO BRASIL É CAMPEÃO MUNDIAL EM BIODIVERSIDADE (MMA, 2007). De cada cinco espécies do planeta uma encontra-se no país. Essa enorme variedade de animais, plantas, microorganismos e ecossistemas, deve-se, entre outros fatores, à extensão territorial e aos diversos climas do país. Detém o maior número de espécies conhecidas de mamíferos e de peixes de água doce. O segundo de anfíbios. O terceiro de aves e o quinto de répteis. Com mais de 50 mil espécies de árvores e arbustos. Tem o primeiro lugar em biodiversidade vegetal.

11 A BIODIVERSIDADE POR GRUPOS TAXONÔMICOS

12 NA DÉC. DE 1970, O GOVERNO BRASILEIRO, DECORENTE DA POLITICA OCORRIDA NA CONFERÊNCDIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE O AMBIENTE HUMANO – 1972 – ESTOCOLMO. DEVIDO AO PRÓPRIO ESTADO CRÍTICO DE DEGRADAÇÃO AMBIENTAL EM ÁREAS DO PAÍS DESENVOLVIMENTO DE POLÍTIC PÚBLICA VOLTADA A CONSERVAÇÃO E PRESERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. CRIAÇÃO DO PRIMEIRO ÓRGÃO FEDERAL DE AÇÃO AMBIENTAL, PROGRESSISTA E MODERNO A SEMA (1973). EM 1981 (LEI 6.938) DISPÕE A POLÍTICA NACIONAL DE MEIO AMBIENTE, SUES FINS E MECANISMOS DE FORMULAÇÃO E APLICAÇÃO. SUBSEQUENTE, CRIA-SE O SISTEMA NACIONAL DE MEIO AMBIENTE – SISNAMA. OBJETIVOS: PROPOR DIRETRIZES DE POLÍTICAS AMBIENTAIS E NORMAS COMPATÍVEIS COM A PRESERVAÇÃO AMBIENTAL E O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO ( BIODIVERSIDADE REGIONAIS E LOCAIS) EM CRIA-SE O IBAMA ( INST. BRAS. DE M. A. E DOS RECURS. NAT. RENOV.). FINALIDADE: EXECUTAR A POLÍTICA NACIONAL DE PRESERVAÇÃO, CONSERVAÇÃO E USO SUSTENTÁVEL, BEM COMO A FISCALIZAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS.

13 RIO 92 – CONFERÊNCA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO (UNCED) OBJETIVOS: FIRMADOS ACORDOS E OCMPROMISSOS ENTRE OS 170 PAÍSES DEPERTOU MAIOR CONSCIÊNCIA NA SOCIEDADE BRASILEIRA – QUESTÃO AMBIENTAL SITUAÇÃO DA BIODIVERSIDADE NO ESTADO DE GOIÁS CONSIDERANDO-SE A DIVERSIFICAÇÃO DE VARIAÇÕES DA DIVERSIDADE FISIONÔMICAS VEGETACIONAIS E FAUNÍSTICA, DESTACA-SE: CARÁTER FUNDAMENTAL DA BIODIVERSIDADE E DE INTERDEPENDÊNCIA DOS DIFERENTES SUBSISTEMAS EXISTENTES. ATUALMENTE O APARATO LEGAL RESPONSÁVEL PELA EXECUÇÃO DA POLÍTICA AMBIENTAL EM GOIÁS: SECRETARIA EST. DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS – SEMARH. AGÊNCIA GOIANA DE MEIO AMBIENTE. OBS. DEMAIS SECRETARIAS E ÓRGÃOS MUNICIPAIS

14

15 ATIVIDADE PARA A AULA DO DIA 26/02/09 (QUINTA-FEIRA). TEXTO BASE: PERDA DE BIODIVERSIDADE E FUNCIONAMENTO DOS ECOSSISTEMAS. RETIRAR AS IDÉIAS PRINCIPAIS E ELABORAR UM NOVO TEXTO COM COMENTÁRIOS PESSOAIS REFERENTE AO TEXTO BASE FORMATAÇÃO DO TEXTO DIGITALIZADO; FOLHA A-4, FONTE ARIAL; TAMANHO DA FONTE: TÍTULO 14 E CORPO DO TEXTO 12; ESPAÇAMENTO ENTRELINHAS 1,5CM; CONFIGURAÇÃO DA PÁGINA: SUPERIOR E ESQUERDA 2,5 CM E DIREITA E INFERIOR 2,0 CM; NUMERAÇÃO DAS PÁGINAS EM ARÁBICO; LAUDAS: MÍNIMO 2 E MÁXIMO 4. BOM FINAL DE SEMANA, CARNAVAL E ÓTIMO RETORNO


Carregar ppt "UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO – PROGRAD PROFESSOR: Agostinho Carneiro Campos. Curso: Engenharia Ambiental Disciplina: Biodiversidade."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google