A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

07/05/2009 BALANÇO SOCIAL Sibele L. Penna Silva. 07/05/2009 Balanço Social. Ao instrumento contábil que reúne um conjunto de informações, fornecidas aos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "07/05/2009 BALANÇO SOCIAL Sibele L. Penna Silva. 07/05/2009 Balanço Social. Ao instrumento contábil que reúne um conjunto de informações, fornecidas aos."— Transcrição da apresentação:

1 07/05/2009 BALANÇO SOCIAL Sibele L. Penna Silva

2 07/05/2009 Balanço Social. Ao instrumento contábil que reúne um conjunto de informações, fornecidas aos usuários das mesmas, cujo objetivo é mostrar o grau de envolvimento das entidades com a sociedade e por meio do qual sua existência deve ser justificada, dá-se o nome de Balanço Social.

3 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Instrumento Contábil???? ciência social geração de informações usuários sociedade A Contabilidade é uma ciência social que estuda a riqueza patrimonial individualizada, sob os aspectos quantitativos e qualitativos, tendo entre seus objetivos a geração de informações e a explicação dos fenômenos patrimoniais, possibilitando o controle, o planejamento e a tomada de decisão, no enfoque passado/presente/futuro. Tudo isso, servindo aos mais diversos usuários, para que eles possam, por meio de seus atos buscarem a prosperidade da entidade e da sociedade.

4 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Qual o embasamento? TEORIA DAS FUNÇÕES SISTEMÁTICAS DO PATRIMÔNIO Proposição da Economicidade A Contabilidade deve procurar traduzir a participação da riqueza individualizada tanto ao nível interno, quanto ao nível externo, pois a interdependência é indissociável.

5 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Balanço Social Assim, o Balanço Social constitu-se...

6 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva... no principal produto de uma ramificação da contabilidade!

7 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Mas, e quanto ao CONCEITO? Vamos entendê-lo melhor.

8 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Quanto às INFORMAÇÕES: responsabilidade Úteis, fidedignas e eqüitativas, de natureza contábil, gerencial,econômica, ambiental e social, que revelam a responsabilidade das entidades perante a sociedade e proporcionem uma visão sobre o desempenho econômico e financeiro das entidades e sua atuação em benefício do bem-estar social.

9 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Quanto ao ENVOLVIMENTO: Gastos e influências, quer favoráveis ou desfavoráveis que são recebidas e transmitidas pelas entidades na promoção humana, social e ecológica.

10 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Os efeitos da interação entre entidade/sociedade dirigem-se aos gestores, aos empregados e a para a sociedade comunidade, configurando-se em um conjunto de informações para a sociedade e não da sociedade. Quanto aos USUÁRIOS:

11 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Relação custo-benefício: Agregação de valor à economia e à sociedade; Respeito aos os direitos humanos de seus colaboradores; Desenvolvimento do processo operacional sem agressão o meio ambiente. Quanto à JUSTIFICATIVA PARA EXISTÊNCIA

12 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva E quanto à RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS ENTIDADES?

13 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Vejamos: SIM OU NÃO? Uma entidade pode ser concebida apenas como um aglomerado de recursos materiais e humanos, que produz e/ou transforma bens, cria serviços e os disponibiliza ao mercado consumidor? SIM OU NÃO?

14 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva A resposta é NÃO Uma entidade constitui-se em um conjunto de recursos (humanos, patrimoniais e tecnológicos) que visam a produção e entrega da mesma ao mercado, no entanto estão inseridas em um meio social, ambiental e cultural, do qual recebe influências e impactos e os reproduz.

15 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Assim, RESPONSABILIDADE SOCIAL diz respeito à maneira como as entidades realizam seus negócios: os critérios que utilizam para a tomada de decisões, os valores que definem suas prioridades e os relacionamentos com todos os públicos com os quais interagem,

16 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Além de estar diretamente relaciona à: ÉTICA DECISÕES COTIDIANAS Sociedade Meio-Ambiente Futuro dos Negócios TRANSPARÊNCIA

17 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva A responsabilidade social cria um diferencial de mercado que, entre outros benefícios, as credencia a ser fornecedoras de outras empresas que adotam essa forma de gestão como critério de seleção e dão credibilidade à gestão do negócio e facilitam na obtenção de crédito.

18 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Então, com tudo esclarecido, voltamos ao...

19 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva HISTÓRICO Década de 60 Nos Estados Unidos e na Europa verificava-se: - repúdio à guerra do Vietnã - movimento de boicote - exigência social de uma nova postura ética - início da prestação de contas à sociedade

20 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva HISTÓRICO - BRASIL Década de 70: -Década de 60: Com a criação da Associação dos Dirigentes Cristãos de Empresas – ADCE, começaram as primeiras discussões sobre comportamento ético das empresas. - Década de 70: Decreto-Lei /75, instituindo a RAIS - Relação Anual de Informações Sociais (comparativamente ao balanço social francês)

21 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva HISTÓRICO - BRASIL -Década de 90: artigo do sociólogo Herbert de Souza, publicado pela Folha de São Paulo em 26/03/1997, intitulado Empresa Pública e Cidadã. Projeto de Lei 3.116/97 apresentado pelas então deputadas federais Marta Suplicy, Sandra Starling e Maria Conceição Tavares – arquivado em 01/02/1998.

22 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva MODELOS Abordagem contábil Abordagem social: Abordagem mista: Abordagem contábil: ênfase ao valor adicionado gerado pela empresa. Abordagem social: ênfase aos aspectos sociais, ambientais e de relações do pessoal, de caráter eminentemente qualitativo. Abordagem mista: concilia os aspectos econômicos e contábeis, com os sociais.

23 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva NORMATIZAÇÃO RESOLUÇÃO 1003/2004 – CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE NBC T 15 – Informações de Natureza Social e Ambiental

24 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva MODELOS - Balanço de recursos humanos - A demonstração do valor adicionado (NBC T 3.7) - O balanço ambiental - A responsabilidade social e pública das organizações:

25 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva MODELO IBASE: Objetivando a facilidade de comparação conseguida com a padronização, o Ibase, em parceria com técnicos, pesquisadores e diversos representantes de instituições públicas e privadas, concebeu e concluiu, no primeiro semestre de 1997, um modelo de balanço social que obteve o apoio da CVM.

26 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva MODELO - IBASE Selo: Em 1998, para estimular a participação de um maior número de corporações, o Ibase lançou o Selo Balanço Social Ibase/Betinho.

27 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva MODELO - IBASE 1. Base de Cálculo 2. Indicadores Sociais Internos 3. Indicadores Sociais Externos 4. Gastos Ambientais 5. Indicadores do corpo funcional 6. Valor Adicionado 7. Informações

28 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Montagem do Balanço Social:

29 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Estrutura Princípios e critérios Relevância:possibilidade de formação de opinião Veracidade: transparência, neutralidade e consistência Comparabilidade: periódica e organizacional Regularidade: periodicidade Verificabilidade: verificação e auditoria Clareza: fluidez de texto e visibilidade

30 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Parte I - APRESENTAÇÃO 1. Mensagem do Presidente 2. Perfil do Empreendimento 3. Setor da Economia

31 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Parte II – A EMPRESA 4. Histórico 5. Visão e Missão 6. Princípios e Valores 7. Estrutura e Funcionamento 8. Governança Corporativa

32 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Parte III – ATIVIDADE EMPREARIAL 9. Diálogo com as partes interessadas 10. Indicadores de Desempenho

33 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva 10.1 Indicadores de Desempenho Econômico Aspectos Qualitativos: Aspectos Qualitativos: - Impactos no país por meio de geração e distribuição da riqueza - Resultados da produtividade no período - Procedimentos, critérios e retornos de investimentos (na empresa e na comunidade)

34 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Econômico Indicadores Quantitativos Indicadores Quantitativos - Geração e Distribuição da Riqueza

35 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Econômico

36 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Econômico Indicadores Quantitativos Indicadores Quantitativos - Produtividade

37 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Econômico Indicadores Quantitativos Indicadores Quantitativos - Investimentos

38 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Social Público Interno 1.Dialógo e Participação 1.1 Relação com sindicatos - Aspectos qualitativos: - Indicadores Quantitativos

39 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Social Público Interno 1.Dialógo e Participação 1.2 Gestão Participativa - Aspectos qualitativos: - Indicadores Quantitativos

40 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Social Público Interno 2.Respeito ao Indivíduo 2.1 Compromissos com os direitos das crianças - Aspectos qualitativos: - Indicadores Quantitativos

41 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva 2.Respeito ao Indivíduo 2.2 Valorização da Diversidade - Aspectos qualitativos: - Indicadores Quantitativos Perfil dos Empregados Indicadores de Desempenho Social Público Interno

42 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Social Público Interno 2.Respeito ao Indivíduo 2.3 Valorização da Diversidade - Aspectos qualitativos: - Indicadores Quantitativos Perfil dos Salários

43 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Social Público Interno 3.Trabalho Decente 3.1 Política de remuneração, benefícios e carreira - Aspectos qualitativos: - Indicadores Quantitativos 3.Trabalho Decente 3.2 Saúde e Condições de Trabalho - Aspectos qualitativos: - Indicadores Quantitativos

44 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Social Público Interno

45 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva 3.Trabalho Decente 3.3 Desenvolvimento Profissional e Empregabilidade - Aspectos qualitativos: - Indicadores Quantitativos Indicadores de Desempenho Social Público Interno

46 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva 3.Trabalho Decente 3.4 Trabalhadores Terceirizados - Aspectos qualitativos: - Indicadores Quantitativos Indicadores de Desempenho Social Público Interno

47 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Social Público Interno 3.Trabalho Decente 3.5 Comportamento frente às demissões - Aspectos qualitativos: - Indicadores Quantitativos

48 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva 3.Trabalho Decente 3.6 Aposentadoria - Aspectos qualitativos: - Indicadores Quantitativos Indicadores de Desempenho Social Público Interno

49 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Social Fornecedores 1.Seleção, Avaliação e Parceria 1.1 Critérios de Seleção e Avaliação - Aspectos qualitativos:

50 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Social Fornecedores 1.Seleção, Avaliação e Parceria 1.2 Apoio ao Desenvolvimento - Aspectos qualitativos - Indicadores Quantitativos

51 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Social Consumidores e Clientes 1.Dimensão Social do Consumo 1.1 Política de Comunicação Comercial - Aspectos qualitativos - Indicadores Quantitativos

52 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva 1.Dimensão Social do Consumo 1.2. Excelência do Atendimento - Aspectos qualitativos - Indicadores Quantitativos Indicadores de Desempenho Social Consumidores e Clientes

53 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Social Consumidores e Clientes 1.Dimensão Social do Consumo 1.3. Conhecimento e Gerenciamento dos danos potenciais dos produtos e serviços - Aspectos qualitativos - Indicadores Quantitativos

54 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Social Comunidade 1.Comunidade Local 1.1 Gerenciamento do impacto na comunidade de entorno e relacionamento com organizações locais - Aspectos qualitativos - Indicadores Quantitativos

55 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Social Comunidade 2. Ação Social 2.1 Envolvimento e Financiamento- Aspectos qualitativos - Indicadores Quantitativos

56 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva 1. Transparência Política 1.1 Contribuições para campanhas 1.2 Práticas anticorrupção e antipropinas 2. Liderança Social 2.1 Liderança e influência social 2.2 Participação em Projetos Sociais 3. Relações de transparência com a Sociedade 4. Relações com a concorrência Indicadores de Desempenho Social Governo e Sociedade

57 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Ambiental 1.Responsabilidade com gerações futuras 1.1 Comprometimento com a melhoria da qualidade ambiental - Aspectos qualitativos - Indicadores Quantitativos

58 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Ambiental 1.Responsabilidade com gerações futuras 1.2 Educação e conscientização ambiental - Aspectos qualitativos - Indicadores Quantitativos

59 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Ambiental 2.Gerenciamento do impacto ambiental 2.1 Impacto no meio-ambiente e do ciclo de vida dos produtos e serviços - Aspectos qualitativos - Indicadores Quantitativos

60 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Ambiental 2.Gerenciamento do impacto ambiental 2.2 Sustentabilidade da Economia Florestal - Aspectos qualitativos - Indicadores Quantitativos 2.Gerenciamento do impacto ambiental 2.3 Minimização de entrada e saída de materiais - Aspectos qualitativos - Indicadores Quantitativos

61 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Indicadores de Desempenho Ambiental

62 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva Modelo IBASE para publicação

63 07/05/2009 Sibele L. Penna Silva (...) Até que nos encontremos de novo, Que Deus lhes carregue na palma de sua mão. OBRIGADO !


Carregar ppt "07/05/2009 BALANÇO SOCIAL Sibele L. Penna Silva. 07/05/2009 Balanço Social. Ao instrumento contábil que reúne um conjunto de informações, fornecidas aos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google