A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Autismo, Atividade Física e esportes Rio de Janeiro 2007 - Cronograma - Palastrantes - Inscrição e Custos - Localização - Inscrição... Aqui!!!

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Autismo, Atividade Física e esportes Rio de Janeiro 2007 - Cronograma - Palastrantes - Inscrição e Custos - Localização - Inscrição... Aqui!!!"— Transcrição da apresentação:

1 Autismo, Atividade Física e esportes Rio de Janeiro Cronograma - Palastrantes - Inscrição e Custos - Localização - Inscrição... Aqui!!!

2 Palestra Mg. Julio Salazar Gonzales

3 Conceito de Actividade Física e Esportiva O dicionário da Real Académia espanhola define o esporte como a atividade física exercida como jogo ou competição cuja prática supõe trenamento e sujeição de normas. O Barão Pierre de Coubertin fundador dos Jogos Olímpicos define o esporte como o culto voluntário e habitual do exercício muscular intensivo apoiado no desjeo de progresso e que pode levar até o risco.

4 Autismo Conceitos, definições e caraterísticas físicas e psicológicas já foram explicadas pelos palestrantes que me antecederam.

5 Benefícios Gerais do esporte em pessoas com Autismo Emocional. Porque determina relação entre o treinador, aluno e integrantes esportivos. Cognoscitivo. As rotinas, seqüencias e repetições de exercícios facilitam o desenvolvimento da memória muscular e mental. Ordem, estrutura e disciplina. Se incentivam os comportamentos e atitudes tendentes a desenvolver normas e reglas de conduta física e emocional.

6 Continua Acondicionamento Físico. Desenvolvimento das capacidades aeróbicas y anaeróbicas do aluno além de corrigir transtornos psicomotrizes. Químico. O exercício físico e a correta respiração permite a regulação da serotonina no cérebro. Fatores nervosos. Os quales se realizam mediante o reclutamento das unidades motoras e sua sincronização muscular. Entre outros muitos mais benefícios.

7 São para todos por igual? Quase todas as disciplinas esportivas podem aprender pero não todas são adeqüadas para pessonas autistas. Não adeqüadas: Artes Marciais (combates) Luta Livre e esportes de alto contato Pugilismo Esportes de alto risco, etc.

8 Disciplinas mais recomendadas Atletismo Natação Levantamento de Peso Ciclismo Basquete Exercícios de Musculação

9

10 Objetivos específicos Que o aluno aprenda a gostar das atividades físicas e esportivas dando énfase a que conheça e domine seu corpo de maneira mais eficiente e ordenada. Ajudar à rehabilitação de problemas motores Conseguir maior disciplina e ensinar normas e regras de comportamento desenvolvendo hábitos de responsabilidade e disciplina. Beneficiar a comunicação Controlar os desequilíbrios emocionais e a ansiedade mediante a respiração e a integração socialmente à comunidade. Entre outros muitos mais.

11 Considerações antes de iniciar as atividades esportivas Quais são as caraterísticas físicas, nutricionais, emocionais e da saúde do aluno (remédios). De quais médios disponho para a realização da atividade, equipamento e ambiente. Objetivos e planificação do programa físico. Em que nível de habilidades está o aluno e de qual maneira podrei chegar a estabelecer o vínculo emocional entre professor e aluno.

12 Níveis Físicos Nível 1 Atividades Motoras Se baseiam em movimentos livres executados de maneira simples e tentando de desenvolver capacidades fisicomotoras onde não se consideram as séries nem as repetições, damos énfase aos movimentos e a seu desenvolvimento. Não há regras estritas. Não é necessário nenhum tipo de habilidade específica.

13 Nível 2 Dinámica Fisicomotora e Atividade Física Desenvolvimento de movimentos básicos adeqüados como a postura, respiração, movimentos retos, curvos, combinados etc. Considerar séries, repetições, normas e regras de comportamento físico e emocional. Se requere de habilidades mínimas específicas que tem que ser desenvolvidas na primeira fase.

14 Nível 3 Disciplinas Esportivas Se requere treinamento habitual planejado metodologicamente, onde prevaleça o domínio corporal, conhecimento da normativa esportiva competitiva básica e desenvolvimento das caraterísticas físicas e emocionais do esporte escolhido.

15 Planejamento Ao princípio do programa é necessário considerar a capacidade de aprendizagem de habilidades do aluno, movimentos similares e coordinados que o leven a aprender o movimento y dominá-lo. O programa deve ter uma relação de atividades e movimentos que têm que se aprender, e contar com um planejamento coerente de como serão ensinados. Além disso o programa deverá estar subdividido conforme

16 Continuação A um ordem e seqüencias apropriadas para trabalhar as capacidades aeróbicas e anaeróbicas do aluno. Contará com : Avaliação Seqüencias e Séries Dinâmicas e ateliês integrais Reportagens e Availações.

17 Avaliação Saúde e estado físico aeróbico y anaeróbico, força, potência, resistência entre outras. Psicomotriz. Se determina o grau psicomotriz do aluno com o fim de programar os exercícios, séries, repetições e seqüencias que vão conformar a rotina de exercícios a seguir. Seqüencias e Séries. São determinadas conforme ao grau de colaboração e capacidades fisicomotoras, podendo ser com apoio físico de contar con imitação. O reforço verbal é muito importante também.

18 TREINANDO O ATLETA Objetivos e capacidades Identificar os problemas ou obstáculos que um atleta pode ter para o desenvolvimento das destrezas e regras esportivas, e como solucioná-las. Conhecer as destrezas necessárias que deve desenvolver um treinador. Elaborar um plano de treinamiento para uma temporada, seguindo os princípios metodológicos conhecidos. Identificar como uma pessoa dentro do espectro autista aprende destrezas e regras esportivas e o que um treinador tem de fazer para facilitar a aprendizagem. Identificar estratégias de treinamiento de sucesso.

19 CONSIDERAÇÕES Considerações psicológicas relacionadas à aprendizagem, à motivação, à percepção, compreensão, memória etc. Considerações médicas, Autismo, medicações, convulsões, discapacidades fisicomotoras e problemas de aprendizagem. Considerações sociais, destrezas sociais típicas, recreação física em casa, zonas recreativas ou áreas esportivas, condição econômica. Considerações Nutricionais.

20 Difusão Vestibular É a coordinação baseada em nossa sensação do movimento a través de informação inconsciente do sistema visual e auditivo. Carateristicas a corregir se for necessário : Má postura, inseguridade gravitacional ante exigências físicas, problemas espaciais, pobre integração bilateral e coordinação e quase sempre não consideram o perigo.

21 Disfusão Proprioceptiva Baseada na informação a través do sistema muscular, ligamentos e articulações; ou seja existe pouca consciência do movimiento, a relação do espaço entre eles nem medir a intensidade da força no agarramento (não midem corretamente a força necessária para um agarramento determinado podendo ser muito pouca ou demasiada)

22 Caraterísticas Encontramos no aluno uma alteração do tom muscular, pouca consistência nas mudanças de posição corporal e gravitacionais, com uma marcada autoestimulação e desenvolvida tolerância à dor. Movimentos lerdos muito acelerados nos casos de hiperatividade ou sumamente lentos.

23 Seqüência Básica São aqueles exercícios que vão ajudar a aumentar a disposição de aprendizagem físico e emocional. Postura Contato ocular Apresentação de rotina de exercícios. Imagem (um espelho), postura e movimento corporal Seguimento de ordens simples. Apoio físico e reforço verbal.

24

25

26

27

28 Seqüência de Atividades Acondicionamento físico. Acondicionamento motor grosso e fino. Imitação motora Aprendizagem de condutas físicas e movimentos Seqüências e séries complexas conforme aos avanços

29

30

31

32

33 Metodologia Duração : Conforme ao programa estabelecido e às caraterísticas proprias do aluno. Consideração prévia da duração conforme ao objetivo. Duração de sessão, considerar quantidades de séries e repetições antecipadamente.

34 Cronograma O cronograma vai incluir os períodos de tempo que poderiam determinar os diferentes momentos da rutina; incluida a intensidade do momento e a global conforme ao estabelecido dentro dos objetivos. Considerações especiais.

35 Rotina Elevação de temperatura corporal. Caminhar ou trotar por um breve período de tempo. Soltura. Movimentos destinados se soltar Alongamentos. Dotar de flexibilidade ao músculo e prepará-lo para a atividade física. Aquecimento com os exercícios da rotina. Início de rotina. Se foram exercícios de musculação e sobrecargas é muito importante iniciar com o sistema de pirâmide.

36 Aquecimento - esfriamento: Elevar a temperatura corporal e aquecer os músculos em preparação para o exercício, mais quando se trata de exercícios de força nos quais é fácil sofrer lesões de consideração, e depois diminuir gradualmente após um exercício vigoroso, a elevação da temperatura corporal prepara os músculos, o sistema nervoso, tendões, ligamentos e o sistema cardiovascular para as elongações e exercícios que vêm. As posibilidades de lesões são menores pelo aumento da elasticidade muscular. Os três tipos de aquecimento são:

37 Continua PASSIVO: Aumento da temperatura corporal por meios externos, tais como massagens, compressas quentes, banhos de vapor ou duchas quentes, os atletas em cadeira de rodas se beneficiam com um aquecimento passivo. GERAL: Aumenta a temperatura de todo o corpo mediante movimentos de grandes grupos musculares que não estão associados com a atividade a realizar depois, por exemplo, trotar, caminhar, pular corda. ESPECÍFICO: Se concentram as posições do corpo a ser usadas na atividade e nos movimentos do exercício.

38 ELONGAÇÃO OU ALONGAMENTO A elongação promove os movimentos livres e fáceis para aumentar o movimento das articulações e dos músculos. Os tipos de elongação são: Dinámico: uma elongação ativa ou em movimento que é lentamente levada ao ponto de tensão média e depois relaxados. Estática: uma elongação mantida por 10 a 30 segundos é um alongamento fácil do ponto de tensão. Balistico: elongações que são rápidas e insistidas. Esta elongação pode fácilmente passar o ponto de tensão média e pode resultar em rupturas musculares. Este tipo de elongação não deve ser feito como parte da rotina de alongamento.

39 Continua As elongações que produzen dor, tensão ou torção sobre as articulações, costas ou pescoço deven se evitar. Atenção com a inestabilidade atlanto axial em algumas pessonas com Autismo por exemplo. Temos que nos costumar a seguir minuciosamente as pautas do aquecimento e alongamento do atleta, antes de começar com os exercícios com sobrecargas.

40 Capacidades Motrizes O corpo humano possui faculdades fisiológicas que se apoiando em elementos anatômicos como os músculos, as articulações e os ossos permitem realizar a posição e o movimento. Quando estas faculdades funcionam aos níveis requeridos ajudam a determinar o bom funcionamento corporal. A esta capacidade a conhecemos como capacidades motrizes.

41 Musculação Esportiva É o trabalho físico destinado a trabalhar de maneira geral e específica os músculos do corpo destacando o desenvolvimento da força, resistência, potência, velocidade e flexibilidade. Depende da etapa de treinamiento do atleta, preparação física geral e específica e da natureza do objetivo. Reabilitar, desenvolver capacidades inerentes à musculação. Sistema de Pirâmide e média pirâmide.

42

43

44 Nutrição Um conceito importante para a ciência do movimento do corpo é a energia, que cobre a gama de movimentos humanos, que desde aqueles que requerem grandes desgastes de energia em períodos breves, até as atividades que exigem uma pequena mas contínua produção de energia. Existem particularidades como as dietas livres de glúten e caseína. Sistema nutricional de pirâmide. OMS.

45 Treinamiento Esportivo e de Competição Conhecimento com respeito ao esporte e os princípios básicos do treinamiento. Conhecimento da missão, filosofía e regras das Olimpíadas Especiais, porque é a entidade que proporciona o circuito competitivo para atletas especiais em todo o mundo. Recrutar e capacitar mais treinadores assistentes. Seleção de talentos. Um ambiente idôneo e com a seguridade necessária. Planejar com parâmetros metodológicos a actividade que vai se realizar.

46 Continua Availar os atletas conforme a alguma lesão ou incapacidade Estabelecer grupos eqüitativos entre os atletas. Proporcionar os equipamentos adecuados. Conhecer e advertir sobre os riscos inerentes ao esporte. Supervisar estritamente a atividade. Ter conhecimentos de primeiros socorros e procedimentos de emergência. Manter um registro adeqüado das atividades.

47 Seguridade e Prevenção de Lesões Recomendamos que todo treinador de atletas especiais tenha os conhecimentos básicos de primeiros socorros, além disso existem três áreas principais que devemos considerar: Meio ambiente: Centro de treinamiento, o qual deverá ser revisado para evitar alguma surpresa desagradável, como uma pobre ventilação ou ginásio em mau estado. Condições climáticas: Qualquer atividade poderá ser afetada pelas condições climáticas; o excesso de calor, a umidade e o frio são fatores a considerar.

48 Continua Equipamentos: O treinador deverá revisar os equipamentos antes do início de uma prática ou competição, os equipamentos deverão ter uma manutenção adeqüada e cumprir com as normas internacionais do esporte.

49

50 Satisfação de um trabalho bem feito


Carregar ppt "Autismo, Atividade Física e esportes Rio de Janeiro 2007 - Cronograma - Palastrantes - Inscrição e Custos - Localização - Inscrição... Aqui!!!"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google