A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Métodos e Ferramentas para a Gestão do Conhecimento Professor Professor Edson Emílio Scalabrin telefone: 0xx41-330-1786

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Métodos e Ferramentas para a Gestão do Conhecimento Professor Professor Edson Emílio Scalabrin telefone: 0xx41-330-1786"— Transcrição da apresentação:

1

2 Métodos e Ferramentas para a Gestão do Conhecimento Professor Professor Edson Emílio Scalabrin telefone: 0xx download:

3 2 Objetivos da aula Apresentar o plano geral da disciplina focando a gestão do conhecimentos como uma memória organizacional Apresentar o plano geral da disciplina focando a gestão do conhecimentos como uma memória organizacional Introduzir os objetivos, conceitos e modelos ligados a uma memória organizacional Introduzir os objetivos, conceitos e modelos ligados a uma memória organizacional

4 3 Plano - Introdução Memória de uma organização Memória de uma organização Necessidades industrias de uma memória organizacionalNecessidades industrias de uma memória organizacional Conhecimentos em uma organizaçãoConhecimentos em uma organização Tipologias de memórias de uma organizaçãoTipologias de memórias de uma organização

5 4 Plano - Parte I A gestão de uma memória organizacional A detecção das necessidades de uma memória organizacional A detecção das necessidades de uma memória organizacional Análise das necessidadesAnálise das necessidades –Questões que concernem os usuários –Questões que concernem os conceptores –Abordagem subjacente: a concepção centrada sobre os interessados

6 5 Plano - Parte I A gestão de uma memória organizacional A construção de uma memória organizacional A construção de uma memória organizacional GeneralidadesGeneralidades – ou a memória da organização –Informatizar ou não a memória da organização –Os atores humanos implicados nesta construção Questões preliminaresQuestões preliminares –Detecção das necessidades –Construção –Difusão –Avaliação –Evolução

7 6 Plano - Parte I A gestão de uma memória organizacional A construção de uma memória organizacional A construção de uma memória organizacional Memória documentáriaMemória documentária –Documentos na empresa –Etapas de consultação de documentos técnicos –Hipertextos –XML Memória baseada em conhecimentosMemória baseada em conhecimentos –Nível de modelagem dos conhecimentos –Técnicas de aquisição –Os métodos CommonKADS e KOD –Ontologias (Continuação)

8 7 Plano - Parte I A gestão de uma memória organizacional A construção de uma memória organizacional A construção de uma memória organizacional Memória baseada em casosMemória baseada em casos CSCW ou groupwareCSCW ou groupware WorkflowsWorkflows Memória organizacional distribuídaMemória organizacional distribuída Combinação de várias técnicasCombinação de várias técnicas –CGKAT ( Conceptual Graph Knowledge Acquisition Tool ) –WebCokace (COmmonKADS-CEntaur) (Continuação)

9 8 Plano - Parte I A gestão de uma memória organizacional A difusão e a utilização de uma memória organizacional A difusão e a utilização de uma memória organizacional Objetivos da difusãoObjetivos da difusão Possíveis modos de difusãoPossíveis modos de difusão Difusão via intranet/InternetDifusão via intranet/Internet –Difusão por correio eletrônico –Levando em conta o contexto –Servidor de news –Servidor de conhecimentos na Web ou na intranet –Abordagem centrada em processo

10 9 Plano - Parte I A gestão de uma memória organizacional A difusão e a utilização de uma memória organizacional ( continuação ) A difusão e a utilização de uma memória organizacional ( continuação ) Busca de informaçõesBusca de informações –Software para a busca de informações –Modos de busca –Agentes inteligentes de busca de informação na Internet –Busca pelo conteúdo –Busca guiada por ontologias –Interesse das ontologias –Busca em uma memória baseada em casos

11 10 Plano - Parte I A gestão de uma memória organizacional A difusão e a utilização de uma memória organizacional ( continuação ) A difusão e a utilização de uma memória organizacional ( continuação ) Interesse de XML para a difusãoInteresse de XML para a difusão –Acesso a fontes de informações heterogêneas –RDF ( Resource Description Frameworks ) –Diferentes apresentações de um documento XML –Servidor de dados e de documentos –Linguagem de interrogação –Mídia de apresentação de documentos –Navegação hipertexto –SMIL ( Synchronized Multimedia Integration Language )

12 11 Plano - Parte I A gestão de uma memória organizacional Avaliação e evolução da memória organizacional Avaliação e evolução da memória organizacional AvaliaçãoAvaliação –Questões ligadas à avaliação –Abordagem centrada sobre os interessados –Métodos de avaliação –Critérios e medidas de avaliação –Avaliação a priori e reavaliação Manutenção e evoluçãoManutenção e evolução –A memória como um sistema evolutivo –Evolução da memória e evolução da organização

13 12 Plano - Parte II Métodos para a memória organizacional Gestão de múltiplos pontos de vista Gestão de múltiplos pontos de vista Aquisição de conhecimentos de múltiplos especialistasAquisição de conhecimentos de múltiplos especialistas Representação de conhecimentos multi-especialistasRepresentação de conhecimentos multi-especialistas Memória de projeto Memória de projeto O que é uma memória de projeto ?O que é uma memória de projeto ? Fontes de conhecimentos para a memóriaFontes de conhecimentos para a memória Abordagens de capitalização de memória de projetoAbordagens de capitalização de memória de projeto Métodos de capitalização de conhecimentos Métodos de capitalização de conhecimentos Método REX, e outrosMétodo REX, e outros Aplicações Aplicações

14 13 Referência Rose Dieng, Olivier Corby, Alain Ciboin, Joanna Golebiowska, Nada Matta, Myriam Ribière, Méthodes et outils pour la gestion des connaissances, DUNOD, Paris, 2000, ISBN Rose Dieng, Olivier Corby, Alain Ciboin, Joanna Golebiowska, Nada Matta, Myriam Ribière, Méthodes et outils pour la gestion des connaissances, DUNOD, Paris, 2000, ISBN

15 14 Segundo objetivo da aula Introduzir os objetivos, conceitos e modelos ligados a memória organizacional Introduzir os objetivos, conceitos e modelos ligados a memória organizacional

16 15 Introdução Memória organizacional Por que uma memória organizacional ? Por que uma memória organizacional ? O compartilhamento do trabalho necessita de um compartilhamento de conhecimentos nas empresas e esta necessidade pode tornar-se ainda mais crucial com a redução do tempo de trabalho [ Dieng el at 2000 ]. O compartilhamento do trabalho necessita de um compartilhamento de conhecimentos nas empresas e esta necessidade pode tornar-se ainda mais crucial com a redução do tempo de trabalho [ Dieng el at 2000 ]. Para sobreviver e ter sucesso, as empresas não devem apenas gerir melhor seu capital de conhecimentos mas também inovar e criar novos conhecimentos.Para sobreviver e ter sucesso, as empresas não devem apenas gerir melhor seu capital de conhecimentos mas também inovar e criar novos conhecimentos. Um verdadeiro compartilhamento de conhecimentos deve melhor as condições de trabalho dos membros de uma organização. Um verdadeiro compartilhamento de conhecimentos deve melhor as condições de trabalho dos membros de uma organização.

17 16 Introdução Memória organizacional Objetivo I - capitalização de conhecimentos Objetivo I - capitalização de conhecimentos Favorecer o crescimento, a transmissão e a conservação dos conhecimentos dentro de uma organização [ Steels 93 ].Favorecer o crescimento, a transmissão e a conservação dos conhecimentos dentro de uma organização [ Steels 93 ]. Quais conhecimentos estão envolvidos? Quais conhecimentos estão envolvidos? conhecimentos teóricos e/ouconhecimentos teóricos e/ou saber-fazer da empresasaber-fazer da empresa

18 17 Introdução Memória organizacional A capitalização de conhecimentos requer: A capitalização de conhecimentos requer: a gestão dos recursos de conhecimentos da empresa no intuito de facilitar seu acesso e sua reutilização;a gestão dos recursos de conhecimentos da empresa no intuito de facilitar seu acesso e sua reutilização; isto implica em:isto implica em: –capturar e representar os conhecimentos da empresa para facilitar seu acesso, seu compartilhamento e sua reutilização.

19 18 Introdução Memória organizacional Capitalização de conhecimentos Capitalização de conhecimentos É um problema bastante complexo, que envolve diferentes pontos de vista:É um problema bastante complexo, que envolve diferentes pontos de vista: –sócio-organizacional –econômico –financeiro –técnico –humano e –legal

20 19 Introdução Memória organizacional Definição I Definição I É uma representação explicita, persistente, e desencarnada, dos conhecimentos e das informações em uma organização. ( Van Heijst et al. 96) É uma representação explicita, persistente, e desencarnada, dos conhecimentos e das informações em uma organização. ( Van Heijst et al. 96) O que pode existir nesta memória ? O que pode existir nesta memória ? Os conhecimentos sobre os produtos, os processos de produção, os clientes, as estratégias de venda, os resultados financeiros, os planos e objetivos estratégicos,...Os conhecimentos sobre os produtos, os processos de produção, os clientes, as estratégias de venda, os resultados financeiros, os planos e objetivos estratégicos,...

21 20 Introdução Memória organizacional Definição II Definição II É o conjunto de dados coletivos e dos recursos de conhecimentos de uma empresa ( Nagendra Prasad et Plaza 96) É o conjunto de dados coletivos e dos recursos de conhecimentos de uma empresa ( Nagendra Prasad et Plaza 96) O que pode existir nesta memória ? O que pode existir nesta memória ? Bases de dados, documentos eletrônicos, relatórios, especificações de produtos, a lógica de concepção,...Bases de dados, documentos eletrônicos, relatórios, especificações de produtos, a lógica de concepção,...

22 21 Introdução Memória organizacional Sobre qual princípio repousa a construção de uma memória organizacional ? Sobre qual princípio repousa a construção de uma memória organizacional ? Sobre a vontade de preservar, a fim de os utilizar mais tarde ou o mais rapidamente possível: Sobre a vontade de preservar, a fim de os utilizar mais tarde ou o mais rapidamente possível: –os raciocínios, –os comportamentos, –os conhecimentos, mesmo em suas contradições e em toda sua diversidade. [ Pomian 96 ]

23 22 Introdução Memória organizacional Objetivo II - capitalização de conhecimentos Objetivo II - capitalização de conhecimentos Localizar e tornar visível os conhecimentos da empresa, ser capaz de os conservar, acessar e os atualizar, saber como os difundir e melhor utilizar, os colocar em sinergia e os valorizar [ Grundstein 95 ]. Localizar e tornar visível os conhecimentos da empresa, ser capaz de os conservar, acessar e os atualizar, saber como os difundir e melhor utilizar, os colocar em sinergia e os valorizar [ Grundstein 95 ].

24 23 Introdução Memória organizacional Objetivo III - capitalização de conhecimentos Objetivo III - capitalização de conhecimentos Coletivizar os conhecimentos, capitalizar as experiências e amplificar a eficiência dos saberes da empresa graças a um melhoramento e à informatização das práticas observadas na empresa [ Poitou 97 ]. Coletivizar os conhecimentos, capitalizar as experiências e amplificar a eficiência dos saberes da empresa graças a um melhoramento e à informatização das práticas observadas na empresa [ Poitou 97 ].

25 24 Introdução Memória organizacional Tipos de conhecimentos em uma empresa Tipos de conhecimentos em uma empresa explícitosexplícitos tácitostácitos Por que é importante identificar os conhecimentos estratégicos a capitalizar ? Por que é importante identificar os conhecimentos estratégicos a capitalizar ? Para permitir determinar o tipo de memória organizacional necessáriaPara permitir determinar o tipo de memória organizacional necessária

26 25 Introdução Memória organizacional Conclusão I Conclusão I uma memória organizacional deveria fornecer o bom conhecimento ou informação à pessoa certa no momento certo e no nível corretouma memória organizacional deveria fornecer o bom conhecimento ou informação à pessoa certa no momento certo e no nível correto em francês, la bonne connaissance ou information à la bonne personne au bom moment et au bon niveauem francês, la bonne connaissance ou information à la bonne personne au bom moment et au bon niveau

27 26 Introdução Memória organizacional Ciclos de vida da gestão do conhecimento: Ciclos de vida da gestão do conhecimento: modelo de Jaspers ( 1999 );modelo de Jaspers ( 1999 ); modelo de Grundstein ( 1995 );modelo de Grundstein ( 1995 ); modelo de Dieng et al. ( 2000 );modelo de Dieng et al. ( 2000 );

28 27 Introdução Memória organizacional Modelo de Jaspers Modelo de Jaspers Criar Descobrir CapturarOrganizar Manter Disseminar ( Push ) Procurar ( Pull ) Reformular ( opcional ) Internalizar Aplicar

29 28 Introdução Memória organizacional Modelo de Grundstein Modelo de Grundstein CONHECIMENTOS CRUCIAIS ENCONTRAR Identificar Localizar Caracterizar VALORIZAR Acessar Disseminar Melhor utilizar Combinar, criar PRESERVAR Formalizar Conservar MANTER Atualizar Enriquecer

30 29 Introdução Memória organizacional Modelo de Dieng et al. Modelo de Dieng et al. Detectar as necessidades de memória organizacional Construir a memória organizacional Difundir Utilizar Avaliar Manter e fazer evoluir a memória organizacional

31 30 Introdução Memória organizacional As setes etapas da cadeia de valorização dos conhecimentos são: As setes etapas da cadeia de valorização dos conhecimentos são: fazer um levantamento dos conhecimentos existentesfazer um levantamento dos conhecimentos existentes determinar os conhecimentos necessáriosdeterminar os conhecimentos necessários desenvolver novos conhecimentosdesenvolver novos conhecimentos alocar os conhecimentos,alocar os conhecimentos, aplicar os conhecimentos,aplicar os conhecimentos, manter os conhecimentos emanter os conhecimentos e subtrair os conhecimentos obsoletossubtrair os conhecimentos obsoletos

32 31 Introdução Memória organizacional Definição - Memória Organizacional Definição - Memória Organizacional É uma representação persistente, explicita, desencarnada, dos conhecimentos e das informações em uma organização, a fim de facilitar seu acesso, seu compartilhamento e sua reutilização pelos membros adequados da organização, no contexto de suas tarefas [Dieng et al. 2000] É uma representação persistente, explicita, desencarnada, dos conhecimentos e das informações em uma organização, a fim de facilitar seu acesso, seu compartilhamento e sua reutilização pelos membros adequados da organização, no contexto de suas tarefas [Dieng et al. 2000] OBS: Definição adotada nesta disciplina OBS: Definição adotada nesta disciplina

33 32 Introdução Memória organizacional Considerações para suplantar a complexidade Considerações para suplantar a complexidade deve-se levar em conta tanto os aspectos humanos e organizacionais quando os aspectos técnicosdeve-se levar em conta tanto os aspectos humanos e organizacionais quando os aspectos técnicos são os homens e as mulheres de uma empresa que são, ao mesmo tempo, fontes e usuários de seu patrimônio de conhecimentossão os homens e as mulheres de uma empresa que são, ao mesmo tempo, fontes e usuários de seu patrimônio de conhecimentos deve-se respeitar as condições e restrições especificas da empresadeve-se respeitar as condições e restrições especificas da empresa não se deve reduzir o problema da capitalização em um problema apenas técnico: construir e gerir uma memória requer uma abordagem multidisciplinarnão se deve reduzir o problema da capitalização em um problema apenas técnico: construir e gerir uma memória requer uma abordagem multidisciplinar

34 33 Introdução Memória organizacional Necessidades/motivações industrias evitar a perda do saber-fazer/know-how de um especialista após sua aposentadoria, seu deslocamento na organização ou saída para outra evitar a perda do saber-fazer/know-how de um especialista após sua aposentadoria, seu deslocamento na organização ou saída para outra explorar a experiência adquirida de projetos passados e conservar as lições passadas, no intuito de evitar reproduzir certos erros explorar a experiência adquirida de projetos passados e conservar as lições passadas, no intuito de evitar reproduzir certos erros explorar a cartografia das competências da empresa para fins estratégicos: um inventário regular do know-how da empresa deverá melhorar a capacidade da mesma em reagir e adaptar-se às mudanças em seu ambiente explorar a cartografia das competências da empresa para fins estratégicos: um inventário regular do know-how da empresa deverá melhorar a capacidade da mesma em reagir e adaptar-se às mudanças em seu ambiente melhorar a circulação da informação e da comunicação na empresa melhorar a circulação da informação e da comunicação na empresa melhorar o aprendizagem dos empregados da empresa, podendo esta aprendizagem ser individual, em grupo ou organizacional melhorar o aprendizagem dos empregados da empresa, podendo esta aprendizagem ser individual, em grupo ou organizacional integrar os diferentes saber-fazer de uma organização integrar os diferentes saber-fazer de uma organização

35 34 Introdução Memória organizacional Aspectos múltiplos da gestão do conhecimento, segundo Ermine (1998): Aspectos múltiplos da gestão do conhecimento, segundo Ermine (1998): a pesquisa e desenvolvimentoa pesquisa e desenvolvimento a gestão dos serviços de qualidade, etc...a gestão dos serviços de qualidade, etc... a produçãoa produção –gestão de dados, gestão documentária, kown-how a gestão dos recursos humanosa gestão dos recursos humanos –gestão das competências, formação

36 35 Introdução Memória organizacional Dúvidas ?


Carregar ppt "Métodos e Ferramentas para a Gestão do Conhecimento Professor Professor Edson Emílio Scalabrin telefone: 0xx41-330-1786"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google