A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Impactos e perspectivas da crise no comércio A CRISE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Impactos e perspectivas da crise no comércio A CRISE."— Transcrição da apresentação:

1

2 Impactos e perspectivas da crise no comércio

3 A CRISE

4 Pontos da Crise Origem : Crédito Imobiliário Americano Fluxo Financeiro Confiança Crédito

5 Cenário Brasil

6 PROPAGAÇÃO DA CRISE GLOBAL NO BRASIL Economia internacional Maior incertezaCorte das linhasMenor IED eDesaceleração Perdas financeiras (crise de confiança)externas de financiamentoinvestimento emcarteiraeconômica Economia brasileira EmpresasBanco CentralBancosConsumidores Perdas financeiras Oferta de liquidez em moeda Maior aversão ao risco Perdas financeiras estrangeira Redução das linhas de Redução das linhas de crédito Maior aversão ao risco financiamento em Reais e em Redução dos compulsóriospara exportação Dólares Desemprego e menores Interrupção do ciclo de aperto Maior custo de captaçãosalários Menores exportaçõesmonetário Menor oferta de crédito Redução de consumo Redução dos investimentosdoméstica Maior inadimplência Redução dos postos de trabalho Redução da confiança MenorMaior aversãoMenoresDesaceleraçãoAumento de empresários e previsibilidadeao riscoinvestimentoseconômicado desemprego consumidores

7 Consumo Interno O mercado interno popular de consumo tem sido importante na luta contra a crise. Sustentado por incentivos do governo como redução do IPI (automóveis, material de construção e eletrodomésticos), redução da taxa de juros para favorecer crédito e: programas sociais como bolsa família. O consumo aquece a economia, estimula o crescimento econômico, e a geração de empregos.

8 ACESSO AO CRÉDITO Normalização na concessão de crédito Em Março alta de 26,1% ante fevereiro, totalizando R$ 155,732 bilhões; As concessões para pessoas jurídicas evoluíram 28,8%; E para pessoas físicas, aumento de 21,5%.; A participação do crédito no PIB já chega a 42,5% no Brasil Fonte: Banco Central

9 Crise e o Comércio

10 Comércio Atividade Fim SegurançaTrânsitoSaúdeRenda » Crédito » Turismo » Serviços » Agropecuária » Indústria » Cultura » Educação » Lazer Financiamentos: com Juros, Prazos e Spreads civilizados Emprego Renda Compras Pessoas felizes

11 Empresas de Comércio e Seviços representam 85% do PIB de BH, definindo a vocação da cidade. Distribuição das empresas de Comério e Seviços por regional em Belo Horizonte MERCADO EMPRESARIAL (80% micro e pequenas empresas)

12 Mercado consumidor de 6 milhões de pessoas, em cerca de 80 municípios Raio de 100 Km Belo Horizonte polariza: BELO HORIZONTE Belo Horizonte pólo comercial do Estado de Minas Gerais. Mercado consumidor de 6 milhões de pessoas num raio de 100 quilômetros distribuídas em cerca de 80 municípios Malha rodoviária privilegiada, com grande poder de distribuição para os principais pólos regionais no interior do Estado.

13 Fonte: Fundação João Pinheiro – Perfil Minas Gerais 2008 PIB Per Capita 2007 R$ ,00 R$ ,00Brasil R$ ,00 R$ ,00 Belo Horizonte

14 Fonte:DIEESE População Ocupada RMBH Março de Outros 2.339Total 164 Construção Civil Serviços 330 Indústria Em mil pessoasSetores

15 EMPREGO E DESEMPREGO EM BELO HORIZONTE O mercado de trabalho reflete conseqüências da crise; Apesar do aumento do desemprego, as taxas em BH continuam abaixo do mesmo período do ano passado 11,4% contra 10,2% em Março/ 2009; Indústria setor mais atingido; Em BH nos últimos 12 meses geração de 27 mil postos de trabalho (+1,2%); Aumento de +9,5% no rendimento real médio R$1.087 para R$1.191 Aumento real do salário mínimo em 6,4%. Fonte: IBGE, FJP, DIEESEl

16 Pontos que podem afetar o fluxo comercial Desemprego e poder aquisitivo Acesso ao crédito (consumidor e empresários) Crescimento da Inadimplência Horário de Funcionamento/Feriados

17 Desempenho do Comércio em BH Tendência de queda: reflexo da crise mas com crescimento de +2,0% em março; Recuperação a partir do 2º/semestre do ano. Expectativa de crescimento entre 2% e 3% no ano de O bom desempenho do comércio pode estimular a retomada de produção das indústrias;

18 Como o Varejo está enfrentando a crise Desperdício: Cortar Custos, Diminuir Riscos, Reduzir Tamanho de Lojas. Eficiência: Investir no capital humano, Adotar estratégias multicanal, Revisar portfólio de fornecedores. Clientes: Melhorar a Experiência de Compra, Investir em Mercados Emergentes e Fortalecer a Marca.. Nós temos somente 2 fontes de vantagem competitiva: A capacidade de aprender mais sobre nossos clientes, mais rápido que nossos concorrentes. A capacidade de transformar esse conhecimento em ações, mais rápido que nossos concorrentes.

19 Atitudes e Medidas necessárias Governo Redução de Tributos Redução Taxa de Juros Aprovação do Cadastro Positivo Regulamentação dos Cartões de Crédito Aumento dos Gastos (Investimento) Potencializar segmentos que traduzem a vocação da Cidade (*) Varejo Rever Mix de Produtos Austeridade no Crédito Capitalizar-se Negociação com fornecedores

20 É importante enfatizar que a grande vocação de Belo Horizonte é se consolidar e crescer como centro de prestação de serviços e de comércio, e de logística. Para isso, é importante: Criação de uma Agência de Desenvolvimento: visando atrair novos investimentos para a cidade; Centro de Referência do Comércio, Indústria, Educação, Cultura, Saúde e Tecnologia. Proposta de Revitalização de Centros Comerciais Internacionalização da cidade de Belo Horizonte: criação de projetos que permitam a abertura da cidade ao mercado externo. Transporte: tornar prioritária a conclusão das obras do metrô. Criação de atrativos para o desenvolvimento do turismo de negócios e de lazer Sugestões para potencializar a vocação da Cidade de Belo Horizonte

21 Instalação de uma grande central de abastecimento e distribuição de mercadorias na cidade/logística: fortalecendo e aproveitando ao máximo a sua localização privilegiada como entreposto comercial regional. Projeto de Posiconamento Estratégico para a Cidade como foco de torná-la mais atrativa: faz se necessário um projeto que contemple várias questões tornando a cidade ainda mais atraente Sugestões para potencializar a vocação da Cidade de Belo Horizonte

22 Liberdade para abertura do comércio nos domingos e feriados (respeitando leis trabalhistas) Continuar a estruturação de projetos de segurança Melhoria do padrão de limpeza pública por parte do poder público municipal Campanha de Marketing e auto estima Melhorar a atuação política no planejamento urbano para que este efetivamente atenda às necessidades atuais e futuras da cidade; Mudança de paradigma: Desenvolver o município para arrecadar Atrair investimentos econômicos, como feiras de mostra e não feiras de venda a varejo, uma vez que os recursos vão para outros municípios. Instalação de uma grande central de abastecimento e distribuição de mercadorias na cidade/logística: fortalecendo e aproveitando ao máximo a sua localização privilegiada como entreposto comercial regional. Projeto de Posiconamento Estratégico para a Cidade como foco de torná-la mais atrativa

23 BH deverá absorver investimentos como esponja

24 Obrigado

25

26 Varia ç ão mensal do desemprego ap ó s í nicio da Crise (%) Set/08Out/08Nov/08Dez/08Jan/09Fev/09Mar/09 Belo Horizonte-2,06-5,26-7,781,204,766,828,51 São Paulo-3,57-7,41-1,60-4,075,938,010,37 Distrito Federal-0,620,63-1,88-1,911,953,825,52 Recife-4,23-7,35-3,7-1,652,234,376,28 Porto Alegre-0,88-5,36-3,77-3,922,044,012,5 Salvador-1,013,55-2,45-0,5-2,020,03,61 Fonte:Dieese


Carregar ppt "Impactos e perspectivas da crise no comércio A CRISE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google