A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Mesa redonda: Programas de Garantia da Qualidade em Serviços de Saúde EXPERIÊNCIA DO HEMOCENTRO DE CAMPINAS COM A ISO UNICAMP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Mesa redonda: Programas de Garantia da Qualidade em Serviços de Saúde EXPERIÊNCIA DO HEMOCENTRO DE CAMPINAS COM A ISO UNICAMP."— Transcrição da apresentação:

1

2 Mesa redonda: Programas de Garantia da Qualidade em Serviços de Saúde EXPERIÊNCIA DO HEMOCENTRO DE CAMPINAS COM A ISO UNICAMP

3 Breve histórico do Hemocentro Criado em 1985 Criado em 1985 Diretrizes: Diretrizes: PRO-SANGUE - Programa Nacional de Sangue e Hemoderivados (Port.07/ ) PRO-SANGUE - Programa Nacional de Sangue e Hemoderivados (Port.07/ ) Objetivos : Implantação de novos Hemocentros Implantação de novos Hemocentros Promover a doação espontânea de sangue Promover a doação espontânea de sangue Promover medidas de proteção à saúde do doador e receptor (paciente) Promover medidas de proteção à saúde do doador e receptor (paciente) Disciplinar a produção, armazenamento e distribuição de hemocomponentes e hemoderivados Disciplinar a produção, armazenamento e distribuição de hemocomponentes e hemoderivados Desenvolver o conhecimento tecnológico e científico na área Desenvolver o conhecimento tecnológico e científico na área

4 CERTIFICAÇÃO Em 1999 o Ministério da Saúde lança programa: META MOBILIZADORA NACIONAL SETOR SAÚDE - MS / PBQP - Sangue com Garantia de Qualidade em todo o processo até 2003, elaborando alguns programas especiais dentre eles implantação de programas de qualidade nos serviços de hemoterapia (hemocentros) Em 1999 o Ministério da Saúde lança programa: META MOBILIZADORA NACIONAL SETOR SAÚDE - MS / PBQP - Sangue com Garantia de Qualidade em todo o processo até 2003, elaborando alguns programas especiais dentre eles implantação de programas de qualidade nos serviços de hemoterapia (hemocentros) O Hemocentro /UNICAMP: O Hemocentro /UNICAMP: Iniciou a implantação da Norma NBR ISO 9002/94 em fevereiro/2000 e certificou-se em 18 de janeiro de Atualmente, finalizando a transição para NBR ISO 9001/2000 Iniciou a implantação da Norma NBR ISO 9002/94 em fevereiro/2000 e certificou-se em 18 de janeiro de Atualmente, finalizando a transição para NBR ISO 9001/2000

5 A ESCOLHA PELA NORMA ISO SÉRIE 9000 Deu-se em função: Deu-se em função: da semelhança do fluxo de produção do sangue à uma linha de produção da semelhança do fluxo de produção do sangue à uma linha de produção da aplicabilidade de suas exigências (verificação, inspeção, rastreabilidade, conformidade, validação de processos e equipamentos, medição, monitoramento, análise de dados, melhoria contínua, etc) da aplicabilidade de suas exigências (verificação, inspeção, rastreabilidade, conformidade, validação de processos e equipamentos, medição, monitoramento, análise de dados, melhoria contínua, etc)

6 Derivada do prefixo grego ISOS (igual) Derivada do prefixo grego ISOS (igual) Um pouco sobre a Norma ISO série 9000 ISO INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL PARA NORMALIZAÇÃO

7 Um pouco sobre a Norma ISO série 9000 ONG fundada em 1947, sediada em Genebra, Suiça ONG fundada em 1947, sediada em Genebra, Suiça Mais de 100 países membros Mais de 100 países membros Mais de 180 Comitês Técnicos Mais de 180 Comitês Técnicos 1987 emite a 1a. Norma Série 9000 (Conjunto de normas e guias internacionais sobre Sistema de Gestão da Qualidade) 1987 emite a 1a. Norma Série 9000 (Conjunto de normas e guias internacionais sobre Sistema de Gestão da Qualidade) 1994 emite a 1a. Revisão da Norma e a 2a. Revisão em emite a 1a. Revisão da Norma e a 2a. Revisão em 2000 Aplica-se a produtos e serviços Aplica-se a produtos e serviços

8 Demonstrar a capacidade para fornecer produtos que atendam as necessidades dos clientes e requisitos regulamentares aplicáveis Aumentar a satisfação do cliente por meio da efetiva aplicação do SGQ. O SGQ deve incluir processos para a melhoria contínua e garantir a conformidade com os requisitos do cliente e os requisitos regulamentares aplicáveis. Requisitos do SGQ ISO 9001:00 Ser aplicável a todos os processos da organização Enfoque em obter melhoria contínua, medida por meio da satisfação dos clientes e outras partes interessadas. Diretrizes para Melhorias de Desempenho ISO 9004:00 Descrever os fundamentos do SGQ e descrever os termos relacionados à família ISO 9000 Fundamentos e Vocabulário ISO 9000:00 OBJETIVO ABRANGÊNCIA NORMA NORMAS ISO SÉRIE 9000/2000 Estrutura das Norma ISO 9000:2000

9 Norma NBR ISO 9001:2000 Alicerce - 8 Princípios da Gestão da Qualidade 1.Foco no Cliente 2.Liderança 3.Envolvimento de Pessoas 4.Abordagem de Processos 5.Abordagem Sistêmica para a Gestão 6.Melhoria Contínua 7.Abordagem factual à tomada de decisões 8.Benefícios mútuos nas relações c/ fornecedores

10 Normas ISO Série 9000:2000 Nova Estrutura da Norma ISO 9001:2000 Tópicos Importantes da Norma: 4. Sistema de Gestão da Qualidade 5. Responsabilidade da Direção 6. Gestão de Recursos 7. Realização do Produto 8. Medição, Análise e Melhoria Claramente baseada no Ciclo de Deming: PDCA - Plan - Do - Check - Act

11

12 Responsabilidade da Direção Gestão de Recursos Medição, Análise e Melhoria Melhoria Contínua do Sistema de Gestão da Qualidade ENTRADA Produto SAÍDA SGQ Baseado em Processo Realização do produto NORMAS ISO SÉRIE 9000:2000

13 6- Gestão de Recursos Provisão de Recursos Provisão de Recursos Recursos Humanos Recursos Humanos Infra-Estrutura Infra-Estrutura Ambiente de Trabalho Ambiente de Trabalho 5- Responsabilidade da Direção: Comprometimento da Direção Comprometimento da Direção Foco no Cliente Foco no Cliente Política da Qualidade Política da Qualidade Planejamento Planejamento Responsabilidade, Autoridade e Comunicação Responsabilidade, Autoridade e Comunicação Análise Critica pela Direção Análise Critica pela Direção 8- Medição, Análise e Melhoria: Medição e Monitoramento Medição e Monitoramento Controle do Produto Não- Conforme Controle do Produto Não- Conforme Análise de Dados. Análise de Dados. Melhorias Melhorias CLIENTECLIENTE 8 Princípios de Gestão da Qualidade 8 Princípios de Gestão da Qualidade 7- Realização do Produto Planejamento da Realização do Produto Planejamento da Realização do Produto Processos Relacionados com Clientes Processos Relacionados com Clientes Projetos e Desenvolvimento Projetos e Desenvolvimento Aquisição Aquisição Produção e Fornecimento de Serviço Produção e Fornecimento de Serviço Controle de Dispositivos de Medição e Monitoramento Controle de Dispositivos de Medição e Monitoramento 4- Sistema de Gestão da Qualidade: Requisitos Gerais Requisitos Gerais Requisitos de Documentação Requisitos de Documentação

14 Dar atendimento hematológico e suporte hemoterápico eficiente, com segurança, rapidez e resolutividade; 3 3 Desenvolver atividades: - de pesquisa nas áreas de hematologia e hemoterapia, - de ensino para formação, especialização e treinamento em serviço na área de saúde, - educacionais para a formação de doadores voluntários de sangue; Coordenar a política de sangue regional e participar da política estadual e nacional. 3 Buscar continuamente a conformidade de nossos produtos e a melhoria de nossos processos; Propiciar o desenvolvimento contínuo de nossos profissionais. 3 NOSSA MISSÃO É: POLÍTICA DA QUALIDADE Atender às necessidades e anseios de nossos clientes; 3 3

15

16 MACROFLUXO DO SGQ DO HEMOCENTRO CLIENTE PROCESSOS PRIMÁRIOS PROCESSOS DE APOIO Gestão de Equipamentos Gestão de Competências Gestão de Materiais e Serviços PROCESSOS DE GESTÃO Gestão da Administração Gestão da Qualidade CLIENTE Hemoterapia Captação e Doação de Sangue Processamento, Distribuição e Transfusão Exames Lab. e Orientações à Doadores Inaptos Hematologia Exames Laborator. Hematológicos

17

18 SIPOC II - PROCESSO DE GESTÃO DA QUALIDADE ( Visão Parcial )

19 Implantação da ISO 9002/94 X Transição ISO 9001/2000 Em fevereiro/2000 já tínhamos o conhecimento do Draft da Norma versão 2000 (publicada em novembro/2000) Em fevereiro/2000 já tínhamos o conhecimento do Draft da Norma versão 2000 (publicada em novembro/2000) Iniciamos a avaliação de reclamação / sugestão de clientes Iniciamos a avaliação de reclamação / sugestão de clientes Definimos indicadores globais da instituição - início do conceito do PDCA e melhoria contínua Definimos indicadores globais da instituição - início do conceito do PDCA e melhoria contínua Responsabilidade ainda centralizada - treina elementos multiplicadores visando envolvimento futuro de todos Responsabilidade ainda centralizada - treina elementos multiplicadores visando envolvimento futuro de todos Conceito da qualidade sendo implantado - desafio do entendimento Conceito da qualidade sendo implantado - desafio do entendimento

20 ISO 9000: Um passo evolutivo A Visão de Processos Visão sistêmica e abordagem por processos foi compartilhada e melhor entendida pelas equipes Visão sistêmica e abordagem por processos foi compartilhada e melhor entendida pelas equipes Menor ênfase em documentação- 45 PHCs X 07 PHCs e 09 SIPOCs Menor ênfase em documentação- 45 PHCs X 07 PHCs e 09 SIPOCs Satisfação do cliente - análise aprimorada Satisfação do cliente - análise aprimorada Ênfase na utilização de técnicas estatísticas para análise de dados - Melhoria contínua Ênfase na utilização de técnicas estatísticas para análise de dados - Melhoria contínua PDCA - aplicado em todos os processos / subprocessos - implantação de indicadores locais PDCA - aplicado em todos os processos / subprocessos - implantação de indicadores locais Conceito Qualidade - Conceito Qualidade - entendimento X amadurecimento entendimento X amadurecimento

21 - As melhores organizações do futuro serão aquelas que descobrirão como despertar o empenho e a capacidade de aprender das pessoas em todos os níveis da organização - Peter Senge - (A Quinta Disciplina)

22 Requisitos do Sistema de Gestão da Qualidade Hemocentro - Unicamp

23 NORMA ISO 9001 : 2000 Requisitos da Norma ISO 9001: Sistema de Gestão da Qualidade 4.1. Requisitos Gerais 4.2. Requisitos de Documentação Manual da Qualidade Controle de Documentos Controle de Registros

24 5. Responsabilidade da Direção 5.1. Comprometimento da Direção 5.2. Foco no Cliente 5.3. Política da Qualidade 5.4. Planejamento Objetivos da Qualidade Planejamento do Sistema de Gestão da Qualidade 5.5. Responsabilidade, autoridade e comunicação Responsabilidade e autoridade Representante da Direção Comunicação Interna 5.6. Análise Crítica pela Direção Generalidades Entradas para Análise Crítica Saídas da Análise Crítica

25 6. Gestão de Recursos 6.1. Provisão de Recursos 6.2. Recursos Humanos Generalidades Competência, conscientização e treinamento 6.3. Infra-estrutura 6.4. Ambiente de Trabalho

26 7. Realização do Produto 7.1. Planejamento da Realização do Produto 7.2. Processos Relacionados a Cliente 7.3. Projeto e Desenvolvimento 7.4. Aquisição 7.5. Produção e Fornecimento de Serviço 7.6. Controle de Dispositivos de Medição e Monitoramento (DMM)

27 7. Realização do produto 7.1. Planejamento da Realização do Produto 7.2. Processos Relacionados a Clientes Determinação de Requisitos Relacionados ao Produto Análise Crítica dos Requisitos relacionados ao Produto Comunicação com o cliente 7.3. Projeto e Desenvolvimento (Não aplicável ) 7.4. Aquisição Processo de aquisição Informações de Aquisição Verificação do produto adquirido 7.5. Produção e fornecimento de serviço Controle de produção e fornecimento de serviço Validação dos processos de produção Identificação e rastreabilidade Propriedade do Cliente Preservação de produto 7.6. Controle de Dispositivos de Medição e Monitoramento (DMM)

28 8. Medição, Análise e Melhoria 8.1. Generalidades 8.2. Medição e Monitoramento Satisfação de Clientes Auditoria Interna Medição e Monitoramento de Processos Medição e Monitoramento de Produtos 8.3. Controle de Produto Não Conforme 8.4. Análise de Dados 8.5. Melhorias Melhoria Contínua Ação Corretiva Ação Preventiva

29 DIFICULDADES ENFRENTADAS COM A ISO 9002/94 Visão departamentalizada Visão departamentalizada A abordagem por elemento não permitia uma visão clara da relação entre fornecedor e cliente interno A abordagem por elemento não permitia uma visão clara da relação entre fornecedor e cliente interno Ênfase em documentação - 1 procedimento documentado para cada requisito Ênfase em documentação - 1 procedimento documentado para cada requisito (45 PHCs) (45 PHCs) Gerava falsa idéia de um sistema da qualidade paralelo ao sistema de negócio da organização Gerava falsa idéia de um sistema da qualidade paralelo ao sistema de negócio da organização


Carregar ppt "Mesa redonda: Programas de Garantia da Qualidade em Serviços de Saúde EXPERIÊNCIA DO HEMOCENTRO DE CAMPINAS COM A ISO UNICAMP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google