A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Comportamento obsessivo- compulsivo em pequenos animais Alessandra Sayegh Arreguy Silva Médica Veterinária Especialista em clínica e cirurgia de pequenos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Comportamento obsessivo- compulsivo em pequenos animais Alessandra Sayegh Arreguy Silva Médica Veterinária Especialista em clínica e cirurgia de pequenos."— Transcrição da apresentação:

1 Comportamento obsessivo- compulsivo em pequenos animais Alessandra Sayegh Arreguy Silva Médica Veterinária Especialista em clínica e cirurgia de pequenos animais Mestre em Medicina Veterinária

2 CANÍDEOS NA NATUREZA

3 CÃES EM FAMÍLIA Isolamento ansiedade,depressão e pânico distúrbios de comportamento

4 Eu estou sozinho???!! Ansiedade, depressão e pânico....

5 PÂNICO!!!! Destruição de objetos Vocalização Eliminação de fezes em locais inapropriados Anorexia Tentativas de fuga Automutilação

6 Número crescente de queixas; Principal causa de eutanásia na América do Norte (LANDSBARG, 1994); CORPO (soma) MENTE (psíquico) única unidade Em PEQUENOS ANIMAIS: lesões autoinduzidas, com distúrbios psicológicos como base cães obsessivos compulsivos cães compulsivos ????

7 TOC = TRANSTORNO OBSESSIVO COMPULSIVO OBSESSÃO: Pensamentos intrusos que não podem ser ignorados e são na maioria das vezes aliviados por comportamentos compulsivos. COMPULSÃO: Comportamento esteriotipado com ações repetitivas que não tem propósito ou função. Normalmente é realizado para aliviar uma ansiedade intolerável.

8 DISTÚRBIOS COMPULSIVOS EM CÃES LOCOMOTORES LOCOMOTORES Giro em parafuso, perseguição da cauda Giro em parafuso, perseguição da cauda Perseguição de luzes Perseguição de luzes Latido ritmado, intenso Latido ritmado, intenso Arranhadura de chão Arranhadura de chão Ataque a objetos inanimados Ataque a objetos inanimados Marcha em círculos, saltos Marcha em círculos, saltos ESTRESSE ANSIEDADE CONFLITO FRUSTRAÇÃO

9 DISTÚRBIOS COMPULSIVOS EM CÃES ALUCINAÇÕES ALUCINAÇÕES Mordedura do ar Mordedura do ar Abocanhar moscas Abocanhar moscas Contemplação do céu Contemplação do céu Olhar fixamente em uma direção Olhar fixamente em uma direção ESTRESSE ANSIEDADE CONFLITO FRUSTRAÇÃO

10 DISTÚRBIOS COMPULSIVOS EM CÃES AUTOLESIVOS AUTOLESIVOS Ataque às pernas ou cauda Ataque às pernas ou cauda Esfregamento de face Esfregamento de face Dermatite acral por lambedura Dermatite acral por lambedura Mordedura de unhas Mordedura de unhas Sucção e lambedura Sucção e lambedura Mastigação de pedras Mastigação de pedras Polifagia/polidpsia Polifagia/polidpsia Lambedura de objetos ou prop. Lambedura de objetos ou prop. PODEM SE DESENVOLVER SEM CONFLITO ÓBVIO

11 Estilo de vida do animal Pode se tornar um fator de contribuição. Animais submetidos: grande estresse condições de tédio; solidão (sem companhia humana ou animal); confinamento prolongado em jaulas; contenção contínua em correntes; canil pequeno; dominação por um proprietário ditador morte na família

12 Predisposição racial 1.Sucção do flanco:

13 2- Dermatite acral por lambedura:

14

15 Perseguições da cauda e/ou mordedura:

16

17 Lambedura de outros objetos:

18 Morder moscas no ar:

19 Sucção, mordedura ou lambedura de lã:

20

21 Etiologia : doença psicogênica secundária à problemas emocionais ou fator irritante primário Etiologia : doença psicogênica secundária à problemas emocionais ou fator irritante primário LAMBEDURA LAMBEDURA ENDORFINAS BEM ESTAR ANALGESIA ULCERAÇÃO CONTAMINAÇÃO

22 Lambedura liberação de opióides endógenos ao nível central em receptores específicos que estimulam o centro do prazer do córtex cerebral reforço no comportamento (ciclo vicioso) Lambedura liberação de opióides endógenos ao nível central em receptores específicos que estimulam o centro do prazer do córtex cerebral reforço no comportamento (ciclo vicioso)Automutilação (Dodman et al., 1998) (Dodman et al., 1998)

23 SEROTONINA ENDORFINAS DOPAMINA

24 DIAGNÓSTICO Distúrbio de hipersensibilidade Distúrbio de hipersensibilidade Distúrbio de hiperatividade Distúrbio de hiperatividade Distúrbio de ansiedade permanente Distúrbio de ansiedade permanente Distúrbio dissociativo Distúrbio dissociativo EXAME FÍSICO E LABORATORIAIS EXAME FÍSICO E LABORATORIAIS

25 Tratamento Clínico Identificar e eliminar a causa Identificar e eliminar a causa Mais passeios e maior tempo na companhia de pessoas Mais passeios e maior tempo na companhia de pessoas Novo cãozinho como companhia Novo cãozinho como companhia Evitar o confinamento (jaulas, canis ou corredores) (Scott et al., 1996) Evitar o confinamento (jaulas, canis ou corredores) (Scott et al., 1996)

26 Modificação Comportamental Modificação Comportamental Intervenção Farmacológica (Nack, 1999) Intervenção Farmacológica (Nack, 1999)

27 Critérios para a modificação comportamental Orientação do proprietário Orientação do proprietário Reestruturação do relacionamento entre o animal de estimação e o dono: treinamento de obediência (sentar/ficare deitar) Reestruturação do relacionamento entre o animal de estimação e o dono: treinamento de obediência (sentar/ficare deitar)

28 Condicionamento da partida: estimular o cão a ocupar-se com outra atividade, enquanto o dono estiver se preparando para partir. Condicionamento da partida: estimular o cão a ocupar-se com outra atividade, enquanto o dono estiver se preparando para partir. Plano de partida: simular uma real partida, ensinará ao cão que a mesma, não necessariamente produz ansiedade (Horwitz, 2000) Plano de partida: simular uma real partida, ensinará ao cão que a mesma, não necessariamente produz ansiedade (Horwitz, 2000)

29 Os proprietários devem ser desencorajados em usar a punição para controlar a automutilação Os proprietários devem ser desencorajados em usar a punição para controlar a automutilação Atividades físicas podem reduzir o comportamento compulsivo (Dodman et al., 1996) Atividades físicas podem reduzir o comportamento compulsivo (Dodman et al., 1996)

30 Tratamento com drogas psicotrópicas Objetivo: Reduzir o estresse temporariamente até que o cão possa aprender a estar calmo, o que é conseguido com a modificação comportamental Objetivo: Reduzir o estresse temporariamente até que o cão possa aprender a estar calmo, o que é conseguido com a modificação comportamental A medicação deve ser acompanhada de técnicas de modificação do comportamento A medicação deve ser acompanhada de técnicas de modificação do comportamento

31 Drogas Ansiolíticas Fenobarbital- 2,2 a 6,6 mg/kg, cada 12h Fenobarbital- 2,2 a 6,6 mg/kg, cada 12h Efeitos colaterais: sedação e hepatotoxicidade Efeitos colaterais: sedação e hepatotoxicidade Hidroxizine- 2,2 mg/kg, cada 8h Hidroxizine- 2,2 mg/kg, cada 8h Diazepam- 0,2 mg/kg, cada 12h (Scott et al., 1996) Diazepam- 0,2 mg/kg, cada 12h (Scott et al., 1996)

32 Antidepressivos Tricíclicos Bloqueiam a recaptação de noradrenalina e serotonina na membrana neuronal Bloqueiam a recaptação de noradrenalina e serotonina na membrana neuronal Aumento serotonina - reduz o medo e a ansiedade Aumento noradrenalina - melhora a resposta do paciente para a mudança comportamental (Wismer, 2000) Aumento serotonina - reduz o medo e a ansiedade Aumento noradrenalina - melhora a resposta do paciente para a mudança comportamental (Wismer, 2000)

33

34 CLOMIPRAMINA (Clomicalm ® /Anafranil ® ) CLOMIPRAMINA (Clomicalm ® /Anafranil ® ) * Dosagens: 1 a 4 mg/kg, cada 12 ou 24h, por via oral * Dosagens: 1 a 4 mg/kg, cada 12 ou 24h, por via oral * Pode levar 2 meses antes que os efeitos sejam aparentes * Pode levar 2 meses antes que os efeitos sejam aparentes Efeitos colaterais: convulsões, hepatotoxicidade, arritmias cardíacas, sedação, vômito, anorexia e diarréia (Nack, 1999)

35 AMITRIPTILINA (Elavil®) AMITRIPTILINA (Elavil®) * Dosagem:1 a 3 mg/kg, cada 12h, por via oral * Dosagem:1 a 3 mg/kg, cada 12h, por via oral * Pode levar 30 dias antes que os efeitos sejam aparentes (Overall, 1999) * Pode levar 30 dias antes que os efeitos sejam aparentes (Overall, 1999) * Efeitos colaterais: convulsões e arritmias cardíacas * Efeitos colaterais: convulsões e arritmias cardíacas IMIPRAMINA (Tofranil®) IMIPRAMINA (Tofranil®) *Dosagem: 2 a 4 mg/kg, cada 24h (Scott et al., 1996) *Dosagem: 2 a 4 mg/kg, cada 24h (Scott et al., 1996)

36 Inibidores específicos da recaptação de Serotonina Bloqueiam seletivamente a recaptação sináptica de serotonina Bloqueiam seletivamente a recaptação sináptica de serotonina Pouco ou nenhum efeito sobre outros neurotransmissores Pouco ou nenhum efeito sobre outros neurotransmissores Menos efeitos anticolinérgicos, sedativos e cardiovasculares Menos efeitos anticolinérgicos, sedativos e cardiovasculares Drogas mais comumente encontradas: Fluoxetina, Paroxetina e Sertralina (Wismer, 2000) Drogas mais comumente encontradas: Fluoxetina, Paroxetina e Sertralina (Wismer, 2000)

37 FLUOXETINA (Prozac®) FLUOXETINA (Prozac®) * Dosagem: 1 mg/kg, cada 24h, por via oral * Dosagem: 1 mg/kg, cada 24h, por via oral *Efeitos colaterais: convulsões, anorexia, náusea, diarréia, ansiedade, letargia, urticária e hepatotoxicidade (Scott et al., 1996; Overall, 1999) *Efeitos colaterais: convulsões, anorexia, náusea, diarréia, ansiedade, letargia, urticária e hepatotoxicidade (Scott et al., 1996; Overall, 1999)

38 Inibidores da Monoamina Oxidase Enzima que catalisa a deaminação oxidativa de várias aminas (noradrenalina, dopamina e serotonina) Enzima que catalisa a deaminação oxidativa de várias aminas (noradrenalina, dopamina e serotonina) Aumento nas [ ] destas aminas no SNC Aumento nas [ ] destas aminas no SNC BEM ESTAR!!! BEM ESTAR!!! Fenelzine e Tranilcipromina Fenelzine e Tranilcipromina

39 Novos Antidepressivos BUPROPION BUPROPION * Medicina Humana: tratamento da depressão e para diminuir o desejo em fumantes crônicos * Medicina Humana: tratamento da depressão e para diminuir o desejo em fumantes crônicos * Suspeita-se que iniba a recaptação de dopamina e em menor extensão a norepinefrina (Wismer, 2000)

40 Substituição de opióides endógenos Fonte exógena de opióide diminuiria o desejo do cão em estimular a liberação de endorfinas Fonte exógena de opióide diminuiria o desejo do cão em estimular a liberação de endorfinas Hidrocodona (Hycodan ® ): 0,25 mg/kg, cada 8h Hidrocodona (Hycodan ® ): 0,25 mg/kg, cada 8h (Scott et al., 1996) (Scott et al., 1996)

41 CONCLUSÃO O número de casos de animais domésticos com comportamento obsessivo compulsivo têm aumentado O número de casos de animais domésticos com comportamento obsessivo compulsivo têm aumentado O tratamento se baseia em: O tratamento se baseia em: alteração do ambiente, alteração do ambiente, treinamento comportamental treinamento comportamental uso de fármacos antidepressivos. uso de fármacos antidepressivos.

42 OBRIGADA PELA ATENÇÃO!


Carregar ppt "Comportamento obsessivo- compulsivo em pequenos animais Alessandra Sayegh Arreguy Silva Médica Veterinária Especialista em clínica e cirurgia de pequenos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google