A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 FATOR HUMANO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO 1. 2 OBJETIVO GERAL 2 CONHECIMENTO CONHECIMENTO Aprofundar conceitos referentes ao fator humano nas organizações,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 FATOR HUMANO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO 1. 2 OBJETIVO GERAL 2 CONHECIMENTO CONHECIMENTO Aprofundar conceitos referentes ao fator humano nas organizações,"— Transcrição da apresentação:

1 1 FATOR HUMANO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO 1

2 2 OBJETIVO GERAL 2 CONHECIMENTO CONHECIMENTO Aprofundar conceitos referentes ao fator humano nas organizações, refletindo sobre o poder de escolha, co- responsabilidade e o processo de mudança pessoal. Aprofundar conceitos referentes ao fator humano nas organizações, refletindo sobre o poder de escolha, co- responsabilidade e o processo de mudança pessoal.HABILIDADE Transformar os conceitos em práticas de auto desenvolvimento, possibilitando a utilização de suas competências para focar o alcance da visão pessoal e desenvolver maior qualidade e responsabilidade nos relacionamentos. Transformar os conceitos em práticas de auto desenvolvimento, possibilitando a utilização de suas competências para focar o alcance da visão pessoal e desenvolver maior qualidade e responsabilidade nos relacionamentos.ATITUDE Desenvolver postura de valorização do fator humano como o grande diferencial das organizações, abrindo canais de percepção, auto-consciência e posicionamento pro-ativo diante da vida e da carreira. Desenvolver postura de valorização do fator humano como o grande diferencial das organizações, abrindo canais de percepção, auto-consciência e posicionamento pro-ativo diante da vida e da carreira.

3 3 Quem faz as coisas acontecerem são pessoas de carne e osso, não cargos, títulos ou postos organizacionais... Jack Welch 12/09/2001

4 4...Quer mudar alguma coisa ? Coloque no comando uma pessoa com suas paixões, interesses familiares, pessoais e não um currículo brilhante. Jack Welch 12/09/2001

5 5 Impacto das mudanças econômicas nas organizações e no conceito de carreira Impacto das mudanças econômicas nas organizações e no conceito de carreira A importância do trabalho e da carreira para o indivíduo A importância do trabalho e da carreira para o indivíduo Visão evolutiva das organizações: da escola clássica à administração atual Visão evolutiva das organizações: da escola clássica à administração atual O fator humano como diferencial O fator humano como diferencial INTRODUÇÃO

6 6 Maior ênfase no trabalho em equipes e em projetos multifuncionais Intensificação dos canais de comunicação laterais Conhecimento: fator chave na geração de valor Maior autonomia e responsabilidades Conexões: redes intra e interorganizacionais NOVAS FORMAS DE ORGANIZAÇÕES:

7 7 O FATOR HUMANO ATRAVÉS DA HISTÓRIA Pré-história Pré-história Era Agrícola Era Agrícola Era industrial Era industrial Era tecnológica Era tecnológica Era do Era do Conhecimento Conhecimento Caçador/guerreiro Camponês/escravo/ militar Profissional liberal /empregado Especialista Generalista/ Polivalente/ capital intelectual

8 8 O SIGNIFICADO DO TRABALHO

9 9

10 10 OBJETIVO INDIVIDUALOBJETIVO DA TAREFA REALIZAÇÃO DE COISAS IMPORTANTES SENTIMENTO DE FAZER DIFERENÇA PRODUÇÃO DE VALOR SIGNIFICADO DO TRABALHO

11 11 QUANDO O TRABALHO COMO UMA ATIVIDADE NÃO É VALORIZADO POR SI, RARAMENTE TRABALHAMOS COM REAL SATISFAÇÃO OU COM UM SENTIDO DE PROFUNDA REALIZAÇÃO. QUANDO O TRABALHO COMO UMA ATIVIDADE NÃO É VALORIZADO POR SI, RARAMENTE TRABALHAMOS COM REAL SATISFAÇÃO OU COM UM SENTIDO DE PROFUNDA REALIZAÇÃO. O TRABALHO CONFERE UM GRAU DE SEGURANÇA E CONFORTO MATERIAL, MAS... O TRABALHO CONFERE UM GRAU DE SEGURANÇA E CONFORTO MATERIAL, MAS... SERÁ QUE AJUDA NO SEU DESENVOLVIMENTO PESSOAL? SERÁ QUE AJUDA NO SEU DESENVOLVIMENTO PESSOAL? PERMITE A APROXIMAÇÃO DE SUAS METAS DE VIDA? PERMITE A APROXIMAÇÃO DE SUAS METAS DE VIDA? TRABALHO SIGNIFICATIVO

12 12 O QUE É COMPETÊNCIA Conhecimentos Habilidades Experiências Atitudes Usadas e compartilhadas para o alcance dos resultados organizacionais.

13 13 CONJUNTO DE CONHECIMENTOS, HABILIDADES E EXPERIÊNCIAS DE UMA ESPECIALIZAÇÃO REQUERIDA PARA A REALIZAÇÃO TÉCNICA DE UMA DETERMINADA OPERAÇÃO OU ATIVIDADE Ex.: formação em engenharia, habilidade em cálculos numéricos, conhecimento de matemática financeira, domínio de idiomas

14 14 CONJUNTO DE CONHECIMENTOS, HABILIDADES E EXPERIÊNCIAS QUE IMPACTAM NO BUSINESS, NAS TOMADAS DE DECISÃO MAIS AMPLAS, NO CONTEXTO DO MERCADO - CLIENTE, CONCORRENTE, FORNECEDOR - E DOS AMBIENTES INTERNOS E EXTERNOS. Ex.: Visão Global, Planejamento Estratégico, Política Internacional, Macroeconomia

15 15 CONJUNTO DE CONHECIMENTOS, HABILIDADES E EXPERIÊNCIAS EXPRESSOS NO COMPORTAMENTO INDIVIDUAL E QUE PERMEIAM OS RELACIONAMENTOS INTERNOS E EXTERNOS DA EMPRESA Ex.: Comunicação, Iniciativa, Orientação para Aprender, Autoconfiança, Tenacidade, Tomada de Decisões, Raciocínio Crítico, Proatividade, Colaboração, Saúde Física e Mental

16 16 No que me sinto competente? No que sinto que preciso ganhar competência? No que me reconhecem competente? REFLEXÃO PESSOAL

17 17 André Beer

18 18 MORTA PÂNICO EXPANSÃO CONFORTO A VIDA NA ZONA DE EXPANSÃO

19 19 4 MORTA: estagnados, desmotivados e sem dar conta de que pararam de crescer; 4 CONFORTO: satisfeitos e contentes e sua complacência é o que o impede de ser eficaz; 4 EXPANSÃO: energizados, focados e pró- ativos; 4 PÂNICO: desesperados, desorientados e reativos ZONAS

20 20 A VIDA NA ZONA DE EXPANSÃO Como posso ter mais controle na minha vida? Como posso ter mais controle na minha vida? Como posso ser mais responsável por mim mesmo? Como posso ser mais responsável por mim mesmo? Como posso tornar o meu trabalho mais gratificante? Como posso tornar o meu trabalho mais gratificante?

21 21 RESULTADOS: Nova sensação de realização pessoal Nova sensação de realização pessoal Vantagem competitiva para você e sua organização Vantagem competitiva para você e sua organização E, acima de tudo: uma possibilidade de grande virada na sua vida. E, acima de tudo: uma possibilidade de grande virada na sua vida.

22 22 REFLEXÃO EM QUE ZONA VOCÊ ESTÁ? EM QUE ZONA VOCÊ ESTÁ? EM QUE ZONA VOCÊ QUER FICAR? EM QUE ZONA VOCÊ QUER FICAR?

23 23 PARA REFLEXÃO : O que você está fazendo na sua vida para ter energia? O que você está fazendo na sua vida para ter energia? O que lhe dá paixão na vida fora do trabalho? O que lhe dá paixão na vida fora do trabalho? Quanto tempo por semana passa com sua paixão? Quanto tempo por semana passa com sua paixão?

24 24. QUAL É A PAIXÃO DA SUA VIDA, FORA DA ESFERA DE TRABALHO,FAMÍLIA E RELACIONAMENTO COM AMIGOS, QUE LHE DÁ A FORÇA INTERNA QUE VOCÊ PRECISA? QUAL É A PAIXÃO DA SUA VIDA, FORA DA ESFERA DE TRABALHO,FAMÍLIA E RELACIONAMENTO COM AMIGOS, QUE LHE DÁ A FORÇA INTERNA QUE VOCÊ PRECISA? O que você faz só para si mesmo que lhe dá paixão? O que você faz só para si mesmo que lhe dá paixão?

25 25 CONHECIMENTO. Familiaridade com fatos e estudos. Processo mental/intelectual. Parte superior do corpo. Valorizado socialmente. Foco no poder, dinheiro, sucesso

26 26 COMPREENSÃO. Familiaridade através de vivências. Processo dos órgãos do sentido. Sensações corporais. Valor emocional/espiritual. Fonte de prazer, integridade, paz de espírito

27 27 CONHECIMENTO COMPREENSÃO + =. Contato com o eu. Lidar com a dualidade. Celebrar a vida. Integrar razão e emoção

28 28 PLANEJAMENTO DE VIDA E CARREIRA Focar a visão pessoal Focar a visão pessoal Definir estratégias de ação e estabelecer prioridades Definir estratégias de ação e estabelecer prioridades

29 29 DIMENSÕES BÁSICAS PARA ENTENDER O RELACIONAMENTO INTERPESSOAL INCLUSÃO INCLUSÃO CONTROLE CONTROLE ABERTURA ABERTURA

30 30 INCLUSÃO: ESTOU DENTRO OU FORA? DESEJO DE RECEBER ATENÇÃO, DE INTERAGIR, DESEJO DE RECEBER ATENÇÃO, DE INTERAGIR, DE PERTENCER, DE SER ÚNICO DE PERTENCER, DE SER ÚNICO PREOCUPAÇÃO EM SER IMPORTANTE, EM ESTAR PREOCUPAÇÃO EM SER IMPORTANTE, EM ESTAR VIVO VIVO ASPECTO RACIONAL ASPECTO RACIONAL - PREFERÊNCIA EM CONTATAR PESSOAS - PREFERÊNCIA EM CONTATAR PESSOAS ASPECTO DEFENSIVO ASPECTO DEFENSIVO - ANSIEDADE EM SER INCLUÍDO - ANSIEDADE EM SER INCLUÍDO MEDOS : SER IGNORADO OU ABANDONADO MEDOS : SER IGNORADO OU ABANDONADO SER INSIGNIFICANTE, POUCO SER INSIGNIFICANTE, POUCO IMPORTANTE OU SEM VALOR IMPORTANTE OU SEM VALOR

31 31 l REFERE-SE ÀS RELAÇÕES DE PODER, INFLUÊNCIA E AUTORIDADE ENTRE PESSOAS l NECESSIDADE DE DOMINAR, DE SER VENCEDOR OU EM ESTAR DO LADO DOS VENCEDORES l ASPECTO RACIONAL - PREFERÊNCIA POR ALGUNS CONTROLES l ASPECTO DEFENSIVO - MEDO EM NÃO SER AJUDADO OU DE SER ESMAGADO l PREOCUPAÇÃO COM A CAPACIDADE l MEDO EM SER HUMILHADO, VULNERÁVEL, INCOMPETENTE OU INCAPAZ CONTROLE: COMANDO OU SOU COMANDADO?

32 32 l GRAU EM QUE EU DESEJO ESTAR ABERTO PARA OUTRA PESSOA l COMPARTILHAR SENTIMENTOS, SEGREDOS E PENSA- MENTOS ÍNTIMOS l PREOCUPAÇÃO EM SER SIMPÁTICO, AGRADÁVEL l ASPECTO RACIONAL l - PREFERÊNICA EM SER MAIS OU MENOS ABERTO l ASPECTO DEFENSIVO - MEDO DE SER MUITO ABERTO E VULNERÁVEL - MEDO DE SER MUITO ABERTO E VULNERÁVEL - MEDO DE REJEIÇÃO / NÃO SER ACEITO - MEDO DE REJEIÇÃO / NÃO SER ACEITO - MEDO DE NÃO SER APRECIADO / GOSTADO - MEDO DE NÃO SER APRECIADO / GOSTADO ABERTURA: ABERTO OU FECHADO?

33 33 l l Ferramenta de auto conhecimento que ajuda o relacionamento interpessoal l l Permite trabalhar a percepção de si e dos outros l l Permite transformações, a partir do contato com nosso lado desconhecido

34 34 RECONHEÇA A NECESSIDADE DE FEEDBACK FORNEÇA TANTO FEEDBACK POSITIVO COMO DE MELHORIA PROCURE ANTES COMPREENDER O CONTEXTO SAIBA QUANDO E COMO FORNECER FEEDBACK SAIBA TAMBEM COMO RECEBÊ-LO

35 35 SEJA DESCRITIVO A PARTIR DO SEU SENTIMENTO SEJA DESCRITIVO A PARTIR DO SEU SENTIMENTO NÃO ROTULE NÃO ROTULE NÃO FAÇA JULGAMENTOS NÃO FAÇA JULGAMENTOS NÃO EXAGERE NÃO EXAGERE FALE EM SEU PRÓPRIO NOME FALE EM SEU PRÓPRIO NOME EXPRESSE A QUESTÃO COMO UMA DECLARAÇÃO E NÃO COMO UMA PERGUNTA EXPRESSE A QUESTÃO COMO UMA DECLARAÇÃO E NÃO COMO UMA PERGUNTA LIMITE SEU FEEDBACK AO QUE VOCÊ TEM CERTEZA LIMITE SEU FEEDBACK AO QUE VOCÊ TEM CERTEZA SEJA DESCRITIVO A PARTIR DO SEU SENTIMENTO SEJA DESCRITIVO A PARTIR DO SEU SENTIMENTO NÃO ROTULE NÃO ROTULE NÃO FAÇA JULGAMENTOS NÃO FAÇA JULGAMENTOS NÃO EXAGERE NÃO EXAGERE FALE EM SEU PRÓPRIO NOME FALE EM SEU PRÓPRIO NOME EXPRESSE A QUESTÃO COMO UMA DECLARAÇÃO E NÃO COMO UMA PERGUNTA EXPRESSE A QUESTÃO COMO UMA DECLARAÇÃO E NÃO COMO UMA PERGUNTA LIMITE SEU FEEDBACK AO QUE VOCÊ TEM CERTEZA LIMITE SEU FEEDBACK AO QUE VOCÊ TEM CERTEZA

36 36 RESPIRE RESPIRE OUÇA CUIDADOSAMENTE OUÇA CUIDADOSAMENTE FAÇA PERGUNTAS PARA MELHOR CLAREZA FAÇA PERGUNTAS PARA MELHOR CLAREZA RECONHEÇA OS PONTOS POSITIVOS RECONHEÇA OS PONTOS POSITIVOS ORGANIZE COM CALMA O QUE VOCÊ OUVIU ORGANIZE COM CALMA O QUE VOCÊ OUVIU NÃO SE JUSTIFIQUE NÃO SE JUSTIFIQUE

37 37 Dimensão da ética – O conteúdo pode ser verdadeiro ou falso. Não existe meia verdade. Dimensão da ética – O conteúdo pode ser verdadeiro ou falso. Não existe meia verdade. Dimensão da motivação – Quais os motivos que estão por trás da mensagem? O receptor precisa interpretar a mensagem como intenção de afetividade e de crescimento. Se, ao contrário, o receptor perceber intenção destrutiva, a tendência é rejeitar o feedback, por mais pertinente que seja. Dimensão da motivação – Quais os motivos que estão por trás da mensagem? O receptor precisa interpretar a mensagem como intenção de afetividade e de crescimento. Se, ao contrário, o receptor perceber intenção destrutiva, a tendência é rejeitar o feedback, por mais pertinente que seja.

38 38 TIPOS BÁSICOS a) Feedback verdadeiro/afetivo Mensagens autênticas que visam o crescimento mútuo. É a combinação ideal. Mensagens autênticas que visam o crescimento mútuo. É a combinação ideal.

39 39 b) Feedback verdadeiro/destrutivo Motivado pela intenção de destruir ou magoar. Predomina a agressividade mútua. É um dos tipos mais freqüentes e tende a impedir a formação de equipe.

40 40

41 41

42 42 Feedback não é julgamento. O julgamento causa divisão e separação; O bom feedback é expressado sob a forma de sentimento, ato e suas consequências; O feedback expressado através do sentimento causa empatia e aproximação; coloque-se no lugar de quem está recebendo.

43 43 O Fortalecimento da Auto- estima como Alternativa aos Comportamentos de Resistência e Defesa

44 44 BASES DE SUSTENTAÇÃO AUTO CONCEITO ESTOU VIVO DETERMINADOCONSCIENTE AUTO-ESTIMA IMPORTANTECOMPETENTE GOSTO DE MIM

45 45 COMPORTAMENTO DEFENSIVO n Fico na minha posição rigidamente n Não ouço pessoas n Interpreto mal o que as pessoas dizem n Sinto que ninguém me entende n Não quero negociar n Fico facilmente irritado n Não quero falar sobre algumas coisas n Perco o senso de humor

46 46 COMPORTAMENTOS DE RESISTÊNCIA E DEFESA NEGAÇÃO O QUE EU DIGO: Não há problemas. O QUE EU ACREDITO INCONSCIENTEMENTE: Negando a existência de problemas, não me exijo mudanças

47 47 VÍTIMA VÍTIMA O QUE EU DIGO: Se alguém diz alguma coisa que eu posso interpretar como um ataque ou uma crítica, eu me torno ofendido e machucado. Coitadinho de mim NO QUE EU ACREDITO INCONSCIENTEMENTE: Ser vítima me permite ser objeto de piedade e objeto de apoio e de cuidado de todos, não tendo que mudar.

48 48 CRÍTICA O QUE EU DIGO: Eu comento que todos não são perfeitos. Eu corrijo a gramática de todos e chamo atenção de qualquer comentário e critico todas as idéias que não são minhas. NO QUE EU ACREDITO INCONSCIENTEMENTE: Se eu acredito que as outras pessoas não são tão boas quanto eu, só vejo a falha no outro e mantenho a falha longe de mim.

49 49 MASOQUISMO O QUE EU DIGO: Tudo que acontece é culpa minha. Eu sou um errado da vida NO QUE EU ACREDITO INCONSCIENTEMENTE: Se eu me culpar primeiro, posso evitar a acusação de outras pessoas e me conformar com as minhas falhas.

50 50 AJUDA O QUE EU DIGO: eu procuro por alguém que precise de ajuda NO QUE EU ACREDITO INCONSCIENTEMENTE: Só o outro precisa de ajuda, eu não.

51 51 RECONHECIMENTO O QUE EU DIGO: Diga-me que estou certo. Não é suficiente. Diga-me mais e mais. NO QUE EU PENSO INCONSCIENTEMENTE: Exijo o reconhecimento do outro para não saber minhas falhas e não precisar melhorar.

52 52 É O QUE MOVE, O QUE FAZ AGIR, O QUE DÁ MOVIMENTO AOS RELACIONAMENTOS O PENSAMENTO MODIFICA A EMOÇÃO E A EMOÇÃO MUDA O PENSAMENTO

53 53 A Mudança Pessoal como Alavanca de Transformação Organizacional

54 54 NEGAÇÃO ACEITAÇÃO ETAPAS DE RESISTÊNCIA À MUDANÇA REJEIÇÃO PASSIVA RESISTÊNCIA ATIVA EXPLORAÇÃO

55 55 SEGURANÇA CRESCIMENTO PROTEÇÃO REPETIÇÃO CONHECIDO RISCO NOVIDADE INESPERADO R E F L E X Ã O A Ç Ã O

56 56 PRESSÃO INTERNA - CRISE PRESSÃO EXTERNA - PODER OPINIÃO PÚBLICA

57 57 Os poderes de pensar, querer, sentir, expressar, agir e decidir são as marcas da consciência Os poderes de pensar, querer, sentir, expressar, agir e decidir são as marcas da consciência O estado momentâneo da consciência pode impedir a mudança ( estado de imobilidade) O estado momentâneo da consciência pode impedir a mudança ( estado de imobilidade) O pensamento pode redefinir uma situação e facilitar a mudança O pensamento pode redefinir uma situação e facilitar a mudança Você não pode mudar os outros, mas certamente pode mudar suas próprias atitudes e seu modo de pensar.


Carregar ppt "1 FATOR HUMANO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO 1. 2 OBJETIVO GERAL 2 CONHECIMENTO CONHECIMENTO Aprofundar conceitos referentes ao fator humano nas organizações,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google