A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capítulo 38 Relatividade. 38.1 O que é a relatividade? 1905 – Albert Einstein – Teoria da relatividade restrita Referenciais inerciais Eventos: onde?

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capítulo 38 Relatividade. 38.1 O que é a relatividade? 1905 – Albert Einstein – Teoria da relatividade restrita Referenciais inerciais Eventos: onde?"— Transcrição da apresentação:

1 Capítulo 38 Relatividade

2 38.1 O que é a relatividade? 1905 – Albert Einstein – Teoria da relatividade restrita Referenciais inerciais Eventos: onde? quando? qual a dist. no tempo e espaço? Relatividade: Quem está medindo o quê e como ?

3 38.2 Os postulados 1. Postulado da Relatividade As leis da física são as mesmas em todos os referenciais inerciais. referencial absoluto 2. Postulado da Velocidade da Luz A velocidade da luz no vácuo tem o mesmo valor c em todas das direções e em todos os referenciais inerciais. = c c = = c c c = m/s

4 A velocidade limite O experimento de W. Bertozzi (1964) com elétrons

5 38.3 Registrando um evento 4 coordenadas: 3 espaciais, 1 temporal Eventos: colisão entre duas partículas, acender de uma lâmpada, passagem de um pulso luminoso, etc. Relatividade: determina as relações entre as coordenadas atribuídas a um mesmo evento por 2 observadores se movendo um em relação ao outro.

6 38.4 A relatividade da simultaneidade Não simultâneo Simultâneo Não simultâneo

7 38.5 A relatividade do tempo LL Tempo Espaço t 0 t t Tempo próprio Mesmas coordenadas espaciais

8 A relatividade do tempo D v t

9 O fator de Lorentz e o parâmetro de velocidade Fator de Lorentz Parâmetro de velocidade (% c) Portanto: (dilatação temporal)

10 Verificação Uma pessoa está de pé ao lado dos trilhos de uma estrada de ferro quando é surpreendida pela passagem de um trem relativístico. No interior de um dos vagões, um passageiro dispara um pulso de laser em direção à parte traseira do vagão. (a) A velocidade do pulso medida pela pessoa que está do lado de fora do trem é maior, menor, ou igual à velocidade medida pelo passageiro? (b) O tempo que o pulso leva para chegar à extremidade posterior do vagão, medido pelo passageiro, é o tempo próprio? (c) A relação entre o tempo medido pelo passageiro e o tempo medido pela pessoa que está do lado de fora é dada por: ?

11 Verificação (a) lembrem-se do 2o. Postulado: A velocidade da luz no vácuo tem o mesmo valor c em todas das direções e em todos os referenciais inerciais. Portanto as velocidades são todas iguais. (b) Não, pois os 2 eventos não acontecem nas mesmas coordenadas espaciais (c) Não, pois o tempo medido pelo passageiro não é o tempo próprio.

12 Exercícios e Problemas 3E. O tempo médio de vida de múons estacionários é de 2,2 s. O tempo médio de vida dos múons de alta velocidade produzidos pelos raios cósmicos é de 16 s no referencial da Terra. Determine a velocidade em relação à Terra dos múons produzidos pelos raios cósmicos. Tempo próprio

13 Exercícios e Problemas

14 38.6 A relatividade das distâncias Medidas de comprimento de um corpo: - Em repouso: coordenadas das extremidades - Em movimento: simultaneamente (em nosso ref.) (observador em repouso A) (observador em movimento B) A B v ?

15 A contração das distâncias (contração das distâncias) Comprimento próprio

16 Exercícios e Problemas 12P. (a) Uma pessoa seria capaz, em princípio, de viajar da Terra até o centro da galáxia (que está a cerca de anos-luz de distância) em um tempo de vida normal? Explique por quê, levando em conta a dilatação dos tempos ou a contração das distâncias. (b) Com que velocidade constante a pessoa teria que viajar para fazer a viagem em 30 anos (tempo próprio)?

17 Exercícios e Problemas (b)

18 38.7 A transformação de Lorentz SS y y xx x vt x evento v

19 As equações de transformação de Galileu Válidas para baixas velocidades SS y y xx x vt x evento v

20 As equações de transformação de Lorentz Válidas para qualquer velocidade fisicamente possível S S y y xx x vt x evento v

21 Para pares de eventos O referencial S esta se movendo com velocidade v em relação ao referencial S.

22 Verificação As figuras abaixo mostram três situações nas quais um referencial xy e um referencial xy estão em movimento relativo ao longo da direção comum dos eixos x e x, como indica o vetor velocidade associado a um dos referenciais. Em cada situação, se tomarmos o referencial xy como estacionário, o parâmetro v das equações anteriores será um número positivo ou negativo? S S y y x x v S S y y x x v S S y y x x v (a) (b) (c) v > 0 v < 0

23 38.8 Algumas conseqüências Simultaneidade Dois eventos simultâneos em locais diferentes em S: Já em S:

24 Algumas conseqüências Dilatação dos tempos Dois eventos no mesmo local e em ocasiões diferentes em S: Já em S:

25 Algumas conseqüências Contração das distâncias Medidas simultâneas em S, i. e., x é o comprimento da régua: Como: Régua em repouso em S, com comprimento x.

26 Exercícios e Problemas 38.13P. Um astronauta parte da Terra e viaja com uma velocidade de 0,99c em direção a estrela Vega, que está a 26 anos-luz de distância. Quanto tempo terá passado, de acordo com os relógios da Terra, (a) quando o astronauta chegar a Vega e (b) quando os observadores terrestres receberem a notícia de que o astronauta chegou a Vega? (c) Qual é a diferença entre o tempo de viagem de acordo com os relógios da Terra e o tempo de viagem de acordo com o relógio de bordo?

27 Exercícios e Problemas (a) No mesmo referencial inercial: (b) Supondo que seja enviado um sinal de rádio, este viaja a c de volta: (c) Temos que calcular o tempo próprio:

28 38.9 A relatividade das velocidades SS y y xx v u no ref. S Partícula emite 2 sinais separados no tempo. Observador mede dist. e tempo, relacionados por:

29 A relatividade das velocidades Dividindo: Ou: Fazendo: Temos: (transformação relativística das velocidades)

30 38.10 O efeito Doppler Para o som: v

31 38.10 O efeito Doppler para a luz (fonte e detector se afastando) Freqüência própria Apenas a freqüência muda. Importante é apenas veloc. entre fonte e detector (fonte e detector se aproximando) lembrem-se do 2o. Postulado: A velocidade da luz no vácuo tem o mesmo valor c em todas das direções e em todos os referenciais inerciais.

32 Exercícios e Problemas 31P. Uma espaçonave está se afastando da Terra a uma velocidade de 0,20c. Uma fonte luminosa na popa da nave parece azul ( =450 nm) para os passageiros. Que cor teria a fonte para um observador terrestre que estivesse assistindo à partida da nave? Comp. de onda próprio (fonte e detector se afastando) Amarelo-esverdeado

33 O efeito Doppler para a luz Na astronomia, velocidade radial pequena: Ou: Comp. de onda próprio Deslocamento Doppler v v

34 Verificação A figura mostra uma fonte que emite luz de freqüência própria f 0 enquanto se move para a direita com velocidade c/4 em relação ao referencial S. A figura também mostra um detector de luz, que mede uma freqüência f >f 0 para a luz detectada. (a) O detector esta se movendo para a esquerda ou para a direita? (b) A velocidade do detector em relação ao referencial S é maior que c/4, menor que c/4 ou igual a c/4? c/4 fonte detector S v>c/4

35 Efeito Doppler transversal D P S (efeito Doppler transversal) Dilatação dos tempos: Como T=1/f:

36 38.11 Uma nova interpretação do momento (momento clássico) (nova definição) (momento relativístico)

37 38.12 Uma nova interpretação da energia Massa como forma de energia Energia de repouso

38 Unidades práticas Unidade de massa atômica: Elétron-volt: c2:c2:

39 Energia total (supondo E pot =0) A energia total E de um sistema isolado não pode mudar. Energia cinética

40 Momento e energia cinética Ou: mc 2 pc E mc 2 K sen = cos = 1/

41 Verificação (a) A energia cinética de um elétron de 1 GeV é maior, menor ou igual a de um próton de 1 GeV? (b) Repita o item (a) para a energia total. (a) igual, pois o termo de … GeV significa de energia cinética. (b) Energias de repouso Elétron: 511 keV, Próton: 938 MeV Como a energia total é: E eletron < E proton

42 Exercícios e Problemas 38.44P. O tempo de vida médio dos múons em repouso é de 2,20 s. As medidas dos múons produzidos em um acelerador de partículas mostram que eles têm um tempo de vida de 6,90 s. Determine (a) a velocidade, (b) a energia cinética e (c) o momento destes múons no referencial do laboratório. A massa de um múon é de 207 vezes maior que a do elétron. Sabemos:

43 (a) (b)

44 (c) Ou então:

45 Perguntas 1. Na figura abaixo, a nave A envia um pulso de laser em direção a nave B, enquanto a nave C se afasta. As velocidades das naves, indicadas na figura, foram medidas no mesmo referencial. Coloque as naves na ordem da velocidade do pulso medida no referencial de cada nave, começando pela maior. C A B 0,4c 0,3c 0,5c

46 Perguntas 2. A figura abaixo mostra dois relógios situados no referencial estacionário S (eles estão sincronizados neste referencial) e um relógio situado no referencial móvel S. Os relógios C 1 e C 1 indicam t = 0 quando passam um pelo outro. Quando os relógios C 1 e C 2 passam um pelo outro, (a) qual dos relógios indica o menor tempo e (b) qual dos relógios indica o tempo próprio? C1C1 C2C2 S C1C1 S v

47 Perguntas C1C1 C 2 S C1C1 S v 3. A figura abaixo mostra dois relógios no referencial estacionário S (eles estão sincronizados neste referencial) e um relógio situado no referencial móvel S. Os relógios C 1 e C 1 indicam t = 0 quando um passa pelo outro. Quando os relógios C 1 e C 2 passam um pelo outro, (a) qual dos relógios indica o menor tempo e (b) qual dos relógios indica o tempo próprio?

48 Perguntas 4. João parte de Vênus em uma espaçonave para Marte e passa por Maria, que se encontra na Terra, com uma velocidade relativa de 0,5c. (a) João e Maria medem o tempo total da viagem entre Vênus e Marte. Qual dos dois mede um tempo próprio? (b) No caminho, João envia um pulso de laser para Marte. João e Maria medem o tempo de viagem do pulso. Qual dos dois mede um tempo próprio?

49 Perguntas 7. As naves A e B da figura abaixo estão em rota de colisão; as velocidades indicadas foram medidas no mesmo referencial. A velocidade da nave A em relação a nave B é maior que 0,7c, menor que 0,7c ou igual a 0,7c ? A B 0,4c 0,3c

50 S (do observador inicial) S (nave B) y y xx v u no ref. S ????? u no ref. S (nave A) Precisamos calcular u: A B 0,4c 0,3c Como u = 0,4c e v = -0,3c:


Carregar ppt "Capítulo 38 Relatividade. 38.1 O que é a relatividade? 1905 – Albert Einstein – Teoria da relatividade restrita Referenciais inerciais Eventos: onde?"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google