A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROFA. SIBELE LETÍCIA BIAZOTTO WEB-TUTORA: MAÍRA BOGO BRUNO AULA 13 CORREÇÃO DA AVALIAÇÃO 1 DATA: 20-4-2006.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROFA. SIBELE LETÍCIA BIAZOTTO WEB-TUTORA: MAÍRA BOGO BRUNO AULA 13 CORREÇÃO DA AVALIAÇÃO 1 DATA: 20-4-2006."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 PROFA. SIBELE LETÍCIA BIAZOTTO WEB-TUTORA: MAÍRA BOGO BRUNO AULA 13 CORREÇÃO DA AVALIAÇÃO 1 DATA:

4 01- EM MUITOS ESTUDOS E PESQUISAS REALIZADAS SOBRE AS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES QUE DEVEMOS POSSUIR PARA TERMOS SUCESSO PESSOAL E PROFISSIONAL, SEMPRE ESTÃO MARCADAMENTE PRESENTES, SEGUNDO ANTÔNIO SUÁREZ ABREU, AS CAPACIDADES DO GERENCIAMENTO DA INFORMAÇÃO POR MEIO DA COMUNICAÇÃO ORAL E ESCRITA, OU SEJA, A CAPACIDADE DE LER, FALAR E ESCREVER BEM.

5 A RESPEITO DESSA INFORMAÇÃO, E TENDO COMO BASE O MATERIAL ESTUDADO E AS DISCUSSÕES DAS AULAS, ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA SOBRE NOSSA CAPACIDADE DE ATINGIR AS HABILIDADES DE LER, FALAR E ESCREVER BEM.

6 RESPOSTA CERTA: C A)ESCREVER É UM DOM QUE POUCAS PESSOAS TÊM. MESMO QUE NOS ESFORCEMOS, NÃO CONSEGUIREMOS ESCREVER BEM SE NÃO TIVERMOS ESSE DOM. B) A LEITURA E A ESCRITA SÃO ATOS ESPONTÂNEOS QUE NÃO EXIGEM EMPENHO DE QUEM OS PRATICA.

7 C) LER, FALAR E ESCREVER NÃO SÃO ATOS AUTÔNOMOS, DESLIGADOS DAS PRÁTICAS SOCIAIS. ESTÃO INSERIDOS NA NOSSA VIDA, EM QUALQUER CIRCUNSTÂNCIA, SEJA PESSOAL OU PROFISSIONAL. POR ISSO DEVEMOS DESENVOLVER ESSAS HABILIDADES, PARA ATUARMOS, DE FATO, SOCIAL E PROFISSIONALMENTE. D) ESCREVER É UM ATO DESLIGADO, DESVINCULADO DA LEITURA, E DESNECESSÁRIO NO MUNDO MODERNO, CHEIO DE NOVAS TECNOLOGIAS.

8 02- TODO TEXTO, PARA CUMPRIR A FUNÇÃO DE TRAZER EM SI UMA MENSAGEM, UMA SIGNIFICAÇÃO, PRECISA SER UM TODO, CONJUNTO DE PALAVRAS E FRASES QUE TENHAM SENTIDO. SABEMOS TAMBÉM QUE NÃO NOS COMUNICAMOS SOMENTE POR MEIO DE PALAVRAS, MAS DE VÁRIAS OUTRAS FORMAS NÃO-VERBAIS, COMO POR MEIO DE GESTOS, IMAGENS, SONS, ARTES ETC.

9 DESTA FORMA, NOTAMOS COMO É IMPORTANTE O CONJUNTO, O CONTEXTO, AS IMAGENS ETC. PARA A COMPREENSÃO DE UMA MENSAGEM. SOBRE O TEMA A LINGUAGEM VERBAL E NÃO-VERBAL, ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA.

10 RESPOSTA CERTA: D A)A DIFERENÇA ENTRE A LINGUAGEM VERBAL E NÃO-VERBAL É QUE A VERBAL UTILIZA PALAVRAS COMO CÓDIGOS, E A NÃO- VERBAL UTILIZA POUCOS RECURSOS ALÉM DAS PALAVRAS. B) PARA PRODUZIRMOS UM TEXTO, SEJA ELE VERBAL OU NÃO-VERBAL, NÃO PRECISAMOS TER EM MENTE O NOSSO DESTINATÁRIO, POIS A ADEQUAÇÃO DA LINGUAGEM NÃO É IMPORTANTE PARA QUE A COMUNICAÇÃO SEJA EFICIENTE.

11 C) NÃO HÁ DIFERENÇA ENTRE A LINGUAGEM VERBAL E A LINGUAGEM NÃO-VERBAL, POIS AMBAS COMUNICAM UTILIZANDO OS MESMOS CANAIS. D) A COMUNICAÇÃO DA MÍDIA NOS BOMBARDEIA COM IMAGENS SIGNIFICATIVAS E IDEOLÓGICAS QUE DEVEM SER COMPREENDIDAS, LIDAS CUIDADOSAMENTE, POIS A LINGUAGEM NÃO-VERBAL TAMBÉM COMUNICA.

12 03- LEIA UM TRECHO DE UM TEXTO ESCRITO POR MARÍLIA SILVA RANGEL MEIRA, EDDLA KARINA GOMES PEREIRA E LILYANE FERNANDES BANDEIRA DE OLIVEIRA, INTITULADO DIREITO À ÁGUA – FONTE FINITA DE NECESSIDADES INFINITAS, PUBLICADO NA REVISTA CONSULEX, ANO IX, Nº 204, P.50, NA SEÇÃO VOZ UNIVERSITÁRIA.

13 A ÁGUA É UM RECURSO NATURAL LIMITADO E BEM PÚBLICO FUNDAMENTAL. O PACTO INTERNACIONAL DOS DIREITOS ECONÔMICOS, SOCIAIS E CULTURAIS TRAZ A ÁGUA COMO TÓPICO ESPECIAL DE PREOCUPAÇÃO DOS ESTADOS-PARTES, OS QUAIS DEVERÃO IMPLEMENTAR ESSE DIREITO EM BENEFÍCIO DA SOCIEDADE DO PRESENTE E DAS GERAÇÕES FUTURAS.

14 RELEIA O TRECHO CITADO DA REPORTAGEM E MARQUE A OPÇÃO CORRETA QUANTO À INTERPRETAÇÃO DOS ELEMENTOS DE COMUNICAÇÃO CONTIDOS NA MENSAGEM.

15 RESPOSTA CERTA: B A)EMISSOR: O DIRETOR DA REVISTA CONSULEX. B) MENSAGEM: A ÁGUA É UM DIREITO DE TODOS, POR ISSO É PREOCUPAÇÃO DE ENTIDADES INTERNACIONAIS PARA QUE GARANTAM ESSE DIREITO A TODOS NÓS E AOS QUE VIRÃO.

16 C) RECEPTOR: OS ESTADOS-PARTES DO PACTO INTERNACIONAL DOS DIREITOS ECONÔMICOS, SOCIAIS E CULTURAIS. D) CÓDIGO: VARIADO, COMPOSTO DE CÓDIGOS VERBAIS E NÃO-VERBAIS.

17 04- SE NO USO DA LINGUAGEM ORAL CONTAMOS, ALÉM DAS PALAVRAS, COM RECURSOS COMO GESTOS, EXPRESSÃO FACIAL, TONS DE VOZ, ENTRE OUTROS, PARA TRANSMITIR O SENTIDO DO QUE QUEREMOS DIZER, NA LINGUAGEM ESCRITA, ALÉM DAS PALAVRAS, CONTAMOS COM POUQUÍSSIMOS RECURSOS GRÁFICOS.

18 DESTA FORMA, DEVEMOS, NA LINGUAGEM ESCRITA E, PRINCIPALMENTE, JURÍDICA:

19 RESPOSTA CERTA: B A) NÃO CONSIDERAR A IMPORTÂNCIA DA ESTILÍSTICA NA LINGUAGEM JURÍDICA E A IMPORTÂNCIA DA ARGUMENTAÇÃO. B) SABER QUE HÁ VÁRIOS NÍVEIS DE LINGUAGEM NA NOSSA LÍNGUA, E QUE DEVEMOS RESPEITAR TODOS. PORÉM, O NÍVEL UTILIZADO NA LINGUAGEM JURÍDICA É O NÍVEL DA LÍNGUA PADRÃO, ACRESCENTADO A ELE OS TERMOS TÉCNICOS JURÍDICOS.

20 C) ESTAR CIENTES DE QUE O DISCURSO JURÍDICO NÃO EXIGE TOMADA DE POSIÇÕES, DECISÕES, POIS NÃO HÁ DISPUTA, LIDE ENTRE OS PARTICIPANTES. D) NÃO UTILIZARMOS O ARGUMENTO DE AUTORIDADE, POIS A CIÊNCIA E A VERDADE NÃO APARECEM POR MEIO DOS ESPECIALISTAS CITADOS, POIS NORMALMENTE O AUDITÓRIO NÃO CONFIA NA OPINIÃO DE PESSOAS QUE SÃO ESPECIALISTAS EM DETERMINADOS ASSUNTOS, NÃO ACHAM VÁLIDA SUA POSIÇÃO.

21 5 - ASSINALE A OPÇÃO CORRETA QUANTO À FUNÇÃO DA LINGUAGEM ENQUANTO PRIVILEGIA UM DETERMINADO ELEMENTO DA COMUNICAÇÃO.

22 A) NÃO, SIMPLESMENTE PORQUE NÃO! NÃO HÁ COMO PERMITIR QUE SE FAÇA APOLOGIA AO INCESTO. NÃO DÁ PARA BANALIZAR O MAIS HEDIONDO CRIME PRATICADO CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES [...] (MARIA BERENICE DIAS, DESEMBARGADORA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO SUL). RESPOSTA CERTA: B

23 B) COMPAREÇA AO LANÇAMENTO DA OBRA ORQUESTRA DAS CIGARRAS, DE AUTORIA DO PROFESSOR LEON FREJDA SZKLAROWSKY, PRESIDENTE DO CONSELHO DE ÉTICA E GESTÃO DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA ARBITRAL DO BRASIL. PARTICIPE DO COQUETEL DE LANÇAMENTO E SE DEIXE CONTAGIAR POR CRÔNICAS QUE SÃO O RETRATO DO TEMPO E DA ÉPOCA EM QUE SE VIVE.

24 C) IMPOSSÍVEL QUALIFICAR O CRÉDITO- PRÊMIO À EXPORTAÇÃO DE CRÉDITO TRIBUTÁRIO OU COM ESTE FAZER QUALQUER ANALOGIA, MESMO PORQUE O CRÉDITO-PRÊMIO À EXPORTAÇÃO NÃO É CRÉDITO DE QUALQUER ENTE TRIBUTANTE COM COMPETÊNCIA PARA INSTRUÍ-LO E EXIGI-LO DO SUJEITO PASSIVO. (SOLFERINA MENDES SETTI POLATI E JOYCE SETTI PARKINS, ADVOGADAS)

25 D) O CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR DEBUTOU NO DIA 11 DE SETEMBRO ÚLTIMO, AO COMPLETAR QUINZE ANOS DE SUA EDIÇÃO, ESTANDO EM VIGOR DESDE 15 DE MARÇO DE ALÉM DE SER UMA DAS LEIS MAIS COMPLETAS DE TODO O MUNDO, O CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR, NA AMÉRICA LATINA, FOI A PRIMEIRA NORMA ESPECÍFICA SOBRE RELAÇÃO DE CONSUMO E TORNOU-SE MODELO PARA LEGISLAÇÕES DE OUTROS PAÍSES. (ANTONIO PESSOA CARDOSO, JUIZ DE DIREITO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA)

26 6 - ASSINALE A OPÇÃO CORRETA QUANTO ÀS PRINCIPAIS DIFERENÇAS NA PRODUÇÃO DA LINGUAGEM ORAL E DA ESCRITA.

27 RESPOSTA CERTA: D A) NA FALA O PLANEJAMENTO É ANTERIOR À PRODUÇÃO; JÁ NA ESCRITA, O PLANEJAMENTO É SIMULTÂNEO, OU QUASE SIMULTÂNEO, À PRODUÇÃO. B) QUANDO FALAMOS, UTILIZAMOS AMPLA VARIEDADE LINGÜÍSTICA, ASSIM COMO NA ESCRITA, MESMO DE GÊNEROS JURÍDICOS.

28 C) NA FALA, O TEXTO TENDE A ESCONDER O SEU PROCESSO DE CRIAÇÃO, MOSTRANDO SOMENTE O RESULTADO; JÁ NA ESCRITA PODEMOS PERCEBER TODO PROCESSO DE CRIAÇÃO. D) NA FALA, HÁ FRASES CURTAS, REDUNDÂNCIAS, FLUTUAÇÃO DA UNIDADE TEMÁTICA. ENQUANTO NA ESCRITA AS FRASES TENDEM A SER MAIS LONGAS, SEM REPETIÇÃO E COM RIGIDEZ NA UNIDADE TEMÁTICA.

29 7 - ASSINALE A OPÇÃO QUE CLASSIFICA CORRETA E RESPECTIVAMENTE, OS SUBNÍVEIS DA LINGUAGEM JURÍDICA NOS TEXTOS SEGUINTES.

30 RESPOSTA CERTA: D I - § 3º NA FALÊNCIA, OS CRÉDITOS RETARDATÁRIOS PERDERÃO O DIREITO A RATEIOS EVENTUALMENTE REALIZADOS E FICARÃO SUJEITOS AO PAGAMENTO DE CUSTAS, NÃO SE COMPUTANDO OS ACESSÓRIOS COMPREENDIDOS ENTRE O TÉRMINO DO PRAZO E A DATA DO PEDIDO DE HABILITAÇÃO. LEGISLATIVA

31 II - [...] PODERES PARA O FORO EM GERAL, COM A CLÁUSULA AD JUDICIA, PODENDO PROPOR EM NOME DO OUTORGANTE AS AÇÕES COMPETENTES E NECESSÁRIAS E DEFENDÊ-LO NAS CONTRÁRIAS, SEGUINDO UMAS E OUTRAS, ATÉ FINAL DECISÃO, USANDO DE TODOS OS MEIOS LEGAIS PARA OBTER ÊXITO NOS PLEITOS FORMULADOS, PODENDO CONFESSAR, DESISTIR, DANDO TUDO POR BOM, FIRME E VALIOSO [...]. CONVENCIONAL

32 III - POR NÃO SER INCENTIVO SETORIAL, É INAPLICÁVEL AO CRÉDITO-PRÊMIO À EXPORTAÇÃO (DLS 491/69 E 1.894/81, ART. 1º) A DISPOSIÇÃO CONSTITUCIONAL TRANSITÓRIA, CONFORME POSIÇÃO DO CONSELHO DE CONTRIBUINTES. DOUTRINAL

33 IV - PREFACIALMENTE, O AUTOR É PESSOA POBRE, E NÃO DISPÕE DE RECURSOS FINANCEIROS PARA ARCAR COM AS DESPESAS DO PRESENTE PEDIDO, SEM QUE ISSO PONHA EM RISCO A SUA SOBREVIVÊNCIA E A DOS SEUS. POR ISSO, REQUER DESDE JÁ A CONCESSÃO DO BENEFÍCIO DA ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA, NOS TERMOS DA LEI 1.060/50. JUDICIÁRIA

34 08- LEIA AS DEFINIÇÕES DADAS DE CADA TIPO DE DISCURSO SOB O PONTO DE VISTA DA VISÃO TRIPARTITE DE ARISTÓTELES E ASSINALE A OPÇÃO QUE CONTÉM AS INFORMAÇÕES CORRETAS SOBRE ELAS.

35 RESPOSTA CERTA: D I - O DISCURSO DELIBERATIVO TEM COMO DESTINATÁRIO UMA ASSEMBLÉIA. SÃO SITUAÇÕES EM QUE SE DISCUTEM QUESTÕES POLÍTICAS, TOMADA DE DECISÕES PARA DETERMINADO GRUPO.

36 II - O DISCURSO JUDICIÁRIO: O SEU AUDITÓRIO SERIA O JUIZ OU UM TRIBUNAL. ESSE DISCURSO VISA A DECIDIR QUESTÕES PASSADAS QUE TERÃO DETERMINADA CONSEQÜÊNCIA. PARA ARISTÓTELES, PODE SER UM DISCURSO DE ACUSAÇÃO OU DE DEFESA. E É ESSE QUE MAIS NOS INTERESSA POR TRATAR DA ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA.

37 III - O DISCURSO EPIDÍCTICO OU DEMONSTRATIVO; COMO EXEMPLO DESSE TIPO DE DISCURSO, TEMOS OS COMÍCIOS POLÍTICOS, EM QUE NÃO HÁ INTERAÇÃO COM A PLATÉIA, POIS ESSA ESTÁ ALI PORQUE, NA MAIORIA DAS VEZES, JÁ CONCORDA COM O QUE VAI OUVIR. ENTÃO NÃO PRECISA POSICIONAR-SE COM O QUE ESTÁ SENDO CENSURADO OU ELOGIADO.

38 9 - RELEMBRANDO OS CONCEITOS DAS META-REGRAS, ASSINALE A OPÇÃO QUE CLASSIFICA CORRETAMENTE A META-REGRA QUE FOI VIOLADA COM O TEXTO CORRESPONDENTE.

39 RESPOSTA CERTA: B A) NÓS NÃO TEMOS CENSURA. O QUE TEMOS É UMA LIMITAÇÃO DO QUE OS JORNAIS PODEM PUBLICAR. (LOUIS NET, EX-VICE-MINISTRO DA INFORMAÇÃO DA ÁFRICA DO SUL) NESTA INFORMAÇÃO HOUVE A QUEBRA DA META-REGRA DA CONTRADIÇÃO. (PROGRESSÃO)

40 B) SUBSTITUIÇÃO DE BATERIA: SUBSTITUA A BATERIA VELHA POR UMA BATERIA NOVA. (INSTRUÇÃO EM MANUAL DE APARELHO ELÉTRICO) ESTE MANUAL DE INSTRUÇÃO INFRINGIU A META-REGRA DA PROGRESSÃO.

41 C) [...] CONSIDERANDO ETC. ETC., ESTE CONSELHO RESOLVE: I- QUE UMA NOVA CADEIA SEJA CONSTRUÍDA; II- QUE A NOVA CADEIA SEJA CONSTRUÍDA COM OS MATERIAIS DA VELHA CADEIA; III- QUE A VELHA CADEIA SEJA USADA ATÉ QUE A NOVA ESTEJA PRONTA. (RESOLUÇÃO DA JUNTA DOS CONSELHEIROS, CANTO, MISSISSIPI, 1800) ESTA RESOLUÇÃO PECA POR NÃO RESPEITAR A META-REGRA DA RELAÇÃO (NÃO-CONTRADIÇÃO).

42 D) ENCONTRANDO UM MILHÃO DE DÓLARES NA RUA, EU PROCURARIA O CARA QUE O PERDEU E, SE ELE FOSSE POBRE, DEVOLVERIA. (YOGI BERRA) AQUI TEMOS UM PROBLEMA COM A META-REGRA DA RELAÇÃO (REPETIÇÃO).

43 10 - HÁ OPERADORES ARGUMENTATIVOS NO TEXTO SEGUINTE QUE ESTÃO SENDO UTILIZADOS DE FORMA INADEQUADA. ASSINALE A OPÇÃO EM QUE O OPERADOR ARGUMENTATIVO FOI UTILIZADO DE FORMA A DAR SENTIDO, COERÊNCIA AO TEXTO.

44 RESPOSTA CERTA: A A) DISSE UM FILÓSOFO QUE EXISTEM MUITAS COISAS NO CÉU E NA TERRA QUE NÃO CONSTAM DOS NOSSOS COMPÊNDIOS; MAS, EM COMPENSAÇÃO, HÁ MUITAS COISAS NOS NOSSOS COMPÊNDIOS QUE NÃO EXISTEM NEM NA TERRA NEM NO CÉU. (LICHTENBERG)

45 B) DISSE UM FILÓSOFO QUE EXISTEM MUITAS COISAS NO CÉU E NA TERRA QUE NÃO CONSTAM DOS NOSSOS COMPÊNDIOS; PORTANTO, EM COMPENSAÇÃO, HÁ MUITAS COISAS NOS NOSSOS COMPÊNDIOS QUE NÃO EXISTEM NEM NA TERRA NEM NO CÉU. (LICHTENBERG)

46 C) DISSE UM FILÓSOFO QUE EXISTEM MUITAS COISAS NO CÉU E NA TERRA QUE NÃO CONSTAM DOS NOSSOS COMPÊNDIOS; A FIM DE QUE, EM COMPENSAÇÃO, HÁ MUITAS COISAS NOS NOSSOS COMPÊNDIOS QUE NÃO EXISTEM NEM NA TERRA NEM NO CÉU. (LICHTENBERG)

47 D) DISSE UM FILÓSOFO QUE EXISTEM MUITAS COISAS NO CÉU E NA TERRA QUE NÃO CONSTAM DOS NOSSOS COMPÊNDIOS; OU, EM COMPENSAÇÃO, HÁ MUITAS COISAS NOS NOSSOS COMPÊNDIOS QUE NÃO EXISTEM NEM NA TERRA NEM NO CÉU. (LICHTENBERG)


Carregar ppt "PROFA. SIBELE LETÍCIA BIAZOTTO WEB-TUTORA: MAÍRA BOGO BRUNO AULA 13 CORREÇÃO DA AVALIAÇÃO 1 DATA: 20-4-2006."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google