A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Experiência de Arranjos Produtivos Locais de Cerâmica Vermelha em São Paulo Foz do Iguaçu, 24 de setembro de 2005.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Experiência de Arranjos Produtivos Locais de Cerâmica Vermelha em São Paulo Foz do Iguaçu, 24 de setembro de 2005."— Transcrição da apresentação:

1 1 Experiência de Arranjos Produtivos Locais de Cerâmica Vermelha em São Paulo Foz do Iguaçu, 24 de setembro de 2005

2 2 PARCEIROS

3 3 Empresas atendidas pelo Projeto APL FIESP / SEBRAE-SP PROJETOS ATUAIS Pólos Total do Pólo Empresas atendidas EmpresasEmprego São José do Rio Preto - Jóias % Mirassol - Móveis % Ibitinga – Cama, mesa, banho % Vargem Grande do Sul – Cerâmica % Tambaú - Cerâmica % Itu – Cerâmica % Tatuí – Cerâmica % Total %

4 4 Aumentar a Competitividade Criar Processos de Auto-Sustentação Fortalecimento Contínuo dos APLs Incrementar Participação no mercado Gestão Meio ambiente Finanças e Crédito Capital Humano / Empreendedorismo Inovação Tecnológica Ações de Cooperação OBJETIVOS Curto Prazo Aumentar Receita no Mercado Local Diminuir Custos Disponibilizar informações para problemas comuns ao Pólo

5 5 ETAPAS Mobilização Ações Imediatas Diagnóstico Pesquisa de Mercado Planejamento Estratégico Implementação Controle, Acompanhamento e Avaliação

6 6 Com relação ao AUMENTO DE RECEITA: Mercado Palestra Como participar de feiras Curso de Gestão de vendas Assessoria individual em gestão de vendas Palestra Representação comercial Seminário de mercado: apresentação da pesquisa de mercado de blocos, lajes, telhas e pisos PROGRAMA DE TRABALHO DE CURTO PRAZO

7 7 Com relação à REDUÇÃO DE CUSTO: Gestão Implantação de custos industriais: rentabilidade por produto, integrado com PPCP Curso de Gestão Financeira Assessoria individual gestão financeira Curso de Planejamento, programação e controle de produção Processos Assessoria individual em processos - Senai Assessoria técnica em eficiência energética Análise de conformidade de produtos Palestra Conformidade de produtos PROGRAMA DE TRABALHO DE CURTO PRAZO

8 8 Com relação à REDUÇÃO DE CUSTO: Capital Humano Formação de multiplicadores de 5S Palestra Conscientização para qualidade e 5S para todos os funcionários Assessoria individual para implantação de 5S Curso de Técnicas de liderança Curso de Habilidades básicas comportamentais Curso Noções básicas de cerâmica vermelha Curso de Controles básicos para processo de fabricação Curso Maior produtividade na secagem e queima Estágio em laboratório de caracterização de argila e análise de conformidade de produtos PROGRAMA DE TRABALHO DE CURTO PRAZO

9 9 Sustentação das Ações Seminário Visão de futuro: reconhecimento de cenários, construção de visão e desenvolvimento de estratégias Capacitação e assessoria para elaboração de planejamento estratégico Construção do planejamento estratégico do APL Empreendedorismo Seminários comportamentais: para integração e comprometimento com o Projeto, estabelecimento de metas, objetivos e plano de ação e, construção e fortalecimento de vínculos e de ambiente propício à cooperação PROGRAMA DE TRABALHO DE CURTO PRAZO

10 10 Indicadores Quantitativos - Valor agregado por Pessoal Ocupado VA/PO - Perdas - Conformidade de produtos - Eficiência energética e outros Pesquisa Qualitativa e Avaliação de atividades CONTROLE, ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO

11 11 Processos Preparação da massa: melhora na qualidade do produto, ganho na produtividade, economia energética (devido a redução na amperagem das máquinas) Extrusão: novos conhecimentos em regulagem de boquilhas facilitaram a extrusão; adaptação de funil Secagem: maior produtividade no secador, com a redução do tempo de secagem Queima: - redução do tempo de queima e do combustível utilizado; - maior uniformidade na coloração e na forma; - inclinação dos crivos nas boquetas; - colocação de 2 paredes nas portas dos fornos. RESULTADOS QUALITATIVOS

12 12 Gestão A utilização de controles de custos permitiu identificar a rentabilidade por produto, a recomposição do mix de vendas e a produção para a obtenção de maiores margens Organização de cadastro de clientes, ativos e inativos Prospecção de clientes potenciais Implantação de curva ABC cliente x produto x rentabilidade Utilização de controle de custo integrado com controle de estoque e programação de produção Verificação de vida útil da boquilha, através do registro periódico do peso dos produtos Aumento do número de funcionários RESULTADOS QUALITATIVOS

13 13 Inovação Integração universidade – empresa através de visitas técnicas à Instituições de P&D e Centros Tecnológicos: Centro de Tecnologia Cerâmica do Senai, Centro de Caracterização e Desenvolvimento de Materiais da UFSCar Desenvolvimento de novos produtos cerâmicos com maior valor agregado, decorrente em alguns casos da implantação da planilha de custos (verificação de margens negativas), o que demonstrou problemas quanto a escala de produção Desenvolvimento de novos processos: preparação, extrusão, secagem e queima de materiais como nova composição de argila RESULTADOS QUALITATIVOS

14 14 Cooperação Divisão de frete para transporte de amostras Divisão de despesas de transporte de funcionários do interior para São Bernardo/SP Negociação coletiva para compra de lenha, redução de 15% no preço e regularidade no fornecimento Vendas conjuntas: produtos complementares Compra conjunta de equipamentos (termômetro, higrômetro) Visitas entre empresas e troca de informações Participação em feiras, em stand coletivo, e visitas técnicas Negociação coletiva de seguro de auto Elaboração de cadastro de inadimplentes RESULTADOS QUALITATIVOS

15 15 Capital humano - Funcionários Melhoria do clima organizacional Melhoria do relacionamento entre funcionários e destes com a gerência Maior comprometimento com processo e qualidade dos produtos Realização de estágio nos laboratórios do SENAI Capital humano - Empreendedores Melhoria da conduta empreendedora, orientada para resultados: estabelecimento de metas, planejamento, persistência e comprometimento Reconhecimento de cenários (escassez de lenha, argila, impacto ambiental), construção de visão e desenvolvimento de estratégias RESULTADOS QUALITATIVOS

16 16 Estratégia e mercado Construção do plano estratégico individual das empresas: identificação de competências, pontos fortes e fracos, ameaças e oportunidades Direcionamento de produto x mercado alvo (região e canal) Aumento do nº de clientes Atuação pró-ativa em relação aos clientes: elaboração de folder técnico, site e visitas técnicas Aumento do atendimento de novos mercados mais exigentes – construtoras Desenvolvimento de produto em parceria com construtora Vendas conjuntas: produtos complementares RESULTADOS QUALITATIVOS

17 17 Grupo gestor e Governança Articulação para instalação de curso técnico em cerâmica vermelha, entre entidade local, Prefeitura Municipal e SENAI Discussão de ações estruturantes para sustentação da atividade cerâmica no município e região: mineração/Plano Diretor, incubadoras de empresas, laboratório de caracterização de matéria-prima e ensaios de produtos Desenvolvimento de competências locais, através do Agente Local para: atuar na interface com as empresas e Instituições após o término, visando também a internalização do conhecimento e a sustentação das ações desenvolvidas. elaborar projetos e captar recursos financeiros RESULTADOS QUALITATIVOS

18 18 Ambiente sistêmico Em 2003, 1º variação negativa do PIB desde 1992 Média da massa salarial de 2003 foi 5,8% média de 2002 Argila 26% Lenha 27% Energia Elétrica 14% Preço do Bloco 5% AUMENTO DE 9,5% DE PRODUTIVIDADE - VA/PO 9,5% RESULTADOS QUANTITATIVOS

19 19 A Fase 1 do APL de VGS encerrou-se em agosto de 2004 e o convênio FIESP e SEBRAE-SP foi renovado; O SICOV vêm desde o início do ano organizando encontros regionais com a presença de 45 ceramistas da região e repassando conhecimentos de mercado e custos, como parâmetros para discussão de preço; O SICOV foi contemplado no início do ano com o Telecentro de Informação e Negócios, patrocinado pelo MDIC e Telefônica; Em meados de 2004, 26 empresas de Tambaú, lideradas pela Associação Industrial e Comercial, procuraram a FIESP e o SEBRAE-SP solicitando o projeto APL; ATIVIDADES EM CURSO

20 20 O SICOV e a AICT elaboraram juntos um projeto de casa de produtos cerâmicos, a 1º versão foi apresentada numa feira regional; Em meados de março/05, as Associações de Itu, Tatuí e Sindicato Estadual também demandaram o projeto APL; Conhecimentos de mercado e gestão de custos estão sendo repassados para técnicos do SENAI, inclusive em outros Estados; Em articulação a instalação de cursos descentralizados em tecnologia cerâmica nos pólos de Tambaú, Itu e Tatuí; Em articulação a instalação do Programa Escola de Fábrica, do MEC. ATIVIDADES EM CURSO

21 21 Estímulo à produção conforme: - Divulgação e implementação das novas normas técnicas e da portaria do INMETRO - Adesão e fortalecimento do Programa Setorial da Qualidade - PSQ/PBQP-H - Combate à não conformidade - fiscalização e parcerias Mercado: - Ação institucional na divulgação dos produtos cerâmicos - Pesquisa mercadológica Elaboração de perfil do setor no Estado AÇÕES SETORIAIS / HORIZONTAIS

22 22 Muito obrigada ! fone:


Carregar ppt "1 Experiência de Arranjos Produtivos Locais de Cerâmica Vermelha em São Paulo Foz do Iguaçu, 24 de setembro de 2005."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google