A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

© Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Teoria da Atividade A minha própria existência é atividade social. Karl Marx.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "© Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Teoria da Atividade A minha própria existência é atividade social. Karl Marx."— Transcrição da apresentação:

1 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Teoria da Atividade A minha própria existência é atividade social. Karl Marx

2 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Contexto histórico Rússia pulou do feudalismo ao comunismo Necessidade de teoria educacional em consonância com os ideais marxistas Ascenção da psicologia mecanicista

3 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Reflexo especular Estímu lo Respo sta Psicologia Mecanicista

4 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Mediação Estímu lo Respo sta Psicologia Sócio-histórica Signo RefraçãoSignificação

5 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Aprendizado social 1.Bebê balança braço para pegar objeto 2. Mãe traz um brinquedo próximo 3. Bebê aprende a apontar (sentido social)

6 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Do que é composta uma atividade? Pessoas

7 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Photo © 2000 Vilma Vainikainen Análise da atividade Baseado em Korpela (2004)Korpela Cuidado intensivo de bebês prematuros

8 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade O que elas compartilham? PessoasObjeto

9 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Porque elas fazem isso? PessoasObjetoResultado

10 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Photo © 2000 Vilma Vainikainen Objeto: a saúde do bebê Resultado: criança saudável, mãe feliz

11 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Com que meios elas fazem? PessoasObjetoResultado Instrumentos

12 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Quem são essas pessoas? PessoasObjetoResultado Instrumentos Comunidade

13 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Características culturais da equipe

14 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Como se organizam essas pessoas? PessoasObjetoResultado Instrumentos Comunidade RegrasDivisão do Trabalho

15 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Ator Ação Instrumento Meio de coordenação entre as ações Objeto compartilhado

16 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Sistema da Atividade Pessoas Engeström (1999) ObjetoResultado Instrumentos Comunidade RegrasDivisão do Trabalho

17 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Que outras atividades estão conectadas? Cuidado Intensivo Reuniões de equipe Preparação / Design de Ferramentas

18 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade O resultado de uma atividade se torna o objeto de outra Meio de conexão entre as atividades Photo © 2000 Vilma Vainikainen

19 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Como a organização é imposta? PessoasObjetoResultado Instrumentos Comunidade RegrasDivisão do Trabalho

20 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Como as pessoas reagem à organização? PessoasObjetoResultado Instrumentos Comunidade RegrasDivisão do Trabalho

21 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Qual o impacto da introdução de cada novo artefato nesse ecossistema?

22 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Relações sociais são complexas

23 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Mudanças se propagam em rede

24 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade O que impulsiona a mudança? Seria a necessidade a mãe da invenção?

25 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Qual a necessidade de um garfo?

26 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade E de uma torradeira como esta? George Watson

27 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade E da água com intenção aprovada pelo Dr. Emoto?

28 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade A frustração com as coisas leva ao desejo de ter novas coisas.

29 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Ao contrário da necessidade, desejos e frustrações não são necessariamente lógicos. Podem ser contraditórios.

30 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade A dialética pode ajudar a trabalhar com contradições... ou confundir ainda mais!

31 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Tudo está em constante mudança...

32 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade E o que impulsiona a mudança é a contradição.

33 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Steve Jobs na MacWorld 2007

34 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Crise no sistema Clay Spinuzzi pessoas Blackberry comunidade regrasdivisão do trabalho objetoresultado Botões não se adaptam aos múltiplos objetos

35 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Teclado on-screen do iPhone

36 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Reconfiguração Clay Spinuzzi pessoas iPhone comunidade regrasdivisão do trabalho objetoresultado O teclado OnScreen é impreciso

37 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Perguntas para Sistema da Atividade Qual é a atividade em questão? Quem são as pessoas? Qual o objeto compartilhado da atividade? Qual o resultado esperado da interferência no objeto? Quais são os instrumentos utilizados para transformá-lo? Como elas dividem o trabalho para fazer isso? Quais são as regras das interações? Quais são as características dessa comunidade? Que contradições estão mais tensas, prestes a disparar mudanças? Que outras atividades se conectam com essa atividade?

38 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Checklist para avaliação de artefatos numa atividade Atende aos objetivos dos usuários? Suporta a solução de conflitos? A linguagem utilizada é adequada para a situação? É considerado importante para a atividade? Está integrado com outros recursos necessários ou desejáveis? Representa claramente a atividade que suporta? Suporta a representação/manipulação do objeto a ser transformado na atividade? O usuário pode obter vantagens significativas por se tornar um expert no uso? É capaz de evoluir junto com a atividade? Contribui significativamente para a evolução da humanidade? Kaptelini e Nardi (2008)

39 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Tipos de contradição FísicaTécnica Administrativas (humana)

40 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Método TRIZ Genrich Altshuller (1946)

41 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Ação Situada Lucy Suchman (1988)

42 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Generalizações não resolvem contradições humanas. Aliás, não vale à pena tentar resolvê-las, pois...

43 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Quanto mais tensa está uma contradição, mais perto está a inovação.

44 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Terceira Lei da dialética: mudanças quantitativas acumulam até o ponto em que há uma mudança qualitativa. A água passa do estado líquido ao gasoso após 100 ˚C.

45 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Quer inovação? Então esquente o caldo.

46 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Investimento quantitativo Amplie as fontes de informação Desenvolva várias idéias ao mesmo tempo Permita o aprofundamento Incentive a especialização

47 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Investimento qualitativo Promova encontros informais Estimule o fluxo emocional Rodízio de equipes e cargos

48 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Inovação técnicaInovação formal Inovação social

49 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Três fatores cruciais para a Inovação Social

50 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Diversidade Quanta gente estranha...

51 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Serendipidade Finalmente encontrei alguém parecido comigo nesta granja!

52 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Criatividade E aí, vamos bolar um jeito de fugir daqui?

53 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Design Baseado na Atividade é uma atividade política.

54 © Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Dúvidas?


Carregar ppt "© Professor Frederick van Amstel Ergonomia e Usabilidade Teoria da Atividade A minha própria existência é atividade social. Karl Marx."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google