A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capítulo 11 Controvérsias em política comercial Preparado por Iordanis Petsas Material de apoio para Economia internacional: teoria e política Economia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capítulo 11 Controvérsias em política comercial Preparado por Iordanis Petsas Material de apoio para Economia internacional: teoria e política Economia."— Transcrição da apresentação:

1 Capítulo 11 Controvérsias em política comercial Preparado por Iordanis Petsas Material de apoio para Economia internacional: teoria e política Economia internacional: teoria e política, 6ª edição de Paul R. Krugman e Maurice Obstfeld

2 11-2© 2005 Pearson Education Organização do capítulo Introdução Argumentos sofisticados a favor da política comercial ativista Globalização e baixos salários Resumo

3 11-3© 2005 Pearson Education Introdução Dois debates sobre o comércio internacional surgiram nas décadas de 1980 e Na década de 1980, surgiu nos países avançados um conjunto novo de argumentos sofisticados a favor da intervenção governamental no comércio. –Esses argumentos se concentravam nas indústrias de alta tecnologia, que se tornaram importantes após o surgimento do chip de silício. Na década de 1990, surgiu um debate acalorado em relação aos efeitos do comércio internacional, cada vez maior, sobre os trabalhadores dos países em desenvolvimento.

4 11-4© 2005 Pearson Education Argumentos sofisticados a favor da política comercial ativista Existem dois tipos de falha de mercado que, ao que parece, estão presentes nos países industrializados e são relevantes para suas políticas comerciais: externalidades tecnológicas; lucros de monopólio em indústrias oligopolistas altamente concentradas.

5 11-5© 2005 Pearson Education Tecnologia e externalidades –Firmas em uma indústria geram conhecimentos que outras firmas podem também utilizar sem pagar por isso. Em indústrias de alta tecnologia, as firmas enfrentam problemas de apropriabilidade. –Exemplo: Na eletrônica, é comum as firmas fazerem engenharia reversa dos projetos de suas rivais. Argumentos sofisticados a favor da política comercial ativista

6 11-6© 2005 Pearson Education O argumento a favor do apoio do governo às indústrias de alta tecnologia –Subsidiar a atividade com externalidades, não todas as atividades em uma indústria. – Por exemplo, a pesquisa e o desenvolvimento (em oposição à manufatura) deveriam ser subsidiados. Qual a importância das externalidades? –Elas são difíceis de medir empiricamente. –Problemas de apropriabilidade no nível das nações (e não das firmas) são menos severos, mas ainda importantes, mesmo para uma nação tão grande quanto os Estados Unidos. Argumentos sofisticados a favor da política comercial ativista

7 11-7© 2005 Pearson Education Concorrência imperfeita e política comercial estratégica Em algumas indústrias, onde existem apenas algumas firmas em concorrência efetiva: –os pressupostos da concorrência perfeita não se aplicam; –haverá retornos em excesso (lucros); –haverá uma concorrência internacional relativa a quem ficará com esses lucros; –um subsídio do governo às firmas domésticas pode elevar o lucro delas em mais do que o montante dos subsídios. Argumentos sofisticados a favor da política comercial ativista

8 11-8© 2005 Pearson Education Análise de Brander-Spencer: um exemplo –Somente duas firmas (Boeing e Airbus), cada uma de um país diferente (Estados Unidos e Europa), concorrem entre si. –Há um novo produto (avião de 150 lugares) que ambas as firmas são capazes de fabricar. –Cada firma decide se vai fabricar ou não o novo produto. Argumentos sofisticados a favor da política comercial ativista

9 11-9© 2005 Pearson Education Airbus Boeing –5–5–5–5 –5–5–5– Produz Produz Não produz Tabela 11-1: Concorrência entre duas firmas Argumentos sofisticados a favor da política comercial ativista

10 11-10© 2005 Pearson Education Tabela 11-2: Efeitos de um subsídio à Airbus Argumentos sofisticados a favor da política comercial ativistaAirbus Boeing 20 –5–5–5– Não produz Produz Produz

11 11-11© 2005 Pearson Education Problema com a análise de Brander-Spencer –Informações insuficientes para usar a teoria com eficácia. –Os benefícios exatos das firmas não podem ser obtidos facilmente. –Indústrias isoladamente –Uma política que consiga dar às firmas norte-americanas uma vantagem estratégica em uma indústria tenderá a causar uma desvantagem estratégica em outra. –Retaliação estrangeira –As políticas estratégicas são políticas do tipo empobreça-seu- vizinho, que aumentam nosso bem-estar à custa dos outros países. Argumentos sofisticados a favor da política comercial ativista

12 11-12© 2005 Pearson Education Argumentos sofisticados a favor da política comercial ativista Tabela 11-3: Concorrência entre duas empresas: um caso alternativo Airbus Boeing – Não produz Produz Produz

13 11-13© 2005 Pearson Education Argumentos sofisticados a favor da política comercial ativista Tabela 11-4: Efeitos de um subsídio à Airbus Airbus Boeing Não produz Produz Produz

14 11-14© 2005 Pearson Education Globalização e baixos salários Uma das principais mudanças na economia mundial foi o surgimento das exportações de manufaturados nos países em desenvolvimento é. Os trabalhadores que fabricam esses bens recebem baixos salários e trabalham sob condições precárias.

15 11-15© 2005 Pearson Education Movimento antiglobalização O movimento tornou-se uma presença altamente visível cronologicamente: –Na década de 1980 –Suposta ameaça da concorrência do Japão aos Estados Unidos. –No início da década de 1990 –Grande preocupação tanto nos Estados Unidos como na Europa com os efeitos das importações vindas de países com salários baixos sobre os salários dos trabalhadores locais menos qualificados. –Na segunda metade da década de 1990 –Ênfase ao suposto mal que o comércio mundial estava fazendo aos trabalhadores dos países em desenvolvimento. –1999 –Manifestações renderam muitos transtornos às reuniões da Organização Mundial do Comércio, em Seattle. Globalização e baixos salários

16 11-16© 2005 Pearson Education Comércio e salários revisitados Os ativistas argumentam que a globalização não estava ajudando os trabalhadores das indústrias de exportação nos países em desenvolvimento. –Exemplo: Os salários nas maquiladoras no México ficavam abaixo de US$ 5 ao dia, e as condições de trabalho eram horríveis, pelos padrões norte-americanos. Os economistas argumentam que, apesar dos baixos salários auferidos pelos trabalhadores nos países em desenvolvimento, esses trabalhadores estão em situação melhor do que estariam se a globalização não tivesse acontecido. Globalização e baixos salários

17 11-17© 2005 Pearson Education Globalização e baixos salários Tabela 11-5: Salários reais

18 11-18© 2005 Pearson Education Padrões de trabalho e negociações comerciais Os acordos de comércio internacionais poderiam melhorar os salários e as condições de trabalho em países pobres se incluíssem: –um sistema capaz de monitorar salários e condições de trabalho, além de tornar os resultados desse monitoramento disponíveis aos consumidores; –padrões de trabalho formais –Trata-se das condições a que as indústrias exportadoras teriam de atender como parte dos acordos de comércio. –Eles têm apoio político considerável nos países avançados. –Encontram forte oposição entre a maioria dos países em desenvolvimento. Globalização e baixos salários

19 11-19© 2005 Pearson Education Questões ambientais e culturais Os padrões ambientais nas indústrias exportadoras nos países em desenvolvimento são muito mais baixos do que os verificados nas indústrias dos países avançados. A inclusão de padrões ambientais em acordos comerciais pode: –gerar melhorias no meio ambiente; –fazer com que fechem indústrias com potencial para exportação em países pobres. A globalização levou à homogeneização das culturas ao redor do mundo. –Exemplo: Atualmente, o McDonalds pode ser encontrado em quase todo lugar. Globalização e baixos salários

20 11-20© 2005 Pearson Education A OMC e a independência nacional O impulso para o livre comércio e o fluxo livre de capitais minaram a soberania nacional. A OMC monitora não somente os instrumentos tradicionais de política comercial, mas também as políticas econômicas domésticas, que são políticas comerciais de facto. Globalização e baixos salários

21 11-21© 2005 Pearson Education Resumo Nos anos 80 e 90, surgiram alguns argumentos a favor da intervenção governamental no comércio. Na década de 1980, a nova teoria da política comercial estratégica ofereceu motivos pelos quais os países devem ter ganhos ao promover determinadas indústrias. Na década de 1990, surgiu a crítica à globalização, concentrada nos efeitos da globalização sobre os trabalhadores dos países em desenvolvimento.

22 11-22© 2005 Pearson Education Resumo Existem duas idéias que apóiam os argumentos da política comercial ativista: os governos deveriam promover aquelas indústrias que produzam externalidades tecnológicas; a análise de Brander-Spencer. Com o surgimento das exportações de manufaturados pelos países em desenvolvimento, um novo movimento em oposição à globalização surgiu. Baixos salários pagos aos trabalhadores do setor exportador.


Carregar ppt "Capítulo 11 Controvérsias em política comercial Preparado por Iordanis Petsas Material de apoio para Economia internacional: teoria e política Economia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google