A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Nomes: Alex, Bruna, Fernanda, Lucas P. e Mateus M Série: 2001.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Nomes: Alex, Bruna, Fernanda, Lucas P. e Mateus M Série: 2001."— Transcrição da apresentação:

1 Nomes: Alex, Bruna, Fernanda, Lucas P. e Mateus M Série: 2001

2

3 Em nosso cotidiano, convivemos com plantas que podem ser tóxicas, as quais podem ocasionar até nossa morte, existindo algumas características quanto a intoxicação através delas. A intoxicação pode ser aguda, que ocorre quase sempre por ingestão, geralmente crianças ou pessoas não esclarecidas. Intoxicação crônica, que decorre da ingestão continuada, acidental ou propositada de certas espécies vegetais.

4 São plantas que podem ser prejudiciais ou irritantes à saúde humana e animal. De algum modo todas as plantas apresentam alguma toxicação, porém as plantas tóxicas se aplicam aquelas cuja indigestão ou contato provocam sintomas de intoxicação.

5 Mamona: Também conhecida como carrapateira, a mamona é uma das mais conhecidas plantas tóxicas do Brasil, principalmente por causa da produção do biodiesel. Parte tóxica: Sementes Sintomas: A ingestão das sementes, quando mastigadas podem causar náuseas, vômitos, cólicas abdominais, diarréia mucosa ou sanguinolenta; os casos mais graves podem ocorrer convulsões, coma e óbito. Principio ativo (toxina): Toxalbumina (ricina). Coroa de Cristo: Parte tóxica: Toda a parte da planta; Sintomas: Sua seiva pode causar lesões na pele e edemas (inchaço) dos lábios e língua, queimações e coceiras; Em contato com os olhos provoca irritação, inchaço das pálpebras e dificuldades de visão; A ingestão pode causar náuseas, vômitos e diarréias. Principio ativo (toxina): Látex irritante.

6 Comigo-ninguém-pode: Partes tóxicas: Todas as partes da planta. Sintomas: A ingestão e o contato pode provocar sensações de queimação, edemas de lábios, boca e língua, náuseas, vômitos e diarréias, salivação abundante; A dificuldade de engolir e asfixia; Em contato com os olhos pode causar lesão da córnea. Principio ativo (toxina): Oxalato de cálcio, saponinas. Saia Branca ou Trombeta-de-Anjo: Partes tóxicas: Todas as partes da planta. Sintomas: A ingestão pode provocar boca e pele secas, taquicardia, dilação das pupilas, estado de agitação, alucinação, hipertermia; Nos casos mais graves, pode levar à morte. Principio ativo (toxina): Alcalóides beladonados (atropina, escopolamina e hioscina).

7 Taioba-Brava: Parte tóxica: todas as partes da planta. Sintomas: a ingestão e o contato podem causar sensação de queimação, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, náuseas, vômitos, diarréia, salivação abundante, dificuldade de engolir e asfixia; o contato com os olhos pode provocar irritação e lesão da córnea. Principio ativo (toxina): oxalato de cálcio. Bico-de-papagaio: Parte tóxica: todas as partes da planta. Sintomas: a seiva leitosa causa lesão na pele e mucosas, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, dor em queimação e coceira; o contato com os olhos provoca irritação, lacrimejamento, edema das pálpebras e dificuldade de visão; a ingestão pode causar náuseas, vômitos e diarréia. Principio ativo (toxina): látex irritante.

8 Copo-de-leite: Parte tóxica: todas as partes da planta Sintomas: a ingestão e o contato podem causar sensação de queimação, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, náuseas, vômitos, diarréia, salivação abundante, dificuldade de engolir e asfixia; o contato com os olhos pode provocar irritação e lesão da córnea. Principio ativo (toxina): oxalato de cálcio. Oleandro ou Louro rosa: Parte tóxica: todas as partes da planta. Sintomas: a ingestão ou o contacto com o látex podem causar dor em queimação na boca, salivação, náuseas, vômitos intensos, cólicas abdominais, diarréia, tonturas e distúrbios cardíacos que podem levar a morte. Principio ativo (toxina): glicosídeos cardiotóxicos

9 TINHORÃO BANANA DE MACACO AVELÓS PINHÃO-ROXO ESTRAMÔNIO LÍRIO CHAPÉU-DE-NAPOLEÃO ESPORINHA

10 Coca:As folhas de coca são utilizadas de várias formas, são geralmente mascadas, picadas, socadas ou misturadas a diversos materiais. A cocaína é geralmente inalada ou aspirada como rapé, o pó é colocado em linhas sobre uma superfície lisa e dura. Os efeitos euforizantes são de curta duração e seguidos de uma desagradável sensação de mal estar, então o usuário continua aspirando as diversas linhas por dias. 1ª Fase:É chamada de estimulação precoce, caracterizada por euforia, hiperatividade, logorréia, inquietude, irritabilidade e distúrbios físicos, incluindo cefaléia, náuseas, vômitos, podendo ocorrer também taquicardia, hipertensão arterial, aumento da freqüência cardíaca, aumento da temperatura corporal, palidez da pele. Ainda nesta fase podem ser observados tiques, alucinações, bruxismo e quadros psicóticos. 2ª Fase:Evidencia-se tremores, hiperreflexia e convulsões tônico clônicas com comprometimento da consciência, hipertensão arterial e taquicardia, com distúrbios respiratórios marcantes com dispneia e cianose seguidas por edema agudo pulmonar e insuficiência respiratória. 3ª Fase:Essa é a fase da depressão, observada em situações mais graves, caracterizada por hiporreflexia, coma, paralisias musculares, depressão respiratória, cardíaca. Pode ocorrer o óbito na fase estimulatória tardia ou na depressiva.

11

12 Absinto: uma planta herbácea, perene, de gosto amargo e odor forte peculiar, possui folhas pinadas, pubescentes, de coloração esverdeada, flores tubulosas. É geralmente utilizado como bebida alcoólica, contendo dois princípios de natureza glicosídica, um óleo essencial de cor verde intensa, aromática e de sabor pungente acre. No óleo é encontrado um princípio tóxico importante, a tujona. O manuseio das flores pode produzir efeitos erupções cutâneas em pessoas sensíveis. A tujona é considerada estimulante neurológico, seu consumo excessivo pode provocar hiperexcitabilidade, inquietude, agitação psicomotora, alterações sensoriais e psíquicas. Pode provocar ainda tremores, fraqueza muscular, delírios, convulsões, através do consumo crônico.

13 Dama da Noite: Chamada também de jasmim verde, é um arbusto, podendo atingir até 4m de altura, possui ramos sinuosos, pendentes, com folhas de pecíolos longos, inflorescências terminais ou axilares, flores sésseis, cálice campanulado, corola esverdeada ou amarela, com aroma muito agradável. A intoxicação se dá por ingestão de folhas ou frutos, ocorrendo sintomas como náuseas, vômitos, distúrbios de comportamento, alucinações, midríase e secura de mucosas. Na intoxicação por ingestão deve-se fazer a lavagem gástrica e em relação sobre os distúrbios neurológicos pode-se aplicar diazepínicos.

14 Oxalato de Cálcio:Oxalato de cálcio é o princípio ativo de plantas como Anthurium, copo-de-leite, comigo-ninguém-pode. Essas folhagens, que parecem inofensivas e inclusive são usadas para ornamentação, se forem ingeridas podem causar sintomas como intoxicação, irritação, perda temporária da fala, obstrução das vias aéreas superiores, estomatite, sialorréia, vômito, dermatite de contato, etc. * As pedras nos rins ou cálculos renais são formadas por depósitos de oxalato de cálcio. Copo de Leite Comigo- ninguém- pode

15 Ricina - Lectina:As lecitinas são proteínas que tem a propriedade de aglutinar eritrócitos em intensidade variável, são geralmente encontrados nas sementes, tubérculos, caules, casca, folhas e seiva. Sendo a maioria termolábil, o cozimento pode atenuar ou inativar sua ação. A ricina (lectina) é uma proteína encontrada exclusivamente no endosperma das sementes de mamona, ela é a principal responsável pela toxidez da torta de mamona e está entre as proteínas de maior toxidez conhecida pelo homem. Mamona

16 Saponinas:As plantas que contêm esse tipo de substância são a alfafa, soja, beterraba, espinafre e aspargo. As saponinas são termolábeis, isto é, com o cozimento podemos atenuar ou inativar sua ação. Provocam distúrbios gastrointestinais, náuseas, vômitos, cólicas abdominais, diarréia. Atropina: Atua bloqueando o efeito do nódulo sinoatrial, o que aumenta a condução através do nódulo atrioventricular e consequentemente o batimento cardíaco. No estômago e intestino pode ser usado como agente antiespasmódico para os distúrbios gastrintestinais e tratamento da úlcera péptica. Atropina reduz sua função secretória. Lírio Saia Branca

17 Conhecer as plantas perigosas da região, residência, aspecto e pelo nome. Não comer plantas sem saber a procedência. Conservar plantas, sementes, etc., longe do alcance de crianças. Ensinar as crianças a não colocar nenhum objeto ou plantas na boca. Identificar a planta antes de comer seus frutos. O aquecimento ou cozimento, nem sempre destrõem a substância tóxica. Não tomar nenhum remédio caseiro sem antes consultar um médico. Evitar aspirar a fumaça de plantas que estão sendo queimadas. Não existem regras para práticas seguras para se distinguir plantas comestíveis das venenosas.

18 1- Diminuição da exposição do organismo ao tóxico: Nos casos de intoxicação aguda, geralmente é porque ocorreu ingestão da planta ou alguma parte dela, o procedimento mais importante é o esvaziamento gástrico. 2- Aumento da eliminação do tóxico já absorvido: É um importante procedimento para o tratamento das intoxicações de outros tipos, é usado medidas depuradoras renais ou extra-renais, visavam mais ao tratamento das graves complicações hepáticas ou renais. 3- Administração de antídotos: É importante o uso de antídotos dependendo do caso, como por exemplo com a mandioca brava que quando ingerida libera cianetos, nesse caso administra-se nitritos e hipossulfitos. 4- Tratamento geral e sintomático: Esta é uma etapa bastante importante, a qual vai influenciar no prognóstico do intoxicado.

19 É importante lembrar que a toxidade de determinada espécies podem variar dependendo da composição do solo onde crescem; Há determinas plantas tóxicas que atacam apenas determinados animais, exemplos: plantas tóxicas para bovinos que crescem espontaneamente em pastos; Segundo dados do Sinitox, a cerca de 60% dos casos ocorrem em crianças, 80% desses casos são acidentários (domésticos);

20 Em fevereiro deste ano, uma carta contendo ricina foi encontrada no Senado dos Estados Unidos. A ricina, um veneno mortal que causa problemas respiratórios, febre e náusea, é uma proteína inativadora de ribossomos, ou RIP, sigla em inglês para ribosome-inactivating protein. Da mesma forma que a abrina e a pulchellina, a ricina é estudada como possível substância ativa de medicamentos, mas também pode ser usada como arma química. Em 1978, durante a Guerra Fria, Georgi Markov, escritor e jornalista búlgaro que vivia em Londres, morreu após ser atacado por um homem que injetou ricina em seu organismo. Há relatos de que a substância também foi usada na Guerra Irã-Iraque, durante os anos 80. Dizem que o óleo da dama da noite é utilizado para manter o vigor sexual.

21

22 Erva medicinal é uma planta que contém substâncias bio-ativas com propriedades terapêuticas, profiláticas ou paliativas, elas podem curar ou aliviar a dor.

23 Abacateiro – As folhas e as frutas são ricas em proteínas e vitaminas. É diurético, estomáquico, calmante de dores, melhora os rins e a bexiga; Agrião – Limpa o sangue, os rins e o fígado. As mulheres em gravidez devem usá-lo pouco porque é abortivo; Alfavaca – Prepara-se para gargarejos nas dores de aftas, ajuda o estômago, os intestinos e elimina a areia nos rins; Babosa – Contra prisão de ventre, resolutiva posta sobre tumores, um dos melhores remédios para o estômago e fígado, febres intestinais, cura de feridas, doenças de pele. Seu cozimento é ótimo remédio contra caspa; com ela se prepara o popular shampoo para os cabelos. Não usa-lá em casos de hemorróidas;

24 Arnica – ferimentos, machucados; anemia, paralisia, hemorragias e vias urinárias, trombose e, em caso de derrame, reabsorve o sangue; Café – É estimulante cerebral, contra resfriados, favorece a digestão e acelera a circulação, tosse, asma, e desmaios; Alho – Bronquite, gripe, evita congestão, ajuda a baixar a pressão, combate dos vermes, contra biabetes, alho com azeite alivia dores de ouvido, combate areias e pedras da bexiga e é bom colocar sobre cortes e quando se pisa em pregos;

25 Camomila – Indigestões, gases, debilidades do estômago, falta de apetite, cólicas, contra vermes intestinais, doenças do útero e dos ovários; Capim-cidreira – Sedativo, faz suar, combate gases intestinais, tosse e perturbações urinárias; Erva-cidreira – Afecções do estômago, nervos, insônia, dores, desmaios, palpitações do coração, resfriados, contra gases e folhas frescas colocadas sobre as pálpebras aliviam a dor; Gengibre – Digestivo, excitante do estômago, contra cólicas, gases intestinais, tosse, bronquite, gripes, catarro crônico, chá recomendado para cantores ou pessoas que têm de falar muito;

26 Guaco – Contra reumatismo, xarope contra a tosse, gripe, contra mordidas da cobra, cicatrizante e calmante em geral; Limão – Grande depurativo do sangue, desintoxicante, tem bom efeito na maioria das doenças, cicatrizante, anti-séptico, combate males da garganta, tosse, gripe, febres. A semente combate vermes e mau funcionamento dos intestinos; Malva – Tem virtudes emolientes, para cataplasmas, inflamações do estômago, da vista, dor de dente, da boca, das gengivas, da garganta, dos intestinos, da bexiga, dos rins, da pele e faz emagrecer sem prejudicar o coração; Maracujá – Calmantes para dores em geral, insônia, diurética.

27 Os chás podem ser preparados por infusão ou cocção: Infusão: Consiste em se despejar água fervente sobre a planta e depois abafar por uns 15 minutos. Este processo é utilizado para flores, folhas e também para ervas aromáticas, pois se as fervermos as essências poderão volatilizar (perder- se pela ação do calor), causando a perda de sabor e poder medicinal do chá. Cocção: Consiste em se cozinhar a planta. Este processo deve ser restrito a raízes, cascas e sementes e a fervura pode variar de 3 a 15 minutos. * Dosagem: A quantidade normalmente indicada é de 20 gramas de erva por litro de água ou uma colher de chá por xícara, mas esta dosagem pode variar dependendo da planta; * Posologia (o modo como o medicamento deve ser tomado ou utilizado): Pode- se tomar várias xícaras do chá por dia, de preferência longe das refeições, a não ser que o uso do chá seja exatamente para estimular funções digestivas; * Adoçantes: Os chás geralmente não precisam ser adoçados. Em alguns casos, porém, pode-se usar o mel quando se quiser aproveitar suas propriedades medicinais (gripes, tosses, etc), mas só devemos adoçar depois de coado, quando o chá já estiver morno, nunca antes, pois o calor destrói o poder medicinal do mel.

28 Prazo de validade: Nunca use um chá mais de 24 horas depois de preparado, pois ele entra em processo de fermentação (mesmo mantido na geladeira). Prepare a quantidade suficiente para apenas um dia; Utensílios: Evite usar utensílios de metal para fazer os chás. Embora não o notemos, eles podem causar alterações no efeito e sabor do chá. O ideal é usar recipientes de vidro, barro, louça ou esmalte; Os chás, além de tomados, podem ser usados na forma de compressas, banhos, gargarejos, inalações e lavagens; Pode-se colocar sal de cozinha depois de coado, pois este é antiinflamatório e anti-séptico.

29 TENHA MAIS SAÚDE Cuidando e evitando o uso e o abuso: Do álcool; Do fumo; Do café, da erva-mate, do chá e do guaraná; Das bebidas artificiais; Das gorduras de animais (excesso após os 35 anos); De comer demais; De tóxicos; De drogas.


Carregar ppt "Nomes: Alex, Bruna, Fernanda, Lucas P. e Mateus M Série: 2001."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google