A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Resolução de Problemas e Criatividade Robert J. Sternberg NCE/UFRJ Profa. Adriana Benevides Aluna Sueli de Abreu.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Resolução de Problemas e Criatividade Robert J. Sternberg NCE/UFRJ Profa. Adriana Benevides Aluna Sueli de Abreu."— Transcrição da apresentação:

1 Resolução de Problemas e Criatividade Robert J. Sternberg NCE/UFRJ Profa. Adriana Benevides Aluna Sueli de Abreu

2 O ciclo da Resolução de problemas Identificação do problema Definição e representação do problema Construção de estratégias Organização da informação Alocação de recursos Monitoração Avaliação Quais são as etapas fundamentais na resolução de problemas?

3 Identificação do problema Identificação da questão básica a ser tratada. Esta etapa pode ser difícil de ser identificada. Dificuldade no reconhecimento do objetivo Caminho para o objetivo está obstruído A solução encontrada não funciona

4 Definição e representação do problema Depois da Identificação, é necessária a definição e representação do problema para entendermos como resolvê-lo. Esta etapa é considerada muito importante no processo de resolução de problemas

5 Construção de estratégias Análise e Síntese Pensamento Convergente e Divergente Nesta etapa, realiza-se o planejamento de estratégias de resolução do problema. A estratégia ótima depende tanto do problema, como das preferências pessoais do solucionador de problemas em relação aos métodos de resolução.

6 Organização da informação Nesta etapa se organiza estrategicamente a informação, encontrando uma representação que se a mais adequada para executar sua estratégia.

7 Alocação de recursos Quais são as estratégias para alocar recursos mentais? Quais as etapas do ciclo de resolução de problemas que necessitam de maior tempo e dedicação? Principiantes x especialistas

8 Monitoração Usar recursos para realizar a monitorização do trabalho pode levar a resolução mais eficiente. Permite a correção do percurso durante o processo de resolução.

9 Avaliação A avaliação conduz todo o processo de resolução. Esta etapa ocorre muitas vezes dentro do ciclo de resolução de problemas e pode levar a redefinição dos processos.

10 Estrutura dos problemas Problemas bem-estruturados Problemas mal-estruturados Quais são as diferenças entre os problemas que têm um caminho claro para sua solução daqueles que o caminho não está definido?

11 Problemas bem-estruturados Problemas com caminhos claros para sua resolução. Três queimadores de livros e três amantes de livros empunhando livros estão na margem de um rio. Os queimadores de livros e os amantes de livros precisam atravessar para o outro lado do rio. Para esta finalidade, eles têm um pequeno barco a remos que comporta exatamente duas pessoas e alguns livros. Entretanto, há um problema. Se o número de queimadores de livros em uma margem do rio exceder o número de amantes de livros nessa margem, os queimadores de livros destruirão os livros dos amantes de livros. Como toda as seis pessoas podem atravessar para o outro lado do rio numa maneira que garanta que todos chegam lá com os livros intactos?

12 Problemas mal-estruturados Problemas sem caminhos claros para sua solução. Como você amarra duas cordas suspensas, quando nenhuma delas é suficiente longa para permitir-lhe que alcance a outra corda, enquanto segura uma das cordas?

13 No caminho da solução... Problemas bem-estruturados Problemas isomórficos Problema dos Canibais e dos missionários Dois problemas são isomórficos quando têm a mesma estrutura formal e conteúdos diferentes. Dificuldade de percepção do isomorfismo na estrutura e não no conteúdo Problemas da representação do problema Desafios Heurística das estratégias

14 No caminho da solução... Problemas mal-estruturados A natureza do Insight Primeiras concepções Gestálticas Concepção do Nada-de-Especial Concepção Neo-Gestáltica Concepção dos três processos Insights adicionais aos insights

15 No caminho da solução... Problemas mal-estruturados A natureza do Insight O insight é uma compreensão nítida e, as vezes, aparentemente súbita de um problema ou de uma estratégia que ajuda a resolvê-lo. Com freqüência envolve reconceituação do problema ou da estratégias para obter um modo novo de solução.

16 Primeiras concepções Gestálticas Percepção do problema como um todo Meios pelos quais ocorrem os Insights a. amplos saltos inscientes no pensamento; b. processamento mental muito acelerado; c. algum tipo de curti circuito de processos normais de raciocínio No caminho da solução... Perspectivas psicológicas sobre o Insight

17 Concepções Neo-Gestálticas Falta de previsibilidade no caminho para solução de problemas Diferença entre problemas com Insight e sem Insight Não comprova a natureza do Insight e mecanismos subjacentes. No caminho da solução... Perspectivas psicológicas sobre o Insight

18 Concepções Nada-de-Especial O Insight é uma extensão da percepção, do reconhecimento,e da aprendizagem e da concepção normais. Os psicólogos gestálticos não conseguiram definir o Insight porque não existe este processo especial Insights são produtos significativos de processos comuns de pensamento No caminho da solução... Perspectivas psicológicas sobre o Insight

19 A Concepção dos três Processos Três tipos de insight envolvendo processos diferentes: Codificação seletiva: distinção de informações relevantes e irrelevantes. Processo de filtragem de informação Comparação seletiva: percepção inédita – uso criativo de analogias Combinação seletiva: seleção de fragmentos codificados e comparados da informação relevante, combinando estas informações de forma inédita e produtiva. No caminho da solução... Perspectivas psicológicas sobre o Insight

20 Insights adicionais aos Insights Experiências de Insight: processo especial envolvendo uma súbita reestruturação mental Insight: uma compreensão que pode envolver os processos cognitivos normais que ocorrem crescentemente No caminho da solução... Perspectivas psicológicas sobre o Insight

21 Heurística - Estratégias Funcionar para frente Funcionar para trás Análise de meios e fins Gerar – testar

22 Obstáculos à resolução de problemas Configurações mentais - entrincheiramento Fixidez funcional: incapacidade para perceber que algo que tem um fim determinado possa ser usados com outras finalidades. Estereótipos: cognição social – crenças de que grupos sociais tendem a ter, de modo uniforme, um conjunto de características Transferência negativa: resolução de problema anterior atrapalha a resolução do novo problema.

23 Auxílio à resolução de problemas Transferência positiva: transferência de solução adequada Transferência de analogias: tipo de Transferência positiva – problemas na busca e percepção do isomorfismo Transferência intencional: aplicação da estrutura e não do conteúdo Incubação: colocação do problema a parte por algum tempo. Papel da memória. Eliminação de efeitos negativos de configuração mental.

24 EXPERTISE: conhecimento e resolução de problemas Por que os especialistas podem resolver problemas em seu campo de forma mais eficiente do que os principiantes? Significado Organização do conhecimento Estratégias e esquemas – foco e direção da solução – transferências positivas - analogias Unidades de conhecimento interconectadas – recuperação da informação Ciclo de resolução de problemas: mais tempo na representação do problema Criatividade: expansão da amplitude de possibilidades a fim de considerar opções nunca antes exploradas.

25 CRIATIVIDADE Abordagens Psicométricas: produção divergente Abordagens Cognitivas: expertise e o compromisso com seu esforço criativo. Abordagens da Personalidade e Motivacionais: intuição, receptividades, independência de julgamento... Abordagens Sociais, Societárias e Históricas Abordagens Interativas: fatores individuais e ambientais convergentes Processo de produzir algumas coisa que é ao mesmo tempo original e de valor

26 Tomada de Decisão e Raciocínio Robert J. Sternberg

27 Julgamento e Tomada de Decisão Teoria Clássica da Decisão: perspectiva econômica Satisficing Eliminação por aspectos Heurística e vieses Outros fenômenos de julgamento

28 Teoria Clássica da Decisão: perspectiva econômica Tomada de decisão totalmente racional Inteiramente informados quanto a todas as possibilidades Infinitamente sensíveis às sutis diferenças entre as opções de decisão Totalmente racionais quanto a escolha de opções

29 Satisficing Considera-se quais as opções que maximizarão nossos ganhos e limitaram nossas perdas. Consideramos as opções uma a uma e depois selecionamos a que seja satisfatória. Consideramos um número mínimo de opções para chegar a uma decisão que acreditamos que atinja nossas exigências mínimas.

30 Eliminação por Aspecto Focalizamos um aspecto ou atributo das diversas opções e formamos um critério mínimo para estes aspectos. Eliminamos então aqueles que não satisfazem a estes critérios. Atalhos Mentais e vieses – distorcem a capacidade de tomar decisões. Freqüentemente tomamos decisões que estão baseadas em estratégias menos que ótimas.

31 Heurística e vieses São atalhos mentais que facilitam o trabalho cognitivo de tomada de decisão, mas possibilitam uma chance maior de erro. Representatividade: fazemos um julgamento com base em uma representação externa ou relacionada do fato, calcados em uma população Disponibilidade: julgamos com base na facilidade de recuperação dos dados na memória relacionado com a circunstância.

32 Outros fenômenos de Julgamento Ajuste da ancoragem Correlações ilusórias Viés da percepção tardia: como não enxerguei isso antes Racionalidade e irracionalidade limitadas Descrição dos problemas Prescrição

33 Tipos de Raciocínio Raciocínio Dedutivo Raciocínio Condicional Raciocínio Silogístico (Linear e Categórico) Auxílios e Obstáculos ao Raciocínio Dedutivo Raciocínio Indutivo Inferências Causais Inferências Categóricas Raciocínio por Analogia Concepções Alternativas do Raciocínio


Carregar ppt "Resolução de Problemas e Criatividade Robert J. Sternberg NCE/UFRJ Profa. Adriana Benevides Aluna Sueli de Abreu."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google