A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A TELECONSULTORIA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA Maria Teresa A. M. Rabelo Médica de Família e Comunidade C.S.Tia Amância - D.S. Centro-Sul Prefeitura Municipal de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A TELECONSULTORIA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA Maria Teresa A. M. Rabelo Médica de Família e Comunidade C.S.Tia Amância - D.S. Centro-Sul Prefeitura Municipal de."— Transcrição da apresentação:

1 A TELECONSULTORIA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA Maria Teresa A. M. Rabelo Médica de Família e Comunidade C.S.Tia Amância - D.S. Centro-Sul Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

2 A Telemedicina na atenção primária Aspectos conceituais: Medicina transmitida à distância. Uso das telecomunicações para fornecer informações e serviços médicos. A telemedicina utiliza a informação e a tecnologia das telecomunicações para enviar informações médicas referentes a diagnóstico, tratamento, e educação. Nova maneira de disponibilizar a medicina, minimizando a distância e facilitando o acesso. O termo telessaúde é mais abrangente, pois inclui outros profissionais de saúde, ao promover transferência de informações para serviços clínicos, administrativos e educativos.

3 Abrangência do serviço de Telemedicina: Suporte Assistencial: A consulta médica configura-se como o cerne da prática clínica, portanto, é a teleconsulta visando apoiar uma tomada de decisão clínica, o mais freqüente dos exemplos de procedimentos telemédicos. Teleeducação: Sempre que acontece uma teleconsulta envolvendo um profissional de saúde e um consultor experiente, há uma oportunidade de atualização profissional. O profissional menos experiente recebe o conhecimento mais detalhado e o adiciona ao seu conhecimento e às suas habilidades. A educação e o treinamento são otimizados pelo papel interativo assumido pelo generalista, mostrando-se mais efetivos que leituras ou palestras.

4 Para se obter o máximo benefício do processo é fundamental : Estabelecer acordo quanto à finalidade da teleconsulta, seja diagnosticar uma condição clínica, monitorar o progresso de um tratamento ou desenvolver habilidades entre os profissionais de saúde. Manter o foco nas questões relevantes de saúde, evitando distrações como as que ocorrem para ajustes tecnológicos. Assegurar-se de que os profissionais sejam treinados no uso do equipamento, e que estejam habituados com a sua utilização. O especialista consultado deve delegar a responsabilidade clínica ao profissional que acompanha o paciente, para que ele possa executar os procedimentos médicos necessários. Documentar adequadamente o procedimento e suas conclusões, registrando-os no prontuário do paciente.

5 Benefícios da telemedicina : Melhor acesso aos serviços de saúde. Melhor qualificação dos serviços ofertados. Melhor comunicação entre os profissionais, que podem compartilhar informações digitais, mais precisas, mais completas e de transmissão imediata. Possibilita a educação permanente dos profissionais. Melhora o acesso à informação e à utilização dos recursos, ao estabelecer menor número de fontes ligados a utilizadores potenciais. Reduz os custos.

6 Reforça as propostas da estratégia de Saúde da Família, que contempla o estreitamento do vínculo entre o paciente, sua família e comunidade e o médico que os assiste, ao promover a valorização do profissional e dos serviços de saúde, a interação interprofissional, e o resgate da qualidade e da credibilidade do serviço. Permite que a equipe da unidade básica seja responsável pela gestão do processo terapêutico que será executado na linha do cuidado, garantindo a segurança do usuário. Decresce o número de encaminhamentos ao especialista, aliviando o estrangulamento existente e tornando a unidade básica mais resolutiva.

7 A discussão com especialistas, juntamente com um sistema estruturado de referência e contra-referência conduzem à otimização do atendimento ao paciente, bem como à maior segurança do profissional, que aí encontra apoio técnico e formação teórica. A Telemedicina facilita o processo de feed-back dos encaminhamentos, ao promover não apenas resolução de dúvidas diagnósticas ou terapêuticas referentes a um caso clínico e formulação de segunda opinião, mas também ao realizar disseminação de informações adicionais que levem a condutas mais adequadas.

8 Aspectos dificultadores: Pode empobrecer a relação entre os profissionais, quando o uso da tecnologia passa a constituir uma ameaça para alguns. Surgem conflitos administrativos advindos da resistência a mudanças, muitas vezes devido a temores de aumento da carga de trabalho. Torna-se necessário o treinamento dos profissionais sobre o uso do equipamento, o processo da tele-consulta e a produção de documentos adequados para registros do procedimento e suas conclusões.

9 Telessaúde como ferramenta na atenção primária Esclarecer dúvidas que surgem em qualquer momento do atendimento ao paciente; Propedêutica; Diagnóstico; Terapêutica; Condutas gerais.

10 Buscar atualização sobre patologias mais freqüentes; Agilizar o atendimento, evitando a fila de marcação de consultas especializadas; Iniciar propedêutica ou terapêutica enquanto aguarda consulta especializada, quando o encaminhamento é inevitável; Acompanhar, na unidade básica, o paciente que já vem sendo acompanhado na unidade secundária, visando uniformização de condutas.

11 Conclusões A teleconsultoria contempla o paradigma da estratégia de saúde da família ao possibilitar a manutenção do vínculo entre o paciente e o médico de família; A visão do especialista ajuda a definir a melhor conduta a ser tomada, mas cabe ao médico de família, juntamente com sua equipe, a gestão do projeto terapêutico ; O usuário é beneficiado com a qualificação da atenção e a conveniência de evitar deslocamentos.

12 Teleconsultoria no C. S. Tia Amância (nov a fev. 2007) Nº de teleconsultas realizadas: 23, sendo 16 on-line e 7 off-line. Especialidades solicitadas : Dermatologia: 10 -Úlcera de estase -Úlcera varicosa -Paroníquia resistente em paciente com história de amputação de membro inferior -Acromia atrófica -Ptiriríase versicolor resistente -Estrófulo -Ptiríase rósea -Herpes zooster Endocrinologia: 03 -Cetoacidose diabética -Diabetes melitus: orientações terapêuticas -Diabetes tipo II em paciente jovem

13 Otorrinolaringologia: 03 -Sinusites de repetição -Cistos de retenção seios paranasais -Amigdalite crônica Neurologia: 02 -Sequela de AVC -Paralisia Facial Mastologia: 03 -Nódulo mamário -Calcificações tecido mamário -Galactorréria Reumatologia: 01 - Fibromialgia Cardiologia: 01 - Dor torácica com alteração de ECG

14

15 Necessidade de consulta presencial com o especialista: 3 (Cardiologia, Mastologia, Endocrinologia) Os pacientes encaminhados aos especialistas mantiveram o vínculo e o acompanhamento na unidade (grupos educativos, consultas, visitas domiciliares).

16

17

18

19

20

21

22

23


Carregar ppt "A TELECONSULTORIA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA Maria Teresa A. M. Rabelo Médica de Família e Comunidade C.S.Tia Amância - D.S. Centro-Sul Prefeitura Municipal de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google