A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

V SEMINÁRIO NACIONAL DE SEGURANÇA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE NO BRASIL: CÂNCER RELACIONADO AO TRABALHO SENADO FEDERAL - BRASÍLIA / DF, 30/09/2009 Jófilo Moreira.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "V SEMINÁRIO NACIONAL DE SEGURANÇA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE NO BRASIL: CÂNCER RELACIONADO AO TRABALHO SENADO FEDERAL - BRASÍLIA / DF, 30/09/2009 Jófilo Moreira."— Transcrição da apresentação:

1 V SEMINÁRIO NACIONAL DE SEGURANÇA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE NO BRASIL: CÂNCER RELACIONADO AO TRABALHO SENADO FEDERAL - BRASÍLIA / DF, 30/09/2009 Jófilo Moreira Lima Júnior Diretor Técnico da FUNDACENTRO Patrocínio: Apoio: Palestras e Debates

2 V SEMINÁRIO NACIONAL DE SEGURANÇA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE NO BRASIL: CÂNCER RELACIONADO AO TRABALHO SENADO FEDERAL - BRASÍLIA / DF, 30/09/2009

3 Produção de conhecimentos que contribuam para a promoção da segurança e saúde dos trabalhadores, visando ao desenvolvimento sustentável, com crescimento econômico, eqüidade social e proteção do meio ambiente Missão:

4 Tripartismo: TRABALHADORES GOVERNO EMPRESÁRIOS

5 Causas determinantes: Causas determinantes: Tabagismo; Tabagismo; Consumo; Consumo; Excessivo de álcool; Excessivo de álcool; Obesidade; Obesidade; Exposições ambientais/ocupacionais; Exposições ambientais/ocupacionais; E outros. E outros.

6 International Agency for the Research of Câncer (IARC) International Agency for the Research of Câncer (IARC) 89 substâncias foram classificadas como cancerígenas (Grupo 1), 89 substâncias foram classificadas como cancerígenas (Grupo 1), 64 como prováveis (Grupo 2A) 64 como prováveis (Grupo 2A) 264 como possíveis (Grupo 2B). 264 como possíveis (Grupo 2B). programa de classificação de substâncias ano de 2003

7 Grupos Nº de agentes cancerígenos classificados pelo IARC Nº de agentes considerados como Ocupacionais (Siemiatycki et al, 2004) A2A B International Agency for the Research of Câncer (IARC) International Agency for the Research of Câncer (IARC)

8 Principais cancerígenos ocupacionais AgenteCâncer Agentes Físicos Radiações ionizantes Radiação solar Ósseo, pulmão, outros Pele Poeiras e Fibras Asbesto Sílica Poeiras de madeira Pulmão, Pleura, Peritôneo, Pericárdio, Laringe Pulmão Seios da face Metais Cromo Berílio Cádmio Níquel Pulmão Combustíveis fósseis Benzeno Xisto Medula óssea Pele Monômeros Cloreto de Vinila Fígado Pesticidas Óxido de etileno Dioxina Linfomas Outros Ácidos fortes Laringe

9 Indústrias e Ocupações (algumas) avaliadas pelo IARC como Grupo 1 Indústrias e Ocupações (algumas) avaliadas pelo IARC como Grupo 1 Indústria ou Ocupação Substância suspeitaCâncer Produção de AlumínioAminas aromáticasPulmão, Bexiga Ind. De CalçadosPoeira de couro,Benzeno Leucemia, seios da face Gaseificação de carvãoSolvente aromático, alcatrão Pele, Pulmões, Bexiga MóveisPoeira de madeiraNasal e Seios da Face Fundição de ferro e Aço Solventes aromáticos, Fumos metálicos Pulmão Ind. da BorrachaAminas aromáticas, solventes Bexiga, Laringe, estomago, leucemia, pulmão PintoresVáriasPulmão, bexiga, estomago

10 Dados sobre câncer e ocupação no Brasil estudo caso-controle sobre riscos ocupacionais e câncer de pulmão estudo caso-controle sobre riscos ocupacionais e câncer de pulmão aumento de risco significativo para trabalhadores de produção de máquinas industriais (metalurgia) aumento de risco significativo para trabalhadores de produção de máquinas industriais (metalurgia) trabalhadores da indústria cerâmica e têxtil trabalhadores da indústria cerâmica e têxtil Em 1998, Wunsch e cols

11 Casos de câncer de pulmão e mesotelioma pleural associados ao asbesto já foram descritos na literatura nacional. crescimento dos casos de mesotelioma; crescimento dos casos de mesotelioma; pico epidêmico de mesoteliomas deva ocorrer entre os anos pico epidêmico de mesoteliomas deva ocorrer entre os anos

12 Implementação da Convenção 139 da OIT (Câncer Ocupacional) já ratificada pelo Brasil; Implementação da Convenção 139 da OIT (Câncer Ocupacional) já ratificada pelo Brasil; Ampla divulgação; Ampla divulgação; Implantação de um serviço de vigilância epidemiológica. Implantação de um serviço de vigilância epidemiológica.

13 Eliminação do asbesto Em toda sua cadeia (mineração, beneficiamento, transformação, consumo e resíduos, assim como a sua exportação para outros países) Em toda sua cadeia (mineração, beneficiamento, transformação, consumo e resíduos, assim como a sua exportação para outros países)

14 Prevenção da exposição à sílica: Prevenção da exposição à sílica: As atividades desenvolvidas até o momento visam melhorar a prevenção primária da exposição à sílica, o que certamente contribuirá para a diminuição do risco de câncer na população exposta. As atividades desenvolvidas até o momento visam melhorar a prevenção primária da exposição à sílica, o que certamente contribuirá para a diminuição do risco de câncer na população exposta.

15 Em 2002, o Brasil aderiu ao Programa Global de Eliminação da Silicose da OIT / OMS. de silicose. Em 2002, o Brasil aderiu ao Programa Global de Eliminação da Silicose da OIT / OMS. de silicose. Atualmente, a FUNDACENTRO desenvolve um programa nacional de controle de exposições ocupacionais à sílica em grande número de atividades em que ela pode ser causadora Atualmente, a FUNDACENTRO desenvolve um programa nacional de controle de exposições ocupacionais à sílica em grande número de atividades em que ela pode ser causadora

16 Benzeno:Benzeno: leucemia mieloide aguda, leucemia mieloide aguda, Leucemias Leucemias linfoma não Hodkin linfoma não Hodkin pulmão, etc. pulmão, etc. Critérios rigorosos para o controle da exposição nas indústrias químicas, petroquímicas e siderúrgicas onde não há condição para seu banimento

17 Radiação Solar Radiação Solar Tabagismo Tabagismo

18 Muito Obrigado!


Carregar ppt "V SEMINÁRIO NACIONAL DE SEGURANÇA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE NO BRASIL: CÂNCER RELACIONADO AO TRABALHO SENADO FEDERAL - BRASÍLIA / DF, 30/09/2009 Jófilo Moreira."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google