A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Valores, Planejamento e Gestão Sistêmicos e o Ministério Público Arquivos: F.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Valores, Planejamento e Gestão Sistêmicos e o Ministério Público Arquivos: F."— Transcrição da apresentação:

1 Valores, Planejamento e Gestão Sistêmicos e o Ministério Público Arquivos: F

2 500 mil brasileiros que participaram da pesquisa Brasil Ponto a Ponto, realizada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) responderam a pergunta: O que deve mudar no Brasil para sua vida melhorar de verdade? A maior parte deles apontou o tema valores

3 O que são valores? São Formas de perceber o mundo, e de agir a partir disso

4 Percepção - Através dos cinco sentidos : * Visão * Audição * Olfato * Tato * Paladar Gosto - Não gosto = Ser fica condicionado ao Quero - Não queroexterior - sentidos Busca Poder para Aproximar - gosto/quero Afastar - Não gosto/ Não quero Tenho - Não tenho

5 Visão Cartesiana - Dissocia/Separa: * Espírito - Ciência * Mente - Corpo *Sujeito - Objeto *Meu - Teu = Ciclo dos Extremos v itimizar - Punir Individualismo - Condicionamentos Paradigmas Ofuscam a percepção de conjunto

6 Desenvolver o Pensamento Sistêmico Perceber o sistema como um todo as relações /// as interconexões Para alterar o foco cartesiano, Para romper condicionamentos O que deve ser feito? Des - condicionar Des - envolver

7 O que é um sistema?

8 Source: Regionplane-och trafikkontoret – Martin Ängeby presentation Från problem till system

9 Dicionário Eletrônico Luft Primeira definição de sistema 1. Conjunto de elementos inter- relacionados em vista de uma finalidade;

10 PLANEJAMENTO E GESTÃO SISTÊMICOS Busca: Sustentabilidade/Efetividade Paz – interna e externa Atuar: nas Causas e nas Consequências

11 Quais são as verdadeiras causas do crescente desrespeito à natureza e à dignidade humana, própria e dos demais?

12 Fonte: Revista Nova Escola nº capa

13 Fonte: Zero Hora - 31 de maio de 2009 Foto da Capa: Daniel Marenco

14 As causas tem a ver com valores Sob outro ângulo... Parece que as causas são sistêmicas, ou seja, Decorrem de RELAÇÕES interdependentes e inter- relacionadas entre diversos componentes do HABITAT.

15 Como remediá-las?Como remediá-las? PLANEJAMENTO E GESTÃO SISTÊMICOS Que possibilitam a visão e a integração de recursos multidisciplinares, intersetoriais e transdisciplinares, cujo desempenho podem afetar, positiva ou negativamente, a sociedade como um todo.

16 Fonte:Pensamento Sistêmico – Caderno de Campo – pág.69 - Bookman

17 Fonte: Revista Época - 04 de maio de 2009, pág. 110

18 Fonte: Revista Nova Escola nº pág.82

19 Fonte:

20 Educação - Educere - trazer a luz o conhecimento - tirar de dentro -conduzir para fora os potenciais Des + condicionar Des + envolver

21 FAMÍLIA Foco(s) Prioritário(s) Ex. Crack; Educação; Água; etc. Planejamento e Gestão Sistêmicos (PGS) Integração dos 3 setores e da Comunidade em geral Mapear e Integrar Atender Necessidades Nos 3 eixos de sustentabilidade Necessidades: Fisiológicas; Psicológicas e Autorrealização. Nos 3 eixos de sustentabilidade : Econômico; Social e Ambiental. Integração dos 3 setores: Público; Privado e Sociedade Civil Organizada e da Comunidade em geral Efeitos Públicos Redes de Cooperação Redes de Cooperação DHS Valores EFETIVIDADE SUSTENTABILIDADE PAZ Externa e Interna

22 Na Prática - Atividades Gerais a partir do foco prioritário Integrar Mapear De forma sistêmica

23 Mapear: 1- Necessidades (fisiológicas, psicológicas e que permitam a autorrealização); 2-Possibilidades 3- Atividades + Dos três setores e dos indivíduos da comunidade = (Banco de Dados)

24 Integrar A) Reuniões B) Modelos – Projetos e Indicadores C) Replicação (fóruns, seminários, jornadas, internet, workshop, etc.)

25 Em Rio Grande – Programa Rede Família Foco: crianças e adolescentes institucionalizados e suas famílias Mapear (exemplos). Via processos judiciais - Rede de Abrigagem.. A rede local e ampliada - mapa do capital social

26 Integrar (exemplos). Acompanhamento, orientação, educação e apoio sócio- familiar no contexto local das famílias;. Formação dos agentes comunitários por parte do Rede Família e o CEP-RUA - estabelecidas parcerias com os Conselheiros Tutelares;. Rede de Abrigagem;. Site Resultados (exemplos). Eficácia = diminuição do tempo de permanência de crianças e adolescentes em acolhimento institucional (apesar da expansão portuária). Eficiência = otimização dos recursos (menos papel - mais relação). Efetividade = cultura de atuar em redes de cooperação

27 Rede Família: Prevenção, tratamento e reinserção/repressão à Drogadição crack Mapear. Informações colhidas em reuniões e dados fornecidos pelos parceiros;. Elaboração do cenário com foco nos Bairros Castelo Branco I e II;. Análise do Relatório do Sistema de Informação da Atenção Básica (SIAB);

28 Rede Família: Prevenção, tratamento e reinserção/repressão ao Drogadição crack Integrar (exemplos). Internet - Grupo Virtual Fazendo Frente ao Crack;. PPV - Programa de Prevenção à Violência. Grupo de Trabalho Drogadição - Comitê de Gestão Social (CGS). Sistema de referência e contrarreferência Resultados (exemplos). Seminário - Política Municipal sobre Drogas do Rio Grande. Aumento do atendimento a usuários de crack através do ambulatório de saúde mental, do CENPRE e das comunidades terapêuticas;. Aumento das prisões por tráfico;. Apresentação de projeto

29 Edital da Secretaria de Justi ç a e Desenvolvimento Social

30

31 Comitê de Gestão Social (CGS) Resultados: Aplicação da Política Municipal sobre Drogas Grupo de Trabalho 1 - Prevenção e Pesquisa Grupo de Trabalho 2 - Redução de Danos e Reinserção Social Grupo de Trabalho 3 - Redução da Oferta

32 Comitê de Gestão Social (CGS): Aplicação da Política Municipal sobre Drogas Principais ações executadas/resultados GT-1 Prevenção e Pesquisa Mapeamento e integração de ações e serviços do município - adesão de 27 entidades e serviços até o momento; Construção de um instrumento de mapeamento e disponibilização dos dados em grupo virtual; Início da distribuição de panfletos contra o consumo de álcool e outras drogas por crianças e adolescentes; Criação e ativação de cursos de capacitação para multiplicadores; Planejamento do ciclo de palestras em escolas e outros centros de concentração de jovens - a serem efetivadas a partir do início do ano letivo;

33 Comitê de Gestão Social (CGS): Aplicação da Política Municipal sobre Drogas Principais ações executadas/resultados GT-2 RD e Reinserção Social Inauguração de um Centro de Atenção Psicossocial Infantil (CAPS-I); Inauguração de um Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-AD); Regulação das vagas das comunidades terapêuticas pelo CAPS AD; Conveniamento de cinco comunidades terapêuticas; Conveniamento com o Estado de 20 vagas em leitos hospitalares; Integração total dos órgãos intervenientes;

34 Comitê de Gestão Social (CGS): Aplicação da Política Municipal sobre Drogas Principais ações executadas/resultados GT-2 Redução da Oferta Três operações integradas - com participação dos órgãos de Segurança Pública (Polícia Civil, Brigada Militar e Polícia Federal), Ministério Público, Conselheiros Tutelares, Secretaria Municipal da Fazenda, Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito; Após as operações - avaliações conjuntas e ampla divulgação na imprensa; Motivação extraordinária de entidades e cidadãos - aumento da cooperação; Outras operações integradas programadas para 2010;

35 Em Rio Grande - PGS com foco na Saúde - Otimização da Rede de Fornecimento de Medicamentos 1-Mapear (exemplos) Instituições Participantes: - Coordenador do Comitê de Gestão Social (CGS) - Ministério Público Estadual (promotoria com atribuições na saúde e na infância e juventude) - Secretaria Municipal da Saúde (Secretária, Farmacêutica e corpo técnico) - Defensoria Pública do Estado (defensor com atribuição na infância e juventude, ajuizamento e matéria cível) - Ministério Público Federal (procurador com atribuição na saúde)

36 Instituições Participantes: - Magistratura estadual (juiz com jurisdição na área cível e infância) - Procuradoria do Estado - Procuradoria do Município - Advocacia geral da união - Coordenadoria Regional de Saúde do Estado - Conselho Municipal da Saúde - Conselho Tutelar - Equipe técnica dos abrigos - Coordenador do Programa Rede Família - Associação de caridade Santa Casa do Rio Grande (diretoria e profissionais médicos) - Hospital Universitário Miguel Riet Correa Júnior (diretoria e profissionais médicos) - ASSEDISA (Assoc.dos Secretários e Dirigentes da Saúde) - CACON/UNACON - ESF (Estratégia de Saúde da Família) - Agentes comunitários e Presidentes de Bairros

37 1-Mapear (exemplos) 1.2 Materiais sobre o tema: -ESMPU – Manuais de Atuação Medicamentos excepcionais -Nota técnica relativa a responsabilidade dos gestores do SUS em assistência farmacêutica do Ministério Público Federal -Sistema de referências e contra-referências do CENPRE -Orientação da AGU acerca do cumprimento de decisões judiciais em ações de medicamentos -Subsídios para auxiliar a União em ações judiciais -Nota técnica n.º 746 do Ministério da Saúde -Portarias ministeriais -Lista Municipal de medicamentos básicos -Acordo interinstitucional de cooperação técnica para resolução administrativa de demandas - etc.

38 Em Rio Grande - PGS com foco na Saúde - Otimização da Rede de Fornecimento de Medicamentos 2- Integrar (exemplos) 2.1 – CRITÉRIOS PARA O ATENDIMENTO INICIAL: formulário unificado de justificativa médica para uso de medicamento não padronizado, tanto em âmbito administrativo como judicial; negativa administrativa para o ingresso de demandas judiciais, exceto casos urgentes para os quais basta o protocolo administrativo;

39 2- Integrar (exemplos) 2.1 – CRITÉRIOS PARA O ATENDIMENTO INICIAL : identificar pessoas que ocupam cargos que são referência para o funcionamento do sistema da rede; contatar a pessoa de referência da rede para a solução de determinada situação para agilizar o atendimento; com relação a crianças e adolescentes, quando não houver atendimento do pedido administrativo, o MP ajuíza a ação em favor do menor que não tem familiares e/ou responsáveis e a Defensoria Pública assume o encargo em favor dos demais casos;

40 2- Integrar (exemplos) 2.2 – CRIT É RIOS PARA A JUDICIALIZA Ç ÃO: em se ajuizando a demanda em desfavor do município e estado, preferencialmente efetivar bloqueio judicial, em caso de descumprimento, em desfavor do ente responsável pelo fornecimento do fármaco, segundo listas padronizadas de medicamentos; intimação da concessão da tutela antecipada via fax;

41 2- Integrar (exemplos) 2.2 – CRITÉRIOS PARA A JUDICIALIZAÇÃO: contato com as Farmácias Municipal e Estadual para certificação da não-disponibilidade do fármaco antes do bloqueio de valores; comunicação às Farmácias do fato e do prazo de abrangência do bloqueio, após a concretização do ato; inserção de dados na demanda ( CPF, CNES, CRM ), que possibilitem ao Estado o ressarcimento dos valores despendidos junto à União;

42 Em Rio Grande - PGS com foco na Saúde - Otimização da Rede de Fornecimento de Medicamentos 3 – RESULTADOS JÁ OBTIDOS (EXEMPLOS) 3.1 – organização da rede de atenção à saúde, com foco nos medicamentos; 3.2 redução de cerca de 80% do ajuizamento de demandas judiciais; 3.3 redução do tempo de espera do paciente para o recebimento do remédio;

43 3 – RESULTADOS JÁ OBTIDOS (EXEMPLOS) 3.4 integração dos profissionais afetos à saúde, com a conseqüente redução da burocracia entre a comunicação entre os integrantes da rede; 3.5 redução do número de bloqueios judiciais; 3.6 impossibilidade do cidadão receber o remédio na farmácia pública e obter bloqueio simultâneo, locupletando-se indevidamente;

44 3 – RESULTADOS JÁ OBTIDOS (EXEMPLOS) 3.7 No Estado do RGS - formação de um grupo de trabalho para replicação da metodologia em outros municípios; 3.8 No Estado do RGS – assinatura de termo de cooperação entre o Ministério Público, o Tribunal de Justiça, a Defensoria Pública, a Secretaria de Estado da Saúde, a Procuradoria Regional da União, a Procuradoria-geral do Estado, a Federação das Associações de Municípios e o Conselho Regional de Medicina - para replicação da metodologia de Planejamento e de Gestão Sistêmicos em outros municípios;

45 PGS - No Estado do RGS - Programa de Qualificação em Gestão Pública Mapear. Informações recebidas pelos parceiros:. Famurs.FMP.CDP. Banrisul. Corag Integrar Seminários em todas as regiões funcionais Resultados. Participação de centenas de pessoas;. Solicitação de EAD - Educação à Distância. Pedidos de capacitações de 12 a 16 horas em PGS;.

46 FAMÍLIA CRACK CRACK Planejamento e Gestão Sistêmicos (PGS) Integração dos 3 setores e da Comunidade em geral Mapear e Integrar Atender Necessidades Nos 3 eixos de sustentabilidade Necessidades: Fisiológicas; Psicológicas e Autorrealização. Nos 3 eixos de sustentabilidade : Econômico; Social e Ambiental. Integração dos 3 setores: Público; Privado e Sociedade Civil Organizada e da Comunidade em geral Efeitos Públicos Redes de Cooperação Redes de Cooperação DHSVALORES EFETIVIDADE SUSTENTABILIDADE PAZ Externa e Interna

47 = Paz interna e externa = Efetividade dos Direitos Humanos e do Sistema como um todo (implementação da Agenda Habitat) Então: = DHS Valores

48 Artigo 127 da Constituição Federal 1- interesses individuais indisponíveis = necessidades humanas (definição) 2- Quando alinhados com a missão comum = abrangência e proteção da norma 3- Se alinhados com foco prioritário para atuação = atender (necessidades) com prioridade.

49 Direitos Humanos 1ª Geração = Liberdades Públicas Direitos Individuais, Civis e Políticos 2ª Geração = Direitos Econômicos, Sociais e Culturais 3ª Geração = Direitos Difusos e Coletivos + Direitos de Fraternidade e de Solidariedade

50 Direitos Humanos DIVERGÊNCIAS - sobre a existência das seguintes gerações: 4ª Geração = Direitos dos Povos Novas tecnologias – informática, genética, etc Democracia 5ª Geração = Direito a ter sentimentos e de reconhecer os sentimentos dos outros Direito à paz permanente = Paz interna e externa Valores (Qualidade das relações - Valores - DHS)

51 No mesmo sentido, o par á grafo primeiro da Agenda Habitat para os Munic í pios: realizados por meio da solidariedade e cooperação...Há um senso de grande oportunidade e esperança de que pode ser construído um novo mundo, no qual o desenvolvimento econômico e social e a proteção ambiental, como componentes do desenvolvimento sustentável interdependentes e que se reforçam mutuamente, podem ser realizados por meio da solidariedade e cooperação dentro e entre países através de parcerias eficazes em todos os níveis. (Fonte: Agenda Habitat para Munic í pios/Marlene Fernandes. Rio de Janeiro: IBAM, 2003)

52 Da Prática - Resultados Gerais Na Missão - Consciência da Unidade Na vida - Cooperação Cultura valores Educação Cooperação Qualificada Missão Comum = Paz No ambiente - Ciclo do Equilíbrio - da Harmonia

53 Qual é o sentido da vida? Qual é a nossa missão comum? Parece que o mais importante na vida é a Qualidade das Relações que estabelecemos com nossa consciência e com os seres vivos e objetos com os quais interagimos. Parece mais! Parece que para nós atingirmos a sustentabilidade, a efetividade e a Paz, interna e externa, é necessário que percebamos isso. Rodrigo Arquivos:

54

55 Você vai encontrar a versão estendida nos próximos slides

56 Aprofundando a reflexão … OBS: Os próximos gráficos mostrarão a conexão entre a metodologia de Planejamento e de Gestão Sistêmicos e o Mapa Estratégico do Ministério Público, usando a Metodologia Balanced Scorecard – BSC. Maiores explicações e outros arquivos no endereço eletrônico da Fundação Escola Superior do Ministério Público (FMP)

57 Desenvolvimento de Pessoas Ambiente Organizacional Ser reconhecido como instituição efetiva na transformação da realidade social e protetora dos direitos fundamentais Desenvolver e gerir competências Melhorar a satisfação das pessoas no trabalho Melhorar a estrutura orgânica e a gestão administrativa Produzir e disponibilizar informações para a tomada de decisões Assegurar os recursos orçamentários necessários e qualificar sua gestão Captar recursos extraorçamentários Saúde integral e melhor qualidade de vida Criminalidade e corrupção reduzidas Meio ambiente preservado Criança, adolescente e idoso protegidos Educação de qualidade Impacto Social Sociedade Processos Pessoas e Tecnologia Recursos Valorizar a atividade extrajudicial Atuar em redes de cooperação com os setores público, privado e terceiro setor Intensificar a comunicação do MP com a sociedade Aprimorar o atendimento ao público Proteger o Sistema Único de Saúde Zelar pela regular oferta de programas de proteção da criança, do adolescente e de suas famílias Zelar pela regular oferta dos programas para a execução das medidas socioeducativas Estimular a garantia da qualidade no ensino fundamental Qualificar o enfrentamento do crime organizado e da criminalidade violenta Fiscalizar a execução da sanção criminal com vistas à redução da reincidência Zelar pela regularidade do parcelamento do solo urbano Atuar na prevenção e repressão dos danos ao consumidor Parceira Acessível Racionalizar a atuação como custos legis Aproximação com a sociedade e Parcerias Independente Ética Responsável Atuante Efetiva Eficiência Operacional Foco de atuação Democracia e ordem jurídica garantidas Fortalecer a rede de proteção da pessoa idosa Qualificar o combate à corrupção e à improbidade administrativa Aperfeiçoar a comunicação interna Apoiar alternativas comunitárias de resolução de conflitos Garantir a proteção dos recursos hídricos Mapa Estratégico do Ministério Público RS Gestão Administrativa e Tecnologia Zelar pela inclusão social das comunidades negras e indígenas e das pessoas com deficiência

58

59 A GESTÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO NO PLANEJAMENTO E GESTÃO SISTÊMICOS INTERCONEXÕES Impacto Social Sociedade BSC – Primeiro Processo = Tradução da Visão e da Estratégia - Primeira Perspectiva: Cliente + Segunda Perspectiva = Acionista

60 PGS: GEMP 2022 BSC - Segunda Perspectiva = Acionista/Financeira X Recursos

61 BSC - Terceira Perspectiva - Processo Organizacional Interno

62 PGS GEMP BSC - Quarta perspectiva - Aprendizado e Crescimento/Inovação

63

64 Aprofundando um pouco mais a reflexão … OBS: Os próximos gráficos explicitarão de uma forma mais detalhada a metodologia de Planejamento e de Gestão Sistêmicos através da Metodologia Balanced Scorecard – BSC (usando, de forma circular, um mapa estratégico). Ademais, demonstrarão a sintonia do que foi antes articulado com os seguintes gráficos: ciclo dos extremos, ciclo do equilíbirio/harmonia e implicações biopsicossociais. Maiores explicações e outros arquivos no endereço eletrônico da Fundação Escola Superior do Ministério Público (FMP)

65 RESUMO DOS GRÁFICOS QUE SERÃO APRESENTADOS O Objetivo do Gráfico Planejamento e Gestão Sistêmicos é fomentar a adoção de metodologia que possibilite serem alcançadas a efetividade, a sustentabilidade e a Paz, interna e externa. Levando em consideração que as causas do crescente desrespeito à natureza e à dignidade humana (própria e dos demais), são sistêmicas, ou seja, decorrem de relações interdependentes e interrelacionadas entre diversos componentes do Habitat, preconiza-se a adoção da metodologia de Planejamento e de Gestão Sistêmicos, que possibilita, a partir do(s) foco(s) prioritário(s) escolhido(s) (como, por exemplo, o planejamento familiar, o crack, a gripe H1N1, um alagamento, a construção de uma estrada, etc.) e relevando o contexto familiar, a visão e a integração de recursos multidisciplinares, intersetoriais e transdisciplinares. Assim, pode-se estabelecer o que fazer, como, quem, onde e quando/porque, bem como de que forma mapear e integralizar todos esses componentes. Para isso, é importante que seja percebida a missão comum, a ser concretizada com o atendimento integral das necessidades fisiológicas, psicológicas - segurança, pertencimento e autoestima - e de autorrealização (diferentemente de desejos), gerando impactos proporcionais nos três eixos da sustentabilidade (econômico, social – saúde, educação, cidadania e segurança – e ambiental) e através da cooperação. Desse modo, são produzidos efeitos públicos, agregando valor sustentável às atividades desenvolvidas.

66 RESUMO DOS GRÁFICOS QUE SERÃO APRESENTADOS Essa missão comum, vislumbrada como efeitos públicos, exige e favorece a formação de redes de cooperação para a atuação sistêmica, priorizando a família e permitindo a integração dos três setores (público, privado e sociedade civil organizada) e dos indivíduos da comunidade em geral. Esse contexto, favorece a democracia, participativa e representativa, propiciando o Desenvolvimento Harmônico e Sustentável (DHS) e a sobrevivência de todos os seres vivos. Contudo, para que isso possa ser consolidado, o planejamento e a gestão deverão produzir o pensamento sistêmico, contemplando o mapeamento das necessidades, possibilidades e atividades relacionadas ao(s) foco(s) prioritário(s), com o que se poderá atuar de forma sistêmica. Desse modo, possibilita-se a inclusão das pessoas principalmente naquelas ações nas quais se sentem entusiasmadas, fazem a diferença (slice of heart) na sociedade, sendo, por isso, lembradas, reconhecidas e valorizadas. Assim, os membros da sociedade constatarão que são úteis no contexto maior, o que aumenta a motivação na busca de aperfeiçoamento, gerando sustentabilidade no ambiente interno e externo. Isso propicia a conscientização da corresponsabilidade e a compreensão do binômio dever-direito, despertando a noção de contexto e afastando práticas imediatistas baseadas exclusivamente na punição ou vitimização. Desenvolve, dessa maneira, o perceber e agir (valores) de forma sistêmica.

67 RESUMO DOS GRÁFICOS QUE SERÃO APRESENTADOS Em termos mais amplos, esse contexto permite o acesso a recursos aptos a implementar ações (voluntariado, CAIXA, BNDES - Redes Sociais, etc.), bem como garante o cumprimento de diversos Tratados, Convenções, Pactos e Planos de Ações das várias Conferências das Nações Unidas (Agenda Habitat para Municípios, Convenção Sobre os Direitos da Criança, Plano de Ação da Conferência Mundial de População e Desenvolvimento, etc.). Ademais, como a metodologia de Planejamento e de Gestão Sistêmicos embasa-se em metodologias de gestão reconhecidas internacionalmente e utiliza ferramentas e sistemas de avaliação, pode-se elaborar indicadores de desenvolvimento sistêmico e, até mesmo, um Índice de Desenvolvimento Harmônico e Sustentável (IDHS), transparentes e, portanto, confiáveis. Desse modo, diminui o risco dos investimentos efetivados, o que atrai novos recursos nacionais e internacionais. Assim, desenvolve-se um ciclo de efeitos públicos, ambiente no qual são alcançadas a efetividade e a sustentabilidade. Na verdade, a Paz, interna e externa.

68

69

70

71

72

73

74

75 RESUMO DOS GRÁFICOS QUE SERÃO APRESENTADOS

76

77

78 RESUMO GERAL DOS GRÁFICOS

79

80

81

82

83

84

85

86

87

88 Por que é s o que é s, sentes o que sentes, buscas o que buscas? Qual a contribui ç ão da fam í lia no tra ç ado deste ser? Rodrigo Schoeller de Moraes Arquivos:

89

90

91

92

93

94

95

96

97

98 Qual é o sentido da vida? Qual é a nossa missão comum? Parece que o mais importante na vida é a Qualidade das Relações que estabelecemos com nossa consciência e com os seres vivos e objetos com os quais interagimos. Parece mais! Parece que para nós atingirmos a sustentabilidade, a efetividade e a Paz, interna e externa, é necessário que percebamos isso. Rodrigo Arquivos:


Carregar ppt "Valores, Planejamento e Gestão Sistêmicos e o Ministério Público Arquivos: F."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google