A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FAFICA_10_Unitização de carga no comércio exterior1 10. UNITIZAÇÃO DE CARGA NO COMÉRCIO EXTERIOR DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: SCHNEIDER.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FAFICA_10_Unitização de carga no comércio exterior1 10. UNITIZAÇÃO DE CARGA NO COMÉRCIO EXTERIOR DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: SCHNEIDER."— Transcrição da apresentação:

1 FAFICA_10_Unitização de carga no comércio exterior1 10. UNITIZAÇÃO DE CARGA NO COMÉRCIO EXTERIOR DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: SCHNEIDER & Associados. Logística e Transportes Internacionais. Recife, SILVA, Luiz Augusto Tagliacollo. Logística no Comércio Exterior. São Paulo: Aduaneiras, SILVA, Luiz Augusto Tagliacollo. Logística no Comércio Exterior. São Paulo: Aduaneiras, SOUZA, José Meireles de Sousa. Gestão do Comércio Exterior Exportação/Importação. São Paulo: Saraiva, SOUZA, José Meireles de Sousa. Gestão do Comércio Exterior Exportação/Importação. São Paulo: Saraiva, LUDOVICO, Nelson. Logística Internacional. São Paulo: Saraiva, LUDOVICO, Nelson. Logística Internacional. São Paulo: Saraiva, SEGRE, German. Manual Prático de Comércio Exterior. São Paulo: Atlas, SEGRE, German. Manual Prático de Comércio Exterior. São Paulo: Atlas, SOSA, Roosevelt Baldomir. Glossário de Aduana e Comércio Exterior. São Paulo: Aduanas, SOSA, Roosevelt Baldomir. Glossário de Aduana e Comércio Exterior. São Paulo: Aduanas,

2 Unitização (definição) A unitização diz respeito às variedades quanto à forma e material aplicados na embalagem, com o objetivo de simplificar, ajustar, reduzir, segurar, facilitar, diminuir custos, preparar, conservar produtos na cadeia logística de escoamento de mercadorias até seu destino final. Em outras palavras, reunir mercadorias da melhor forma possível para saída, transporte e chegada junto ao importador. de carga no comércio exterior2

3 Responsabilidades na unitização Como importador é de responsabilidade do exportador as providências de unitização. Como importador é de responsabilidade do exportador as providências de unitização. Os custos fazem parte do preço ajustado entre as partes. Os custos fazem parte do preço ajustado entre as partes. O exportador é quem tem competência técnica para definir o melhor meio de unitização. O exportador é quem tem competência técnica para definir o melhor meio de unitização. O exportador deve informar ao importador como se apresenta a mercadoria fisicamente para manuseio e transporte, e ao informado cabe receber nas condições pactuadas. O exportador deve informar ao importador como se apresenta a mercadoria fisicamente para manuseio e transporte, e ao informado cabe receber nas condições pactuadas. de carga no comércio exterior3

4 Tipos de unitização PALETES – estrados de madeira onde são depositados os volumes. LINGAGEM – fitas, cordas e outros, de diferentes materiais, para amarração e envolvimento dos volumes. CONTAINERS – cofres de aço apresentados sob vários tipos e dimensões nos quais são acondicionados os volumes. de carga no comércio exterior4

5 Paletes O palete (ou pallet em inglês) é o unitizador empregado para a união das mercadorias na paletização. Existem paletes dos mais diversos materiais e dimensões, sendo que os mesmos são criados tendo em mente o princípio da adequação ao uso: para aviação são leves – de alumínio; para aviação são leves – de alumínio; para a indústria metal-mecânica mais robustos; para a indústria metal-mecânica mais robustos; para a alimentícia, de bebidas e farmacêutica – de plásticos; para a alimentícia, de bebidas e farmacêutica – de plásticos; para as mais diversas configurações. para as mais diversas configurações. de carga no comércio exterior5

6 Tipos de paletes. de carga no comércio exterior6

7 Tipos de paletes. de carga no comércio exterior7

8 Exemplos de lingagem. de carga no comércio exterior8

9 Exemplo de lingagem. de carga no comércio exterior9

10 Contêiner O outro unitizador mais empregado é o contêiner (container em inglês). O contêiner tem sua origem na década de 50 e já, em 1956, a empresa de navegação Sealand fez o primeiro transporte de contêiner, embarcando em um navio, 58 unidades. Em 1957, tem-se notícia do início de operação do que pode ser chamado o primeiro navio porta-contêiner com capacidade para 226 unidades. de carga no comércio exterior10

11 Contêiner Especialmente e, principalmente, utilizado no transporte marítimo, o contêiner é um recipiente construído em aço, alumínio ou fibra, criado para o transporte unitizado de mercadorias e suficientemente forte para resistir ao uso repetitivo. Normalmente é fabricado em dois tamanhos: 20 pés (6 metros) e 40 pés (12 metros). Existem contêineres para todos os tipos de cargas possíveis: carga sólida – de diversos tipos e tamanhos, gasosa, líquidos, carga viva. de carga no comércio exterior11

12 Contêiner A seu reboque veio o desenvolvimento de navios especializados, bem como equipamentos nos portos (empilhadeira, guindaste, portainer, transtainer entre outros) que permitiram, com o passar do tempo, cada vez mais aumentar o volume de movimentações em terra – com operações seguras, associado à redução de custos operacionais e ao aumento da confiabilidade que fazem com que o comércio entre as nações seja impensável sem tal equipamento – sua majestade, o contêiner. de carga no comércio exterior12

13 Tipos de containers. de carga no comércio exterior13

14 Tipos de containers. de carga no comércio exterior14

15 Tipos de containers. de carga no comércio exterior15

16 Tipos de etiquetas para o transporte de produtos perigosos. de carga no comércio exterior16

17 Tipos de etiquetas para o transporte de produtos perigosos. de carga no comércio exterior17

18 Embalagem (funções e categorias) FUNÇÕES:AglutinadoraProtetoraMercadológicaCATEGORIAS: Embalagens primárias Embalagens secundárias de carga no comércio exterior18

19 Exemplos de embalagens. de carga no comércio exterior19

20 Marcas e símbolos para os acondicionamentos de transporte. de carga no comércio exterior20

21 Marcas e símbolos para os acondicionamentos de transporte. de carga no comércio exterior21

22 Fatores a considerar no dimensionamento da embalagem Produto Produto Modal de transporte Modal de transporte Distância Distância Quantidade de manuseios Quantidade de manuseios Tipo de manipulação Tipo de manipulação Condições do transporte Condições do transporte Condições para suportar o transporte da mercadoria Condições para suportar o transporte da mercadoria Barreiras contra luz, umidade ou calor (proteção) Barreiras contra luz, umidade ou calor (proteção) Fácil locomoção e armazenagem (quadrado) Fácil locomoção e armazenagem (quadrado) Otimização no transporte (minimizar custo na entrega) Otimização no transporte (minimizar custo na entrega) Atrativo no ponto de venda, maximizar a venda. Atrativo no ponto de venda, maximizar a venda. de carga no comércio exterior22

23 Fatores a considerar nas embalagens do comércio exterior Exigências do país importador Exigências do país importador Idioma Idioma Normas ambientais Normas ambientais Costumes Costumes de carga no comércio exterior23

24 Unitização de cargas - conceito UNITIZAR é reunir (cargas de diversas naturezas) num só volume, para fins de transporte. Para fins econômicos, a unitização auxilia a movimentação, armazenagem e transporte de produtos, fazendo com que a transferência, do ponto de origem até o seu destino final seja com o mínimo de manuseio possível. de carga no comércio exterior24

25 Unitização de cargas - conceito Dentro do conceito de unitização de cargas, inclusive porque os modais cada vez mais requerem este procedimento, várias são as vantagens resultantes, como: Redução da quantidade de volumes a manipulados; Menor número de manuseio da carga; Menor utilização do uso de mecanização; Redução no tempo de operação de embarque e desembarque; Redução dos custos de embarque e desembarque. Redução de custo com embalagens; Diminuição das avarias e roubos de mercadorias; Incentivo da aplicação do sistema door-to-door (porta a porta); Padronização internacional dos recipientes de unitização. de carga no comércio exterior25

26 Vantagens da unitização no aéreo A unitização de cargas possibilita um aproveitamento mais eficiente da capacidade das aeronaves. VANTAGENS: facilidade no manuseio da carga, pois o número de volumes soltos é reduzido; facilidade no manuseio da carga, pois o número de volumes soltos é reduzido; minimização dos riscos de furtos e de danos à carga por exposição às intempéries e pelo próprio manuseio dos volumes; minimização dos riscos de furtos e de danos à carga por exposição às intempéries e pelo próprio manuseio dos volumes; redução de fretes para o usuário, já que a carga consolidada pode ser tarifada em uma faixa superior de peso. redução de fretes para o usuário, já que a carga consolidada pode ser tarifada em uma faixa superior de peso. de carga no comércio exterior26

27 Equipamento de Unitização de Carga no modal aéreo (Unit Load Device – ULD) É qualquer tipo de pallet ou container, utilizados no transporte aéreo, que distinguem-se em formatos e tamanhos. Os ULDs poderão pertencer aos transportadores, aos embarcadores, ou a empresas de leasing. Quando pertencentes às aeronaves (Aircraft ULDs), encaixam-se perfeitamente às medidas do avião, otimizando a utilização de espaço. Quando não pertencem às aeronaves (Non-Aircraft ULDs), deverão seguir as especificações técnicas da IATA, objetivando uma melhor adaptação aos aviões. de carga no comércio exterior27


Carregar ppt "FAFICA_10_Unitização de carga no comércio exterior1 10. UNITIZAÇÃO DE CARGA NO COMÉRCIO EXTERIOR DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: SCHNEIDER."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google