A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 CONTABILIDADE RURAL - TÉCNICAS CONTÁBEIS - PROFA. SONIA SEGATTI.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 CONTABILIDADE RURAL - TÉCNICAS CONTÁBEIS - PROFA. SONIA SEGATTI."— Transcrição da apresentação:

1 1 CONTABILIDADE RURAL - TÉCNICAS CONTÁBEIS - PROFA. SONIA SEGATTI

2 2 PRODUÇÃO ANIMAL PRODUÇÃO ANIMAL PRODUÇÃO VEGETAL PRODUÇÃO VEGETAL AGROINDÚSTRIAS COMPOSIÇÃO DO AGRONEGÓCIO

3 3 PRODUÇÃO VEGETAL CULTURA TEMPORÁRIA Milho Soja Feijão CULTURA TEMPORÁRIA Milho Soja Feijão CULTURA PERMANENTE Seringueira Café Cana-de-Açúcar CULTURA PERMANENTE Seringueira Café Cana-de-Açúcar

4 4 PRODUÇÃO ANIMAL Pecuária-Grandes Animais Bovinos Suínos Caprinos Equinos Pecuária-Grandes Animais Bovinos Suínos Caprinos Equinos Pequenos Animais Apicultura Avicultura Psicultura Ranicultura Pequenos Animais Apicultura Avicultura Psicultura Ranicultura

5 5 INDÚSTRIAS RURAIS BENEFICIAMENTO Arroz Café Milho BENEFICIAMENTO Arroz Café Milho TRANSFORMAÇÃO ZOOTÉCNICA Laticínios Frigoríficos Casulos de seda Mel TRANSFORMAÇÃO ZOOTÉCNICA Laticínios Frigoríficos Casulos de seda Mel TRANSFORMAÇÃO AGRÍCOLA Usinas de Álcool e Açúcar Indústria de Óleo Indústria de Suco TRANSFORMAÇÃO AGRÍCOLA Usinas de Álcool e Açúcar Indústria de Óleo Indústria de Suco

6 6 25% DO VALOR DA PRODUÇÃO BRASILEIRA; 37% DO TOTAL DOS EMPREGOS NO PAÍS; 42% DAS EXPORTAÇÕES EM 2003 – US$ 30,7 bi; US$ 25,9 BILHÕES DE SUPERÁVIT EXTERNO 25% DO VALOR DA PRODUÇÃO BRASILEIRA; 37% DO TOTAL DOS EMPREGOS NO PAÍS; 42% DAS EXPORTAÇÕES EM 2003 – US$ 30,7 bi; US$ 25,9 BILHÕES DE SUPERÁVIT EXTERNO Fonte: ABAG – Associação Brasileira de Agronegócios O PESO DO AGRONEGÓCIO NO BRASIL

7 7 METAS DE CRESCIMENTO ATÉ 2010 (CONGRESSO BRASILEIRO DE AGRIBUSINESS – JUN/2003) METAS DE CRESCIMENTO ATÉ 2010 (CONGRESSO BRASILEIRO DE AGRIBUSINESS – JUN/2003) 3,9% aa DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA- EM 2003=6% PRODUÇÃO DE 142 MILHÕES/TON.GRÃOS-EM 2003=122,2 T A PRODUÇÃO CHEGARÁ A US$ 53,9 BILHÕES (US$ 30,7 NA AGRICULTURA E US$ 23,2 NA PECUÁRIA) US$ 28 BILHÕES DE SUPERÁVIT NA BALANÇA COML EM 2004, COM CRESCIMENTO DE 4,3% aa NAS EXPORTAÇÕES CRESCIMENTO DE 5,7% DA RENDA PER CAPITA NO CAMPO (2,1% NO SETOR URBANO) 3,9% aa DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA- EM 2003=6% PRODUÇÃO DE 142 MILHÕES/TON.GRÃOS-EM 2003=122,2 T A PRODUÇÃO CHEGARÁ A US$ 53,9 BILHÕES (US$ 30,7 NA AGRICULTURA E US$ 23,2 NA PECUÁRIA) US$ 28 BILHÕES DE SUPERÁVIT NA BALANÇA COML EM 2004, COM CRESCIMENTO DE 4,3% aa NAS EXPORTAÇÕES CRESCIMENTO DE 5,7% DA RENDA PER CAPITA NO CAMPO (2,1% NO SETOR URBANO)

8 8 AGRIBUSINESS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS 1. DEPENDÊNCIA DO CLIMA 2. DEPENDÊNCIA DAS CONDIÇÕES BIOLÓGICAS 3. TRABALHO DISPERSO E AO AR LIVRE 4. INCIDÊNCIA DE RISCOS (CLIMÁTICOS, PRAGAS, MOLÉSTICAS, PLANOS GOVERNAMENTAIS)

9 9 Regra Geral Término do exercício social, encerramento em 31/12 ? -Empresas = têm receita e despesa constantes durante todos meses do ano. -Opção para o mês de dezembro: redução ou até interrupção da atividade operacional, férias coletivas, condições mais adequadas para o inventário das mercadorias. J.C.Marion Ano Agrícola x Exercício Social

10 10 -Na atividade agrícola a receita concentra-se, normalmente, durante ou logo após a colheita. -A produção agrícola, essencialmente sazonal, concentra-se em determinado período. -Ao término da colheita e, quase sempre, da comercialização dessa colheita, temos o encerramento do ano agrícola é o período em que se planta, colhe e, normalmente, comercializa a safra agrícola. -Não existe melhor momento para medir o resultado do período, senão logo após a colheita e sua respectiva comercialização. J.C.Marion Atividade Agrícola

11 11 Forma Jurídica de Exploração Ltda S.A./Ltda Arrendamento Comodato Condomínio Parceria 01 proprietário Diversos proprietários J.C.Marion

12 12 Forma Societária/Organização D = 10% C = 04% B = 30% A = 18% E = 34% F = 04% A - Firma Individual 18% B - Sociedade Familiar [ marido e/ou esposa e/ou filhos (s) 1 30% C - Sociedade Limitada 04% D - Sociedade S [ acionistas declaram sua parte separadamente ] 10% E - Sociedade Anônima fechada 34% F - Outros tipos de societários 04% J.C.Marion

13 13 Depreciação na Agropecuária Reduções de SentidoContabilidade Ativo FixoGenérico Rural Amortização No sentido amplo ( qualquer ativo fixo de duração limitada Depreciação Bens Tangíveis Exaustão Recursos Naturais Exauríveis Amortização Recursos Naturais (Sentido Restrito) Bens Intangíveis Depreciação Culturas Permanentes que serão extraídos frutos Exaustão Culturas Permanentes ceifadas, seus recursos são esgotáveis Reflorestamento, cana-de-açucar, pastagem Amortização Aquisição de direitos sobre empreendimentos de propriedades de terceiros Contrato para exploração Patentes J.C.Marion

14 14 Depreciação de Trator Valor do equipamento * * Número estimado de horas de trabalho = $ Depreciação p / hora Depreciação = Valor do trator horas (9.000 horas - esteira) = $ Manutenção e reparos (para não sobrecarregar as culturas específicas, recomenda-se estimar esse dado). Dados aproximados Trator Pneus: 1,0 x 1 hora de depreciação Esteira: 0,8 x 1 hora de depreciação = $ por hora Combustível - nº de litros por hora x $ ----por litro = $ Outros custos indiretos (lubrificação, seguro, depreciação da oficina...). Calcula-se um percentual sobre a depreciação ou a soma dos custos até o momento Salário por hora do tratorista + encargos sociais Total do custo por hora = $ J.C.Marion

15 15 Depreciação Touros / Matrizes CrescimentoPeríodo Depreciável Venda ao Frigorifico Agrega ao Ativo Imobilizado Ano Ano Ano Ano Ano Ano Ano De Acordo com o Veterinário Valor residual Nascimento 1ª Monta 1ª Prenhez Descarte Apuração de Resultado Depreciação do 1º ano Valor Contábil $ (-) Valor residual$ (1.000) Valor Depreciavel$ Taxa de Depreciação x 10% Depreciação$ 400 Ativo Permanente Imobilizado Touro (-) Deprec. Acumulada (400) Valor Líquido J.C.Marion

16 16 Tipos de atividade pecuária Existem três fases distintas, na atividade pecuária de corte, pelas quais passa o animal que se destina ao abate: a) Cria: a atividade básica é a produção de bezerros que só serão vendidos após o desmame. Normalmente, a matriz (de boa fertilidade) produz um bezerro por ano. b) Recria: a atividade básica é, a partir do bezerro adquirido, a produção e a venda do novilho magro para engorda. c) Engorda: a atividade básica é, a partir do novilho magro adquirido, a produção e a venda do novilho gordo. Há empresas que, pelo processo de combinação das várias fases, obtêm até seis alternativas de produção (especializações): cria; recria; cria-recria; cria-recria-engorda; recria-engorda; engorda. J.C.Marion

17 17 Plano de Contas Balanço patrimonial 1 ATIVO 1.1 Ativo Circulante Disponível Clientes e títulos Estoques vivos Bezerros de 0 a 12 meses Bezerros de 0 a 12 meses Novilhos de 13 a 24 meses Novilhos de 13 a 24 meses Novilhos de 25 a 36 meses Novilhos acima de 37 meses Novilhas acima de 25 meses ( em experimentação) Garrotes (tourinhos) acima de 25 meses (em experimentação) J.C.Marion

18 18

19 19 Plano de Contas Balanço patrimonial 1 ATIVO 1.3 Permanente Investimentos Imobilizado Terras Rebanhos Reprodutores Matrizes Cultura Permanente Formada – Café – Seringueira Cultura Permanente em Formação – Café Laranja Pastagens Pastagens em formação Pastagens artificiais formada Pastagens naturais formadas J.C.Marion

20 20

21 21

22 22 Demonstração do resultado do exercício 4. Receita Bruta 4.1 Receita do gado bovino Venda do gado bovino Variação Patrimonial Líquida (a ser utilizada no método de valor de mercado) 4.2 Outros Receitas Leite Custo/Despesa/Deduções 5.1 Custo do gado vendido (método de custo) 5.2 Custo de rebanho no período (método de valor de mercado) 5.3 Despesas operacionais e outros itens J.C.Marion

23 23 Método de Custo O método de custo assemelha-se a uma empresa industrial: todo o custo da formação do rebanho é acumulado ao plantel e destacado no estoque. Por ocasião da venda do plantel, dá-se baixa no estoque, debitando-se o Custo do Gado Vendido. Portanto, a apuração do lucro será no momento da venda. Balanço Patrimonial Demonstração do Resultado do exercício Ativo Circulante Estoque Plantel (Preço Real de Custo) XXXXX Custo de formação de rebanho XXXXX Receita Bruta Venda Gado Vendido (-) Custo de Gado vendido (-----) Na venda J.C.Marion

24 24 Método a valor de mercado O método a valor de mercado considera o preço de mercado do plantel, normalmente maior que o custo. Reconhece o ganho econômico periodicamente ( uma vez por ano), em virtude do crescimento natural do rebanho. O gado fica destacado na conta Estoque pelo seu valor de mercado (e não de custo), e no resultado é reconhecido o ganho econômico do período, ou seja, a diferença a maior do valor de mercado atual sobre o valor no período anterior. Denomina-se ganho econômico, uma vez que não houve entrada de dinheiro, mas valorização do plantel. No ano seguinte, o rebanho será avaliado com o novo preço no mercado. O acréscimo no preço de mercado de um ano para outro será adicionado no Estoque creditado como Variação Patrimonial Líquida (Superveniências Ativas). Da Variação Patrimonial Líquida será subtraído o custo do rebanho no período para se apurar o novo lucro econômico. J.C.Marion

25 25 J.C.Marion Exemplo simples diferenciando ambos os métodos No início de 20x1 A Fazenda Modelo possui em seu estoque, 10 cabeças de gado registradas a $ 900, totalizando $ Durante o ano de 20x1 nada se vendeu, nada se comprou em termos de plantel bovino. Constatou-se durante esse ano um custo de manutenção do rebanho de $ O valor de mercado de cada cabeça no final do ano era de $ 2.100, totalizando $ Método de custo Método a valor de Mercado Balanço Patrimonial DRE Balanço Patrimonial DRE Ativo Circulante Estoque (plantel) Custo Acumul Nada se registra, pois não houve venda do gado; portanto, não se apura o resultado Ativo Circulante Estoque (plantel) Custo Acumul Ativo Circulante Estoque (Líquidas C. Prod.... (10.600) L. Econô- mico O crescimento biológico e o ganho de peso não são reconhecidos como ganho econômico. Reconhece o ganho econômico mostrando aos usuários que valeu a pena manter o rebanho no ano, já que já trouxe lucro econômico para a empresa Slides/Transparências Rogers tel.: ramal 112

26 26 CAIXA ATIVIDADE RURAL – IN.SRF.383/04 Ultrapassado o limite de R$56.000,00 a escrituração do livro Caixa é obrigatória, O livro Caixa independe de registro ou autenticação em qualquer órgão, A Atividade Exercida no Brasil e no Exterior, A escrituração do livro Caixa deve ser baseada em documentos que comprovem tanto a receita quanto as despesas, O resultado da atividade rural produzido em bens comuns ao casal, em decorrência do regime de casamento, deve ser apurado e tributado pelos cônjuges relativamente à sua parte, Não são consideradas como receitas da atividade rural: a)aluguel ou arrendamento de imóvel rural, pastos ou máquinas e instrumentos agrícolas, b)prestação de serviços de transporte de produtos de terceiros, c)compra e venda de rebanho com permanência em poder do contribuinte por prazo inferior a 52 dias, quando em regime de confinamento, ou 138 dias, nos demais casos,

27 27 Serão escriturados os rendimentos recebidos individualmente, em parceria rural ou em condomínio, relativamente à exploração das seguintes atividades: a) criação, recriação ou engorda de animais de qualquer espécie; b) cultura do solo, seja qual for a natureza do produto cultivado; c) apicultura, avicultura, cunicultura, piscicultura, sericicultura, ou quaisquer outras culturas animais inclusive da captura e venda in natura de pescado; d) indústrias extrativas animal e vegetal; e) transformação de produtos agrícolas ou pecuários, sem que sejam alteradas a composição e as características do produto in natura (exemplo: transformar grãos em farinha ou farelo; pasteurização e o acondicionamento do leite de produção própria, transformação do leite em queijo, manteiga ou requeijão; produção de suco de laranja acondicionado em embalagem de apresentação; frutas em doces etc.), quando feita pelo próprio agricultor ou criador e seus familiares e empregados, dentro do imóvel rural, com equipamentos e utensílios usualmente empregados nas atividades agropastoris, utilizando exclusivamente matéria-prima produzida na propriedade rural explorada.

28 28 Exemplo 1: Faturamento de $ ,00 proveniente da venda de bois para abate, distribuído por todos os meses do ano 20x3. Descrição P.FÍSICAP.JURÍDICA %Valor%Valor Cofins--3% PIS--0,65% Funrural2,3% * ,85% CSLL--1,08% ** I.Renda4,99% *** ,2%**** Total ,29% ,78% * O Funrural na P.Física incide somente na venda do gado para abate ou venda para consumidor final, quando animais de trabalho como eqüinos. ** A CSLL na atividade rural é tributada em 9% sobre a base de cálculo de 12%. *** O I.Renda P.Física é tributado neste caso em 27,5% sobre a base de cálculo de 20%, deduzido a parcela de $ 5.076,90. **** O I.Renda P.Jurídica na atividade rural é tributado em 15% sobre a base de cálculo de 8%. P. FÍSICA X P.JURÍDICA

29 29 O Senhor é mais poderoso que as crises, do que o desemprego, do que a enfermidade, do que qualquer tipo de problema. Mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão(Isaias, 40:31).

30 30 LIVROS PROPOSTOS: 1. Contabilidade Rural – José Carlos Marion – Ed. Atla 2. Contabilidade da Pecuária – José Carlos Marion – Ed. 3. Adm. Custos na Agropecuária – Gilberto J.Santos, J.C.Marion e Sonia Segatti CONSAGRO CONTABILIDADE RURAL LTDA Sonia Segatti. Fones: (18) e / Dracena-SP.


Carregar ppt "1 CONTABILIDADE RURAL - TÉCNICAS CONTÁBEIS - PROFA. SONIA SEGATTI."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google