A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA - LICENCIATURA ALUNA: Cristina Prange Teixeira ORIENTADORA: Profª Drª

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA - LICENCIATURA ALUNA: Cristina Prange Teixeira ORIENTADORA: Profª Drª"— Transcrição da apresentação:

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA - LICENCIATURA ALUNA: Cristina Prange Teixeira ORIENTADORA: Profª Drª Tania Beatriz Iwaszko Marques Porto Alegre, 02 de junho de 2008

2 DA EDUCAÇÃO INFANTIL PARA AS SÉRIES INICIAIS: preparação da turma para um novo processo de adaptação

3 ESCOLHA DO TEMA: A partir de uma experiência de docência vivenciada com uma turma de Nível B, passei a refletir sobre como a escola pode colaborar na preparação emocional das crianças para a saída da Educação Infantil e sua inserção no contexto das Séries Iniciais

4 FORMA DE ESTUDO Pesquisa bibliográfica Pesquisa bibliográfica Análise de registros feitos pelo Setor de Psicologia da escola Análise de registros feitos pelo Setor de Psicologia da escola Consulta aos diários de classe Consulta aos diários de classe

5 OBJETIVOS: O trabalho busca analisar os relatos e descrições das atividades desenvolvidas com o grupo de crianças do Nível B e com o grupo de pais, preparando-os emocionalmente para a saída da escola O trabalho busca analisar os relatos e descrições das atividades desenvolvidas com o grupo de crianças do Nível B e com o grupo de pais, preparando-os emocionalmente para a saída da escola Refletir sobre os mecanismos de frustração e resiliência no processo de adaptação Refletir sobre os mecanismos de frustração e resiliência no processo de adaptação Pensar sobre o papel dos educadores de Nível B Pensar sobre o papel dos educadores de Nível B

6 PALAVRAS CHAVES: Adaptação escolar Adaptação escolar Educação Infantil Educação Infantil Psicologia da criança Psicologia da criança

7 REFERENCIAL TEÓRICO conceito de adaptação - Novaes (1975) conceito de adaptação - Novaes (1975) elaboração de lutos, conceitos de frustração e de resiliência – Cintra (2001); Rutter, Grotberg, Brazelton, Kotliarenco (apud Pizarro, 2004); elaboração de lutos, conceitos de frustração e de resiliência – Cintra (2001); Rutter, Grotberg, Brazelton, Kotliarenco (apud Pizarro, 2004); conceito de adaptação escolar – Henriques (1987); Petry (1998); Prietsch (2006) conceito de adaptação escolar – Henriques (1987); Petry (1998); Prietsch (2006) papel dos educadores de Nível B – Henriques (1987) papel dos educadores de Nível B – Henriques (1987)

8 COMO FOI FEITO: Contexto da escola e do grupo de crianças; Contexto da escola e do grupo de crianças; Descrição das atividades: Descrição das atividades: - Desenho das expectativas pais e crianças; - Desenho das expectativas pais e crianças; - Sociograma; - Desenho do melhor amigo; - Eu te amo porque... - Visita à Escola Grande - Psicodrama e Imitando o colega - Linha do tempo e construção da história da turma

9 FOTO ILUSTRATIVA DA ATIVIDADE SOCIOGRAMA

10 ALGUMAS REFLEXÕES As atividades desenvolvidas foram significativas para este grupo. As atividades desenvolvidas foram significativas para este grupo. Não existe uma receita pronta de como fazer este trabalho. Depende das necessidades de cada grupo. Não existe uma receita pronta de como fazer este trabalho. Depende das necessidades de cada grupo. A intenção de estar disponível, de escutar e de lançar um olhar sobre as crianças de nível B e suas respectivas famílias constitui o principal objetivo para que a escola possa auxiliar no processo de saída da escola. A intenção de estar disponível, de escutar e de lançar um olhar sobre as crianças de nível B e suas respectivas famílias constitui o principal objetivo para que a escola possa auxiliar no processo de saída da escola.

11 CONSIDERAÇÕES FINAIS Cada vez mais, percebemos famílias desamparadas de escuta e elas podem encontrar na escola um espaço para a escuta de suas angústias. Cada vez mais, percebemos famílias desamparadas de escuta e elas podem encontrar na escola um espaço para a escuta de suas angústias. São poucas as escolas que têm este olhar sobre a turma de nível B, caso não sejam preparados para tal transição, as crianças e seus pais podem sair desta etapa de escolarização com muitos medos, fantasias e expectativas. São poucas as escolas que têm este olhar sobre a turma de nível B, caso não sejam preparados para tal transição, as crianças e seus pais podem sair desta etapa de escolarização com muitos medos, fantasias e expectativas.

12 REFERÊNCIAS: CINTRA, Eneida Souza. A benéfica presença da frustração em nossas vidas. Revista Psicopedagogia. São Paulo: v.19 nº 56 out CINTRA, Eneida Souza. A benéfica presença da frustração em nossas vidas. Revista Psicopedagogia. São Paulo: v.19 nº 56 out HENRIQUES, Lisete Annes. O período de adaptação na pré-escola em um enfoque psicopedagógico. In: Scoz, B et.al. Psicopedagogia: o caráter interdisciplinar na formação e atuação profissional. Porto Alegre: Artes Médicas, HENRIQUES, Lisete Annes. O período de adaptação na pré-escola em um enfoque psicopedagógico. In: Scoz, B et.al. Psicopedagogia: o caráter interdisciplinar na formação e atuação profissional. Porto Alegre: Artes Médicas, NOVAES, Maria Helena. Adaptação escolar: diagnóstico e orientação. Petrópolis: Vozes, NOVAES, Maria Helena. Adaptação escolar: diagnóstico e orientação. Petrópolis: Vozes, PRIETSCH, Fernanda Loureiro. Trabalho de conclusão de estágio módulo II supervisionado em psicologia escolar apresentado na PUC em novembro de 2006 (digitado). PRIETSCH, Fernanda Loureiro. Trabalho de conclusão de estágio módulo II supervisionado em psicologia escolar apresentado na PUC em novembro de 2006 (digitado). PETRY, Arlete dos Santos. Adaptação escolar: ações a serem realizadas para receber a criança na escola. Revista do Professor. Porto Alegre: v.14 nº 53 p jan/mar PETRY, Arlete dos Santos. Adaptação escolar: ações a serem realizadas para receber a criança na escola. Revista do Professor. Porto Alegre: v.14 nº 53 p jan/mar

13 REFERÊNCIAS: PIZARRO, Maria Antônia Pinto. Escola x resiliência – amor ou compromisso? Revista Espaços da Escola. Unijuí: v.14 nº 51/52 p jan/abr, maio/ago PIZARRO, Maria Antônia Pinto. Escola x resiliência – amor ou compromisso? Revista Espaços da Escola. Unijuí: v.14 nº 51/52 p jan/abr, maio/ago SILVA, Regina Helena Pranke da. Entrada na escola: procedimentos que facilitam a adaptação. Revista do Professor. Porto Alegre: v.10 nº 38 p abr/jun SILVA, Regina Helena Pranke da. Entrada na escola: procedimentos que facilitam a adaptação. Revista do Professor. Porto Alegre: v.10 nº 38 p abr/jun SOLER, Reinaldo. Jogos Cooperativos para Educação Infantil. Rio de Janeiro: Sprint, SOLER, Reinaldo. Jogos Cooperativos para Educação Infantil. Rio de Janeiro: Sprint, YUNES, Maria Ângela Mattar. Psicologia positiva e resilência: o foco no indivíduo e na família. Psicol. estud. Vol 8 no. esp Maringá acessado em 16 de junho de YUNES, Maria Ângela Mattar. Psicologia positiva e resilência: o foco no indivíduo e na família. Psicol. estud. Vol 8 no. esp Maringá acessado em 16 de junho de


Carregar ppt "UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA - LICENCIATURA ALUNA: Cristina Prange Teixeira ORIENTADORA: Profª Drª"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google