A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Rádio na Educação Profa. Roseane Andrelo. Por que inserir o rádio na educação?

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Rádio na Educação Profa. Roseane Andrelo. Por que inserir o rádio na educação?"— Transcrição da apresentação:

1 O Rádio na Educação Profa. Roseane Andrelo

2 Por que inserir o rádio na educação?

3 Vantagens - Abertura do espaço escolar ao que acontece no meio em que estão inseridos: seja ao levar trechos de programas jornalísticos ou, principalmente, ao permitir que os alunos produzam um radiojornal. Afinal, entre os assuntos escolhidos para serem trabalhados estão aqueles ligados diretamente à escola, mas também outros do bairro onde moram ou mesmo da cidade, Estado ou País;

4 Vantagens - Exercício de cidadania: os alunos vão se informar sobre o que acontece no mundo e também discutirão a relevância de aborda-los na rádio da escola, escolhendo as informações que os demais colegas deverão ter sobre aquele assunto; - Despertar da responsabilidade: o trabalho desenvolvido não ficará mais restrito ao professor, já que o radiojornal será ouvido por um número maior de pessoas, seja a classe ou mesmo toda a escola. Isso serve como motivação, mas também requer maior seriedade;

5 Vantagens - Trabalho em equipe: um programa radiofônico não se faz sozinho. A escolha dos assuntos do radiojornal é feita em reunião, com a sugestão e análise de todos os participantes. Além disso, é preciso uma divisão do trabalho, que pode ser revezada – reportagem, edição, locução etc; - Melhora na produção textual: embora o que chega aos ouvintes seja apenas som, o que é dito pelos alunos é fruto de um texto previamente escrito, mesmo que haja momentos de improviso;

6 Vantagens - Poder de síntese: uma das características do texto radiofônico é seu tamanho, tradicionalmente mais curto do que uma matéria do jornal impresso, por exemplo. É preciso dar todas as informações relevantes em curto espaço de tempo; - Hierarquização das informações: discutir e compreender quais as informações são mais relevantes para serem veiculadas, tanto no programa como um todo quanto em um único texto, já que a regra da escritura jornalística pede que as informações principais sejam colocadas no início da matéria;

7 Vantagens - Expressão oral: um dos pontos indiscutíveis na produção radiofônica, com os alunos que falam ao microfone e com aqueles que usam o gravador para fazer entrevistas; - Incentivo à pesquisa e gosto pela leitura: para coletar as informações que serão divulgadas, é necessário pesquisar em diversos suportes, seja para escolher os assuntos, para preparar as entrevistas ou acrescentar outros pontos de vista;

8 Vantagens - Visão crítica à realidade e à mídia: como um dos conceitos básicos do jornalismo é a pluralidade de idéias, os alunos precisarão ouvir vários pontos de vista para compor suas matérias. Além disso, a produção ou a realização de exercícios de escuta radiofônica despertam um outro olhar ao meio de comunicação; - Expressão dos jovens: eles ganham um verdadeiro canal de comunicação com a comunidade na qual estão inseridos;

9 Vantagens - Integração dos alunos à escola: atividades como essa agem sobre o afetivo, como motivação, tendo um papel de instrumento de valorização individual e do grupo; - Transdisciplinaridade: conteúdos de várias disciplinas podem ser trabalhados de forma natural e espontânea. Em um radiojornal, por exemplo, são produzidas notícias variadas, trabalhando com as disciplinas História (ao contextualizar um fato ocorrido no Iraque), Geografia (usando informações do IBGE), Matemática (ao calcular percentuais de uma pesquisa eleitoral) e Língua Portuguesa (pela própria redação);

10 Vantagens - Desenvolvimento da imaginação e espaço à criatividade: o rádio é veículo rico em possibilidades de produção. Os alunos podem trabalhar com informação jornalística, peças publicitárias, dramáticas entre outras. Soma-se a isso o fato de a linguagem radiofônica aliar texto, som e silêncio.

11 Características Linguagem oral Penetração Instantaneidade Sensorialidade Programação linear Mobilidade Recepção marginal

12 Linguagem A linguagem radiofônica não é exclusivamente verba-oral, mas resultado da semiose de elementos sonoros: trilha, efeitos, silêncio e voz. -Esses elementos perdem sua unidade conceitual à medida que são combinados entre si; -A característica essencial da peça radiofônica é sua fora associativa.

13 Linguagem Silêncio: quando contextualizado dentro de uma estrutura sintática, adquire significados – pode realçar a continuidade sonora ou representar um mistério; - Se não contextualizado, será interpretado como ruído.

14 Linguagem Efeitos sonoros: provocam a associação do ouvinte com o objeto sonoramente representado; - Fornece informações, pistas.

15 Linguagem Trilha sonora: tem várias funções. No radiojornalismo, de pontuação. Nos radiodramas, expressiva (situa o ouvinte no ambiente espacial e temporal). Também cria clima emocional.

16 Linguagem Vinheta: associa texto à música. Identifica a emissora, um apresentador ou o programa. BG (back ground) ou fundo musical: música geralmente instrumental, em volume inferior ao do texto lido pelo locutor.

17 Linguagem Texto: fica entre a espontaneidade e a informalidade do estilo oral e a correção da norma culta. Cuidado: - Redundância: o locutor lê uma frase de 7 linhas em segundos. Além disso, não há como voltar na notícia;

18 Linguagem Cuidado: -Simplicidade: palavras que permitam a identificação rápida; -Coloquialismo: 5 horas da tarde; - Frases curtas, mas não telegráficas;

19 Linguagem Cuidado: -Síntese: a notícia em rádio é a síntese completa do fato que se pretende informar; -Ordem direta; -Voz ativa;

20 Linguagem Cuidado: -Ambiguidade: O homem foi visto amarrado na cadeira pela mulher; -Sonoridade: prefira formas no singular;

21 Linguagem Cuidado: -Rimas: O temporal na capital alagou a marginal; -Cacófatos: de então, por cada, boca dela; -Citações: as diretas são recursos do impresso, para ser lido, e não de um texto oralizado.

22 Roteiro Pontuação: é um auxílio e uma indicação para o ritmo da leitura. Pode ser trocada por barras; Ênfase: grifar palavras mais importantes; Números: por extenso quando associados a palavras femininas, indicarem percentual, fração, peso, medida e velocidade; Quanto aos ordinais, apenas até o décimo.

23 Técnica – roda vinheta de abertura e vai a BG Loc 1- Bom dia! Começa agora mais uma edição da revista da escola. Eu sou o Joãozinho. Loc 2 – E eu a Mariazinha. Você confere as principais atrações do programa de hoje. Técnica – Corta BG Loc 1 – Em comemoração à Páscoa...

24 Experiências educativas com rádio

25 ObjetivoTornar os ouvintes capazes de identificar (denotação) os componentes da mensagem do rádio: a voz, a música e os efeitos (conotação). Objeto de análiseExtrato de uma peça dramática e de alguns flashes publicitários. DesenvolvimentoDifundir várias vezes a curta seqüência. Pedir para os alunos que completem o quadro seguinte:

26 ComponentesVozMúsicaBarulhos Denotação: descrever mais precisamente possível o que escutou, sem tentar interpretar. - Uma voz de mulher que grita: socorro! - uma voz muito forte de homem que ordena: abra! Um extrato da 9ª. Sinfonia de Beethoven. - Batidas em uma porta - barulhos de passos que se aproximam. Conotação: a partir dos elementos identificados e descritos, dizer o que imaginou, a representação feita. Um homem tenta atingir uma mulher que está doente. Efeito de dramatização: vai acontecer qualquer coisa de importante, talvez decisiva. O homem tenta forçar a porta, mas cavalheiros se aproximam. Interpretação global da cena O homem está ao ponto de degolar sua mulher, mas os valentes irmãos dela chegam no castelo... Vai acontecer a ação!

27 Objetivo Conhecer o papel econômico da publicidade no financiamento das estações e colocar em evidência a escolha dos anunciantes em função da hora das emissões e dos públicos visados. Material Registros de publicidades de uma mesma faixa horária de três grandes rádios generalistas. Desenvolvimento Os alunos revelam para cada rádio o número de anúncios. Anotam o tempo de cada um, os tipos de produtos propostos; estabelecem para cada rádio uma tipologia de anúncios (publicidade institucional, comercial); estudam a publicidade de um mesmo produto em rádios diferentes; determinam os consumidores visados.


Carregar ppt "O Rádio na Educação Profa. Roseane Andrelo. Por que inserir o rádio na educação?"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google