A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Aula: Teoria Clássica da Administração – Cap. 4 Livro: CHIAVENATO, Idalberto. Teoria Geral da Administração. Rio de Janeiro: Campus, 1999. Professora:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Aula: Teoria Clássica da Administração – Cap. 4 Livro: CHIAVENATO, Idalberto. Teoria Geral da Administração. Rio de Janeiro: Campus, 1999. Professora:"— Transcrição da apresentação:

1 Aula: Teoria Clássica da Administração – Cap. 4 Livro: CHIAVENATO, Idalberto. Teoria Geral da Administração. Rio de Janeiro: Campus, Professora: Desiree Blum Menezes, MSc. (Fundamentos da Administração)

2 1.Objetivos do Estudo Taylor: Administração Científica: tarefa (cap. 3) Fayol: Teoria Clássica da Administração: estrutura (olhar para toda a organização, com a soma da eficiência individual) Mas, ambas buscavam a EFICIÊNCIA Olha de baixo pra cima Olha de cima pra baixo

3 1.1. Seis Funções Básicas da Empresa, segundo Fayol

4 Empresa Função Comercial Função Comercial Função Financeira Função Financeira Função de Segurança Função de Segurança Função de Contabilidade Função de Contabilidade Função Técnica Função Técnica Função de Administração Função de Administração Planejamento Organização Comando Coordenação Controle Funções da empresa, segundo Fayol.

5 1.2.Conceito da Administração As Funções Universais da Administração são: POCCC Planejar Organizar Comandar Coordenar Controlar

6 I DIVISÃO DO TRABALHO Designação de tarefas específicas para cada pessoa, resultando na especialização das funções e separação dos poderes. II AUTORIDADE E RESPONSABIL IDADE A primeira é o direito de mandar e o poder de se fazer obedecer. A segunda, a sanção – recompensa ou penalidade – que acompanha o exercício do poder. III DISCIPLINARespeito aos acordos estabelecidos entre a empresa e seus agentes. IV UNIDADE DE COMANDO De forma que cada pessoa tenha apenas um superior. V UNIDADE DE DIREÇÃO Um só chefe e um só programa para um conjunto de operações que visam ao mesmo objetivo. VI INTERESSE GERAL Subordinação do interesse individual ao interesse geral. VII REMUNERAÇÃ O DO PESSOAL De forma eqüitativa, e com base tanto em fatores internos quanto externos. Fayol e a Escola do Processo de Administração Fayol e a Escola do Processo de Administração

7 Princípios da Administração de Fayol VIII CENTRALIZAÇÃO Equilíbrio entre a concentração de poderes de decisão no chefe, sua capacidade de enfrentar suas responsabilidades e a iniciativa dos subordinados. IX CADEIA ESCALAR (LINHA DE COMANDO) Hierarquia, a série de chefes do primeiro ao último escalão, dando-se aos subordinados de chefes diferentes a autonomia para estabelecer relações diretas (a ponte de Fayol). X ORDEM Um lugar para cada pessoa e cada pessoa em seu lugar. XI EQÜIDADE Tratamento das pessoas com benevolência e justiça, não excluindo a energia e o rigor quando necessários. XII ESTABILIDADE DO PESSOAL Manutenção das equipes como forma de promover seu desenvolvimento. XIII INICIATIVA Faz aumentar o zelo e a atividade dos agentes. XIV ESPÍRITO DE EQUIPE Desenvolvimento e manutenção da harmonia dentro da força de trabalho.

8 1.5. Princípios Gerais de Administração para Fayol 1. Divisão do trabalho 2. Autoridade e Responsabilidade 3. Disciplina 4. Unidade de Comando 5. Unidade de Direção 6. Subordinação dos interesses individuais aos interesses gerais 7. Remuneração do pessoal 8. Centralização 9. Cadeia escalar – princípio do comando 10. Ordem 11. Equidade: amabilidade e justiça = lealdade do pessoal 12. Estabilidade do pessoal 13. Iniciativa 14. Espírito de Equipe

9 2. TEORIA DA ORGANIZAÇÃO A T. Clássica concebe a organização em termo de estrutura, forma e disposição das partes que a constituem, e do seu inter- relacionamentos entre essas partes.

10 Cadeia de Comando de Fayol Estrutura caracteriza-se por uma cadeia de comando: PRESIDENTE DIRETOR GERENTE CHEFE SUPERVISOR

11 3. Divisão do Trabalho e Especialização Divisão do Trabalho Base da organização; Conduz a especialização Ocorre de duas formas: Verticalmente (linha de autoridade (superior e subordinado) Horizontalmente (mesmo nível hierárquico), Especialização Refere-se à especialização e desdobramento horizontal da organização R.H. Seleção e Contratação Treinamento Folha de Pagamento Exemplo: Área de Recursos Humanos Horizontal Vertical

12 4. Coordenação Para Fayol coordenação é a reunião, unificação e a harmonização de toda a atividade e esforço. Deve ser baseada em interesses em comum Indica que existe um alvo ou objetivo a alcançar e que deve guiar os atos de todos,

13 5. Conceito de Linha e de Staff Organização linear foi um dos grande interesse de estudo de Fayol. E nestas organizações os princípios são: a) unidade de comando ou supervisão única b) unidade de direção c) centralização da autoridade d) cadeia escalar ou cadeia de comando Formato Piramidal

14 5. Conceito de Linha e de Staff Órgãos de Staff não obedecem ao princípio escalar, nem possuem autoridade de comando em relação aos órgãos de linha Função de Staff inclui o direito de aconselhar, recomendar e orientar Especialistas de staff aconselham os gerentes em suas áreas de especialização.

15 Autoridade e hierarquia (cadeia de comando) Staff ou Assessoria Assessoria Jurídica Diretoria de Qualidade Diretoria Industrial Fábrica Presidente Divisão horizontal do trabalho Unidades de trabalho (cargos ou departamentos) Divisão horizontal do trabalho Unidades de trabalho (cargos ou departamentos) Diretoria de R.H. Autoridade de linha


Carregar ppt "Aula: Teoria Clássica da Administração – Cap. 4 Livro: CHIAVENATO, Idalberto. Teoria Geral da Administração. Rio de Janeiro: Campus, 1999. Professora:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google