A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MAURICIO POMPILIO FACIMED. NEOPLASIA DE PRÓSTATA (CaP) Tumor de maior incidência entre os homens (após ca de pele). Brasil 52 mil casos novos/2010 (INCA).

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MAURICIO POMPILIO FACIMED. NEOPLASIA DE PRÓSTATA (CaP) Tumor de maior incidência entre os homens (após ca de pele). Brasil 52 mil casos novos/2010 (INCA)."— Transcrição da apresentação:

1 MAURICIO POMPILIO FACIMED

2 NEOPLASIA DE PRÓSTATA (CaP) Tumor de maior incidência entre os homens (após ca de pele). Brasil 52 mil casos novos/2010 (INCA). 91% dos casos são diagnosticados em estagio localizado. Melhora da sobrevida câncer-específica.

3 Fatores de risco – CaP Fatores de risco: Hereditariedade: parente de primeiro grau com história de CaP; múltiplos loci cromossômicas foram identificados fatores exógenos: dieta rica em gordura e carne vermelha aumenta a chance de CaP

4 Patologia CaP Aproximadamente 70% ocorrem na zona periférica e são multifocais. A graduação histológica da escala de Gleason é universalmente utilizada e é o fator prognóstico isolado mais importante.

5 Achados da biópsia de próstata Benigna PIN – Neoplasia intraepitelial de alto grau ASAP – Proliferação de glândulas pequenas atípicas Adenocarcinoma

6 Diagnóstico CaP Toque retal PSA Livre/Total (< 10% - 60% adenocarcinoma). Biópsia transretal de próstata (mínimo de 12 fragmentos) Cintilografia ou RNM para metástases

7 Estadiamento Tumor Primário (T) TxTumor primário não avaliável T0Sem evidência de tumor primário T1aAchado incidental de tumor em até 5% de tecido ressecado T1bAchado incidental de tumor acima de 5% de tecido ressecado T1cTumor identificado em biópsia (por elevação de PSA) T2Tumor palpável confinado a próstata T2aNódulo tumoral envolve até a metade de um lobo prostático T2bNódulo tumoral envolve mais da metade de um lobo prostático T2cNódulo tumoral que envolve os dois lobos prostáticos T3Tumor palpável ultrapassando a cápsula prostática T3aExtensão extracapsular uni ou bilateral, microscópica do colo vesical T3bTumor invade vesícula seminal T4Tumor fixo ou com invasão de estruturas adjacentes

8 Estadiamento Linfonodos Regionais (N) NxNão avaliável N0Ausência de linfonodos regionais comprometidos N1Metástase em linfonodos regionais Metástase a distância (M) MxNão avaliável M0Ausência de metástase a distância M1Metástases a distância M1aLinfonodos Não regionais acometidos M1bMetástase óssea M1cMetástase em outros órgãos

9 Tumor de testículo 1% dos tumores que acometem os homens; Mais comum entre anos; 95% origem de células germinativas; Divididos em dois grupos: seminonas e não seminomas.

10 Fatores de risco para Tu testículo Criptorquidia História de câncer de testículo História familiar positiva Digenesia testicular Síndrome de Klenefelter Infertilidade

11 Investigação de massa testicular suspeita História e exame físico Alfafetoproteína (AFP), gonadotrofina coriônica beta, DHL US de testículos Rx de torax

12 Carcinoma de células renais (CCR) 3% de todos os tumores em adultos; 3° neoplasia mais frequente do trato urinário (próstata e bexiga); Predomina sexo masculino (3:1); Faixa etária de 50 a 70 anos; Originam-se de células dos tubos contorcidos renais % são detectados durante exames abdominais por imagem.

13 CCR Hematúria (50-60%) Massa palpável em flanco (30-40%) Dor lombar (30-40%) Manifestações paraneoplásicas (febre, hipercalcemia, amiloidose, perda de peso, caquexia, elevação da fosfatase alcalina, hipertensão arterial (renina), policitemia (eritropoetina), disfunção hepática.

14 Câncer de bexiga 2° tumor mais frequente do trato urinário; Maior frequência sexo masculino (4:1); Maior frequência em maiores de 60 anos; Tabagismo é o principal fator de risco; Fatores ocupacionais (derivados do petróleo) O tipo histológico mais comum é carcinoma de células transicionais; Cerca de 70% se apresentam como tu superficiais, podendo ser controlada nesta fase

15 Câncer de bexiga Principal sintoma é hematúria macroscópica indolor; Sintomas irritativos podem ocorrer; Diagnóstico: História clínica + exame físico Urina tipo I e citologia oncótica Marcadores tumorais: BTA, NMP22, Fish US e tomografia Cistoscopia e biópsia

16 Câncer do pênis Carcinoma epidermóide compreende 95% dos tumores malignos do pênis; O Brasil tem uma das maiores incidências mundiais: 2,9-6,8/100mil hab; 2% das neoplasias malignas dos homens; Concentrado no N e NE

17 Fatores de risco Fimose Má higiene e má nutrição Tabagismo 30-60% dos pacientes apresentam coinfecção dos subtipos 16 e 18 do HPV; Pode apresentar lesão nodular, ulcerada ou vegetante de evolução lenta; Acometimento preferencial da glande e prepúcio.

18 BIBLIOGRAFIA HC- ICESP. Manual de condutas e rotinas terapêuticas em urooncologia. Fev POMPEO, AC; BRETAS, FH; SADI, MV; et al. Urologia oncológica: melhores evidências para a decisão clínica. São Paulo, PlanMark, WROCLAWSKI, ER; BENDHACK, DA; DAMIÃO, R; ORTIZ, V. Guia prático de urologia. São Paulo, Ed Segmento, 2003.


Carregar ppt "MAURICIO POMPILIO FACIMED. NEOPLASIA DE PRÓSTATA (CaP) Tumor de maior incidência entre os homens (após ca de pele). Brasil 52 mil casos novos/2010 (INCA)."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google