A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

HANSENÍASE: DOR NEUROPÁTICA OU NEURITE? Dr.ª Noely do Rocio Vigo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "HANSENÍASE: DOR NEUROPÁTICA OU NEURITE? Dr.ª Noely do Rocio Vigo."— Transcrição da apresentação:

1 HANSENÍASE: DOR NEUROPÁTICA OU NEURITE? Dr.ª Noely do Rocio Vigo

2

3 Conceito de Neurite ou dor da neuropatia, dor nociceptiva ou dor neurogênica Mecanismos de lesões dos nervos periféricos: Tóxico pela ação direta do bacilo Fenômenos inflamatórios: inflamação, edema, isquemia e necrose Fator agravante:compressão e aprisionamento do nervo edemaciado por estruturas anatômicas vizinhas Lesão tecidual ativação de nociceptores

4 Dor neurogênica é dor reversível segundo a Associação Internacional para Estudos da Dor

5 Conceito de Dor Neuropática Dano permanente no SNP Não responde à corticosteróides ou AINH Seqüela de neurites agudas Lesão das vias discriminativas periféricas por desmielinização do axônio Desmielinização segmentar é alteração mais precoce na hanseníase Axonotmese = destruição do axônio Sinal de Tinel

6 Secção transversa de um nervo periférico Epineuro Endoneuro Perineuro Dor neuropática na Hanseníase é por perda axonal, ou seja, por desaferentação Fibra nervosa

7 NEURITES: EPISÓDIOS REACIONAIS ENVOLVENDO OS NERVOS Neurites podem ser: Aguda: edema, dor intensa, espessamento neural. Alterações sensitivas ou sensitivo-motoras. Reversível se houver controle do edema. Até 3 m. de evolução Crônica: de início alterações sensitivas, posteriormente sensitivo-motoras, dor variável Silenciosa: sem dor, progressiva, lenta É CONSENSO NA LITERATURA AFIRMAR-SE QUE O DANO SENSITIVO PRECEDE O DANO MOTOR NA HANSENÍASE

8 PALPAÇÃO DOS NERVOS,ESTESIOMETRIA E FORÇA MUSCULAR

9 Palpação dos troncos nervosos: volume,consistência, forma, mobilidade Mapeamento sensitivo Teste da força muscular DIAGNÓSTICO DAS NEURITES:

10 Momento do Dx: dor no trajeto do nervo e/ou alt. sensibilidade e/ou alt. força muscular Período menor ou igual 12 meses Não percebe toque do filamento de 2g em 2 territórios de um mesmo nervo Em tratamento ou pós-alta: mesmos achados comparados com avaliação prévia Alteração 2 pontos do território de um mesmo tronco nervoso Nas neurites tem que ter dano neural ativo Critérios para suspeitar e/ou confirmar alterações das funções neurais

11 ESTESIOMETRIA Verde: normal Azul mão e normal pé Violeta = 2g: sensibilidade protetora Vermelho-escuro: perda da sensibilidade Circulo vermelho com X: pressão profunda pode sentir dor Circulo vermelho: perda de sensação profunda pode ou não sentir dor

12 Tratamento das neurites CLÍNICO Neurites agudas: Controlar fen. imuno-inflamatórios Alívio da dor Prevenir danos neurais e incapacidades Neurite silenciosa: interromper / recuperar dano neural CIRÚRGICO

13 TRATAMENTO DAS NEURITES Padrão ouro é prednisona 1 – 2 mg/kg/dia até a regressão dos sintomas. Desmame reduzir 5-10 mg cada 2 ou 3 sem. À partir de 20 mg redução cada 4 ou 8 semanas. Repouso da articulação próxima ao nervo comprometido

14 Ai, não funcionou.... Pulsoterapia Manter 20 mg/dia PDN Internar metilprednisolona 1g/d 3 dias seguidos Reforços mensais 1g/mês

15 Quando optar pelo tratamento cirúrgico? Abscessos de nervo Neurite que não responde ao tratamento em 4 sem. Neurite crônica subentrante Neurite silenciosa do n. tibial posterior Finalidade da cirurgia é liberar o nervo da constrição = Neurolise

16 Diagnóstico da Dor Neuropática Dores persistentes em paciente com quadro sensitivo- motor normal ou sem piora. 1.História clínica é a chave do diagnóstico 2.Exame físico

17 Hx Clínica Sintomas: início, progressão Doenças, traumas, agentes tóxicos Desenhar a dor Medir intensidade

18 EXAME CLÍNICO Localização da dor e anormalidade sensorial deve ter localização neuroanatômica lógica, i. é., de acordo com a distribuição do nervo lesado Estesiometria

19 Objetivo: analgesia central Antidepressivos tricíclicos, neurolépticos e/ou anticonvulsivantes TRATAMENTO DA DOR NEUROPÁTICA Outra linha que merece investigação é a acupuntura Manual de Lepra. Jopling, 1983.

20 Sintomas Sensitivos Antidepressivos tricíclicos: –Imipramina 25 – 150mg/d –Nortriptilina mg/d ( opção p/ quem faz hipotensão ortostática) –Amitriptilina 10 – 150mg/d –Clomipramina 25 – 150mg/d

21 Sintomas Sensitivos Neuromoduladores: –Carbamazepina – 200 a 1200 mg/d ( acompanhar com hemogramas mensais pela possibilidade de agranulocitose) –Gabapentina – mg/8-8h –Topiramato 25 – 100 mg/d Fenotiazínicos –Clorpromazina 25 – 100 mg 20 gotas potencializa o efeito da AMT começar com 1 gota 3x/dia e 5 gotas ao deitar

22 DICAS Dúvida entre neurite x dor neuropática: quando no momento do Dx o paciente não sabe informar se o dano neural é recente ou tardio ( - de 6m.) corticoterapia. Avaliar 2 a 4 sem. Dano neural não melhorou. É irreversível. Retirar corticóide rapidamente sem desmane Controle da neuropatia: 75 – 100 mg de AMt + 20 gotas de clorpromazina se não funciona adicionar gabapentina

23 Para saber mais... Hanseníase: Diagnóstico e Tratamento da Neuropatia Hanseníase: Diagnóstico e Tratamento da Neuropatia Hanseníase: Episódios Reacionais Hanseníase: Episódios Reacionais Neuropathic pain in leprosy Dor neuropática: tratamento com anticonvulsivantes Como e reconhecer e tratar as reações hansênicas

24


Carregar ppt "HANSENÍASE: DOR NEUROPÁTICA OU NEURITE? Dr.ª Noely do Rocio Vigo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google