A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Evelin Amorim Sabina Santos. Anatomia do Ombro O ombro é formado pelos ossos: Úmero Escápula Clavícula.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Evelin Amorim Sabina Santos. Anatomia do Ombro O ombro é formado pelos ossos: Úmero Escápula Clavícula."— Transcrição da apresentação:

1 Evelin Amorim Sabina Santos

2 Anatomia do Ombro O ombro é formado pelos ossos: Úmero Escápula Clavícula

3 Luxação no Ombro É um deslocamento (luxação) da articulação do ombro. A luxação do ombro é uma das mais frequentes luxações de grandes articulações.

4 Sintomas Sensação do ombro ter saído do lugar; Dor; Fraqueza; Falta de coordenação motora.

5 Diagnóstico O médico fará um exame clínico e físico. Muitas vezes o diagnóstico é feito apenas com o relato do mecanismo da lesão. Algumas vezes é necessário pedir Raio-X.

6 Luxação de Ombro raio x

7 Tratamento Aplicação de compressas de gelo por 8 minutos, seguidos de 3 minutos de pausa. Esse ciclo deve ser repetido até completar 30 minutos e pode ser feito 3 vezes por dia. Uso de anti-inflamatórios. Afastamento das atividades físicas até a dor melhorar. Fisioterapia, para fortalecer o grupo correto da musculatura do ombro. Cirurgia pode ser necessária em casos de subluxações repetitivas.

8 Coluna Cervical Anatomia: A coluna cervical é constituída por sete vértebras, que sustentam a cabeça.

9 Hérnia de Disco Cervical A hérnia de disco cervical compromete uma região que executa movimentos complexos. Você pode comprovar isto em si mesmo. Seu pescoço faz movimentos muito mais amplos do que o tronco. Você pode movê-lo para a frente e para trás, para os lados, assim como girá-lo no sentido horário e anti-horário. Uma hérnia aí, além da dor, poderá limitar muitos movimentos.

10 Sintomas Formigamento com ou sem dor na coluna, geralmente com irradiação para membros inferiores ou superiores, podendo também afetar somente as extremidade (pés ou mãos). Esses sintomas podem variar dependendo do local da acometido. Também pode haver dor no pescoço, ombros, na escápula, braços ou no tórax.

11 Diagnóstico O diagnóstico da hérnia de disco é clínico, analisando as características dos sintomas e o exame clínico neurológico. Exames como Raio-X, tomografia e ressonância magnética ajudam a determinar o tamanho da lesão e em que exata região da coluna está localizada.

12 Tratamento O tratamento da hérnia de disco pode ser clínico e/ou cirúrgico. Normalmente, a maioria das hérnias de disco são tratadas clinicamente, sem precisar de cirurgia. O tratamento clínico é baseado em medicamentos, tanto analgésicos, anti-inflamatórios, opióides, relaxantes musculares, como antidepressivos, neuromoduladores (anticonvulsivantes) podem ser utilizados. Utiliza-se sempre uma orientação postural, fisioterapias para analgesia, pode se recomendar acupunturam bloqueios com anestésicos, e por último a cirurgia. Para o tratamento da dor de cabeça relacionada a hérnia de disco cervical e a relação da enxaqueca com a hérnia de disco.

13 Coluna Torácica Anatomia: A coluna torácica é constituída por 12 vértebras.

14 Escoliose na Coluna Torácica É uma curvatura lateral da coluna, com flexão lateral e rotação das vértebras. Essa deformidade ocorre com mais freqüência na adolescência.

15 Sintomas Espasmo muscular; Dor muscular devido à compressão de raiz nervosa; Discrepância no comprimento das pernas.

16 Diagnóstico Raio x da coluna total, para visualizar qual coluna está localizada a escoliose, e prescreverá qual será o tratamento.

17 Tratamento Geralmente para curvaturas não tratáveis com os métodos conservadores, esteticamente inadequados e com dor insuportável. Nesse caso também é indicado o tratamento fisioterápico, pré e pós - cirúrgico. No pré, é realizada cinesioterapia para alongar as estruturas retraídas, melhorar a função pulmonar e fortalecer a musculatura do tronco. No pós, o paciente é colocado em tração esquelética, necessitando da intervenção de exercícios.

18 Coluna Lombar Anatomia: a coluna lombar possui 5 vértebras.

19 Dor Lombar Causas da dor lombar idade genética levantar peso postura incorreta ao sentar, ao andar – sedentarismo. Isso pode ser fato, para que ocorra a dor lombar.

20 Sintomas A dor lombar pode ser aguda ou crônica. A crônica pode durar para vida inteira do ser, já a aguda pode durar de 4 a 6 semanas. O paciente sente sua coluna travada, quando vai realizar alguns movimentos sente limitações.

21 Diagnóstico Anamnese como também um exame físico detalhado da postura, amplitude de movimento, espasmo muscular, dor e força muscular, Raio x de complemento para que possa verificar como estão entres as vértebras.

22

23 Tratamento Pode ser tratado com exercícios para melhorar as resistências musculares e melhorar a postura. Os analgésicos podem ser utilizados para aliviar a dor, porém o uso crônico de narcóticos opióides deve ser evitado. Em alguns casos, a cirurgia pode ser necessária para aliviar a dor intratável ou a dor conseqüente a anormalidades estruturais.

24 Cóccix Anatomia: É uma estrutura óssea localizada logo abaixo do sacro, é o último segmento da coluna vertebral, é formado por osso podendo variar de 3 à 4.

25 Fratura Cóccix Mais causada em mulheres do que em homens, ela ocorre sempre quando o ser caí sentada no chão, fraturando o cóccix.

26 Sintomas A pessoa com fratura no cóccix sente dores ao sentar.

27 Diagnóstico Quando o paciente for procurar um médico ele irá realizar uma Anamnese do paciente para saber o que ocorreu, e em seguida irá pedir para que esse paciente realize um exame de raio x, para verificar onde foi que ocorreu a fratura.

28 Tratamento O médico irá colocar o osso do cóccix fraturado no lugar. O paciente irá ficar deitado de barriga para baixo, o médico irá aplicar chelocaína nos ânus do paciente para que anestesie, e em seguida colocará o dedo no seu ânus e puxará o osso pro lugar. Depois o paciente ficará em repouso.

29 Membros Superiores Distal Mão Cada mão apresenta 14 falanges, sendo que no polegar estas são duas: proximal (primeira falange) e distal (segunda falange). Do segundo ao quarto dedo há três falanges em cada: proximal, média (segunda falange) e distal.

30

31 Fratura da Mão Uma fratura acontece quando determinada força aplicada ao osso é capaz de quebrá-lo. As fraturas podem ser simples com os pedaços dos ossos alinhados e estáveis. Outras fraturas são instáveis e os fragmentos ósseos tendem a desviar e perder a posição original. Algumas fraturas acometem a diáfise (corpo principal do osso) e outras a superfície da articulação. Fraturas cominutivas (multifragmentadas) são ocasionadas por forças de alta energia e são freqüentemente instáveis. A fratura é chamada de exposta quando há contato entre os fragmentos da fratura e o meio exterior (lesão na pele ou no leito ungueal). Nesses casos há risco de infecção.

32 Sintomas Há dor, edema (inchaço) e limitação da mobilidade da parte lesada.

33 Diagnóstico Um exame físico e radiografias são necessários para que o seu médico diga se há fratura e se houver, qual o tratamento.

34 Tratamento Imobilização gessada da mão, cirurgias com fios, pinos metálicos, placas ou parafusos.


Carregar ppt "Evelin Amorim Sabina Santos. Anatomia do Ombro O ombro é formado pelos ossos: Úmero Escápula Clavícula."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google