A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dor Pós-Operatória Miriam C. Bellini Gazi Anestesiologia, Dor e Terapia Intensiva UNIFESP-EPM.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dor Pós-Operatória Miriam C. Bellini Gazi Anestesiologia, Dor e Terapia Intensiva UNIFESP-EPM."— Transcrição da apresentação:

1 Dor Pós-Operatória Miriam C. Bellini Gazi Anestesiologia, Dor e Terapia Intensiva UNIFESP-EPM

2 DOR PO – DOR AGUDA CAUSA IDENTIFICÁVEL ETIOLOGIA BEM DEFINIDA (ato cirúrgico) DOR PREVISÍVEL

3 Fisiopatologia

4 DOR PO Estruturas Somáticas -superficiais -profundas Viscerais SN (Estímulo nocivo) Lesão cirúrgica DOR AGUDA E RESPOSTAS ASSOCIADAS

5 DOR PO

6 Ativação simpatoadrenal Processamento medular Resposta neuroendócrino Ansiedade Agitação psicomotora expressão facial desconforto Respostas Associadas DIFICULTA RECUPERAÇÃO DO PACIENTE

7 Pneumonia Isquemia coronariana Imobilização Íleo Tromboembolismo Recuperação prolongada DOR AGUDA PÓS-OPERATÓRIA

8 Espasmo constrição Textbook of Pain, 1999:357–385. Complacência torácica Pressão IA

9 Textbook of Pain, 1999:357–385. Ventilação inadequada Reflexo da tosse pouco efetivo Pneumonia Hipoxemia Dor Aguda Alterações Respiratórias Espasmo muscular CRF VC Atelectasia

10 Textbook of Pain, 1999:357–385. Isquemia Miocárdio Dor Aguda Alterações Cardiovasculares simpático RP, FC, PA vasoconstrição Consumo O2 Oferta

11 Textbook of Pain, 1999:357–385. Íleo Dor Aguda Alterações Cardiovasculares simpático fluxo sg explânico Tônus GI Esvaziamento gástrico

12 Trauma/PO A-delta e C Simpático Medula espinal Hipotálamo Catecolaminas Cortisol Renina-Angiotensina Adesividade Plaquetária nociceptor

13 Hipercoagulabilidade Viscosidade Inibidores fibrinólise Antitrombina III Estresse Lesão endotélio Inflamação

14 10-20% dor aguda pós-operatória Dor crônica

15 Síndromes Crônicas Dor em coto Dor fantasma SCDR Síndrome Miofascial Pós-mastectomia Neuralgia iliohipogástrio e ilioinguinal Neurite intercostal

16 Dor PO Fatores para Analgesia Insuficiente Prescrição inadequadaPrescrição inadequada Método inadequadoMétodo inadequado ComunicaçãoComunicação

17 Dor PO Objetivos da Analgesia: Alívio da dorAlívio da dor Melhorar a funçãoMelhorar a função Diminuir complicaçõesDiminuir complicações Diminuir tempo de internaçãoDiminuir tempo de internação Satisfação do pacienteSatisfação do paciente Evitar dor crônicaEvitar dor crônica

18 Local Intensidade Tipo de dor Estado de consciência Comprometimento dos órgãos

19 LEVE (1-3) MODERADA (4-7) INTENSA (8-10) INTENSIDADE DA DOR (OMS)

20 Dor PO olha da técnica Escolha da técnica Alterações associadas HAICDPOCIRChoqueSepticemia Infecção local Coagulopatia

21 Dor PO olha da técnica Escolha da técnica Capacidade cognitiva Comunicação RN/Criança Sonolento Sonolento Demência Demência Idoso Coma Sedado Sedado

22 Dor PO olha da técnica Escolha da técnica Anticoagulante Anticoagulante Bloqueio plexo Peridural

23 PRINCÍPIOS PARA ANALGESIA PO Método adequado LocalIntensidade

24 PRINCÍPIOS PARA ANALGESIA PO Via apropriada Via apropriada Tipo de cirurgia Local da dor

25 PRINCÍPIOS PARA ANALGESIA PO Dose adequada Dose adequada Intensidade de dor

26 PRINCÍPIOS PARA ANALGESIA PO Reavaliar regularmente Intensidade muda Indivíduos são diferentes Esquema flexível

27 PRINCÍPIOS PARA ANALGESIA PO Adaptar às necessidades Adaptar às necessidades Intensidade muda Alterações clínicas surgem

28 PRINCÍPIOS PARA ANALGESIA PO Treinamento de pessoal Treinamento de pessoal EnfermagemMédicos

29 Intensidade da dor PO Tempo

30 Analgesia PO- Vias Venosa Espinal Subcutânea Sublingual Plexo Infiltração Retal Intramuscular

31 VO EV IM SC

32 Analgesia Controlada Paciente Analgesia Controlada Paciente

33 DOR Chamar enfermeira Resposta enfermeira Preparo medicação Administra analgésico Absorção Alívio ACP

34 Analgesia PO Medicações Antiinflamatórios Opióides Opióides Anestésicos locais Anestésicos locais

35 AINE Venosa Oral Retal Sublingual Quando indicado ? Vias

36 Opióide - PO 1- Alívio de dor intensa 2- Efeito para grande % 3- Possibilidade de reversão 4- Não possui teto 5- Versátil

37 Hepática Renal Gastrintestinal Cardíaca Opióides Uso nas alterações

38 Opióides Venosa Bolo Infusão PCA Peridural

39 Opióides Morfina VenosaSubcutâneaPeriduralOral Fentanil VenosaPeridural UTI

40 Opióides Codeína Oral Tamadol VenosaSubcutâneaOral

41 Anestésico local Opióide Analgesia PO Analgesia PO B upivacaína Ropivacaína MorfinaFentanil Peridural

42 Analgesia espinal Laparotomia Toracotomia Lombotomia Ortopédicas Vascular Indicações

43 Peridural Analgesia Peridural Fentanil+Bupivacaina

44 Anestésico Local Vaso-dilatação Vaso-dilatação Impede agregação Plaquetária Impede agregação Plaquetária Inibe Trombo Inibe Trombo Tromboembolismo Tromboembolismo

45 Anestésico Local + Opióide Reduz Atividade S Reduz Atividade S Reduz Consumo de O2 Reduz Consumo de O2 Aumenta Oferta O2 Aumenta Oferta O2 ICCTaqui-arritmiasIsquemia Peridural

46 ANALGESIA ADEQUADA Melhora Função Diafragmática Facilita Fisioterapia PaO2 PaO2 Atelectasia Atelectasia Infecção InfecçãoPeridural

47 Bloqueio Simpático Facilita Propulsão GI Peridural Anestésico Local

48 Infiltração local Amigdalectomia Amigdalectomia Laparotomia Laparotomia Hernioplastia Hernioplastia

49 EFEITOS COLATERAIS QUALIDADE ANALGESIA Multimodal Combinação de fármacos e técnicas


Carregar ppt "Dor Pós-Operatória Miriam C. Bellini Gazi Anestesiologia, Dor e Terapia Intensiva UNIFESP-EPM."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google