A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Comunicação, Cultura e Arte Contemporânea (Gonçalves, 2004 - UERJ)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Comunicação, Cultura e Arte Contemporânea (Gonçalves, 2004 - UERJ)"— Transcrição da apresentação:

1 Comunicação, Cultura e Arte Contemporânea (Gonçalves, UERJ)

2 A arte nos importa menos pelo que expressa e mais pelas marcas que pode deixar em nós, pela qualidade das experiências subjetivas que pode suscitar.

3 Por isso cabe pensar a relação entre arte e comunicação hoje: pelos usos diferenciados das tecnologias de comunicação; pelo papel dessas tecnologias na sociedade atual, enquanto processos comunicativos ou produção de subjetividade.

4 Afinal, a condição contemporânea da produção artística tem ligação: com a cultura comunicacional; com a evolução tecnológica; com a produção de modos de existência, de subjetivação.

5 O mundo atual é marcado por: incerteza; fragmentação; acumulação; colagem e justaposição de tempos, espaços e experiências. Pós- modernidade

6 Logo, a arte contemporânea deixa para trás uma certa coerência sistêmica característica da modernidade, e vai assumir um permanente estado de descontinuidade.

7 A partir da noção de indivíduo moderno e de autoria, a pintura, por exemplo, deixa de ser religiosa e ritual para ser objeto estético, migrando da arquitetura para a tela, que se torna uma janela que simula o mundo real. A noção de arte surge no Renascimento

8 A arte moderna constitui depois novos modelos de apreciação e produção de arte. Ela discute a própria arte, enquanto linguagem expressiva, estrutura narrativa e modo de perceber o mundo.

9 Metade do século XX: a história passa a ser contada em migalhas. O que morre não é a arte em si, mas sua identificação com um relato oficial e uma experiência que produz objetos auráticos concebidos para serem contemplados.

10 O homem se torna capaz de reproduzir o real ou alterá-lo (fotografia) e, em seguida, de reinventá- lo (cinema).

11 E se a realidade é cada vez mais o que fazemos dela, a arte moderna deseja justamente se libertar das amarras que a limitavam: do mimetismo que reforçava as grandes narrativas sobre a realidade. Realismo Fantástico (1967)

12 Enquanto a arte moderna diz respeito ao mundo da indústria, das estruturas e categorias, a arte contemporânea se inscreve em outra modalidade de experiência histórico- cultural: ela fala da morte da arte.

13 A arte, em sua condição contemporânea, não se interessa mais por produzir saberes ou sagrados. Daí a grande liberdade para o uso desde objetos banais às telas do computador como suporte para arte, constituindo uma vasta rede sígnica.

14 A arte se permite interessantes modalidades expressivas: arranjos singulares com a imagem, o texto, o gesto e as sonoridades, que podem ser descolados de seus contextos e usos tradicionais para criações onde são articulados de forma inusitada.

15 ambientes-objeto teatro-dança vídeo- performances arte e desconstrução

16 Com isso, é a própria experiência da arte que se modifica, bem como nossos parâmetros de percepção.

17 O modelo de mundo da civilização ocidental nos fez crer que tudo é transformável em mercadoria e, portanto, intercambiável. ARTE COMO MERCADORIA!

18 A única finalidade aceitável das atividades humanas é a produção de uma subjetividade auto-enriquecendo de modo contínuo sua relação com o mundo (Guattari).

19 Madonna dei Fusi Da Vinci Madonna do Fuso foi uma pintura de Leonardo da Vinci, realizada a óleo, em Florença, no ano de Foi pintado quase no mesmo período de Mona Lisa, daí o fato de as paisagens no fundo da composição serem semelhantes em ambos os quadros. O nome desta pintura realizada por Leonardo é esse porque o Menino segura um fuso de fiar, cuja forma, em primeira vista, se assemelha a uma cruz. O fuso demonstra o espírito doméstico da Madonna, mas também remete o observador para uma alusão da cruz, símbolo de Jesus Cristo. Ao longo dos tempos, vários críticos têm atribuído diversas interpretações ao fuso, mas o mais certo, é mesmo que represente uma cruz, mas simplesmente, de forma simbólica. Em segunda hipótese, está a idéia de que o Menino brinca com o fuso com alegria, o que seria considerado uma heresia na altura em que foi pintada, caso este represente uma cruz. A imagem de Jesus brincando com a cruz não seria aceite pela conservadora sociedade, e menos ainda pela Igreja e pelo Tribunal Inquisidor.

20 Black Fish Georges Braque

21 Instalação Bienal de São Paulo

22 Black Fish Georges Braque Madonna dei Fusi Da Vinci Instalação Bienal de São Paulo


Carregar ppt "Comunicação, Cultura e Arte Contemporânea (Gonçalves, 2004 - UERJ)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google