A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Projeto de Atendimento ao Aluno Leitura Crítica Primeiro Encontro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Projeto de Atendimento ao Aluno Leitura Crítica Primeiro Encontro."— Transcrição da apresentação:

1 Projeto de Atendimento ao Aluno Leitura Crítica Primeiro Encontro

2 O que é ler? Decifrar? Discutir? Decifrar? Discutir? Encontrar sentidos? Encontrar sentidos? Atribuir sentidos? Atribuir sentidos? Dar sonoridade às letras? Dar sonoridade às letras?

3 O que é necessário para ler? Ser alfabetizado? Ser alfabetizado? Ter concentração? Ter concentração? Comprar livros, jornais, revistas? Comprar livros, jornais, revistas? Ter boa visão? Ter boa visão? Ter boa memória? Ter boa memória? Ter uma boa voz? Ter uma boa voz?

4 Existe leitura crítica? Existe leitura crítica? E leitura não crítica ou acrítica? E leitura não crítica ou acrítica? O que e como são uma e outra? O que e como são uma e outra? Tente ler as imagens na tela!

5 O que é ler? Para Cagliari (1989): ler é uma atividade fundamental, desenvolvida pela escola para a formação dos alunos. Para este autor, a maior parcela de nossos conhecimentos é conseguida por meio da leitura. Para Cagliari (1989): ler é uma atividade fundamental, desenvolvida pela escola para a formação dos alunos. Para este autor, a maior parcela de nossos conhecimentos é conseguida por meio da leitura.

6 Para Frank Smith (1981): leitura é um processo no qual o leitor participa com sua capacidade não só de decifrar sinais, mas de dar sentido a eles, compreendê- los. Para Frank Smith (1981): leitura é um processo no qual o leitor participa com sua capacidade não só de decifrar sinais, mas de dar sentido a eles, compreendê- los.

7 Para Ezequiel Theodoro da Silva (1981): ler é via de acesso à participação do homem nas sociedades letradas, na medida em que permite a entrada e a participação no mundo da escrita. Para Ezequiel Theodoro da Silva (1981): ler é via de acesso à participação do homem nas sociedades letradas, na medida em que permite a entrada e a participação no mundo da escrita.

8 Para Isabel Solé (1998): ler significa aprender a se considerar competente para a realização das tarefas de leitura e a sentir a experiência emocional gratificante da aprendizagem. Para Isabel Solé (1998): ler significa aprender a se considerar competente para a realização das tarefas de leitura e a sentir a experiência emocional gratificante da aprendizagem.

9 Segundo Bamberger (1987): o aprimoramento da capacidade de ler também redunda na capacidade de aprender como um todo. Segundo Bamberger (1987): o aprimoramento da capacidade de ler também redunda na capacidade de aprender como um todo.

10 Leitura e Ensino Superior O ato de ler – na universidade – pode ser visto como condição para a formação da consciência crítica, uma vez que o documento escrito deixa de ser o simples instrumento de produção para ser veiculador da tradução histórica e cultural, do passado e do presente. O ato de ler – na universidade – pode ser visto como condição para a formação da consciência crítica, uma vez que o documento escrito deixa de ser o simples instrumento de produção para ser veiculador da tradução histórica e cultural, do passado e do presente.

11 Na universidade, a educação deve ser propulsora do desenvolvimento. Para tanto, ela deve superar a mera reprodução e repasse de conhecimento e buscar novas alternativas que abram espaço para o novo. Na universidade, a educação deve ser propulsora do desenvolvimento. Para tanto, ela deve superar a mera reprodução e repasse de conhecimento e buscar novas alternativas que abram espaço para o novo. É preciso estimular o aprender a aprender É preciso estimular o aprender a aprender

12 O domínio da capacidade de ler é condição para se efetivar a metodologia do aprender a aprender. O aluno que aprende a aprender é aquele que é leitor. O leitor que aprende a aprender é aquele que, primeiro domina uma técnica de leitura. Tem diante do texto uma posição de aprendizagem e de pesquisador. Tem diante do texto uma postura de analista, crítico, teórico e filósofo. O domínio da capacidade de ler é condição para se efetivar a metodologia do aprender a aprender. O aluno que aprende a aprender é aquele que é leitor. O leitor que aprende a aprender é aquele que, primeiro domina uma técnica de leitura. Tem diante do texto uma posição de aprendizagem e de pesquisador. Tem diante do texto uma postura de analista, crítico, teórico e filósofo.

13 Assim, dominar a leitura conduz o aluno a uma atitude ativa, dinâmica e crítica em relação ao conhecimento. Assim, dominar a leitura conduz o aluno a uma atitude ativa, dinâmica e crítica em relação ao conhecimento. O ato de ler e aprender são duas realidades muito próximas, portanto indissociáveis, interferindo-se mutuamente. O ato de ler e aprender são duas realidades muito próximas, portanto indissociáveis, interferindo-se mutuamente.

14 Perfil do Leitor que Aprende a Aprender 1 – É interativo: desvenda, processa, age, faz funcionar; 1 – É interativo: desvenda, processa, age, faz funcionar; 2 – É cooperativo: constrói; 2 – É cooperativo: constrói; 3 – É dialógico: combina, atribui sentidos, conversa com o texto, mobiliza conhecimentos. 3 – É dialógico: combina, atribui sentidos, conversa com o texto, mobiliza conhecimentos.

15 4 – É aprendiz: permanente. E também pesquisador. 4 – É aprendiz: permanente. E também pesquisador. 5 – É produtivo: institui-se no texto, forma e conforma. 5 – É produtivo: institui-se no texto, forma e conforma. 6 – É leitor: protagonista do processo de ler. 6 – É leitor: protagonista do processo de ler.

16 Enfim: Vamos ler e conversar.... Vamos ler e conversar....


Carregar ppt "Projeto de Atendimento ao Aluno Leitura Crítica Primeiro Encontro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google