A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Primeira Lei de Newton. - Equilíbrio - R = 0 => nenhuma força atuando ou todas se anulam R = 0 => nenhuma força atuando ou todas se anulam R = 0 => equilíbrio.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Primeira Lei de Newton. - Equilíbrio - R = 0 => nenhuma força atuando ou todas se anulam R = 0 => nenhuma força atuando ou todas se anulam R = 0 => equilíbrio."— Transcrição da apresentação:

1 Primeira Lei de Newton

2 - Equilíbrio - R = 0 => nenhuma força atuando ou todas se anulam R = 0 => nenhuma força atuando ou todas se anulam R = 0 => equilíbrio R = 0 => equilíbrio R = 0 => vetor aceleração é constante e igual a zero R = 0 => vetor aceleração é constante e igual a zero R = 0 => vetor velocidade é constante e igual a zero ( repouso=> eq. Estático) R = 0 => vetor velocidade é constante e igual a zero ( repouso=> eq. Estático) R = 0 => vetor velocidade é constante e diferente de zero ( movimento retilíneo uniforme=> eq. Dinâmico) R = 0 => vetor velocidade é constante e diferente de zero ( movimento retilíneo uniforme=> eq. Dinâmico) CONCLUSÃO: Um corpo em equilíbrio está em repouso ou em movimento retilíneo uniforme. CONCLUSÃO: Um corpo em equilíbrio está em repouso ou em movimento retilíneo uniforme.

3 - Inércia - Inércia é a propriedade comum(inerente) a todos os corpos materiais, mediante a qual eles tendem a manter o seu estado de movimento ou de repouso. Inércia é a propriedade comum(inerente) a todos os corpos materiais, mediante a qual eles tendem a manter o seu estado de movimento ou de repouso. A grandeza física que mede a quantidade de inércia de um corpo se chama MASSA. A grandeza física que mede a quantidade de inércia de um corpo se chama MASSA. Inércia também pode ser interpretada como sendo a dificuldade dos corpos em alterar seu estado cinemático(movimento/repouso). Inércia também pode ser interpretada como sendo a dificuldade dos corpos em alterar seu estado cinemático(movimento/repouso).

4 - Inércia - Quando um carro se movimenta numa estrada reta com velocidade constante(R=0), ao entrar numa curva, ele tende, por sua inércia, a manter a velocidade constante e portanto sair pela tangente à curva. Para efetuar a curva, os pneus são dispostos de forma a receber do solo uma força capaz de variar a direção da velocidade, mas assim a resultante deixa de ser zero (2 a lei de Newton). Quando um carro se movimenta numa estrada reta com velocidade constante(R=0), ao entrar numa curva, ele tende, por sua inércia, a manter a velocidade constante e portanto sair pela tangente à curva. Para efetuar a curva, os pneus são dispostos de forma a receber do solo uma força capaz de variar a direção da velocidade, mas assim a resultante deixa de ser zero (2 a lei de Newton).

5 Primeira Lei de Newton "Qualquer corpo permanece no estado de repouso ou de movimento retilíneo uniforme se a resultante das forças que atuam sobre esse corpo for nula". "Qualquer corpo permanece no estado de repouso ou de movimento retilíneo uniforme se a resultante das forças que atuam sobre esse corpo for nula". Assim, se o corpo estiver em repouso continuará em repouso; se estiver em movimento, continuará o seu movimento em linha reta e com velocidade constante. Assim, se o corpo estiver em repouso continuará em repouso; se estiver em movimento, continuará o seu movimento em linha reta e com velocidade constante. Veja o exemplo do cavalo e do cavaleiro. Quando o cavalo pára subitamente, o cavaleiro que estava em movimento tende a continuar em movimento. O exemplo, ilustra bem a importância do uso do cinto de segurança quando andamos de automóvel. Se os passageiros estiverem soltos no interior do automóvel, qualquer movimento brusco, como o de uma travagem ou um choque acidental, o automóvel irá parar subitamente, e os passageiros serão projetados, tendendo a continuar o movimento que possuíam antes. O cinto de segurança é uma maneira de prender os passageiros ao banco do carro. Veja o exemplo do cavalo e do cavaleiro. Quando o cavalo pára subitamente, o cavaleiro que estava em movimento tende a continuar em movimento. O exemplo, ilustra bem a importância do uso do cinto de segurança quando andamos de automóvel. Se os passageiros estiverem soltos no interior do automóvel, qualquer movimento brusco, como o de uma travagem ou um choque acidental, o automóvel irá parar subitamente, e os passageiros serão projetados, tendendo a continuar o movimento que possuíam antes. O cinto de segurança é uma maneira de prender os passageiros ao banco do carro.

6 1 a Lei de Newton – Princípio da Inércia

7 Referencial Inercial O referencial só é conciderado inercial se estiver em EQUILÍBRIO, ou seja, não possuir aceleração, quer dizer, ou está em repouso ou em movimento retilíneo uniforme(MRU). O referencial só é conciderado inercial se estiver em EQUILÍBRIO, ou seja, não possuir aceleração, quer dizer, ou está em repouso ou em movimento retilíneo uniforme(MRU). As Leis de Newton somente são válidas para referenciais inerciais. As Leis de Newton somente são válidas para referenciais inerciais. Quando os movimentos tiverem grande duração e se exigir precisão, adotar-se-á como referencial inercial o "referencial estelar", que se utiliza de estrelas (Sol,por exemplo) cujas posições tem sido consideradas invariáveis durante anos de observação. Quando os movimentos tiverem grande duração e se exigir precisão, adotar-se-á como referencial inercial o "referencial estelar", que se utiliza de estrelas (Sol,por exemplo) cujas posições tem sido consideradas invariáveis durante anos de observação.

8 Força Centrífuga Em geral, surge muita confusão a respeito da força centrífuga. Essa confusão é natural, uma vez que ela só é sentida quando o movimento é descrito no sistema em rotação. Num sistema que não está em rotação (sistema inercial), ela não aparece. Em geral, surge muita confusão a respeito da força centrífuga. Essa confusão é natural, uma vez que ela só é sentida quando o movimento é descrito no sistema em rotação. Num sistema que não está em rotação (sistema inercial), ela não aparece. A força centrífuga, que surge no sistema em rotação, resulta da tendência que tem o corpo manter o seu estado de movimento (inércia) no sistema inercial. Disso resulta a tendência de sair pela tangente (o que no caso resultaria no aumento do raio), ou seja, fugir para longe do centro. Portanto, essa força é uma força que resulta da inércia. Você a experimenta no carrossel. A força centrífuga, que surge no sistema em rotação, resulta da tendência que tem o corpo manter o seu estado de movimento (inércia) no sistema inercial. Disso resulta a tendência de sair pela tangente (o que no caso resultaria no aumento do raio), ou seja, fugir para longe do centro. Portanto, essa força é uma força que resulta da inércia. Você a experimenta no carrossel.

9 Força em um referencial não-inercial Um observador no interior do carro, sobre uma aceleração em relação à estrada, quando entra em uma curva sente-se atirado para fora do carro, ou seja para fora da curva. Esta poderia ser considerada a força centrífuga, que o atira para fora da trajetória circular, porém a força centrifuga só é válida para o observador em movimento junto ao carro, ou seja um observador não- inercial. A força centrífuga não é reação da força centrípeta. Um observador no interior do carro, sobre uma aceleração em relação à estrada, quando entra em uma curva sente-se atirado para fora do carro, ou seja para fora da curva. Esta poderia ser considerada a força centrífuga, que o atira para fora da trajetória circular, porém a força centrifuga só é válida para o observador em movimento junto ao carro, ou seja um observador não- inercial. A força centrífuga não é reação da força centrípeta.


Carregar ppt "Primeira Lei de Newton. - Equilíbrio - R = 0 => nenhuma força atuando ou todas se anulam R = 0 => nenhuma força atuando ou todas se anulam R = 0 => equilíbrio."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google