A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dr. Luiz Carlos Magno Delegado de Polícia ORGANOGRAMA DO DENARC DENARC DEPARTAMENTO DE INVESTIGAÇÕES SOBRE NARCÓTICOS GERCO ASSISTÊNCIA POLICIAL DIV.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dr. Luiz Carlos Magno Delegado de Polícia ORGANOGRAMA DO DENARC DENARC DEPARTAMENTO DE INVESTIGAÇÕES SOBRE NARCÓTICOS GERCO ASSISTÊNCIA POLICIAL DIV."— Transcrição da apresentação:

1

2 Dr. Luiz Carlos Magno Delegado de Polícia

3 ORGANOGRAMA DO DENARC DENARC DEPARTAMENTO DE INVESTIGAÇÕES SOBRE NARCÓTICOS GERCO ASSISTÊNCIA POLICIAL DIV. DE INV. SOBRE ENTORPECENTES DISE DIV. DE PREVENÇÃO EDUCAÇÃO DIPE DIV. DE INTELIGÊNCIA E APOIO POL. DIAP DIV. DE ADMINIST. NAPE

4 Serviços policiais MAPEAMENTO DAS FAVELAS COM INDICAÇÃO DOS PONTOS DE TRÁFICO E SEUS LÍDERES. MAPEAMENTO DOS FOCOS DE USO E TRÁFICO DE CRACK. MAPEAMENTO DOS AEROPORTOS OFICIAIS, PARTICULARES E CLANDESTINOS. MAIOR INTEGRAÇÃO COM ÀS DISES DO INTERIOR: INTERLIGAÇÃO ON LINE OPERACIONAL.

5 NAPE NÚCLEO DE APOIO E PROTEÇÃO À ESCOLA PORTARIA DO DENARC Nº26 /2003 DATA DA IMPLANTAÇÃO: junho de 2003 OBJETIVO: REPRESSÃO AO TRÁFICO DE DROGAS NAS IMEDIAÇÕES DAS ESCOLAS ESCOLAS PÚBLICAS NA CAPITAL: 2700 TRAFICANTES PRESOS: 1636 APOIO ÀS ESCOLAS

6 DENARC ESTATÍSTICA DE APREENSÕES – ANO UNIDADETOTAL FLAGRANTES 592 HOMENS 233 MULHERES 156 MENORES 36 MACONHA 6,173 ton COCAÍNA 4,684 ton CRACK 52,500 k. HAXIXE 660,0 g LSD (MICROPONTOS) 274 f. ECSTASY(COMPRIMIDOS) c.

7 DENARC DIVISÃO DE PREVENÇÃO E EDUCAÇÃO - DIPE ASSISTÊNCIA POLICIAL SEÇÃO DE ENSINO MUSEU – UNIDADE MÓVEL AUDITÓRIO CURSOS DE CAPACITAÇÃO CURSOS DE CAPACITAÇÃO: -Cursos para Agentes Multiplicadores -Seção de encaminhamento -- Palestras, cursos e seminários

8 CICLO ECONÔMICO DA DROGA PRODUÇÃO CONSUMO DISTRIBUIÇÃO

9 Drogas Visão Histórica AC Ópio: (Morfina, heroína,Codeína) AC Maconha: ( skank, haxixe) AC Álcool 500 AC Coca: (cocaína, crack, merla) DC Tabaco: ( nicotina s.q.) Barbitúricos; anfetaminas Maconha, LSD, ansiolíticos Cocaína,sintética, Solventes

10 Droga: artificialmente É toda substância ou produto que administrado ao organismo vivo, produz, artificialmente modificações em uma ou mais funções. (O.M.S.) É toda substância ou produto que administrado ao organismo vivo, produz, artificialmente artificialmente modificações em uma ou mais funções. (O.M.S.)

11 Psicotrópicos São substâncias que têm tropismo; atração e afinidade pela mente. Agem, principalmente sobre o S.N.C.(Sistema Nervoso Central), particularmente sobre o cérebro. Psicoativas: Alteram o comportamento Conduzem a atos anti-sociais

12 Dependência Química Síndrome de abstinência ou privação Tolerância Toxicidade Neuropsicológica reversível / irreversível Auto-administração Ação prazerosa: (circuito de recompensa)

13 Desejo de consumir a droga Efeitos Diretos Positivos Da droga no cérebro (circuito de recompensa) Ingestão da droga Efeitos indiretos da droga Efeitos indesejáveis da droga

14 O homem foi criado por Deus e sua alma não encontrará descanso, enquanto não se voltar para Deus. (Santo Agostinho) REFLEXÃO:

15

16 Aspectos Bio-Psico-sociais Curiosidade Prazer imediato; diversão Relaxamento; stresse Novidade / Perigo: Não se importam com riscos Pressão do grupo/Aceitação Insegurança quanto a sexualidade. Imediatismo = não passar vontade Ociosidade/ falta de projetos Anomia: Ausência de regras e valores (DROGAS, um desrespeito à inteligência)

17 Fatores de risco na prevenção Baixa auto-estima Conflitos: sexuais, fobias, insegurança, rejeição, discriminação racial, social Paranóia da estética Família: encobre, protege, defende, pagas as contas dele. o dependente não procurará ajuda enquanto suas necessidades forem supridas. (NAR-ANON)

18 A RELAÇÃO PAIS-FILHOS Educação permissiva Falência da autoridade familiar Pais materiais e não morais Dogma da educação não-traumatizante Cultura do prazer instantâneo Valores religiosos ausentes

19 Aos pais e professores Ensinar os jovens a arte de pensar Desenvolver a consciência crítica Estabelecer metas e sonhos Pensar antes de agir Encoraje atitudes positivas do usuário conhece-te a ti mesmo (Sócrates) Ninguém é responsável pela dependência de drogas de outra pessoa ou pela sua recuperação ( NAR-ANON)

20 % De uso na vida 74,1 29,5 19,9 13,4 3,9 6,4 1, ALCTABINALMEDANFMACCOC

21 Destiladas – (pinga, whisky, vodka, rum) Fermentadas – (cerveja, vinho) Biotônicos = 4,8% (atualmente retirado) espuminha Início: geralmente na infância. Pais/parentes dão espuminha de cerveja. Padrão de uso na população % - são abstêmios. 60% - bebem socialmente 10-15% - bebem abusivamente. Razões: Relaxamento, machismo. Bebida Alcoólica

22

23

24

25 Trabalhadores e álcool 32% internações hospitais psiquiátricos 75% acidentes fatais 8ª causa de concessão de licença e auxílio doença Efeitos gerais: moleza, cansaço, dificuldade para se concentrar, enjôo, agressividade, São acidentes/ano e cerca de mortes – fonte: OIT e Min. Saúde.

26 Tabagismo (Cigarros, Charutos e Cachimbos) Considerações sobre o tabagismo Nome Científico: Nicotina Tabacum substâncias químicas Aditivos aromáticos. Alcatrão, Co2, Arsênio, Fenol, Piridina, Benzopireno (altamente cancerígeno) A maior causa de Doença Evitável e morte prematura – (O. M. S.)

27 tabagismo 85% das aposentadorias precoces e invalidez no trabalho 30% câncer e outras patologias 25% angina 30% doenças cérebro-vasculares: Outros: irritabilidade, inquietação, ansiedade, queda na concentração. Fumódromo: perde-se cerca de 10 mim. A cada cigarro.

28 Tabagismo Para a Mulher: Antecipação da menopausa, aumenta em 700 % o risco de infarto do coração na associação do tabaco x pílula anticoncepcional, ainda câncer do colo e útero. Osteoporose, envelhecimento precoce. Transmissão genético-hereditária ± 70 %.

29 Maconha COMUM = 3% T.H.C SINSEMILA = 7,5% HAXIXE = de 3,6 – 28% SKANK = até 35% ÓLEO OU RESINA = 16% MACONHA + ÁLCOOL efeito: relaxante aumenta efeito hilariante Interfere na capacidade de dirigir Princípio Ativo: delta-9=Tetrahidrocanabinol

30 MACONHA X TRABALHO: DIFICULDADE DE MEMÓRIA PERCEPÇÃO E RACIOCÍNIO HABILIDADE MOTORA Outros efeitos: desatenção, disperso, dificuldade para tarefas complexas: (dirigir carros); efeitos podem duras até dois ou três dias após o uso. MACONHA X TRABALHO: DIFICULDADE DE MEMÓRIA PERCEPÇÃO E RACIOCÍNIO HABILIDADE MOTORA Outros efeitos: desatenção, disperso, dificuldade para tarefas complexas: (dirigir carros); efeitos podem duras até dois ou três dias após o uso.

31

32

33

34

35 ENCERRANDO As drogas são a perdição da juventude; 2005 – 165 universitários presos em flagrante, tráfico de drogas. Mais de 65% da criminalidade tem relação com as drogas; A que mais cresceu: ÊXTASE.

36 Perda do Controle Curiosidade Pressão de Grupo Uso mais Freqüente Dependência Perda da Capacidade de optar pelo não uso Perda da Capacidade de optar pelo não uso Uso Habitual Perda da vontade Pressão de Grupos Curiosidade Uso Esporádico Iniciativa Problema de Recuperação

37 Triunfo das Nulidades De tanto ver triunfar as nulidades, De tanto ver crescer as injustiças, De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mão dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto. Ruy Barbosa.

38 Filosofia de um campeão A vida é algo que Deus nos dá. Em muitos casos, cabe-nos mostrar a Deus que entendemos que a vida e a saúde devem ser consideradas como uma dádiva. E é nossa responsabilidade preservar tal dádiva. Ayrton Senna da Silva

39 DENARC DENUNCIA ANÔNIMA ATENDIMENTO PSICOLÓGICO

40 Grato pela presença. Que Deus, o Grande Arquiteto do Universo, os abençoe.


Carregar ppt "Dr. Luiz Carlos Magno Delegado de Polícia ORGANOGRAMA DO DENARC DENARC DEPARTAMENTO DE INVESTIGAÇÕES SOBRE NARCÓTICOS GERCO ASSISTÊNCIA POLICIAL DIV."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google