A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Currículo Social Professor Doutor Thomé Tavares.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Currículo Social Professor Doutor Thomé Tavares."— Transcrição da apresentação:

1 O Currículo Social Professor Doutor Thomé Tavares

2 Introdução A Escola representa uma instituição social que através de suas diversas formas de atuação,detém recursos para manter o controle social, desta forma, defendemos a tese de sua missão precípua é de se criar, conservar e de se multiplicar valores individuais

3 Concepções Históricas de Criança e Juventude A noção de Infância é uma construção da sociedade moderna, que passou a diferenciá-la por fases;

4 A criança era considerada como um adulto em miniatura, diferenciada apenas pelo tamanho;

5 Na idade Média, o conceito de infância e a relação com os filhos era completamente diferente dos dias atuais. Para a sociedade medieval o importante era a criança crescer rapidamente para poder participar do trabalho e de outras atividades do mundo adulto.

6 Na antiguidade toda a autoridade estava sobre o Pai, que podia fazer com o filho o que quisesse, sem sofrer sanções por parte do Estado; À partir do século XV a educação passou a ser fornecida cada vez mais pela Escola, que deixou de ser reservada aos clérigos, para se tornar instrumento de iniciação social.

7 Uma das maiores dificuldades com a criança consiste na tarefa de dosar entre o amor e a permissividade; As Escolas por sua vez, alegam toda a culpa em cima da família que não consegue impor limite. Eis o conflito formado.

8 As Formas de Violência contra a Criança e o Adolescente A sociedade criou leis nas quais as crianças foram classificadas qualitativamente diferente dos adultos; numa centena de normas, foi- lhes atribuído um Estatuto preferencial que visa a promoção de todos os aspectos do crescimento.

9 Com a crise de valores que afeta a família, é provável que problemas enfrentados em sala de aula seja a ausência do senso de limites; A criança é fruto da relação com os pais, mas possui suas próprias características, que sofre influencia do meio ambiente e da cultura.

10 A Escola como Instituição Social Como agente de socialização, conjuntamente com a família, a Escola tem como missão, educar para a vida, e encaminhar o sujeito em desenvolvimento para o pleno aperfeiçoamento de sua conta, corrigindo possíveis falhas em seu desenvolvimento que não foram contemplados pela família.

11 Nessa perspectiva, enquanto a sociedade se desmonta, face aos problemas políticos e sociais, a Escola se REDIMENSIONA em seus compromissos sociais, constituindo-se na espinha dorsal da educação formal.

12 Segundo Demeterco (2007), a juventude aparece neste contexto de maneira significativa, na medida em que os jovens procuram novos referenciais de comportamento e de identidade na sociedade,além da necessidade de investir em si mesmo, como forma de suportar o peso deste mundo centrado no indivíduo.

13 A Escola e o Controle Social A Escola é uma organização que está sempre se (re)construindo, e que não pode deixar de ser flexível e aberta para mudanças, não esquecendo-se da necessidade de motivar e potencializar os alunos em suas competências.

14 Quando tudo falha, as autoridades políticas do Estado, repassam a Escola o desafio de reconstruir o homem demolido, e assim, ela se potencializa na Escola que Protege, e na Escola que faz enfrentamento ao desvio social.

15 A Escola e a Anomia Social Apresentado inicialmente pelos conceitos de Durkheim (1897), define o termo Anomia, como a falta de normas que regulam as relações sociais; Diante das situações anômicas, o indivíduo passa a agir sob diferentes formas de anormalidades

16 A Teoria de Anomia Social, pressupõe uma incongruência entre a estrutura social e a estrutura cultural, que o caracteriza uma sociedade desestruturada e desorganizada que gera indivíduos inadaptados e corruptos

17 Transformações Sociais através da Educação Cremos assim numa Pedagogia Libertária (Paulo Freire, 2002), que se constitui numa nova crença da Escola, na perspectiva de libertar os oprimidos das pressões e das injustiças sociais.

18 A Escola deve promover uma ação pedagógica em vista de mudanças sociais. Deve promover uma educação popular voltada para as populações marginais, agredidas e violentadas em seus direitos constitucionais.

19 O foco pedagógico dos conteúdos se centralizam numa epistemologia voltada para os problemas sociais, principalmente sobre os agentes promotores da violência social infanto- juvenil.

20 O Papel do Educador Social O educador social é interessado nas preferências motivacionais do aluno, respeitando o seu potencial, e aceitando a todos igualmente; Uma outra característica é o envolvimento com a família, considerando a pedagogia do lar, como fundamental da defesa da criança e do adolescente.

21 Nessa perspectiva, os pais devem receber instruções pedagógicas para aplicar aos seus filhos na continuidade do ensino no lar.

22 Características da Escola que Protege A) Senso de Pertencer; B) Liderança; C) Padrão de excelência; D) Colaboração e cooperação; E) Novos papéis e responsabilidades; F) Parceria com os pais;

23 G) Ambientes flexíveis de aprendizagem. H) Estratégias baseadas em pesquisas. i) Novas formas de avaliação escolar. J) Formação continuada. k) Atenção e vigilância no acompanhamento ao alunado.

24 Construindo um Currículo Social Considerando a expectativa em torno do novo papel da Escola, é mister a construção de um currículo que incentive a prática de novos saberes, conscientizando os educadores e os demais que atuam na Escola.

25 Afim de conceituarmos o currículo Social, é necessário que se redimensione os novos papéis e a função social da Escola na comunidade; É necessário também que os Educadores possuam uma ampla visão social no que tange a uma educação centrada no aluno.

26 Características do Currículo Social A construção do Currículo Social parte da Escola, visando a proteção e a defesa de seu alunado. Para se efetivar esse Currículo, a Gestão Escolar deve manter interface com os demais órgãos da Sociedade, em defesa e proteção de seu alunado.

27 Perpassando pelas tarefas acadêmicas, o Currículo Social requer dos Educadores uma ampla leitura da conjuntura social, considerando o papel do Estado em potencializar o processo educativo, e de valorizar a Escola nas suas dimensões socializadora, preventiva, e de enfrentamento contra a violência.

28 Considerações Finais O objetivo final de criação de um currículo social é de se instituir conselho municipal de proteção a criança e o adolescente contra quaisquer tipos de violência infanto-juvenil;

29 Nesse conselho terão assento representantes do Ministério Público, da Vara de Família, do Conselho Tutelar, das Polícias Civil e Militar, da Secretária de Bem Estar Social e educadores, tais como representantes da Secretária Municipal de Educação, constituindo-se assim na Rede de Proteção á criança e o adolescente contra a violência infanto-juvenil.


Carregar ppt "O Currículo Social Professor Doutor Thomé Tavares."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google