A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O que é fazer Auditoria Operacional? Tony Angleryd The Swedish National Audit Office.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O que é fazer Auditoria Operacional? Tony Angleryd The Swedish National Audit Office."— Transcrição da apresentação:

1 O que é fazer Auditoria Operacional? Tony Angleryd The Swedish National Audit Office

2 Tendências Internacionais em auditoria A sociedade de auditores e seus inimigos A sociedade de auditores e seus inimigos Tudo deve ser relatado e auditado A burocracia em torno da auditoria deve ser limitada Retorno ao básico e foco em conformidade Conduzir avaliações de programa avançadas ? Padronização & & harmonização Juiz, cão de guarda ou promotor de mudanças

3 EFS e auditoria governamental Similaridades entre as ESF Princípios, papel e missão Princípios, papel e missão Luta pelo Poder (posição e atribuições) Luta pelo Poder (posição e atribuições) Distinções entre as ESF Condições constitucionais e políticas Condições constitucionais e políticas Atribuições e organização Atribuições e organização Recursos e competência Recursos e competência

4 Administração contábil/financeira Impacto das políticas e ações governamentais Eficiência de programas Eficiência Administrativa Transações individuais Demonstrações contábeis e financeiras Controle Interno Conformidade Auditoria FinanceiraAuditoria Operacional Auditorias de economicidade Relatórios não econômicos Efetividade dos programas da entidade auditada

5 Tendências que afetam a Auditoria Financeira A criação de organismos governamentais com competências administrativas e funções de controle interno A criação de organismos governamentais com competências administrativas e funções de controle interno Desde o início - sistemas integrados de controle Desde o início - sistemas integrados de controle Auditorias internas e externas desenvolvidas sob influências globais Auditorias internas e externas desenvolvidas sob influências globais Questões não econômicas (relatórios operacionais, ambientais, sociais, etc.) estão recebendo mais atenção Questões não econômicas (relatórios operacionais, ambientais, sociais, etc.) estão recebendo mais atenção Questões novas e mais exigentes devem ser abordadas (irregularidades complexas, auditorias temáticas, etc.) Questões novas e mais exigentes devem ser abordadas (irregularidades complexas, auditorias temáticas, etc.) Será o GAO o modelo futuro para as ESF?

6 RecursosComportamentos P rocessos Resultados Conseqüências Administrando programas governamentais Define insumos Despesas Emite Diretrizes Conformidade Regula a Conformidade Define resultados Auditoria Operacional Define objetivos Auditoria Operacional Ferramentas administrativas

7 A sociedade exige mais que as formas tradicionais de controle e auditoria Estruturas complexas e amplas camadas de reformas Condições e necessidades mudando rapidamente Fracos incentivos inerentes para a mudança Finanças públicas versus necessidades da população Melhoramentos e aprendizados permanentes

8 Auditoria Operacional (INTOSAI) AO é um exame independente da eficiência e da efetividade de ações, programas ou organizações governamentais, com a devida atenção à economia, A AO é um exame independente da eficiência e da efetividade de ações, programas ou organizações governamentais, com a devida atenção à economia, e visando a conduzir a melhorias. As duas perguntas básicas: As duas perguntas básicas: As coisas estão sendo feitas de modo certo? As coisas estão sendo feitas de modo certo? As coisas certas estão sendo feitas? As coisas certas estão sendo feitas? Baseada em decisões produzidas pelo legislativo Podem ser realizadas em de todo o setor público Podem ser realizadas em de todo o setor público Um exame realizado com base ad hoc Um exame realizado com base ad hoc Enfoca o desempenho, não os gastos e contabilidade Enfoca o desempenho, não os gastos e contabilidade Não é uma forma de auditoria do tipo check-list Não é uma forma de auditoria do tipo check-list

9 Auditoria Operacional O quê e para quê? Por que se deve auditar? Para salvaguardar bom desempenho, transparência, accountability, aprendizado e melhorias Para salvaguardar bom desempenho, transparência, accountability, aprendizado e melhorias Qual deve ser o foco? Desempenho de políticas, serviços e organizações (o desempenho que é responsabilidade do Governo e dos seus ministros e que os mesmos possam influenciar) Desempenho de políticas, serviços e organizações (o desempenho que é responsabilidade do Governo e dos seus ministros e que os mesmos possam influenciar)

10 Auditoria Operacional –Quando e como? Quando deve ser realizada? Quando houver indícios de problemas influentes e materiais Quando houver indícios de problemas influentes e materiais Como deve ser realizada? Através da avaliação do desempenho confrontado com as intenções, expectativas, decisões, melhores práticas etc. Através da avaliação do desempenho confrontado com as intenções, expectativas, decisões, melhores práticas etc. Através de informações úteis, objetivas e confiáveis e de análises bem fundamentadas Através de informações úteis, objetivas e confiáveis e de análises bem fundamentadas

11 Auditoria Operacional e política Decisões políticas são tomadas como definitivas Decisões políticas são tomadas como definitivas Auditoria Operacional examina se os objetivos são cumpridos e pode explicar deficiências na legislação em vigor Auditoria Operacional examina se os objetivos são cumpridos e pode explicar deficiências na legislação em vigor Auditoria Operacional pode sugerir alterações na legislação para melhorar o desempenho operacional e obter o cumprimento dos objetivos Auditoria Operacional pode sugerir alterações na legislação para melhorar o desempenho operacional e obter o cumprimento dos objetivos AO não desafia a política. Ajuda a política a se implementar. AO não desafia a política. Ajuda a política a se implementar.

12 Atividade Input Output Conseqüência EfetividadeEconomiaEficiência Mantendo os custos baixos Maximizando a utilização dos recursos disponíveis Atingindo as metas estipuladas O MODELO INPUT-OUTPUT Objetivo

13 Resultado e conseqüência ResultadoConseqüência Banco rural Empréstimos a agricultores Produção Agrícola Saúde Tratamentos Pacientes curados Educação Cursos de treinamento Melhor conhecimento Controle de trânsito Fiscalizações Menos acidentes Programa de Redução da pobreza Subsídios, Cursos de treinamento novas construções Melhores condições de vida Menos pessoas pobres Atividade

14 Auditoria Operacional pode responder a perguntas como Os objetivos políticos estão se realizando? Os objetivos políticos estão se realizando? Há uma boa relação de custo e benefício? Há uma boa relação de custo e benefício? As secretarias estão operando com eficiência? As secretarias estão operando com eficiência? Como os problemas existentes podem ser reduzidos? Como os problemas existentes podem ser reduzidos?

15 Condição, estrutura, ambiente etc. Sistemas, processos, práticas & comportamento AO ADVANÇADA Quais são os obstáculos para um bom desempenho? Conseqüência 1 (2)Atividades, custos e resultados AO TRADICIONAL Será que o desempenho está de acordo com o critério estabelecido ? Meta-AvaliaçãoAdministração (Planejamento, objetivos, avaliação e indicadores AO LIGHT O sistema gerencial é sólido? Controle externo e Irregularidadaes Controle interno e irregularidades CONFORMIDADE Cumpre-se a legislação? AMBIÇÃOFOCO INTERNO FOCO EXTERNO

16 Princípios Competência definida e acesso a informação Competência definida e acesso a informação Proteção contra influências indevidas Proteção contra influências indevidas Serve a políticos porém não é auditoria de conformidade Serve a políticos porém não é auditoria de conformidade Exige habilidade especializada Exige habilidade especializada

17 Auditores possuem lealdades diferentes AUDITORIA OPERACIONAL Economia, eficiência e efetividade Economia, eficiência e efetividade AUDITORIA FINANCEIRA OU DE CONFORMIDADE Legislação regulatória e normas de contabiliadade Legislação regulatória e normas de contabiliadade

18 Relatório anual. Mais padronizados. Produz certificações e opiniões. Resultados menos informativos. Ad hoc. Varia de conteúdo. Produz análises que promovam mudança e aprendizado. Resultados informativos. Relatório Voltado para o processo, valores profissionais Visa resultados, voltado para a pesquisa Caracte- rística Formato padrão. Informação obtida do auditado De todos os tipos. Variam de uma auditoria para outra. Grande quantidade de fontes de informação Fontes e métodos Contabilidade e direito. São peritos na área. Sabem a maioria das respostas e são capacitados e podem dar boa orientação. Economia,ciência política, sociologia... Não perito nas áreas auditadas. Não sabe as respostas. Educação ( Formação ) Demonstrações financeiras (transações, contabilidade, procedimentos de controle chave) Política, programa, organização, atividade e administração (gerência) Foco em As operacões contábeis estão sendo executadas de modo legal e regular e será que as contas e o controle interno são confiáveis? As políticas, programas e as organizações estão desempenhando seus papeis corretamente, ou será que podem ser mais econômicos, eficientes e efetivos? Questão básica Auditoria financeiraAuditoria operacionalAspecto

19 Plano Estratégico Plano Estratégico - Orientação e Temas - Orientação e Temas Plano Anual Plano Anual - Problemas e Auditorias - Problemas e Auditorias Estudos prévios com Plano de Trabalho Estudos prévios com Plano de Trabalho - Aprendizado e planejamento - Aprendizado e planejamento Estudo principal com o Relatório de Auditoria Estudo principal com o Relatório de Auditoria - Coleta de dados, Análises, Documentação - Coleta de dados, Análises, Documentação - Governo, Parlamento e Mídia - Governo, Parlamento e Mídia Follow-up Follow-up - Aprendizado e Divulgação - Aprendizado e Divulgação O Processo de Auditoria na AO

20 Falta de correspondência Indicíos de problemas Expectativas Realidade O que é uma questão de auditoria Conseqüências negativas

21 Indícios de problemas Excesso de gastos e desempenho medíocre Excesso de gastos e desempenho medíocre Falta de clareza na alocação do trabalho Falta de clareza na alocação do trabalho Ambigüidades e contradições no marco regulatório Ambigüidades e contradições no marco regulatório Demoras ou longos prazos de processamento Demoras ou longos prazos de processamento Elevado número de reclamações Elevado número de reclamações Indícios de efeitos colaterais negativos Indícios de efeitos colaterais negativos Problemas verificados em outros estudos Problemas verificados em outros estudos Incertezas sobre a eficiência e sobre a efetividade Incertezas sobre a eficiência e sobre a efetividade

22 A escolha do topico de auditoria Materialidade e riscos Competência (Mandate) e auditabilidade Dados, complexidade, recursos e competência Riscos externos (temas politicamente controversos, etc.) Potencial para mudança e interesses externos Possibilidade de realização de uma auditoria Relevância

23 Os diferentes passos Questão de auditoria: De que trata a auditoria – Questão de auditoria: De que trata a auditoria – o auditado é E, E ou E? o auditado é E, E ou E? (Critérios: O que devem ser?) (Critérios: O que devem ser?) Evidência: Quais são as condições? Evidência: Quais são as condições? Achados: Qual é a resposta? Achados: Qual é a resposta? Análises: Por que os achados divergem Análises: Por que os achados divergem dos critérios? dos critérios? Recomendações: O que fazer? Recomendações: O que fazer? Auditado = Programa, atividades ou autoridade

24 Critério de auditoria – o que deve ser Relevante, razoável e atingível Políticas, metas e objetivos Leis, regulamentos e decisões Melhores práticas Comparação histórica Normas profissionais e experiências Peritos independentes e conhecimento científico

25 Durante o estudo principal é importante: Ser criativo, flexível, e criterioso na coleta de dados (segunda melhor solução) Ser criativo, flexível, e criterioso na coleta de dados (segunda melhor solução) Buscar informações e argumentos de diferentes fontes e perspectivas (equilíbrio) Buscar informações e argumentos de diferentes fontes e perspectivas (equilíbrio) Manter um distância objetiva da informação e argumentos obtidos (integridade) Manter um distância objetiva da informação e argumentos obtidos (integridade) Ser receptivo a argumentos e pontos de vista (aprendizado) Ser receptivo a argumentos e pontos de vista (aprendizado) Encontrar evidências e fontes sólidas (confiabilidade) Encontrar evidências e fontes sólidas (confiabilidade)

26 O relatório deve ser objetivo e confiável Objetivos, escopo, metodologia e fontes Objetivos, escopo, metodologia e fontes Os fatos devem ser bem fundamentados, apresentados de modo objetivo e interpretados de maneira justa e neutra Os fatos devem ser bem fundamentados, apresentados de modo objetivo e interpretados de maneira justa e neutra O relatório deve ser bem escrito, bem estruturado, e conter todos os argumentos e conclusões relevantes O relatório deve ser bem escrito, bem estruturado, e conter todos os argumentos e conclusões relevantes O relatório deve ser completo, equilibrado, preciso, convincente, claro e conciso O relatório deve ser completo, equilibrado, preciso, convincente, claro e conciso Recomendações, se oferecidas, devem ser endereçadas diretamente a solucionar as causas raiz dos problemas Recomendações, se oferecidas, devem ser endereçadas diretamente a solucionar as causas raiz dos problemas A boa comunicação é essencial

27 Implantar Auditoria Operacional não é um quebra galho (quick fix) Ambiente político Ambiente político Cultura administrativa Cultura administrativa Cultura interna e hábitos Cultura interna e hábitos Recursos e competência Recursos e competência Infra-estrutura e práticas Infra-estrutura e práticas Envolvimento da gerência Envolvimento da gerência Entretanto, todos eles dizem que valeu a pena


Carregar ppt "O que é fazer Auditoria Operacional? Tony Angleryd The Swedish National Audit Office."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google