A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dúvidas Arquivo Clearance.ppt (med-unicamp-segundo ano) Site Dúvidas Arquivo Clearance.ppt.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dúvidas Arquivo Clearance.ppt (med-unicamp-segundo ano) Site Dúvidas Arquivo Clearance.ppt."— Transcrição da apresentação:

1 Dúvidas Arquivo Clearance.ppt (med-unicamp-segundo ano) Site Dúvidas Arquivo Clearance.ppt (med-unicamp-segundo ano) Site

2

3 Parâmetro Farmacocinético mais importante Parâmetro Farmacocinético mais importante Clearance

4 Essencial para o cálculo da dose a ser administrada ao paciente Essencial para o cálculo da dose a ser administrada ao paciente

5 Clearance Avalia a capacidade do organismo em eliminar o medicamento Avalia a capacidade do organismo em eliminar o medicamento

6 No Estado de Equilíbrio (ss) Quantidade droga que é absorvida (Q in ) é igual Quantidade de droga que é eliminada (Q out ) Quantidade droga que é absorvida (Q in ) é igual Quantidade de droga que é eliminada (Q out )

7 No Estado de Equilíbrio (ss) Quantidade que entra (Q in ) é igual Quantidade que sai (Q out ) Quantidade que entra (Q in ) é igual Quantidade que sai (Q out )

8 dose administrada (D) dose administrada (D) intervalo de tempo da dose () intervalo de tempo da dose ( ) biodisponibilidade () biodisponibilidade (F) Q in = Dose Dose. F Q in depende de:

9 Q out depende de: clearance (Cl) concentração no estado de equilíbrio (C ss ) clearance (Cl) concentração no estado de equilíbrio (C ss ) Q out = Cl. C ss

10 Paciente (sexo masculino) apresenta-se no pronto socorro com crise asmática (broncoconstrição). Paciente é não fumante e não apresenta outras complicações. Qual a dose de teofilina (broncodilatador) a ser infundida por via endovenosa (R 0 ) para alívio dos sintomas deste paciente? Paciente (sexo masculino) apresenta-se no pronto socorro com crise asmática (broncoconstrição). Paciente é não fumante e não apresenta outras complicações. Qual a dose de teofilina (broncodilatador) a ser infundida por via endovenosa (R 0 ) para alívio dos sintomas deste paciente? Caso Clínico

11 Concentração desejada - 15 g/mL Concentração desejada - 15 g/mL Clearance da teofilina - 48 mL/min Clearance da teofilina - 48 mL/min Concentração desejada - 15 g/mL Concentração desejada - 15 g/mL Clearance da teofilina - 48 mL/min Clearance da teofilina - 48 mL/min Caso Clínico

12 No estado de equilíbrio (ss) Q que entra (Q in ) = Q que sai (Q out ) Infusão intravascular (F=1) Cl. C ss = Dose

13 Caso Clínico R 0 = Cl. C ss R 0 = 48 mL/min. 15 g/mL R 0 = 720 g/min

14 O ataque de asma foi aliviado, o médico agora quer manter o paciente com o mesmo nível terapêutico usando medicação por via oral, em intervalos de 8, 12 ou 24h. A biodisponibilidade da teofilina é 1. Caso Clínico

15 No estado de equilíbrio (ss) Quantidade que entra é igual Quantidade que sai Quantidade que sai Quantidade que entra é igual Quantidade que sai Quantidade que sai

16 Biodisponibilidade (F). Dose Intervalo de tempo Cl. C ss = Administração extravascular Caso Clínico Cl. C ss = F. Dose

17 Dose = 720 g/min. Dose = 720 g/min. Dose = 43.2 mg/h. Dose = 43.2 mg/h. Se = 8h, dose = mg 8/8h Se = 12h, dose = mg 12/12h Se = 24h, dose = mg 24/24h Cálculo da dose por via oral

18 Administração de Teofilina Tempo (h) Concentração Plasmática de Teofilina (mg/L) Concentração Plasmática de Teofilina (mg/L) 24/24h 8/8h infusão endovenosa

19 Balanço das massas CaCaCaCa CvCvCvCv C a -C v Órgão Veia Artéria

20 Balanço das massas normalizado pela quantidade apresentada ao órgão E E Fração de extração E Órgão Veia Artéria

21 Fração de Extração (E) Fração da droga que é removida da circulação por um determinado órgão

22 Fração de Extração (E) Fração de extração (E) = C a - C v C a

23 Fração de Extração (E) 0 E 1

24 Fração de Extração (E) Se C v = 0, temos E = 1, ou seja, 100% da droga foi extraída da circulação pelo órgão em questão. O órgão neste caso possui alta capacidade de extração para esta droga.

25 Fração de Extração (E) Se C v = C a, temos E = 0, ou seja, a droga não é extraída da circulação pelo órgão em questão. O órgão neste caso não possui capacidade de extração para esta droga.

26 Balanço das massas CaCaCaCa CvCvCvCv C a -C v Órgão Veia Artéria

27 Clearance Balanço de massas Fx. C a Fx. C v Órgão Veia Artéria Fx. (C a - C v ) CaCaCaCa CaCaCaCa

28 ClearanceClearance Clearance = Fx. (Ca - Cv)(Ca - Cv) Ca Ca(Ca - Cv)(Ca - Cv) Ca Ca

29 Balanço das massas normalizado pela quantidade apresentada ao órgão E E Fração de extração E Órgão Veia Artéria

30 Balanço das massas normalizado para a concentração de entrada FxFx Fx. (1-E) Fx. E = Clearance Órgão Veia Artéria

31 Clearance Sanguíneo (Cl s ) Clearance sanguíneo (Cl s ) de um órgão é igual Fluxo sanguíneo do órgão (Fx) Fluxo sanguíneo do órgão (Fx)vs. Fração de extração (E) do órgão Fração de extração (E) do órgão

32 Clearance Hepático (Cl H ) Assim sendo, se E H aproxima-se de 1 (a droga possui alta extração hepática), sua remoção é dependente do fluxo sanguíneo. Da mesma maneira, se E H aproxima-se de zero (a droga possui baixa extração hepática), sua remoção é independente do fluxo. Assim sendo, se E H aproxima-se de 1 (a droga possui alta extração hepática), sua remoção é dependente do fluxo sanguíneo. Da mesma maneira, se E H aproxima-se de zero (a droga possui baixa extração hepática), sua remoção é independente do fluxo. Cl H = Fx H. E H

33 Fx H = Fx AH + FX VP Fluxo Hepático

34 Quantidade de droga eliminada do organismo por unidade de tempo Taxa de Eliminação

35 Taxa de Eliminação (1) Pode ser calculada através da fórmula Taxa de eliminação = Cl. C Taxa de eliminação = ml/min. mg/ml Taxa de eliminação = mg/min Pode ser calculada através da fórmula Taxa de eliminação = Cl. C Taxa de eliminação = ml/min. mg/ml Taxa de eliminação = mg/min

36 Taxa de Eliminação (Tx) Sistêmica Tx sist = Tx r +Tx H + Tx outros

37 Taxa de Eliminação (Tx) Sistêmica Tx sist = Tx r +Tx H + Tx outros CC CCCC CC == Tx Tx r Tx hep Tx out Dividindo pela concentração sanguínea, temos:

38 Taxa de Eliminação (1) Pode ser calculada através da fórmula Taxa de eliminação = Cl. C Taxa de eliminação = ml/min. mg/ml Taxa de eliminação = mg/min Pode ser calculada através da fórmula Taxa de eliminação = Cl. C Taxa de eliminação = ml/min. mg/ml Taxa de eliminação = mg/min

39 Clearance Sistêmico Cl sist = Cl hep + Cl r + Cl outros

40 Taxa de Eliminação (1) Pode ser calculada através da fórmula Taxa de eliminação = Cl. C Taxa de eliminação = ml/min. mg/ml Taxa de eliminação = mg/min Pode ser calculada através da fórmula Taxa de eliminação = Cl. C Taxa de eliminação = ml/min. mg/ml Taxa de eliminação = mg/min

41 Clearance Renal Tx renal = Cl r.C Cl r = Tx renal C Tx renal = Cl r.C Cl r = Tx renal C

42 Quantidade de droga eliminada do organismo por unidade de tempo Taxa de Eliminação

43 Quantidade de droga eliminada pelo rim por unidade de tempo, ou seja, a quantidade de droga eliminada na urina por unidade de tempo Taxa de Eliminação Renal

44 Como se determina a quantidade de droga eliminada pela urina?

45 Medindo-se a concentração da droga na urina e multiplicando-se pelo volume urinário Como se determina a quantidade de droga eliminada pela urina?

46 Clearance da creatinina - I Q de creatinina excretada em 24h Q de creatinina excretada em 24h Concentração média Concentração média Q de creatinina excretada em 24h Q de creatinina excretada em 24h Concentração média Concentração média Cl. creatinina = 1.73g1.73g 24h24h 1mg%1mg%

47 Clearance da creatinina - II Cl. creatinina = 1.73g1.73g 24h24h 1mg1mg 100mL100mL 24h. 1mg 1.73g. 100mL = =

48 Clearance da creatinina - III Cl. creatinina 1440 min. 1mg 1.73g. 100mL = = 120 mL/min = 120 mL/min

49 Clearance Renal Cl r = Fluxo urinário. Concentração urinária concentração plasmática Fluxo urinário. Concentração urinária concentração plasmática Q de droga excretada em um t concentração plasmática Q de droga excretada em um t concentração plasmática Cl r =

50 Clearance Renal Cl r = Tx renal Cl r = C C Q total de droga excretada na urina ASC 0-inf

51 Clearance Sistêmico Cl sist = Tx sistemica Cl sist = C C Q total de droga excretada no ASC 0-inf

52 Clearance Sistêmico Cl sist = Dose ASC 0-inf

53 Taxa de Eliminação (1) Pode ser calculada através da fórmula Taxa de eliminação = Cl. C Taxa de eliminação = ml/min. mg/ml Taxa de eliminação = mg/min Pode ser calculada através da fórmula Taxa de eliminação = Cl. C Taxa de eliminação = ml/min. mg/ml Taxa de eliminação = mg/min

54 Taxa de Eliminação (2) Ou através da fórmula Taxa de eliminação = k. Q Taxa de eliminação = min -1. mg Taxa de eliminação = mg/min Ou através da fórmula Taxa de eliminação = k. Q Taxa de eliminação = min -1. mg Taxa de eliminação = mg/min

55 Taxa de Eliminação (3) Ou através da fórmula Taxa de eliminação = k.V.C Taxa de eliminação = min -1. ml.mg/ml Taxa de eliminação = mg/min Ou através da fórmula Taxa de eliminação = k.V.C Taxa de eliminação = min -1. ml.mg/ml Taxa de eliminação = mg/min

56 Taxa de Eliminação Taxa de eliminação = CL C Taxa de eliminação = k Q Taxa de eliminação = k V C

57 Taxa de Eliminação = Cl C k V C = Cl C = Cl k V = Cl Cl k = Cl V V

58 Cálculo da meia-vida t ½ = t ½ = k e k e

59 Taxa de Eliminação Cl k = Cl V V k e = k e = t ½ t ½

60 Meia-vida e clearance V V t½t½t½t½ t½t½t½t½ Cl =

61 V x t½t½t½t½ = Cl


Carregar ppt "Dúvidas Arquivo Clearance.ppt (med-unicamp-segundo ano) Site Dúvidas Arquivo Clearance.ppt."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google