A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA - SME CENTRO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA - SME CENTRO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA Encontro de Formação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA - SME CENTRO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA - SME CENTRO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA Encontro de Formação."— Transcrição da apresentação:

1 PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA - SME CENTRO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA - SME CENTRO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA Encontro de Formação Continuada dos Professores de História e Geografia da Rede Municipal de Ipatinga 28 de fevereiro de 2012 SEJAM BEM-VINDOS!

2 PAUTA Informes:. Previsão dos encontros para o ano de Plantão Pedagógico. Blog: cenfophistoria.wordpress.com - cenfopgeografia.wordpress.com. – Sugestões de atividades Breve histórico sobre os encontros dos professores de História e Geografia em 2011 Reflexões sobre o ensino de História e Geografia Apresentação e validação do planejamento de História para o 1º bimestre Como ensinar e aprender?. Aprendizagem significativa. Sequência didática. Tarefa

3 REFLEXÕES SOBRE O ENSINO DE HISTÓRIA Segundo os PCNs, à História compete favorecer a formação do estudante como cidadão, para que assuma formas de participação social, política e atitudes críticas diante da realidade atual, aprendendo a discernir os limites e as possibilidades de sua atuação, na permanência ou na transformação da realidade histórica na qual se insere.

4 REFLEXÕES SOBRE O ENSINO DE HISTÓRIA Aprender História depende da leitura e da escrita. E ler e escrever implica compreensão, análise e interpretação de uma diversidade de gêneros de textos. É responsabilidade do professor de História planejar e desenvolver estratégias didáticas voltadas especificamente para formar leitores e para permitir que, pela leitura, os alunos se apropriem de informações e aprendam a pensar historicamente.

5 REFLEXÕES SOBRE O ENSINO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA No mundo atual, de tão rápidas transformações e de tão difíceis contradições, estar formado para a vida significa mais do que reproduzir dados, determinar classificações ou identificar símbolos significa: saber se informar, comunicar-se, argumentar, compreender e agir; enfrentar problemas de diferentes naturezas; participar socialmente, de forma prática e solidária; ser capaz de elaborar críticas ou propostas; e, especialmente, adquirir uma atitude de permanente aprendizado. (PCN, MEC, 2001, p.9)

6 PLANEJAMENTO 2012 – 1º BIMESTRE - HISTÓRIA - 3º CICLO – 11 ANOS (6º ANO) CONTE Ú DOS OBJETIVOS 1.Estudos Hist ó ricos Pra quê estudar hist ó ria? Quem faz a hist ó ria? Tempo hist ó rico Divisão do tempo hist ó rico Como é o trabalho do historiador? Fontes hist ó ricas: tipos e usos. Compreender a necessidade e a finalidade do estudo de Hist ó ria. Identificar o homem como o sujeito da hist ó ria. Compreender como a nossa sociedade registra o tempo. Reconhecer-se como sujeito da hist ó ria. Identificar fontes hist ó ricas e conhecer o trabalho do historiador. 2 – A Evolu ç ão do Homem Á frica: Ber ç o da Humanidade 2.1.-Como o homem primitivo chegou à Am é rica Diferentes maneiras de viver do homem primitivo: cavernas, litoral, interior. Conhecer a teoria da evolu ç ão. Compreender o Continente Africano como ber ç o da humanidade, da civiliza ç ão e do desenvolvimento tecnol ó gico. Conhecer as principais teorias sobre a origem do homem americano. Compreender que o Brasil j á era habitado antes da chegada dos europeus. Entender as diferentes maneiras de viver do homem primitivo: nas cavernas, no interior e no litoral. 3 - Mesopotâmia Crescente F é rtil Agricultura e cidades Sum é rios, babilônicos ass í rios e caldeus Organiza ç ão social e pol í tica: cidades-estado Legado cultural dos povos mesopotâmicos. Saber localizar a região mesopotâmica e identificar os motivos que favoreceram o desenvolvimento das culturas ali localizadas. Entender a rela ç ão entre agricultura e sedentariza ç ão. Conhecer o desenvolvimento pol í tico, econômico e social e cultural dos principais povos da região. Compreender as principais caracter í sticas da religião mesopotâmica Conhecer a tecnologia e cultura mesopotâmica e quais elementos sobrevivem atualmente.

7 PLANEJAMENTO 2012 – 1º BIMESTRE HISTÓRIA – 3º CICLO- 12 ANOS (7º ANO) CONTE Ú DOS OBJETIVOS 1 - Idade M é dia: Fim do Imp é rio Romano (Revisão) Reino Franco Carlos Magno e o Imp é rio Franco Forma ç ão do feudalismo Igreja Medieval Cultura e visão do mundo Cruzadas Renascimento comercial e urbano Crise do s é culo XIV. Entender a desintegra ç ão do Imp é rio Romano. Compreender o processo de ruraliza ç ão da Europa. Identificar os v á rios reinos surgidos com a ruraliza ç ão da Europa. Entender a importância das invasões b á rbaras e caracterizar o feudalismo cl á ssico. Identificar os principais grupos sociais da Idade M é dia: servos e senhores. Compreender o papel da Igreja Cat ó lica na sustenta ç ão da sociedade feudal. Compreender as cruzadas no contexto da mentalidade religiosa predominante na é poca. Compreender o ponto de vista dos á rabes em rela ç ão à s cruzadas. Destacar as mudan ç as que marcaram o fim da Idade M é dia na Europa e dimensionar o papel das cruzadas nessas mudan ç as. Localizar os centros comerciais emergentes. Associar o crescimento das cidades à intensifica ç ão das atividades comerciais. Explicar a emergência de uma nova classe social: a burguesia. Caracterizar as corpora ç ões de of í cio. Explicar o impacto da Peste Negra sobre a popula ç ão e economia da é poca. 2- Forma ç ão dos Estados Nacionais Moderno: União ente o Rei e a Burguesia Conceito de Estado. Definir absolutismo. Contextualizar o absolutismo. Relacionar os interesses da burguesia europeia com a centraliza ç ão do poder mon á rquico. Conhecer os escritores, obras e ideias que legitimavam o poder absoluto do monarca. 3-Renascimento Cultural Europeu: Caracter í sticas Renascimento nas artes Renascimento nas ciências. Conceituar Renascimento e equ í vocos deste conceito. Comparar o Renascimento com o per í odo medieval. Conhecer os princ í pios do Renascimento. Relacionar os principais artistas e obras renascentistas. Compreender o Renascimento como movimento da elite.

8 PLANEJAMENTO 2012 – 1º BIMESTRE HISTÓRIA - 4º CICLO - 13 anos (8º ano) CONTE Ú DOS OBJETIVOS 1-Revoltas Populares: Revolta de Beckman Guerra dos Emboabas Guerra dos Mascates Revolta de Felipe dos Santos Inconfidência Mineira Inconfidência Baiana Revolu ç ão Pernambucana. Identificar as revoltas populares deste per í odo, suas causas, conseq ü ências e importância para o fim do dom í nio português. 2 - Iluminismo: Conceito Iluminismo Inglês Iluminismo Francês Revolu ç ões inglesas. 2.5 – Revolu ç ão Industrial Iluminismo e Independência das 13 colônias inglesas da Am é rica do Norte Iluminismo e Independência das colônias espanholas na Am é rica. Definir iluminismo. Compreender a met á fora das luzes. Identificar as ideias desenvolvidas na Inglaterra e durante o s é culo XVII que seriam sistematizadas pelos pensadores franceses do s é culo XVIII. Conhecer os fil ó sofos franceses e suas ideias. Entender o absolutismo ilustrado. Identificar os fatores do pioneirismo inglês. Caracterizar as fases do artesanato, da manufatura e da maquinofatura. Compreender o conceito de capitalismo e suas diversas fases. Conhecer as principais inven ç ões deste per í odo. Explicar a importância dos cercamentos para a libera ç ão da mão-de-obra e crescimento das cidades. Identificar as mudan ç as operadas na produ ç ão com o desenvolvimento da produ ç ão em s é rie. Conhecer os movimentos de cr í tica ao processo industrial: ludista, cartista, socialismo. Comparar a situa ç ão da classe oper á ria dos primeiros tempos da industrial com as condi ç ões da classe oper á ria de hoje. Identificar a influência das ideias iluministas na independência dos Estados Unidos. Conhecer o processo de independência das colônias inglesas na Am é rica do Norte. Conhecer o processo de independência das colônias espanholas na Am é rica.

9 PLANEJAMENTO 2012 – 1º BIMESTRE – 8º ANO (CONT.) 3 - Revolu ç ão Francesa Fran ç a no s é culo XVIII In í cio da Revolu ç ão Assembl é ia Nacional Conven ç ão Diret ó rio Napoleão e a constru ç ão do imp é rio Congresso de Viena Perceber a contradi ç ão entre a manuten ç ão do Antigo Regime na Fran ç a e a afirma ç ão do capitalismo. Caracterizar 1 º, 2 º e 3 º Estados. Caracterizar o per í odo da Assembl é ia Constituinte. Conhecer a Declara ç ão dos Direitos do Homem e do Cidadão e contrapô-la à ordena ç ão da sociedade do Antigo Regime. Caracterizar o per í odo da Conven ç ão. Compreender o processo de radicaliza ç ão do movimento. Caracterizar o per í odo do Diret ó rio. Caracterizar o per í odo do Consulado. Entender o apoio da burguesia a Napoleão. Perceber a importância do imp é rio napoleônico para a consolida ç ão do capitalismo e do poder burguês na Fran ç a. Descrever os objetivos e desdobramentos do Bloqueio Continental. Enumerar as causas da derrota de Napoleão e do fim do per í odo revolucion á rio. Compreender o car á ter restaurador do Congresso de Viena.

10 PLANEJAMENTO 2012 – 1º BIMESTRE HISTÓRIA - 3º CICLO - 14 anos (9º ano) CONTE Ú DOS OBJETIVOS 1- Transi ç ão Monarquia/ Rep ú blica 1.- Crise do escravismo. 2.-Consolida ç ão das ideias republicanas. 3.-Governo Provis ó rio Governo de Deodoro da Fonseca Governo de Floriano Peixoto Governos Olig á rquicos Movimentos populares: Revolta da Vacina e Revolta da Chibata Organiza ç ão da Classe Oper á ria Guerra de Canudos Guerra do Contestado. Descrever as reivindica ç ões dos movimentos republicanos e o contexto hist ó rico que culminou com a proclama ç ão da Rep ú blica Caracterizar os governos de Deodoro da Fonseca, Floriano Peixoto e Prudente de Morais. Definir Encilhamento e suas conseq ü ências. Contextualizar as primeiras revoltas republicanas: Revolu ç ão Federalista e Revolta da Armada. Identificar as causas da forma ç ão de Canudos Descrever a guerra contra Canudos. Trabalhar o conceito de resistência, tomando como base movimentos ocorridos no campo (Canudos, Contestado), nas cidades (Revolta da Vacina, Movimento Oper á rio) nos meios militares (Revolta da Chibata, Tenentismo). Conceituar a Pol í tica dos Governadores. Explicar a pol í tica do caf é com leite. Conceituar voto de cabresto e curral eleitoral. Conhecer o funcionamento das elei ç ões naquele per í odo e comparar com o processo eleitoral atual ª Guerra Mundial Antecedentes Desenrolar da guerra Tratado de Versalhes. Relacionar o papel da expansão imperialista no s é culo XIX com a eclosão da 1 ª Guerra Mundial. Explicar a pol í tica de sigilo e a forma ç ão de alian ç as. Enumerar as conseq ü ências da guerra para a Europa e o mundo. Analisar o Tratado de Versalhes. Identificar as principais conseq ü ências da Primeira Guerra Mundial para a humanidade. 3 - Revolu ç ão Russa Situa ç ão pol í tica e econômica da R ú ssia Processo revolucion á rio Conhecer a situa ç ão pol í tica, econômica e social da R ú ssia antes do per í odo revolucion á rio. Compreender a crise do czarismo. Identificar os partidos socialistas russos envolvidos na guerra civil. Explicar a Nova Pol í tica Econômica (NEP) Enumerar as mudan ç as ocorridas na R ú ssia com a subida ao poder de St á lin. Identificar as principais conseq ü ências da revolu ç ão socialista russa para a humanidade.

11 PLANEJAMENTO 2012 – 1º BIMESTRE - GEOGRAFIA - 3º CICLO - 11 anos (6º ano) ConteúdosObjetivos 1. Paisagem. Paisagem e espaço geográfico. Paisagem natural e paisagem cultural. A interferência humana na transformação das paisagens. 2. Orientação. Os meios de orientação sobre a Terra. Os pontos de orientação: cardeais, colaterais e subcolaterais. Equipamentos de orientação. Coordenadas geográficas. 3. Representação do espaço geográfico. Formas de representação do espaço geográfico: mapas, globos, plantas e maquetes. Recursos visuais, cartográficos e legenda. Projeções e escalas. Tipos de mapas: físicos, políticos, econômicos, populacionais, históricos e etc. 1. Paisagem. Distinguir paisagem natural da paisagem cultural. Observar e identificar elementos de paisagens rurais e urbanas. Reconhecer a dinâmica das paisagens. Distinguir paisagem de espaço geográfico. 2. Orientação. Relacionar o movimento de rotação da Terra e a sucessão dos dias e noites. Aplicar o conhecimento dos pontos de orientação dos lugares. Compreender o sistema de coordenadas e reconhecer sua importância para a localização. Identificar os principais paralelos, meridianos e hemisférios terrestres. 3. Representação do espaço geográfico. Reconhecer as formas de representação gráfica da Terra. Compreender a importância dos mapas. Confeccionar, ler e interpretar formas de representação do espaço. Reconhecer os tipos de mapas existentes. Compreender o uso de escalas.

12 PLANEJAMENTO 2012 – 1º BIMESTRE GEOGRAFIA - 3º CICLO - 12 anos (7º ano) ConteúdosObjetivos 1. O Brasil no mundo. A posição geográfica do Brasil no espaço mundial. O Brasil em relação a outros países. Características do Brasil relacionadas com sua posição geográfica e extensão territorial. 2. O Brasil na América do Sul. Posição geográfica do Brasil na América do Sul. O Brasil em relação a outros países da América do Sul. 3. Organização política e espacial do Brasil. Formação do espaço geográfico brasileiro, ocupação e povoamento do território. População do Brasil Economia do Brasil (industrialização). Brasil: limites e fronteiras. 1. O Brasil no mundo. Compreender a posição geográfica do Brasil no espaço mundial. Comparar a dimensão territorial do Brasil com a de outros países. Identificar características dos Brasil relacionadas com sua posição geográfica e extensão territorial. 2. O Brasil na América do Sul. Localizar o Brasil na América do Sul. Relacionar a extensão territorial do Brasil às relações estabelecidas com os demais países da América do Sul. 3. Organização política e espacial do Brasil. Compreender o papel do Estado na construção do espaço geográfico. Conhecer a evolução das fronteiras do Brasil. Conhecer o processo de formação do espaço geográfico brasileiro desde a chegada dos portugueses.

13 PLANEJAMENTO 2012 – 1º BIMESTRE GEOGRAFIA - 3º CICLO - 13 anos (8º ano) ConteúdosObjetivos 1. Capitalismo. Capitalismo comercial e a formação inicial do capital. Revolução Industrial e a exploração dos trabalhadores. Imperialismo e a espoliação de áreas produtoras em todo o mundo. Globalização atual e continuidade da exploração. A atual globalização e o neoliberalismo. Blocos econômicos regionais (NAFTA, MERCOSUL, APEC, ALCA). 2. Divisão do Espaço Mundial. Divisão Norte-Sul. Divisão Internacional do Trabalho. Aplicação do IDH. 3. ÁFRICA Localização. Aspectos físicos do continente. Neocolonialismo. Descolonização Economia. Etnias e guerras inter-étnicas. O IDH dos países africanos. O apartheid na África do Sul. África do Sul pós apartheid. 1. Capitalismo. Compreender que a atual organização do espaço mundial é resultado de um longo processo histórico. Conhecer a evolução do capitalismo. Compreender os princípios do neoliberalismo. Identificar os problemas trazidos pela globalização. Identificar os atuais blocos econômicos e seus objetivos. 2. Divisão do Espaço Mundial. Entender os critérios usados para fazer a divisão Norte-Sul. Compreender o conceito de Divisão Internacional do Trabalho. Conhecer o que é o IDH e sua aplicação. 3. ÁFRICA Conhecer as caracter í sticas f í sicas do continente. Compreender o neocolonialismo no continente africano relacionando-o com o desenvolvimento do capitalismo industrial. Relacionar o neocolonialismo com a desestruturação das sociedades africanas. Compreender o processo de descolonização do continente africano após a 2ª Guerra Mundial. Identificar áreas de conflito étnico-religioso no continente que fazem da África um dos maiores focos de tensão do planeta. Relacionar a instabilidade política e econômica com os conflitos étnico-religiosos. Identificar as atividades econômicas desenvolvidas no continente africano. Estabelecer relação entre o IDH dos países africanos com as desigualdades e injustiças sociais. Caracterizar o regime de apartheid instaurado na África do Sul. Caracterizar a Á frica do Sul p ó s apartheid.

14 PLANEJAMENTO 2012 – 1º BIMESTRE GEOGRAFIA - 4º CICLO - 14 anos (9º ano) ConteúdosObjetivos 1. Europa. Relevo. Hidrografia. Clima. Vegetação. População: idosos. Imigração e racismo. Minorias étnicas e nacionalismo. 2. Europa: economia. Diferenças entre Europa Ocidental e Europa Oriental. As economias orientais em transição. 1. Europa. Identificar as principais características naturais do continente europeu. Caracterizar a população européia. Relacionar imigração e racismo. Compreender a relação entre nacionalismo e minorias étnicas. 2. Europa: economia. Caracterizar a economia da Europa Ocidental e Oriental antes da transição. Identificar as dificuldades das economias orientais em adaptar-se ao capitalismo.

15 APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA Aprender é construir significados, e ensinar é oportunizar essa construção (MORETTO, 2010, p. 71) Aprendizagem Significativa é: aquela em que o significado do novo conhecimento é adquirido, construído com compreensão e por meio da interação não- arbitrária e não literal desse novo conhecimento com algum conhecimento prévio relevante existente na estrutura cognitiva do aprendiz. Perspectiva Cognitiva Clássica de David Ausubel em 1967

16 APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA CONHECIMENTO PRÉVIO NOVO CONHECIMENTO NÃO-ARBITRÁRIA NÃO-LITERAL É a aquisição de conhecimentos com compreensão e elaboração, com maior retenção, com capacidade de explicação, aplicação e transferência.

17 APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA CONHECIMENTO PRÉVIO As novas informações não apenas se associam, mas interagem com os conhecimentos prévios e ambos se modificam num processo de transformação mútua: o novo conhecimento passa a ter significado e o conhecimento prévio adquire novos significados, fica mais diferenciado e elaborado.

18 APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA CONHECIMENTO PRÉVIO A facilitação da Aprendizagem Significativa em sala de aula não é trivial. A função da escola é criar condições para que o aluno aprenda de maneira significativa, relacionando a explicação científica com o seu cotidiano. PRÉ-DISPOSIÇÃO PARA APRENDER CONHECIMENTO PRÉVIO MATERIAL POTENCIALMENTE SIGNFICATIVO APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA

19 CONHECIMENTO PRÉVIO O principal RECURSO FACILITADOR da conceitualização, devido sua característica de ser mediadora, é a LINGUAGEM. Ela é um instrumento imprescindível para a interação pessoal, discussão e negociação de significados. A negociação de significados consiste na troca, diálogo ou intercâmbio através da interação entre alunos, professor e material educativo. Para facilitar a aprendizagem significativa, não há receitas, mas há estratégias (MASINI e MOREIRA, 2008, p.36). Para facilitar a aprendizagem significativa, não há receitas, mas há estratégias (MASINI e MOREIRA, 2008, p.36).

20 APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA CONHECIMENTO PRÉVIO Outra estratégia facilitadora é relacionar o que aluno está aprendendo na escola com o seu DIA-A- DIA, fazendo uma ponte entre o conhecimento científico e o mundo em que ele vive. Esses recursos facilitadores visam contribuir para a organização da estrutura cognitiva e para ativação do processo de aquisição de significado (MASINI e MOREIRA, 2001).

21 APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA CONHECIMENTO PRÉVIO Os ORGANIZADORES PRÉVIOS são materiais instrucionais apresentados antes do conteúdo a ser aprendido, construindo uma ponte cognitiva entre o que o aluno sabe e o que deveria saber, ou ajudá-lo a relacionar o novo conhecimento com o seu conhecimento prévio.

22 O QUE ENSINAR? Atividades desafiadoras e bem encadeadas, que induzam o aluno a pensar e construir o seu próprio conhecimento, são o caminho mais curto para o bom aprendizado de História. SEQUÊNCIA DIDÁTICA

23 SEQUÊNCIA DIDÁTICA é um conjunto sistematizado de atividades ligadas entre si, planejadas para ensinar um conteúdo etapa por etapa. Essa proposta envolve atividades de aprendizagem e avaliação, organizadas de acordo com os objetivos que o professor quer alcançar. Ao organizar uma sequência didática, é preciso preparar detalhadamente cada uma das etapas do trabalho: Compartilhar a proposta de trabalho com os alunos: É importante explicar o trabalho passo a passo. Apresentar o que será estudado e comentar as atividades que serão desenvolvidas. Organize com a turma um plano de ação, anotando cada etapa da proposta. SEQUÊNCIA DIDÁTICA

24 Mapear o conhecimento prévio dos alunos: Nesta etapa, os alunos conversam sobre o que conhecem sobre o assunto que será trabalhado. Desenvolver atividades que proporcionem a ampliação do repertório dos alunos: De posse do mapeamento dos alunos – informação precisa para avaliar em que ponto está a turma – o professor elabora um conjunto de atividades que aproxima o aluno do conteúdo, aumentando os desafios e propondo diversas discussões para que toda turma avance. Essa diversidade de propostas amplia a possibilidade de êxito dos alunos. SEQUÊNCIA DIDÁTICA

25 AS SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS SÃO COMPOSTAS POR: OBJETIVOS CONTEÚDOS TEMPO ESTIMADO MATERIAL NECESSÁRIO DESENVOLVIMENTO AVALIAÇÃO O que se espera que os alunos aprendam com a atividade proposta, tendo como foco a aprendizagem, e não o ensino. Conteúdos curriculares trabalhados na atividade. Envolve as várias etapas da atividade, as intervenções a serem feitas, a criação de situações mais adequadas à realidade da turma. Verificação do processo de aprendizagem. Parâmetros a serem usados no decorrer das etapas. Atividades específicas, como problemas e perguntas. SEQUÊNCIA DIDÁTICA

26 EXEMPLO: SEQUÊNCIA DIDÁTICA Leitura de documentos e produção de relatos Objetivos :Pesquisar a História do bairro em que a escola está situada. - Desenvolver a capacidade de ler e interpretar documentos históricos. Conteúdos - História local. - Leitura e interpretação de documentos históricos (livros, mapas, fotografias e documentário). - Relato. - Linha do tempo. Anos 6º e 7º. Tempo estimado 12 aulas.

27 SEQUÊNCIA DIDÁTICA Material necessário: Papel pardo, pincel atômico e a maior diversidade possível de documentos históricos sobre o bairro, encontradas em locais como associações de amigos ou de moradores e com a família dos próprios alunos: registros de doação de terra e loteamento do bairro, plantas antigas e recentes da região, reportagens de jornal e fotos antigas.

28 SEQUÊNCIA DIDÁTICA Desenvolvimento 1ª etapa Inicie a sequência apresentando a proposta de investigar a História do bairro onde a escola está localizada. Faça um levantamento coletivo sobre como é o bairro hoje e convide a turma a imaginar como ele era no passado: como as pessoas viviam? Onde trabalhavam? Por que elas decidiram se mudar para lá? Havia luz elétrica ou água encanada? Seus pais estudavam em escolas do bairro? Havia violência e pobreza? O número de árvores nas ruas era maior ou menor? Registre as hipóteses num cartaz e oriente os alunos a copiar as anotações no caderno. Em seguida, peça que selecionem, junto com os pais, fotos antigas e reportagens sobre a região. Também vale pedir que realizem e gravem entrevistas com os parentes. Para que elas sejam produtivas, é preciso combinar uma pauta de perguntas semelhantes às citadas anteriormente e outra com questões específicas para os personagens em questão. Também é importante que a entrevista seja transcrita e as respostas às perguntas e outras informações históricas que a turma descobrir sejam destacadas por algum procedimento escrito de apoio à leitura, como sublinhados e anotações.

29 SEQUÊNCIA DIDÁTICA 2ª etapa Apresente os documentos históricos que você conseguiu coletar e peça que cada um apresente suas contribuições. Explique aos estudantes que, assim como um historiador, eles também deverão pesquisar em diversas fontes os principais fatos da História do bairro e da escola para comprovar ou descartar as hipóteses levantadas. Dividindo a classe em grupos, proponha uma primeira análise do material: quem é o autor? Há data de publicação? Qual o título escolhido? Com base no título, o que se quer explicar ou debater? Pelo formato, é possível identificar o gênero (prosa, verso, texto jornalístico)? No caso de imagens, vale indagar, além do autor e da data, que elementos é possível observar e qual a relação entre o que se vê e os textos escritos (no caso de haver legenda ou a foto acompanhar uma reportagem, por exemplo). Peça que cada grupo anote as informações no caderno.

30 SEQUÊNCIA DIDÁTICA 3ª etapa Solicite uma leitura mais detalhada do material orientada pela seguinte pergunta: que informações históricas sobre nosso bairro podemos colher do texto ou da imagem analisada? Pedindo que anotem as descobertas em frases curtas na forma de uma lista, circule pela classe, auxiliando cada grupo a encontrar marcadores de tempo e referências à situação social, política ou econômica que ajudem a circunscrever a época e o contexto dos dados obtidos.

31 SEQUÊNCIA DIDÁTICA 4ª etapa: Convide a turma a organizar os acontecimentos e relatos destacados em uma grande linha do tempo feita na forma de cartazes. Ao redor das datas principais, encaminhe uma colagem de fotos e anotações feitas pelos alunos que justifiquem a data destacada. Peça, ainda, que elaborem um título para o cartaz e uma legenda explicativa para cada ponto da linha do tempo, que pode ser apresentada pelos alunos para pais e funcionários da escola.

32 SEQUÊNCIA DIDÁTICA Avaliação Verifique se a linha do tempo inclui os elementos mais importantes da História do bairro, se enfatizam as principais transformações e se as contribuições foram adequadamente contextualizadas - avalie, por exemplo, se consideram a intenção dos autores dos documentos históricos. Para discutir se faltou algum dado ou ponto de vista importante, peça que pais e funcionários se manifestem após a apresentação, debatendo com a turma possíveis fontes para cobrir as lacunas. Historiadora e vice-diretora da EMEF Professora Thereza Maciel de Paula, em São Paulo, SP. pedagogica/leitura-documentos-producao-relatos shtml

33 Elaborar uma sequência didática sobre um conteúdo do bimestre, utilizando uma metodologia diferenciada. No próximo encontro, socializaremos a sua proposta de sequência com os colegas. TAREFA

34 Maria da Consolação Paiva Lainha Assessora de História


Carregar ppt "PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA - SME CENTRO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA - SME CENTRO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA Encontro de Formação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google