A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CRIANÇAS EM CASA DE PASSAGEM: VIVÊNCIA DE ESTUDANTES DA SAÚDE CRIANÇAS EM CASA DE PASSAGEM: VIVÊNCIA DE ESTUDANTES DA SAÚDE Relato de experiência AUTORES:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CRIANÇAS EM CASA DE PASSAGEM: VIVÊNCIA DE ESTUDANTES DA SAÚDE CRIANÇAS EM CASA DE PASSAGEM: VIVÊNCIA DE ESTUDANTES DA SAÚDE Relato de experiência AUTORES:"— Transcrição da apresentação:

1 CRIANÇAS EM CASA DE PASSAGEM: VIVÊNCIA DE ESTUDANTES DA SAÚDE CRIANÇAS EM CASA DE PASSAGEM: VIVÊNCIA DE ESTUDANTES DA SAÚDE Relato de experiência AUTORES: Pâmela Katherine Nelson Campero Cecília Olívia Paraguai Oliveira Daniele da Silva Macêdo Renata Cristina Barros Leite Stella Beatriz Pinto ORIENTADORES: Dr. Leonardo Souza Dra. Nadja Rocha Universidade Federal do Rio Grande do Norte I Encontro Multidisciplinar em Saúde: Avanços, Desafios e Perspectivas

2 Introdução As Casas de Passagens são espaços confortáveis que atendem crianças e adolescentes de 0 a 18 anos em situação de risco pessoal ou social. Essas casas acolhem menores de direitos violados e vítimas de : Abuso; Exploração sexual; Atos que comprometam sua integridade física, psicológica, moral e social; Menores de rua sem vínculo familiar; Maus tratos Negligência extrema.

3 Os casos são normalmente encaminhados pelo Conselho Tutelar, Juizado da Infância e da Adolescência ou Ministério Público; São coordenadas e assistidas pela Secretaria Municipal do Trabalho e Assistência Social (SEMTAS) e fazem parte do Sistema Único de Assistência Social (SUAS); Em Natal, existe: Casa I : Menores de 0 à 6 anos Casa II: Menores de 6 à 12 anos Casa III: Menores de 12 à 17 anos. As Casas de Passagem devem oferecer espaço adequado e profissionais preparados para receber crianças e adolescentes; Precisam oferecer condições apropriadas de habitabilidade, higiene, salubridade e segurança aos atendidos.

4 A Casa de passagem II Situada no Bairro de Petrópolis, oferece estrutura habitacional e conta com uma equipe de educador, psicólogo, assistente social, pedagogo, terapeuta, cozinheiro, zelador e motorista, que trabalham em escala de plantão. Todas as crianças da casa estão matriculadas na escola, tiveram sua documentação básica expedida e passaram a usufruir de uma rotina com atividades internas e externas.

5 Objetivo Identificar o perfil de crianças abrigadas na casa de passagem II, analisando sua relação de vínculo com a instituição, com seus familiares e no seu cuidado integral.

6 Metodologia Aplicação de Questionário: - Ficha individual; - Perguntas dirigidas ás crianças; - Perfil estrutural da casa; - Realização de desenho pelas crianças.

7

8

9

10

11 Resultados As crianças foram receptivas em relação ao questionário e ao desenho livre. Na sua maioria, estavam satisfeitas com o abrigo, no entanto apresentaram carência afetiva em relação aos seus familiares e desejo de voltar ao convívio familiar.

12 Desenhos construídos pelas crianças

13

14 Discussão e Conclusão Esta vivência possibilita uma formação ética humanista e a superação de pré- conceitos, cristalizados na nossa cultura. As crianças abrigadas na casa de passagem, não por opção, mas por necessidade imposta pelas fortes desigualdades sociais, são pessoas frágeis que possuem sonhos, carências, ideais, amam e desejam cuidado e atenção.

15 Obrigada!!!! Obrigada!!!!


Carregar ppt "CRIANÇAS EM CASA DE PASSAGEM: VIVÊNCIA DE ESTUDANTES DA SAÚDE CRIANÇAS EM CASA DE PASSAGEM: VIVÊNCIA DE ESTUDANTES DA SAÚDE Relato de experiência AUTORES:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google