A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GRUPO ESPÍRITA SEARA DO MESTRE Adriana Pizzuti Apresentação disponível em www.searadomestre.com.br www.searadomestre.com.br Ó espíritas! (...) com- preendei.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GRUPO ESPÍRITA SEARA DO MESTRE Adriana Pizzuti Apresentação disponível em www.searadomestre.com.br www.searadomestre.com.br Ó espíritas! (...) com- preendei."— Transcrição da apresentação:

1 GRUPO ESPÍRITA SEARA DO MESTRE Adriana Pizzuti Apresentação disponível em Ó espíritas! (...) com- preendei que, quando produzis um corpo, a alma que nele encarna vem do espaço para progredir; inteirai-vos dos vossos deveres e ponde todo o vosso a-mor em aproximar de Deus essa alma; tal a missão que vos está confiada. O ESE cap XIV

2 Os horrores da violência, do crime e das guerras individuais, coletivas e interna- cionais tomam conta das sociedades,(...). O orgulho impera e a indiferença pelo destino das demais criaturas caracteriza estes dias de ansiedade, de medo e de solidão. (...) Joanna de Ângelis

3 São tempos de transição!

4 Há um elemento a que não se tem dado o devido valor (...) a educação. Não a Educação intelectual, mas a educação moral.(...) O Livro dos Espíritos - questão a Comentário de Allan Kardec

5 (...) Não nos referimos, porém, à educação moral pelos livros e sim à que consiste na arte de formar os caracteres.(...) O Livro dos Espíritos - questão 917 Comentário de Allan Kardec

6 (...) Não nos referimos, porém, à educação moral pelos livros e sim à que consiste na arte de formar os caracteres, à que incute hábitos porquanto a educação é o conjunto dos hábitos adquiridos.

7 (...) Quando essa arte for conhecida, compreendida e praticada, o homem terá no mundo hábitos de ordem e de previdência para consigo mesmo e para com os seus, de respeito a tudo que é respeitável, (...). O Livro dos Espíritos - questão 685 -a Comentário de Allan Kardec

8 Os Espíritos só entram na vida corporal para se aperfeiçoarem, para se melhorarem. A delicadeza da idade infantil os torna brandos, acessíveis aos conselhos da experiência e dos que devam fazê-los progredir. Nessa fase é que se lhes pode reformar os caracteres e reprimir os maus pendores. (...) O Livro dos Espíritos - questão 385 Allan Kardec

9 A CRIANÇA É UM LIVRO EM BRANCO

10 Os Espíritos dos pais exercem alguma influência sobre os dos filhos depois do nascimento deste? Muito grande.(...)Os Espíritos dos pais têm por missão desenvolver os de seus filhos pela educação. Constitui-lhes isso uma tarefa. (...) O Livro dos Espíritos - questão 208 Allan Kardec

11 Essa arte, porém, exige muito tato, muita experiência e profunda observação. O Livro dos Espíritos - questão 917 Comentário de Allan Kardec

12 A arte de amar e educar, porém, exige muita habilidade moral, aprendizagem e vivência das leis morais e análise psicológica, emocional e das ações da criança A arte moral de educar os filhos Walter Barcelos

13 Como educadores... Atendemos, devidamente, aos deveres à frente da existência, demonstrando aos nossos educandos a seriedade da vida? Temo-nos mantido na fidelidade aos com- promissos domésticos,(...)? Vereda Familiar Thereza de Brito/Raul Teixeira

14 Adotamos postura crítica, analítica ao lado das nossas crianças e dos jovens para que amadureçam conosco? Conseguimos renunciar aos próprios vícios e enganos conscientes, a fim de orientar nossos pequenos com base em dignas e seguras trajetórias? Como educadores... Vereda Familiar Thereza de Brito/Raul Teixeira

15 Primeiras lições de moral da infância Sendo os primeiros médicos da alma dos filhos (os pais), deveriam ser instruídos, não só de seus deveres, mas dos meios de cumpri- los. Revista Espírita - fev 1864 Allan Kardec

16 Acreditar que basta ter filhos para ser pai é tão absurdo quanto acreditar que basta ter instrumentos para ser músico. Mansour Chalita

17 Cuidado com o conteúdo do que apresentamos às crianças! Vibrações de teor elevado despertarão os impulsos superiores e nobres ao mesmo tempo em que propiciam o desenvolvimento dos sentimentos superiores do supercons- ciente, visto ser a criança um ser perfectível. Educação do Espírito Walter Oliveira Alves

18 No entanto, vibrações de teor inferior poderão acordar prematuramente impulsos do mesmo teor, propiciando o surgimento de sentimentos inferiores que o espírito guarda afinidade ou que cultivou no passado (...). Cuidado com o conteúdo do que apresentamos às crianças!

19 O que não é visto não é lembrado.

20 Instrumentos úteis ao bom trabalho... Diálogo: Hoje quando tantos filhos sofrem a carência da presença dos pais, mesmo tendo-os ainda no corpo, revise como tem sido o seu entrosamento com os seus filhos. Vereda Familiar Thereza de Brito/Raul Teixeira

21 O bom exemplo: Todas as suas orien- tações, palavras e ensinos ruirão por terra, se você apenas quiser ensinar sem que viva, nobremente, os ensinos que ministra. Instrumentos úteis ao bom trabalho... Vereda Familiar Thereza de Brito/Raul Teixeira

22 Cooperação no lar: Não os deveremos preparar para os tempos de facilidade e abastança(...). Deveremos ofertar-lhes esses pequenos grandes auxílios da casa para aprenderem a colaborar. Instrumentos úteis ao bom trabalho... Vereda Familiar Thereza de Brito/Raul Teixeira

23 Educação estética: Filmes, músicas, artes de conteúdo edificante. Contar histórias de pessoas que foram exemplo de moralidade e prática do bem. Instrumentos úteis ao bom trabalho...

24 Afeto: Na criança está momentaneamente adormecida uma mente criativa, uma energia em potencial, pronta para reconstruir seu mundo, suas emoções, a expensas do meio que lhe cerca, do amor que lhe chega. Instrumentos úteis ao bom trabalho...

25 Evangelização: Se é válido vacinar os pequeninos contra certas doenças (...) não deveremos olvidar a grandeza de que se constitui a Doutrina de Jesus, como abençoada medicação profilática, (...). Instrumentos úteis ao bom trabalho... Vereda Familiar Thereza de Brito/Raul Teixeira

26 Prece: Luz inapagável passa a brilhar sobre o lar onde perduram as vibrações da prece. Ondas permanentes de harmonia en- volvem o ambiente familiar, saúde espiritual inarredável costuma penetrar as almas (...). Vereda Familiar Thereza de Brito/Raul Teixeira Instrumentos úteis ao bom trabalho...

27 Histórias: Recentes avanços da ciência permitiram mapear o impacto de atividades como o brincar, cantar, conversar e comparti- lhar histórias (...). Instrumentos úteis ao bom trabalho...

28 Por que contar histórias? As histórias abrem espaço para a alegria e o prazer de ler, compreender, interpretar a si próprio e à realidade. A contação de histórias é uma ferramenta que incentiva a criança, desde cedo a ler outros livros;

29 Por que contar histórias? Ler em voz alta é uma das coisas mais importantes que os pais podem fazer para preparar a criança para ter sucesso na escola; Quanto mais palavras os pais usam quando falam com bebês de 8 meses, maior será seu vocabulário aos 4 anos de idade; Os livros contêm muitas palavras que não ocorrem na linguagem que falamos no dia a dia;

30 Os enredos geralmente são organizados de forma que um conteúdo moral possa ser inferido das ações dos personagens e isso colabora para a construção da ética e da cidadania em nossas crianças. Através das histórias a criança desen- volve a confiança na força do bem; Por que contar histórias?

31 Estimulam o desenvolvimento de funções cognitivas importantes para o pensamento, tais como a comparação, o pensamento hipotético, o raciocínio lógico, as relações espaciais e temporais ; Podem ser usadas tanto no diagnóstico como na intervenção psicopedagógica em instituições e na clínica; Por que contar histórias?

32 É fator de fortalecimento do vínculo amoroso e da memó- ria afetiva; No momento de contar e ouvir um conto, os pais se fortalecem no filho – que, por sua vez, encontra força nos pais desenvolvendo um elo de afeto e respeito; Por que contar histórias?

33 Através das histórias, a criança, elabora questões que a angustiam e se sente ali- mentada Através de personagens que têm que vencer obstáculos, sair do âmbito familiar e conseguir sucesso no mundo externo, preparamos o pequeno ouvinte para viver com mais segurança as suas próprias derrotas e perdas: Resiliência. Por que contar histórias?

34 CONTAR HISTÓRIAS É UMA PROVA DE AMOR!

35

36 Evangelho no Lar: Quando usamos histórias infantis a narrativa desperta a atenção da criança e ajuda a reter o conhecimento. Com a atuação dos benfeitores que acompanham a família a criança se torna mais receptiva aos ensinamentos contidos na história. Instrumentos úteis ao bom trabalho...

37 O que nos deve inte- ressar (...) é a semeadura do bem. A germinação, o desenvolvimento, a flor e o fruto pertencem ao Senhor. Aniceto em Os Mensageiros André Luis/Chico Xavier

38

39 Cada criança leva consigo um projeto de luz que nós todos deveremos auxiliar a concretizar-se. Vereda Familiar Thereza de Brito/Raul Teixeira

40


Carregar ppt "GRUPO ESPÍRITA SEARA DO MESTRE Adriana Pizzuti Apresentação disponível em www.searadomestre.com.br www.searadomestre.com.br Ó espíritas! (...) com- preendei."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google