A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Luis RODRIGO Missio N NO NE W - O L – E SO SE S MEIOS DE ORIENTAÇÃO Pontos Cardeais: Norte (N) Sul (S) Leste (L ou E) Oeste (O.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Luis RODRIGO Missio N NO NE W - O L – E SO SE S MEIOS DE ORIENTAÇÃO Pontos Cardeais: Norte (N) Sul (S) Leste (L ou E) Oeste (O."— Transcrição da apresentação:

1 Luis RODRIGO Missio

2 N NO NE W - O L – E SO SE S MEIOS DE ORIENTAÇÃO Pontos Cardeais: Norte (N) Sul (S) Leste (L ou E) Oeste (O ou W) Pontos Colaterais – Nordeste (NE) – Noroeste (NO ou NW) – Sudeste (SE) – Sudoeste (SO ou SW) ROSA DOS VENTOS

3 IMPORTANTE Leste: nascente; oriental. Oeste: poente; ocidental. Norte: setentrional; boreal. Sul: meridional; austral.

4 Observe com atenção o desenho ao lado: De acordo com o desenho, considerando que são 18 horas, se a bola for chutada do centro em direção aos pontos A, B e C respectivamente, as direções percorridas serão: a) leste, norte, noroeste b) oeste, sul, sudeste c) leste, sul, sudoeste d) oeste, norte, noroeste e) sul, leste, noroeste Resposta: A

5 COORDENADAS GEOGRÁFICAS São linhas imaginárias pelas quais a Terra foi cortada, essas linhas são os paralelos e meridianos, através deles é possível estabelecer localizações precisas em qualquer ponto do planeta.

6 PARALELOS: O paralelo principal é a linha do Equador e divide a Terra em dois hemisférios: Norte e Sul. São linhas na horizontal.

7 Principais Paralelos: - Equador (0º) - Trópico de Câncer (23º 27' N) - Trópico de Capricórnio (23º 27'S) - Círculo Polar Ártico (66° 33' N) - Círculo Polar Antártico (66° 33' S)

8 LATITUDE Assim, Latitude é à distância em graus da linha do Equador até uma superfície qualquer da Terra dada pelos paralelos. As latitudes variam de 0º a 90º para Norte e para Sul.

9 MERIDIANOS Principal Meridiano: Meridiano de Greenwich (0º) São linhas verticais que ligam um polo a outro polo da Terra. O Meridiano principal divide a Terra em dois hemisférios: Leste e Oeste ou Ocidental e Oriental.

10 Longitude É o afastamento, medido em graus, do meridiano de Greenwich a um ponto qualquer da superfície terrestre. Ela vai de 0° a 180° e pode ser leste ou oeste.

11 Latitude N ou S Longitude O ou L Latitude: 10º S Longitude: 20º L Latitude: 40º N Longitude: 80º L Latitude: 20º S Longitude: 40º O Latitude: 50º N Longitude: 100º O

12 IMPORTANTE 1°(um grau) = 60(sessenta minutos) 1(um minuto) = 60 (sessenta segundos) Latitude Paralelos são círculos na horizontal paralelos a linha do Equador. Mede-se a partir da linha do Equador (0°). Varia de 0° a 90°. Pode ser Norte ou Sul Longitude Meridianos são semicírculos que vão de um polo ao outro na VERTICAL. Mede-se a partir do Meridiano de Greenwich (0°). Varia de 0° a 180°. Pode ser Leste ou Oeste.

13 1: (UDESC) Sobre as coordenadas geográficas, assinale a alternativa correta. A) A longitude é determinada pelo ângulo formado pela posição de um determinado ponto e o plano meridional, podendo variar de zero a 90 graus. B) Coordenada geográfica é o ponto em que duas latitudes se cruzam. C) Tanto as latitudes quanto as longitudes são medidas em graus, minutos e segundos. D) Os principais paralelos e meridianos que cortam o território brasileiro são: Equador e Tordesilhas E) O paralelo é uma circunferência imaginária, que pode ser traçado até 180 vezes sobre a superfície terrestre.

14 2: (UFPB ) Paralelos e meridianos são linhas imaginárias que se intercruzam na superfície terrestre. No cruzamento de um paralelo com um meridiano, há um ponto específico que determina a latitude e a longitude, permitindo a sua localização. Sobre as referidas latitude e longitude, é correto afirmar: A) São medidas angulares entre dois pontos. B) São medidas em quilômetros entre a linha do Equador e o meridiano de Greenwich. C) A latitude varia de 0º a 180º para Leste ou para Oeste. D) A longitude varia de 0º a 90º para Norte ou para Sul

15 Pensando nas correntes e prestes entrar no braço que deriva da Corrente do Golfo para o norte, lembrei-me de um vidro de café solúvel vazio. Coloquei no vidro uma nota cheia de zeros, uma bola cor rosa choque. Anotei a posição e data: Latitude 49°49N, Longitude 23°49W. Tampei e joguei na água. Nunca imaginei que receberia uma carta com a foto de um menino norueguês, segurando a bolinha e a estranha nota. No texto, o autor anota sua coordenada geográfica, que é A) a relação que se estabelece entre as distâncias representadas no mapa e as distâncias reais da superfície cartografada. B) o registro de que os paralelos são verticais e convergem para os polos, e os meridianos são círculos imaginários,horizontais e esquidistantes. C) a informação de um conjunto de linhas imaginárias que permitem localizar um ponto ou acidente geográfico na superfície terrestre. D) a latitude como distância em graus entre um ponto e o Meridiano de Greenwich, e a longitude como a distância em graus entre um ponto e o Equador. E) a forma de projeção cartográfica, usado para navegação, onde os meridianos e paralelos distorcem a superfície do planeta.

16 REPRESENTAÇÃO CARTOGRÁFICA GLOBO: mais realística que um mapa, pois o globo mantém as propriedades espaciais (área, forma, direção e distância). MAPA: é uma representação bidimensional da superfície curva da Terra. Os mapas planos são mais utilizados : facilidade de uso, armazenamento, deslocamento, em representar a superfície terrestre em grandes escalas, etc. Quais os motivos para o usarmos mais as representações em mapa?

17 Projeções Cartográficas (pg. 03) aproximadas Todos os mapas são representações aproximadas da superfície terrestre; TODO MAPA POSSUI DISTORÇÕES DE DIREÇÃO, ÁREA OU FORMA! É impossível representar uma superfície curva em uma superfície plana sem que haja deformações; Por isso os mapas preservam certas características ao mesmo tempo em que alteram outras; PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS

18 AS SUPERFÍCIES DE PROJEÇÃO SÃO: PLANOCONECILINDRO PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS

19 PROJEÇÃO CILÍNDRICA -CARACTERÍSTICAS: -Deformam as superfícies de altas latitudes; - Mantém as de baixa em forma e dimensão mais próxima do real; - Apresentam os meridianos e paralelos retos e perpendiculares. - Mais conhecida Mercator e Peter PRINCIPAIS USOS: Mais usada na cartografia.

20 PROJEÇÃO CÔNICA CARACTERÍSTICAS: Paralelos concêntricos em relação ao vértice do cone; PRINCIPAIS USOS: São mais utilizadas para representações cartográficas de áreas de altas latitudes -América do Norte, Europa e norte da Ásia.

21 PROJEÇÃO PLANA (Azimutal) CARACTERÍSTICAS: -- As áreas próximas ao ponto de tangência apresentam < deformações -- As distantes são mais distorcidas ou desaparecem porque abrangem apenas um hemisfério. -PRINCIPAIS USOS: - - Navegação marítima e aeronáutica; - Bancos; - Países – status.

22 PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS Quanto aos aspectos que conservam, são classificadas em: [1] CONFORMES ou isagonais, [2] EQUIVALENTES ou isométricas, [3] EQUIDISTANTES e [4] AFILÁTICAS ou Arbitrárias. 1- Projeções Conformes -Preserva os ângulos das coordenadas, isto é, os paralelos e os meridianos se cruzam em ângulos retos -Conserva a forma terrestre -Apresentam distorções nas áreas representadas (quanto mais afasta-se da linha do equador maior as distorções) -A escala apresenta distorções em direção aos polos.

23 PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS 2) Projeções Equivalentes ou Isométricas -Não altera as áreas, conservando uma relação constante de proporção. - Alteram as formas, isto é as formas ficam distorcidas -Os ângulos das coordenadas ficam deformados. Peters, cilíndrico equivalente

24 PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS Comparação:Conforme / Equivalente Proporção no mapa Mercator Proporção no mapa Mollweide

25 MERCATOR X PETERS

26 MERCATOR As á reas são fortemente afetadas, transmitindo uma imagem irreal da geometria do nosso planeta. Por exemplo, a Groenlândia é representada com uma á rea idêntica à de Á frica, muito embora ela seja, na realidade, cerca de 13 vezes menor. Essa projeção é apropriada para apoiar a navega ç ão mar í tima. PETERS Representar a proporção de tamanho entre os continentes sem se preocupar com a equivalência das distâncias. Os meridianos estão separados a intervalos crescentes desde os polos at é o Equador e, por isso, os continentes situados entre os meridianos 60 º norte e sul apresentam uma deforma ç ão (alongamento) no sentido norte- sul, sendo que os continentes que se situam em uma latitude elevada apresentam um achatamento no sentido norte-sul e um alongamento proposital no sentido leste- oeste. A proje ç ão de Peters é tida como uma proje ç ão ideologicamente terceiro- mundista. Ela apresenta uma propor ç ão real entre os continentes onde os pa í ses de primeiro mundo não são maiores que os pa í ses do terceiro-mundo.

27

28 PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS 3) Projeções Eqüidistantes -São as projeções que não apresentam deformações em linha reta; -Isso só é possível em determinada direção. -São menos empregadas que as projeções conformes e equivalentes, porque raramente é desejável um mapa com distâncias corretas apenas em uma direção. -Apresenta distorções nas áreas e nas formas terrestres.

29 PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS Projeções Afiláticas - não possui nenhuma das propriedades anteriores. - equivalência, conformidade e equidistância variam

30 Exercícios PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS

31 1) Existem diferentes formas de representação plana da superfície da Terra (planisfério). Os planisférios de Mercator e de Peters são atualmente os mais utilizados. Apesar de usarem projeções, respectivamente, conforme e equivalente, ambas utilizam como base da projeção o modelo: PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS Resposta: C

32 2) Com relação ao mapa a seguir: a) o erro está no fato dele ser apresentado de modo invertido, pois a Antártida está colocada ao norte, e a Europa e Ásia, ao sul da Terra, fato que invalida a Projeção de Peters. b) nenhum dado está correto, pois, com a Projeção de Peters, a Europa aparece proporcionalmente menor do que realmente é em relação aos demais continentes. c) a forma do traçado dos continentes está mantida, mas o erro está no fato do mapa ser apresentado de modo invertido, resultado da Projeção de Peters. d) a proporção entre as áreas dos continentes corresponde à da realidade, apesar de comprometer as suas formas, resultado da Projeção de Peters. Resposta: D

33 03. (UFRGS-2007) A projeção cartográfica é a representação de uma superfície esférica (a Terra) em um plano (o mapa). Por Isso, todas as projeções apresentam deformações, devendo o geógrafo escolher o tipo de projeção que melhor atenda aos objetivos do mapa. Sobre essa temática são feitas as seguintes afirmações. I. Na eurocêntrica projeção de Mercator, os paralelos e os meridianos formam ângulos retos, o que permitiu traçar rotas de navegação em linha reta que auxiliaram os grandes descobridores a incorporar novas terras, II. A projeção de Peters reproduz bem o tamanho e o formato das áreas situadas na zona intertropical, porém exagera na representação dos continentes situados nas zonas temperadas e polares, III. Tanto a projeção de Mercator quanto a de Peters são projeções cilíndricas, ou seja, caracterizam-se por apresentarem os paralelos e os meridianos retos e perpendiculares entre si. Estão corretas as afirmativas: Resposta: I e III

34

35 Escala gráfica A escala gráfica é representada por um pequeno segmento de reta graduado, sobre o qual está estabelecida diretamente a relação entre as distâncias no mapa, indicadas a cada trecho deste segmento, e a distância real de um território. Observe: 1cm é equivalente a 3 km no terreno, 2 cm a 6 km, e assim sucessivamente. 3,5 cm, a distância real entre elas será de: 3,5 X 3=10,5 km (dez quilômetros e meio). A escala gráfica apresenta a vantagem de estabelecer direta e visualmente a relação de proporção existente entre as distâncias do mapa e do território.

36 Escala Numérica A escala numérica é estabelecida através de uma relação matemática, normalmente representada por uma razão, por exemplo: 1: A primeira informação que ela fornece é a quantidade de vezes em que o espaço representado foi reduzido. Neste exemplo, o mapa é vezes menor que o tamanho real da superfície que ele representa.

37 Na escala numérica as unidades, tanto do numerador como do denominador, são indicadas em cm. O numerador é sempre 1 e indica o valor de 1cm no mapa. O denominador é a unidade variável e indica o valor em cm correspondente no território. No caso da escala exemplificada ´ (1: ), 1cm no mapa representa cm no terreno, ou 3 km.

38 Aplicação da escala numérica A escala (E) de um mapa é a relação entre a distância no mapa (d) e a distância real (D). Isto é: E = D d E: escala D: distância real (normalmente em km) d: distância no mapa (normalmente em cm)

39 As questões que envolvem o uso da escala estão geralmente relacionadas a três situações: 1. Calcular a distância real entre dois pontos, separados por 5 cm (d), num mapa de escala (E) 1: Kmhmdam m dm cm mm 2. Calcular a distância no mapa (d) de escala (E) 1: entre dois pontos situados a 30 km de distância (D) um do outro. Obs: sempre transformar a unidade maior 3. Calcular a escala (E), sabendo-se que a distância entre dois pontos no mapa (d) de 10 cm representa a distância real (D) de 20 km.

40 10. (FURG-2008) Em determinado mapa a distância gráfica entre dois pontos "A" e "B" é de 7,4cm e a escala desse mapa é de 1:25000, pode-se dizer que, em terreno, a distância entre os pontos "A" e B é de: a) 1850 m.b) m. c) 185 m.d) 1750 m. e) 175m. 11. (UNIFRA-2009/1) Em uma carta topográfica de escala 1:25.000, a distância entre dois pontos A e B é representada por 6 cm. Indique a distância real entre os dois pontos. a) 15 km b) 41,6 km c) 150 km d) 1,5 km e) km Resposta: A Resposta: D

41 Escala Grande e Escala Pequena Para a elaboração de mapas de superfícies muito extensas é necessário que sejam utilizadas escalas que reduzam muito os elementos representados. Esses mapas não apresentam detalhes e são elaborados em pequena escala. Portanto, quanto maior o denominador da escala, maior é a redução aplicada para a sua elaboração e menor será a escala. As escalas grandes são aqueles que reduzem menos o espaço representado pelo mapa e, por essa razão, é possível um maior detalhamento dos elementos existentes. Por isso, são aquelas cujo denominador é menor. As escalas maiores normalmente são denominadas de plantas que podem ser utilizadas num projeto arquitetônico ou para representar uma cidade. De acordo com os exemplos já citados a escala 1: 300 é maior do que a escala 1:

42 1:

43 EXERCÍCIOS 1- Entre as escalas seguintes, qual pode ser considerada maior? E menor? Explique. 1: :

44 Principais movimentos da Terra: Rotação: Movimento que a Terra faz em torno de seu próprio eixo imaginário. - Duração: aproximadamente 24 horas - O movimento de rotação da Terra explica a existência dos dias e das noites. - O movimento de rotação da Terra é de oeste para leste. Devido a esse movimento nosso planeta será dividido em 24 fusos horários.

45 FUSOS HORÁRIOS 1. A Terra foi dividida em 24 fusos horários. 2. A cada 15° de longitude, temos um fuso horário ou uma hora: 15° = 1h (da mesma forma, 1° = 4 minutos). 3. Fuso inicial é o Meridiano de Greenwich, ele serve para indicar a hora oficial mundial ou hora GMT (Greenwich Meridian Time). 4. Cada fuso a oeste é uma hora a menos e cada fuso a leste indica uma hora a mais.

46

47 180°180° 165°165° 150°150° 135°135° 120°120° 105°105° 90°90° 75°75° 60°60° 45°45° 30°30° 15°15° 0°0° 15°15° 30°30° 45°45° 60°60° 75°75° 90°90° 105°105° 120°120° 135°135° 150°150° 165°165° 180°180°

48 Sendo 15 horas em Brasília (45º a oeste de Greenwich) que horas serão respectivamente em Londres (0º) e em Moscou (45º a leste de Greenwich)? Um avião sai do Rio de Janeiro (45º de longitude O) às 16 horas com destino a Moscou (45º de longitude L), na Rússia. O voo terá a duração de 8h. Em que dia e hora esse avião chegará a Moscou? Um avião sai de São Paulo (45º de longitude O) às 12 horas da manhã com destino a Nova York (75º de longitude oeste). O voo terá a duração de 11 horas. A que horas esse avião chegará em NY?

49 01. Numa cidade A, de longitude 60 o E, são 12h. No mesmo instante, numa cidade B, são 17h. Qual a longitude da cidade B? a) 30 Lesteb) 30 Oestec) 135 Leste d) 120 Lestee) 150 Leste 02. Numa cidade A,localizada a 165 o W, são 3h. Que horas serão neste mesmo instante em uma outra cidade B, localizada a 15 o E? a) 14hb) 15hc) 16hd) 17he)18 Resposta: c Resposta: B

50 (UFRJ) Três internautas (A, B e C) navegam pela rede mundial e visitam a página da BBC de Londres. No momento em que eles acessam a referida página, são 15h (hora local) em Londres (0ºGr). Sabe-se que o internauta A mora numa cidade a 105ºL de Gr, o internauta B, a 30ºO de A, e o internauta C, a 45ºO de Gr. Com base nessas informações, é correto afirmar que as cidades dos internautas A, B e C, no momento em que eles acessam a referida página, têm, como hora-local, respectivamente, a) 20h, 18h e 12h. b) 20h, 22h e 18h. c) 22h, 17h e 12h. d) 22h, 20h e 12h. e) 22h, 20 e 18h. Resposta: D

51 (Ufac) Localizadas a Oeste de Greenwich, duas cidades, A e B, encontram-se, respectivamente, a 90° e 45°. Numa quarta-feira, um avião saiu de A às 14h30min e chegou a B depois de 5 horas de viagem. O horário de chegada em B foi: a) 18h30min da quarta-feira. b) 19h30min da quarta-feira. c) 22h30min da quarta-feira. d) 00h30min da quinta-feira. e) 02h30min da quinta-feira.

52 HORA LEGAL: HORA DO FUSO É determinada pelo meridiano central do fuso. Ex: Porto Alegre – fuso 45°W, portanto o fuso que define a ora oficial (hora legal) de Porto Alegre é o meridiano de 45°W, apesar da cidade possuir uma longitude de 51°W.

53 51°W- 45°W = 6°X4 = 24min. 12h – 24min = 11:36min. HORA VERDADEIRA: HORA SOLAR É determinada pela longitude do lugar, é a hora do meridiano local. Ex: quando no fuso 45°W (fuso de Porto Alegre) os relógios marcam 12 horas, a hora solar da capital gaucha é: 45º30º 51º Porto Alegre

54 PUC-RS A hora de uma cidade localizada a 21° Oeste e 20° Sul é de 13 horas no horário de verão. Que horas marcariam os relógios dessa mesma cidade se fossem acertados pelo Sol, hora verdadeira, desconsiderando o horário de verão? a) 11 horas e 36 minutos b) 13 horas e 29 minutos c) 14 horas d) 12 horas e 36 minutos e) 12 horas

55 Linha Internacional da Data E uma linha imaginária na superfície terrestre que implica uma mudança de data obrigatória ao cruzá-la. Ao cruzar a linha de data de leste para oeste ganha-se um dia e ao passar de oeste para leste subtrai-se um dia no calendário. Por conveniência, a linha de data foi posicionada no globo terrestre do lado oposto ao Meridiano de Greenwich, mas localiza-se, na verdade, próxima do meridiano 180.

56 A primeira observação relacionada à LID ocorreu na expedição realizada por Fernão de Magalhães ( ), a primeira a circum-navegar o planeta. Os marinheiros sobreviventes, no retorno a Espanha, tinham a certeza de qual era o dia da semana, como confirmado por vários registros de navegação. Entretanto, os que estavam em terra insistiam que o dia era diferente. Embora possamos hoje entender o que ocorreu, o fenômeno causou grande surpresa na época, que fez com que fosse enviada uma delegação especial ao Vaticano para contar ao Papa a odisseia temporal ocorrida. O Papa da época achava que, assim, era possível voltar no tempo e até chegou a sondar a proibição da Linha de Data, mas no fim ele compreendeu tudo e aceitou a "regra".

57 03. (UFRS 2002) Observe a figura a seguir. No dia 10 de janeiro, às 8h, um navio cargueiro, em sua rota, cruza a Linha Internacional da Data no sentido Oeste (Gr). Após ter cruzado a referida linha, que dia e hora local são registrados no navio? a) 9 de janeiro, 7h.b) 9 de janeiro, 8h. c) 10 de janeiro, 9h.d) 10 de janeiro, 10h. e) 11 de janeiro, 8h. RESPOSTA: B

58 Fusos do Brasil O território brasileiro está localizado a oeste do meridiano de Greenwich (longitude 0º) e possui três fusos horários. O primeiro fuso (Ilhas oceânicas - 30º O) tem duas horas a menos que a GMT. O segundo fuso (45º O), o horário oficial de Brasília, é três horas atrasado em relação à GMT. O terceiro fuso (60º O) tem quatro horas a menos que a GMT.

59 Horário de Verão A hora de verão vigorará nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal. A meta é a redução do consumo de energia no horário de pico. OBS: no horário de verão os relógios são adiantados

60 (Enem 2009) O sistema de fusos horários foi proposto na Conferência Internacional do Meridiano, realizada em Washington, em Cada fuso corresponde a uma faixa de 15º entre dois meridianos. O meridiano de Greenwich foi escolhido para ser a linha mediana do fuso zero. Passando-se um meridiano pela linha mediana de cada fuso, enumeram- se 12 fusos para leste e 12 fusos para oeste do fuso zero, obtendo-se, assim, os 24 fusos e o sistema de zonas de horas. Para cada fuso a leste do fuso zero, soma-se 1 hora, e, para cada fuso a oeste do fuso zero, subtrai-se 1 hora. A partir da Lei n.° /2008, o Brasil, que fica a oeste de Greenwich e tinha quatro fusos, passa a ter somente 3 fusos horários. Em relação ao fuso zero, o Brasil abrange os fusos 2, 3 e 4. Por exemplo, Fernando de Noronha está no fuso 2, o estado do Amapá está no fuso 3 e o Acre, no fuso 4. A cidade de Pequim, que sediou os XXIX Jogos Olímpicos de Verão, fica a leste de Greenwich, no fuso 8. Considerando- se que a cerimônia de abertura dos jogos tenha ocorrido às 20 h 8 min, no horário de Pequim, do dia 8 de agosto de 2008, a que horas os brasileiros que moram no estado do Amapá devem ter ligado seus televisores para assistir ao início da cerimônia de abertura? a) 9 h 8 min, do dia 8 de agosto.b) 12 h 8 min, do dia 8 de agosto. c) 15 h 8 min, do dia 8 de agosto.d) 1 h 8 min, do dia 9 de agosto. e) 4 h 8 min, do dia 9 de agosto.

61 Um jatinho particular levanta voo de uma cidade localizada a 15º oriental do Meridiano de Greenwich às 22h do dia 10 de janeiro, em direção à cidade de São Paulo. Depois de nove horas do início da viagem, o avião pousa na capital paulista. Sabendo que grande parte do território brasileiro estava participando do horário de verão, indique, abaixo, a alternativa que corresponda ao dia e à hora em que o avião pousou em São Paulo (horário local): a) 3h do dia 11 b) 5h do dia 11 c) 3h do dia 10d) 4h do dia 10 e) 4h do dia 11

62 Consequências do Movimento de Translação Ano bissexto; Juntamente com a inclinação do eixo de rotação da terra determina as estações do ano; Grande dia (sol da meia noite) e Grande noite nos polos; Solstício e Equinócio. Desigualdade de recebimento de luz entre os hemisférios norte e sul.

63 Movimento de Translação da Terra PERIÉLIO: (próximo do sol) AFÉLIO (afastado do sol)

64

65 Obliquidade dos raios solares

66 A expressão Zênite do Sol (ou Solar) designa o momento em que o Sol incide verticalmente sobre um lugar. A latitude em que o Sol atinge o Zênite varia ao longo do ano com o movimento de translação da Terra, entre os trópicos de Câncer e Capricórnio. Sol em Zênite

67 ZONAS TÉRMICAS DA TERRA Zonas Polares: os raios solares atingem a superfície terrestre de maneira bastante inclinada, portanto, as temperaturas são as mais baixas da Terra. Zonas temperadas: os raios incidem à superfície de forma relativamente inclinada em relação à zona intertropical, desse modo as temperaturas são mais amenas. Zona tropical: áreas que recebem luz solar de forma praticamente vertical em sua superfície, o fato produz regiões com temperaturas elevadas, conhecida como zona tórrida do planeta.

68 A inclinação dos raios solares de acordo com as três zonas climáticas

69 O Sol quase toca na linha do horizonte e, a partir deste ponto, volta a subir. Não chega a ficar noite Sol da meia-noite


Carregar ppt "Luis RODRIGO Missio N NO NE W - O L – E SO SE S MEIOS DE ORIENTAÇÃO Pontos Cardeais: Norte (N) Sul (S) Leste (L ou E) Oeste (O."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google