A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PENSAMENTO CONTÁBIL Início: século XV, especialmente com a obra de Pacioli. Até o século XVIII, as idéias eram as mesmas do livro de Pacioli. Exposição.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PENSAMENTO CONTÁBIL Início: século XV, especialmente com a obra de Pacioli. Até o século XVIII, as idéias eram as mesmas do livro de Pacioli. Exposição."— Transcrição da apresentação:

1 PENSAMENTO CONTÁBIL Início: século XV, especialmente com a obra de Pacioli. Até o século XVIII, as idéias eram as mesmas do livro de Pacioli. Exposição sistematizada para a Contabilidade ocorreu muito tempo após a publicação das primeiras obras que trataram das partidas dobradas. 1 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

2 PENSAMENTO CONTÁBIL Primeiros registros contábeis: fichas de barro, pedaços de ossos de animais, pequenas tabuletas de madeira, pedras, papiros, pergaminhos. ADVENTO DOS PRIMEIROS LIVROS CONTÁBEIS IMPRESSOS E A DISSEMINAÇÃO DAS TÉCNICAS DE REGISTROS EM PARTIDAS DOBRADAS SENDO UM INSTRUMENTO DE CONTROLE ADMINISTRATIVO PARA TODAS AS EMPRESAS. A preocupação dos primeiros autores estava em descrever e apresentar exemplos de como registrar transações em livros contábeis por meio de partidas simples ou dobradas. 2 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

3 PENSAMENTO CONTÁBIL Com o fim do feudalismo, a Europa viveu uma transformação econômica direcionado para o capitalismo..Aumento dos negócios e das atividades comerciais demandou maior controle mediante o emprego de sistemas contábeis mais sofisticados e sistematizados. NECESSÁRIO CRIAR MODELOS CONTÁBEIS PARA APOIAR O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO MUNDO, PRINCIPALMENTE DA EUROPA. 3 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

4 CONTISMO – Bases 1586 TOMOU COMO OBJETO DA CONTABILIDADE A CONTA INFLUENCIADO PELO AMBIENTE DA ÉPOCA ONDE A TERRA ERA A BASE DO PATRIMÔNIO E A INFORMAÇÃO A PREDOMINANTE, MAS COM O USO DE POUCAS CONTAS Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

5 ESCOLA CONTISTA O processo de escrituração contábil deve estar subordinado ao funcionamento das contas. O objeto das contas é sempre o de registrar uma dívida a receber ou a pagar, ou seja o processo central de registro do haver e do dever. Neste primeiro momento de contabilidade sistematizada, não existe uma distinção entre a Contabilidade como um ramo de conhecimento humano e o processo de escrituração. 5 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

6 ESCOLA CONTISTA 6 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE Edmundo Degranges lançou a teoria das cinco contas: 1º Mercadorias; 2º Dinheiro; 3º Efeitos a receber; 4º Efeitos a Pagar; 5º Lucros e Perdas. O Contismo estava centrado no problema de evidenciar os saldos das contas a receber e a pagar. Sua movimentação seguia os mesmos princípios ditados para as contas a receber : eram debitados quando aumentavam e creditadas quando diminuíam.

7 ESCOLA CONTISTA Passo seguinte: CRIAÇÃO DA CONTA CAPITAL que se deu pelo surgimento de sociedades com mais de um capitalista exigindo este registro separado. A conta capital foi um instrumento que consolidou o principio de entidade separada de seu proprietário. As contas, na realidade, evidenciam os direitos e as obrigações da empresa em relação às pessoas. 7 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

8 ESCOLA CONTISTA Evidencia da regra: ** Quem recebe deve (tem um débito), por isso ativo foi considerado devedor; ** Quem entrega tem um haver (tem um crédito), caracterizando o passivo. 8 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

9 ESCOLA CONTISTA Críticas: Regra: quem recebe, deve; quem entrega tem a haver. Contabilização: fenômenos da natureza devem ser contabilizados mas não eram apresentados de uma forma clara. 9 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

10 ESCOLA CONTISTA INICIADORES de uma corrente doutrinária – fortaleceu a contabilidade como uma atividade com vida própria, embora interdependente de seu meio socioeconômico 10 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

11 PRINCIPAIS PERSONAGENS DA ESCOLA CONTISTA Dentre outros autores que contribuíram para a 1º fase do desenvolvimento do pensamento contista os que se destacaram consideravelmente foram: Benedetto Cotrugli; Luca Pacioli. Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

12 ESCOLA CONTISTA – BENEDETTO COTRUGLI Benedetto Cotrugli comerciante nascido na Croácia, em 1416 e fez parte da escola contista. Fez um dos primeiros manuscritos sobre as contas de partidas dobradas em Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

13 ESCOLA CONTISTA – BENEDETTO COTRUGLI O trabalho de Cotrugli consiste em 4 livros: 1º: trata de técnicas e práticas que os comerciantes da época deveriam conhecer. Ex: letra de câmbio, seguros, vários tipos de comércio e livros de registros. Os outros 3º livros: apresentam os deveres do comerciante para agir como um verdadeiro cristão, tanto no trato do negócio como no comando de seus empregados. 13 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

14 ESCOLA CONTISTA – BENEDETTO COTRUGLI Os 10 mandamentos proibitivos para o comerciante: O comerciante não deve participar de jogos que envolvam dinheiro, tais como cartas ou dados; O comerciante não deve beber ou comer excessivamente; O comerciante não deve ter contato com pessoas pecaminosas e infames; O comerciante não deve praticar alquimia, porque a prática do comércio envolve o exame de coisas estáveis e certas; 14 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

15 ESCOLA CONTISTA – BENEDETTO COTRUGLI O comerciante não deve participar de pelejas(brigas), porque não é uma atividade séria, é cara e pode levar a caminhos errados; O comerciante não deve contrabandear; O comerciante não deve fornecer peso ou medida falsos; O comerciante não deve ter muitos amigos imprestáveis ou medíocres; O comerciante não deve ser extravagante. 15 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

16 ESCOLA CONTISTA – BENEDETTO COTRUGLI Três livros para registro de suas movimentações: livro de gastos; livro diário; livro razão. Forma de registro : Conta devedora:bens e direitos da empresa; Conta credora: obrigação da empresa. 16 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

17 ESCOLA CONTISTA – BENEDETTO COTRUGLI No registro de cada movimentação, deveriam ser informados os seguintes itens: Quando; Quanto; com quem e Porquê. Cerca de 10 anos depois, a obra de Cotrugli não passava de um simples manuscrito devido a dificuldade de reprodução. 17 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

18 ESCOLA CONTISTA – LUCCA PACIOLI Publicou o seu famoso livro Summa de Arithmetica, Geometria proportioni et propornaliti (coleção de conhecimentos de Aritmética, Geometria, proporção e proporcionalidade), conhecido apenas porSumma. Foi também uma secção deste livro que tornou Pacioli famoso. Era a Particulario de computies et Scripturis, um tratado sobre a contabilidade, (Contabilidade por Partidas Dobradas), enfatizando que à teoria contábil do débito e do crédito corresponde à teoria dos números positivos e negativos. 18 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

19 ESCOLA CONTISTA - SÍNTESE 19 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE Primeira escola do pensamento contábil Primeiros livros impressos de contabilidade Luca Pacioli (1494) Surgimento no séc XV e permaneceu praticamente inalterado até o séc XVIII Período de estagnação da contabilidade que compreendeu a obra de Pacioli (1494) até Villa (1840) Período que o sistema de partidas dobradas se consolidou e disseminou-se pelo mundo inteiro A avaliação do ativo passou a considerar todos os custos incorridos na sua aquisição, e não mas somente o de sua aquisição Surgimento do balancete de verificação

20 ESCOLA MATERIALISMO OU ADMINISTRATIVA OU LOMBARDA Século XIX, Principal mentor Francesco Villa, com sua obra La contabilitá applicata alle amministrazione private e publiche. Outros Colaboradores: Antonio Tonzig (a contabilidade ensina a maneira mais segura de se ter com clareza a continuidade e a representatividade do estado da substância, dos acontecimentos e do resultado de toda administração). 20 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

21 ESCOLA MATERIALISMO OU ADMINISTRATIVA OU LOMBARDA Villa (SCHMIDT, 2008, p. 28) conceitua contabilidade como sendo: Complexo de conhecimento e de operações que serve a aplicação de diversos casos e métodos [...] e deve valer-se segundo a natureza da Administração, da qual a Contabilidade deve ter ao menos um suficiente conhecimento. A contabilidade não limitava a simples escrituração, mas era composta de um conjunto de conhecimentos e operações com o objetivo de controle da gestão (SCHMIDT, 2008, p. 28) 21 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

22 ESCOLA MATERIALISMO OU ADMINISTRATIVA OU LOMBARDA Destaca-se a percepção de que a contabilidade não limitava-se a escrituração, esta seria uma ciência de administração de entidades. PONTO CENTRAL – relação entre a Administração, economia e contabilidade. Economia: aplicação dos princípios econômicos no campo da Contabilidade (redução dos esforços ao mínimo, ter a máxima utilidade e produzir com forças adicionais aquilo que não seria possível obter sem esse)Economia: aplicação dos princípios econômicos no campo da Contabilidade (redução dos esforços ao mínimo, ter a máxima utilidade e produzir com forças adicionais aquilo que não seria possível obter sem esse) 22 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

23 ESCOLA MATERIALISMO OU ADMINISTRATIVA OU LOMBARDA Contabilidade pública: impedir o gasto inútil e a malversação do dinheiro público. Técnica contábil de registro = apenas parte da contabilidade que estava baseada em princípios e como tal não pode aspirar título de ciência. A contabilidade deve ser considerada um complexo de noções econômicas e administrativas aplicadas a arte de confeccionar livros e contas. O CONTADOR DEVE TER PERFEITO CONHECIMENTO DA GESTÃO DA ENTIDADE E NÃO DOMINE APENAS TÉCNICAS DE REGISTRO CONTÁBIL. 23 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

24 ESCOLA MATERIALISMO OU ADMINISTRATIVA OU LOMBARDA CRÍTICA: - Não há definição clara dos conceitos de Administração, Administração Econômica e de Contabilidade. MÉRITOS: - Desvinculou a Contabilidade do campo do formalismo das cifras e dos números, que dominava o campo de interesse dos estudiosos daquela época. 24 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

25 ESCOLA MATERIALISMO OU ADMINISTRATIVA OU LOMBARDA - SÍNTESE Inicia-se o período científico da contabilidade. A administração das entidades passou a ser o alvo central de interesses dos estudiosos de contabilidade. A implantação de um novo empreendimento deveria ser precedida de um estudo de viabilidade, da projeção do retorno sobre o capital investido, etc. A contabilidade deveria ser uma disciplina destinada a interpretar a dinâmica das empresas, voltada para o controle da gestão. A contabilidade não se limitava à escrituração, mas era composta de um conjunto de conhecimentos e operações com o objetivo de controlar a gestão. 25 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

26 ESCOLA PERSONALISTA Também denominada de LOGISMOGRÁFICA, JURÍDICO-PERSONALISTA OU TOSCANA. Fundada durante a segunda metade do século XIX Seguidores: Michele Riva; Francisco Bonalumi, Clitofonte Bellini e, especialmente, Francisco Marchi, Giuseppe Cerboni e Giovanni Rossi. Personificação das contas já existia desde os primeiros expositores do método da partida dobrada, mas não era uma teoria científica. 26 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

27 ESCOLA PERSONALISTA Idéia – as contas deveriam ser abertas a pessoas verdadeiras, físicas ou jurídicas e o dever e o haver representavam débitos e créditos das pessoas a quem as contas foram abertas. Marchi – a empresa é confiada totalmente ao administrador, pois ele é o responsável por todo ativo e passivo da entidade, inclusive pelas próprias contas do proprietário. Classificação das contas em 4 categoriais: consignatários, correspondentes (que eram devedores e credores do administrador e esse devedor ou credor do proprietário), administradores e proprietários. 27 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

28 ESCOLA PERSONALISTA Cerboni – interesse no aspecto jurídico das relações entre o proprietário e a entidade. Contabilidade é a ciência da administração patrimonial, considerando o Patrimônio como um conjunto de direitos e obrigações. Rossi – consolidador – defendeu a abertura de contas para todas as classes de pessoas e para todas classe de direitos e deveres. Marchi – iniciador; Cerboni – construtor da teoria personalista. Rossi – consolidador 28 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

29 ESCOLA PERSONALISTA Por esta teoria, a ciência contábil é considerada o estudo das variações da riqueza em relação a azienda e a contabilidade a ciência da administração aziendal. Contribuição desta escola, foi principalmente a de que a contabilidade deixou de ser apenas uma mera técnica de registro de transações econômicas e passou a ser um instrumento informacional sobre gestão das entidades. 29 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

30 ESCOLA PERSONALISTA Por esta teoria, a ciência contábil é considerada o estudo das variações da riqueza em relação a azienda e a contabilidade a ciência da administração aziendal. Contribuição desta escola, foi principalmente a de que a contabilidade deixou de ser apenas uma mera técnica de registro de transações econômicas e passou a ser um instrumento informacional sobre gestão das entidades. 30 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

31 ESCOLA PERSONALISTA - SÍNTESE Estudo dos aspectos de Direitos e das Obrigações que envolviam os donos da riqueza. Baseada na responsabilidade entre os gestores e a substancia patrimonial. Toda entidade tem um proprietário que deve ser considerado no processo de escrituração Fundamentada no inter-relacionamento entre economia, administração e contabilidade. (LOGISMOGRAFIA) Estudo do sistema patrimonial cujo objetivo é elaborar o balanço patrimonial e o sistema de escrituração (financeiro) cujo objetivo é elaborar balanços de previsões. Personificação das contas 31 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

32 ESCOLA NEOCONTISTA Precursor e Líder: Fábio Besta Principais Características: Descarta a personificação das contas Dirige os estudos para a riqueza patrimonial Grande avanço para o estudo da análise patrimonial e dos fenômenos decorrentes da gestão empresarial Colocava em evidencia o ativo, o passivo e a situação líquida das unidades econômicas. Os termos deve e haver não tem a mesma significação que os contistas lhes atribuíam, mas eram sinônimas de entrada e saída 32 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

33 ESCOLA NEOCONTISTA A contabilidade tem a finalidade de acompanhar as modificações que ocorrem no patrimônio das entidades Tem como elemento mais importante a unidade de valor e o 1º conjunto de valor é a conta. Foi desenvolvida a corrente materialista das contas, em decorrência dos esforços para explicar todo o processo contábil através da classificação e registro das contas. Conceitua a contabilidade como a ciência do controle econômico, observando as fases da administração, distinguindo a fase da gestão econômica da fase de direção e do controle. Deu inicio ao controlismo 33 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

34 ESCOLA CONTROLISTA OU VENEZIANA Precursores: Fabio Besta – Itália (1880) e Jean Dumarchey Restituiu o verdadeiro objeto da contabilidade, a riqueza patrimonial. As contas não deveriam ser abertas a pessoas ou entidades e sim refletir os valores dos componentes patrimoniais sujeitos a modificações. Trata-se de uma evolução das idéias disseminadas pela Escola Contista, difundindo a teoria da valorização das contas patrimoniais, abordando-as como instrumento de valor e de quantificação. 34 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

35 ESCOLA CONTROLISTA OU VENEZIANA As contas passaram a exprimir valores e foram subdivididas em 2 grupos : –os elementares - bens patrimoniais –os derivados - patrimônio líquido e as suas variações Esta escola foi responsável, também, por atribuir à contabilidade o papel de colocar em evidência o ativo, o passivo e a situação líquida das unidades econômicas As principais regras contábeis são expressadas a partir da fórmula do balanço, isto é A = P +/- SL. No ativo as contas são classificadas pelo grau de disponibilidade e para o passivo no de exigibilidade. 35 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

36 ESCOLA CONTROLISTA OU VENEZIANA Mecanismo do débito e do crédito : –Contas Ativas - Aumenta por Débito –Contas Passivas - Aumenta por Crédito Para os adeptos desta teoria, a principal função da contabilidade se resumia na revelação patrimonial, ocupando-se principalmente dos processos de classificação e registro das contas, em detrimento dos aspectos econômico-administrativos dos eventos registrados. 36 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

37 CONTROLISMO DE BESTA - Bases É A SATISFAÇÃO DA NECESSIDADE QUE GERA OS FENÔMENOS DA RIQUEZA Afirma : «O DIREITO DE POSSUIR POR SI SÓ NADA VALE POIS O LEGÍTIMO PROPRIETÁRIO CONSERVA TODOS OS DIREITOS QUANDO AINDA TUDO LHE É ROUBADO.» SÓ ACEITA O VALOR RELATIVO E PRESENTE PROCLAMA A INDEPENDÊNCIA CONCEPTUAL DE CONTA, OBJETO DE CONTA E VALOR.

38 CONTROLISMO - cientista principal - GHIDIGLIA MAIS QUE O CONTROLE, O HUMANO-SOCIAL AMBIENTAL PREVALECE RELEVANTE É O ESFORÇO HUMANO EM SUPRIR NECESSIDADES ATRAVÉS DE MUTAÇÕES CONSTANTE DA RIQUEZA

39 ESCOLA CONTROLISTA OU VENEZIANA - SÍNTESE Precursor e Líder: Fabio Besta – Itália (1880) Principais Características - Admitia que o objetivo era estudar a matéria sob o ângulo do controle econômico da riqueza. - Desenvolveu os conceitos de controle - Preocupação com o usuário - Distinção entre Adm. Geral (visão clara da adm.) e Adm Econômica (refere-se somente a riqueza da entidade) - Patrimônio como a soma de valores positivos (ativo) e negativos (passivo) - Informações antecedentes, concomitantes e subseqüentes. 39 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

40 ESCOLA NORTE-AMERICANA Origem A regulamentação financeira começou, nos Estados Unidos, com as estradas de ferro em 1887, o ano no qual foi fundado o AICPA. Difundiu-se a outros setores numa tentativa para controlar os grupos econômicos gigantescos. (HENDRIKSEN, 1999, p. 53) 40 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

41 ESCOLA NORTE-AMERICANA Evolução: Crise de 1929 – A crise levou à criação da SEC em 1934 e à fixação de padrões de contabilidade pelo Comitê de Procedimentos Contábeis em A expansão do Pós-guerra – A participação crescente de investidores individuais no mercado de ações provocou o aumento da demanda por uniformidade de procedimentos, para permitir comparações, e à formação do Conselho de Princípios Contábeis (APB) em Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

42 ESCOLA NORTE-AMERICANA Evolução: A Era Moderna – A incapacidade de dirimir questões fundamentais na divulgação de dados financeiros levou à substituição do APB pelo Fasb, que é independente do AICPA e conta com um conselho que funciona em tempo integral. Conclusão – No período de 100 anos iniciado com a fundação do que é hoje o AICPA, o número e a influência dos CPAs cresceram de maneira dramática. 42 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

43 ESCOLA NORTE-AMERICANA CARACTERÍSTICAS: A metodologia básica utilizada parte de uma visão dos relatórios contábeis e, em seguida, estuda os lançamentos contábeis que deram origem àqueles relatórios; Maior motivação e facilidade para entender a Contabilidade quando se parte dos relatórios e, em seguida, se apresenta o método das partidas dobradas e os registros contábeis; Grande preocupação com o usuário da informação contábil focando a tomada de decisões. 43 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

44 ESCOLA NORTE-AMERICANA Débito / Crédito (CONVENÇÃO): Débito = lado esquerdo Crédito = lado direito Saldos: Devedor = ΣDébitos > ΣCréditos Credor = ΣDébito < ΣCréditos 44 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

45 ESCOLA NORTE-AMERICANA FATORES QUE CONTRIBUIRAM: 1.Insatisfação dos grupos de investidores das informações contábeis; 2.Grande avanço e refinamento das instituições econômicas e sociais; 3. Desenvolvimento das S.A e à fusão de empresas, tornando-se grandes e complexas; 4. Revolução industrial, com a influência na Contabilidade de Custos; 5.Aumento do número de investidores de médio porte, que desejavam estar permanentemente informados, e que, para tanto, pressionavam os elaboradores de demonstrações financeiras; 6. O Fato do Instituto Americano de Contadores Públicos ser um órgão atuante em matéria de pesquisa contábil. 45 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

46 ESCOLA NORTE-AMERICANA - SÍNTESE Precursor e Líder: Littleton, Paton, Barouse, Moonitz, Antony, Hendriksen, Hongren Principais Características: Avanço das instituições econômicas e sociais À Revolução Industrial – cont. de custos Desenvolvimento das Sociedades por Ações Fusão de empresas tronando-as grandes e complexas Aumento no numero de investidores 46 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

47 ESCOLA NORTE-AMERICANA - SÍNTESE O ensino da contabilidade pelos norte-americanos era de caráter utilitário, dando enfoque aos relatórios necessários à tomada de decisão Ensinam primeiramente os relatórios contábeis e depois os lançamentos que deram a sua origem Dois focos distintos: geração de informação para os usuários externos e para os usuários internos. Foco na pesquisa cientifica. 47 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

48 ESCOLA MATEMÁTICA Exposta por Clitofonte Bellini em 1910, em seu Trattato Elementare teorico-pratico di Ragioneria Segundo Bellini, qualquer que seja o conceito de conta, em seu significado concreto, é sempre o de uma entidade matemática, isto é uma grandeza, pondo em evidência o valor de uma coisa e as variações nele havidas. 48 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

49 REDITUALISMO – escola alemã de SCHMALENBACH 1908 RÉDITO - SEMENTE E FRUTO DE RIQUEZA RÉDITO É RESPONSABILIDADE AZIENDAL e TUDO SE FUNDAMENTA NA DINÂMICA E NO ESFORÇO PARA CONSEGUI-LA 1908 EUGEN SCHMALENBACH - TUDO GIRA EM TORNO DO LUCRO E O BALANÇO É SIMPLES CONSEQUÊNCIA E TUDO É VALOR PRESENTE

50 ESCOLA REDITUALISTA OU ALEMÃ Precursor e Líder: Eugen Schmalenbach – alemanha (1919) Principais Características Observavam a predominância do lucro como objetivo. Dentre os pensadores reditualistas uns buscavam uma concepção aziendal econômica, outros uma concepção socialista e alguns patrimonialistas. Dentro da disciplina Betrieb (contab. Comercial) a contabilidade era considerada como o conjunto de registros para fornecer elementos da gestão. Entre suas correntes doutrinárias uma sugere a elaboração do balaço patrimonial em estático e dinâmico; outra considera que o importante é a rentabilidade do capital próprio e outra considera que entender a natureza dos custos é mais importante que determiná- los. 50 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

51 ESCOLA REDITUALISTA OU ALEMÃ Principais Características Na disciplina lato sensu (contab de cálculo) se divide em escrituração, cálculo de custos, orçamentos e estatística de exploração. Suas teorias se dividem em: estática (a qual o resultado é apurado a partir do confronto inicial e final do balanço patrimonial); orgânica (a qual o balanço patrimonial fornece o estado patrimonial e os reais resultados do exercício) e dinâmica (separa o BP em estático e dinâmico, sendo o estático utilizado p/ determinar o valor e a composição patrimonial em determinado momento e o dinâmico utilizado p/ apurar o resultado). Outro benefício: 1ª a diferenciar claramente a demonstração do resultado do exercício do BP. Sustentabilidade 51 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

52 ESCOLA AZIENDALISTA OU MODERNA ESCOLA ITALIANA Precursor e Líder: Gino Zappa (1920) propôs a economia aziendal, com surgimento dessa escola somente em 1922 Principais Características: Admitiam que a azienda era o objeto de estudo da Contabilidade. Estuda os fatos aziendas sob o aspecto econômico. O resultado é mais importante fenômeno da empresa, sendo que o patrimonial está dentro do resultado. A contabilidade é considerada a ciência da administração econômica das entidades e estuda: a doutrina da gestão; a doutrina da organização e a contabilidade. Ocorre a passagem do sistema patrimonial para o de resultado. Classificação das variações em três grupos: permutativas, modificativas e mistas. 52 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

53 53 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

54 ESCOLA PATRIMONIALISTA Precursor e Líder: Vincezo Mais – Itália (1926), Frederico Herrmann Jr. Principais Características: Patrimônio como objeto de estudo Segmentação dos estudos contábeis: estatica, dinâmica, e relevação patrimonial. O patrimônio é dividido em três contas básicas: ativo, passivo e contas diferenciais. Tem a ver como equilíbrio funcional e financeiro entre elementos patrimoniais. Tem a ver com a movimentação das contas. Tem a ver com a importância de registrar seus fatos corretamente. Conjunto de princípios que regulam a representação quantitativa e qualitativa do patrimônio. 54 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

55 ESCOLA NEOPATRIMONIALISTA Precursor e Líder: Antonio Lopes de Sá Principais Características Primeira escola genuinamente brasileira Surgido na segunda metade do século XX Derivou-se da Teoria Geral do Conhecimento Contábil. Contabilidade não mais poderia confinar-se ao estudo de fatos apenas sucedidos, mas, deveria, sim, dedicar-se ao conhecimento das causas dos acontecimentos, partindo das bases de uma ciência pura competente para subsidiar modelos que posteriormente seriam adaptados para aplicações, mas, sem haver preocupação primordial com estas. 55 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

56 ESCOLA NEOPATRIMONIALISTA O primeiro livro que apresentou as bases do Neopatrimonialismo foi editado em 1992 pelo Centro Universitário da UNA-Ciências Gerenciais, de Belo Horizonte. Preocupa-se com o saber pensar em Contabilidade e assume mais o caráter de uma diretriz geral, metodológica, que mesmo o de sugerir procedimentos para efeitos pragmáticos. Tem como meta principal apresentar um critério lógico, mais que se impressionar com a aplicação 56 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE

57 NEOPATRIMONIALISMO – Bases 1986 NASCE DAS BASES DE MASI, DÁURIA E LOPES AMORIM APRESENTA A TEORIA GERAL DO CONHECIMENTO CONTÁBIL Baseia-se no pensamento HOLÍSTICO e SISTEMÁTICO DAS FUNÇÕES ÚNICA CORRENTE CIENTÍFICA DE ORIGEM BRASILEIRA

58 58 Profª Andrea Mendonça – FAMA TEORIA DA CONTABILIDADE DoutrinaPrincipais autoresObjeto -Contismo Jacques Savary e Edmundo Degranges Mecanismo das Contas -PersonalismoGiuseppi Cerboni Personificação das contas -NeocontismoFabio BestaRiqueza patrimonial -ControlismoFabio BestaControle da riqueza -AziendalismoGino ZappaFatos de gestão -PatrimonialismoVicenzo MasiPatrimônio -NeopatrimonialismoAntonio Lopes de SáPatrimônio

59 REFERÊNCIAS HENDRIKSEN, Eldon S.; BREDA, Michael F. Van. Teoria da Contabilidade. 5. ed. São Paulo: Atlas, SCHMIDT, Paulo: História da contabilidade: foco na evolução das escolas do pensamento contábil. São Paulo: Atlas, 2008.


Carregar ppt "PENSAMENTO CONTÁBIL Início: século XV, especialmente com a obra de Pacioli. Até o século XVIII, as idéias eram as mesmas do livro de Pacioli. Exposição."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google