A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A USP que queremos ver daqui 20 anos" Trabalho Final da disciplina Estados e Formas da Cultura na Atualidade (CBD0282) Projeto por Caroline Restan de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A USP que queremos ver daqui 20 anos" Trabalho Final da disciplina Estados e Formas da Cultura na Atualidade (CBD0282) Projeto por Caroline Restan de."— Transcrição da apresentação:

1

2 A USP que queremos ver daqui 20 anos"

3 Trabalho Final da disciplina Estados e Formas da Cultura na Atualidade (CBD0282) Projeto por Caroline Restan de M. Ferreira

4 Objetivo Este trabalho pretende apresentar um projeto de universidade no futuro, tendo como base a experiência vivida na Universidade de São Paulo.

5 Justificativa Para isso, foi utilizado um formato condizente com as propostas apresentadas.

6 Nova USP A USP deve ser um espaço de compartilhamento de conhecimento e experiências.

7 Rede Foco na Aprendizagem Cooperativa, a partir da implantação de uma rede virtual. A direção mais promissora, que por sinal traduz a perspectiva da inteligência coletiva no domínio educativo, é a da aprendizagem cooperativa. (LEVY, Cibercultura, p.171)

8 Rede A rede deve organizar os envolvidos. Permitir a criação de comunidades e a interação entre elas. Além de reunir todo o conhecimento acumulado.

9 Rede A rede permitirá o desenvolvimento de um saber diferente, com novos limites e desafios. Mas, é no espaço físico que poderão ser desenvolvidos as grandes experiências pessoais. A rede e a cibercultura devem se desenvolver sem substituição do ambiente físico.

10 Parcerias A rede possibilita parceria com outras faculdades, nacionais e internacionais. Facilitando o intercâmbio de conhecimento, presencial ou à distância.

11 Professores A principal função do professor não pode mais ser uma difusão dos conhecimentos, que agora é feita de forma mais eficaz por outros meios. Sua competência deve deslocar-se no sentido de incentivar a aprendizagem e o pensamento. (LEVY, Cibercultura, p. 171) Mudança no papel do professor e na sua autoridade.

12 Alunos Mudança no papel do aluno. O aluno não é mais o ser passivo que precisa reter todo o conhecimento transmitido pelo professor. Ele interage, trás para o debate suas experiências, conhecimentos e questões. A partir disso, inicia-se o debate colaborativo e cooperativo.

13 Aulas Mudança na forma de aprendizado. As aulas não devem ser o meio principal e único de aprendizado, Deve-se estimular o debate, a interação na rede.

14 Aulas As aulas devem permitir programas presenciais, semi-presenciais ou virtuais. Além disso, as aulas virtuais devem ser públicas. Estudos à distância e distribuição do saber.

15 Disciplinas Mudança na grade curricular As grades curriculares devem permitir mais do que a geração de conhecimento básico. Além das habilitações teóricas e práticas, deve-se ter disciplinas voltadas para o desenvolvimento de competências, ou seja, laboratórios que trazem a oportunidade de o aluno desenvolver essas habilidades. Exemplo: empreendedorismo, inovação, trabalho em equipe, entre outras.

16 Disciplinas Flexibilidade na grade curricular Os alunos devem ter maior liberdade para construirem sua grade curricular conforme seus interesses, Algumas seriam obrigatórias e entre as optativas (maior porcentagem), ele deverá escolher se pretende fazer disciplinas teóricas, práticas, laboratórios de competências, e até mesmo, essas disciplinas em outras unidades e faculdades.

17 Avaliação A avaliação é uma tentativa de metrificar o desenvolvimento do aluno. Portanto, as provas decorebas devem ser abolidas nesse sistema. O interessante seriam as provas com consulta (fisicamente ou por rede), que promova um debate crítico do aluno a partir das discussões em aula ou os trabalhos. Mais do que prova, Desenvolvimento!

18 Auto-avaliação A auto-avaliação é uma forma de avaliação interessante para ajudar a metrificar o desenvolvimento do aluno. Ela poderá ser feita nas disciplinas, mas também, durante o curso, semestralmente ou anualmente. Ela ajuda a manter a confiança, a independência e o protagonismo do aluno. A auto-avaliação ajuda a manter a confiança, a independência e o protagonismo do aluno.

19 Auto-avaliação Aposte nas metas Para ajudar a auto-avalição, o aluno poderá propor metas que pretende alcançar com a escolha de sua grade curricular, juntamente, com ajuda de seus professores. No final, deve fazer uma conclusão de cada métrica com uma justificativa sobre seu próprio desenvolvimento.

20 Referências LEVY, Pierre, CIBERCULTURA Música: Yann Tiersen – Comptine d`um autre ete Figuras:


Carregar ppt "A USP que queremos ver daqui 20 anos" Trabalho Final da disciplina Estados e Formas da Cultura na Atualidade (CBD0282) Projeto por Caroline Restan de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google