A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

QUALIFICAR O PROFESSOR É ISSO QUE A GENTE FAZ. PROGRAMA DE ATENDIMENTO ESPECIALIZADO DE ENSINO SUPERIOR PARA ACADÊMICOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "QUALIFICAR O PROFESSOR É ISSO QUE A GENTE FAZ. PROGRAMA DE ATENDIMENTO ESPECIALIZADO DE ENSINO SUPERIOR PARA ACADÊMICOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS."— Transcrição da apresentação:

1 QUALIFICAR O PROFESSOR É ISSO QUE A GENTE FAZ

2 PROGRAMA DE ATENDIMENTO ESPECIALIZADO DE ENSINO SUPERIOR PARA ACADÊMICOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ

3 TRATAMENTO DIFERENCIADO PARA GARANTIR A IGUALDADE DE CONDIÇÕES E OPORTUNIDADES

4 A Universidade Vale do Acaraú-UVA/PA, objetivando favorecer o desenvolvimento acadêmico dos portadores de necessidades educacionais especiais no ensino superior, implementou o Programa de inclusão, no dia 06/03/2002, momento este em que foram aprovados no Curso de Pedagogia 8 alunos surdos; havendo neste ínterim uma crescente demanda, tanto que no ano de 2004, contamos com 37 acadêmicos surdos, 01 aluna cega e 01 paralisado cerebral, matriculados e freqüentando regularmente o Curso de Pedagogia, além de termos 01 aluno cadeirante no curso de geografia que passaram a receber o apoio pedagógico necessário para que seu acesso e permanência fossem efetivados, dos quais 05 colaram grau em março de 2005 e mais 14 colaram grau em setembro. Inclusive, atendemos 01 aluna surda no município de Parauapebas que também conta com a presença do tradutor-intérprete em sala de aula. No primeiro semestre do ano de 2005, foram aprovados 02 alunos surdos no curso de licenciatura em matemática, e no segundo semestre mais 05 em licenciatura em matemática e 01 em língua portuguesa totalizando 24 alunos que estão atualmente freqüentando regularmente as aulas. A Universidade em consonância com o processo de inclusão entende o quanto é importante que a pessoa surda tenha no processo de ensino aprendizagem, acesso a sua língua natural que é a Língua de Sinais, pois, certamente, isso implica no respeito à diversidade lingüística da qual faz parte

5 A Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA/PA, desde o ano de 2002, iniciou o desenvolvimento de programas e estratégias que garantissem o cumprimento da portaria nº de 02 de dezembro de 1999 do MEC, que dispõe sobre as condições básicas de acesso de pessoas com deficiência física e sensorial ao ensino superior, de mobilidade e de utilização de equipamentos e instalações das instituições de ensino Para tanto, buscou recursos humanos e materiais que garantissem as melhores e mais adequadas condições de atendimento a essas pessoas. Foram tomadas de imediato algumas medidas que iniciaram desde o processo seletivo vestibular 2002, quanto ao atendimento específico a cada cidadão portador de necessidades especiais, que disponibilizou, também, a correção diferenciada para calouros surdos. Em função dessas ações, a Universidade Vale do Acaraú – UVA/PA formalizou um compromisso real e marca efetivamente a vida de todas as pessoas portadoras de necessidades especiais, que desde a redução de barreiras no processo vestibular puderam ingressar na universidade e iniciar sua vida acadêmica contando com um Programa de Atendimento Especializado de Ensino Superior para Acadêmicos com Necessidades Educacionais Especiais nos cursos de graduação e pós-graduação. CARACTERÍSTICA DO PROGRAMA

6 CURSOS: Todos os cursos ofertados pela Universidade Estadual Vale do Acaraú-UVA/PA UNIDADE CERTIFICADORA: Universidade Estadual Vale do Acaraú- UVA/PA UNIDADE EXECUTORA: Instituto de Desenvolvimento Educacional do Pará- IDEPA COORDENAÇÃO DO PROJETO: Suely Melo de Castro Menezes COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA: Adriane Melo de Castro Menezes COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE INCLUSÃO: Marilene dos Santos Marques ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Cursos ofertados pela Universidade Estadual Vale do Acaraú-UVA/PA, e que apresentem alunos com necessidades educacionais especiais: Cursos do PRE (Pedagogia em Regime Especial); PSI (Pedagogia das séries iniciais); LE (Licenciaturas específicas); LI (Licenciaturas integradas) ÁREA TEMÁTICA: Atendimento Especializado técnico-pedagógico aos acadêmicos com necessidades educacionais especiais. PROGRAMA DE ATENDIMENTO ESPECIALIZADO DE ENSINO SUPERIOR

7 SETOR PEDAGÓGICO DEPARTAMENTO DE INCLUSÃO-DIC

8 · Do Processo Seletivo - Colocação de professor especializado a disposição da comissão vestibular; - Colocação de tradutor intérprete de LIBRAS/Língua Portuguesa para assessorar candidatos Surdos; - Correção diferenciada nas provas de candidatos Surdos; - Prova em BRAILLE e/ou ampliada ou ledor para candidatos cegos e/ou com baixa visão; - Sala de fácil acesso; - etc. · Do Processo Acadêmico - Assessoramento Pedagógico de acordo com o específico de cada aluno; - Informações aos professores que ministrarão as aulas, nas turmas onde estão os alunos especiais; - Enturmação dos alunos, verificando as possibilidades de acesso, e de alocação de acordo com seus pares; - Intérpretes onde estão os alunos Surdos - Textos informativos a respeito das necessidades específicas dos alunos; - Nos cursos de capacitação e reuniões para professores são dados informativos sobre o Programa de Inclusão e a proposta de trabalho da universidade; - Levar em conta o acesso e a sensibilidade para a escolha dos professores que ministrarão as aulas nas turmas com alunos especiais; - etc. ATENDIMENTO

9 - Colocação de tradutores-intérpretes de LIBRAS/Língua de sinais para atuar três (3) vezes na semana na sala de aula simultaneamente com o professor, e Dois (2) dias de assessoramento pedagógico em horário oposto ao que o aluno está em sala de aula; - Reconhecimento das dificuldades lingüísticas apresentadas pelos acadêmicos; - Reconhecimento da comunicação por meio da língua de sinais- LIBRAS, utilizada pelos alunos; - Utilização de tecnologias na comunicação com os alunos no sentido de ajudá-lo na aquisição do português escrito; - Utilização obrigatória de legendas em filmes, documentários, entrevistas (DVD e/ou vídeo), o que favorece a compreensão dos alunos surdos; - Assegurar-lhe o direito de receber os mesmos conteúdos que os ouvintes, por isso, é importante a utilização de recursos visuais e comunicação visual que deve se dar por meio do uso da língua de sinais, língua portuguesa, e outras línguas no que tange à escrita leitura e gramática; -Levar em conta o conhecimento da língua de sinais para a escolha dos professores que ministrarão as aulas nas turmas com alunos surdos; -O professor utilizará a flexibilização na correção das estruturas frasais e das redações (produções escritas) por meio de: -Valorização do aspecto semântico (conteúdo) em detrimento do aspecto estrutural; -Distinção entre conhecimento e desempenho lingüístico; -Gravação e aceitação da língua de sinais utilizada pelo surdo como instrumento de comunicação e de avaliação do conhecimento -Aceitação da mensagem embora esteja contida em frase mal estruturada ATENDIMENTO PARA ACADÊMICOS SURDOS

10 - Transcrição em Braille dos conteúdos didáticos, exercícios, atividades, provas, textos, etc; - Substituição dos gráficos fluxogramas e tabelas por questões; ou utilização de gráficos simples em relevo; - Possibilitar alternativas na forma de realização das provas: lidas, transcrita em Braille, gravada em fita k-7 ou no caso do aluno com baixa visão deverá ser ampliada; - Realização de provas orais, caso ser necessário; - Ampliação de tempo disponível para a realização de provas, produções escritas e ou outras atividades em sala de aula; - Uso de impressora e/ou máquina Braille eletrônica acopladas a computadores (quando indispensável); - Utilização de equipamentos de suporte, tais como: sorobã, máquina de escrever Perkins, Braille, reglete e punção; - Ampliação de tipos ou outros recursos ópticos especiais, como lupa e a telelupa; - Obrigatoriedade na utilização de filmes, documentários, entrevistas, etc. dublado em português, o que favorece a compreensão pelos alunos com limitação visual; -Apoio à locomoção dos alunos, para acesso aos departamentos, às salas de aula e demais setores da universidade, por meio de: -Divulgação de informações sobre a melhor maneira de guiar, informar ou dar referências de locais ao acadêmico com limitação visual; -Colocação de sinais sonoros; -Colocação de placas em BRAILLE; -Instalação de corrimão nas escadas; -Instalação de cercas em locais perigosos. ATENDIMENTO PARA ACADÊMICOS COM LIMITAÇÕES VISUAIS

11 - Reserva de sala em local de fácil acesso; - Reserva de locais para estacionamento do acadêmico com limitações físicas, próximo a entrada da universidade; - Instalação, nos banheiros, no boxe, com apoios para para transporte da cadeira para o vaso sanitário; - Reserva de espaço para a cadeira de rodas, na frente das salas de aula; - Aceitação de outras formas de respostas na avaliação, como orais, gestuais, etc. - Ampliação do tempo na realização de provas e atividades acadêmicas; - Exercícios e provas práticas adaptadas às regras de esportes para deficientes; - Elevadores largos para acesso a cadeira de rodas (em implantação) ATENDIMENTO PARA ACADÊMICOS COM LIMITAÇÕES FISICAS

12 O Programa de Apoio e Atendimento Especializado implantado na Universidade Vale do Acaraú/PA, vem eliminando barreiras e aprimorando esse trabalho, no sentido de sempre estar buscando a Ação-Reflexão para diminuir as dificuldades destes alunos na universidade. Em função do programa, contamos hoje com a presença de uma Coordenação no Programa de inclusão e 4 tradutores- intérpretes de Língua de Sinais/Língua Portuguesa em sala de aula e, também, identificamos, recepcionamos e acompanhamos todos os acadêmicos com necessidades educacionais especiais que ingressam na universidade. A Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA/PA conta atualmente com 31 acadêmicos surdos. Desta forma, redimensionou algumas medidas pedagógicas que inclusive contam com assessoramento pedagógico nos trabalhos acadêmicos que acontecem em 2 (dois) dias da semana no horário oposto ao que o aluno está em sala de aula; 3 (três) dias de tradução simultânea em sala de aula; flexibilidade na correção das provas e trabalhos escritos, valorizando o conteúdo semântico; materiais informativos para os professores sobre a especificidade lingüística desses alunos etc. É importante destacar que a Universidade Vale do Acaraú/PA, vem se consolidando também como uma universidade inclusiva, e possui no currículo do curso de Pedagogia a disciplina Educação, Inclusão e cidadania, a qual contempla estudos e conteúdos acerca das necessidades e potencialidades dessas pessoas. PROGRAMA DE APOIO E ATENDIMENTO ESPECIALIZADO

13 Hoje, com a reestruturação do Programa de Atendimento Especializado, verifica-se o constante êxito de algumas estratégias adotadas no sentido de possibilitar o acesso e a permanência desses alunos no ensino superior, e uma imensidão de recursos e soluções a serem descobertas, pois pretendemos sempre aprimorar e buscar novas estratégias que possam crescer com os acertos já conquistados. Enfim, as necessidades e possibilidades deverão desafiar e consolidar a nossa disposição, à medida que as necessidades advenham, pois estratégias de operacionalização trouxeram bons resultados, como: colocação de professores especializados à disposição da comissão de vestibular; contratação de intérpretes de Língua de Sinais/ Língua Portuguesa, tanto no processo seletivo quanto no dia-a-dia dos acadêmicos aprovados e assessoramento em sala de aula; flexibilidade na correção das estruturas frasais e das redações de pessoas surdas por meio da valorização do aspecto semântico (conteúdo) em detrimento do aspecto estrutural (forma) da linguagem; respeito ao desempenho lingüístico do surdo; aceitação da Língua de Sinais e do Braille como instrumento de comunicação e de avaliação do conhecimento contribuindo para que consigam o grau superior, e para os novos alunos que ingressam na universidade.

14 A ação da Universidade Vale do Acaraú/PA, ao implementar o Programa de Atendimento Especializado, possibilita o reconhecimento e a valorização da diferença, porque acreditamos que somente um tratamento diferenciado pode garantir a igualdade de condições e oportunidades. Desta forma, consideramos que nossos resultados positivos são os responsáveis pela crescente demanda de alunos surdos em 2002, que passou de 8 para 37 alunos no ano de 2004, e em 2005 totaliza com 45 alunos surdos. Nossos alunos especiais são num total 47, no ano de 2006, freqüentando regularmente, onde têm-se 31 surdos (cursos de matemática, pedagogia e biologia), 09 deficientes físicos, sendo que 03 apresentam paralisia cerebral, 02 são cadeirantes e 04 apenas limitação física-dificuldades de locomoção (cursos de geografia, matemática, história, pedagogia, português), 07 alunos com limitação visual, sendo 04 com baixa visão e 03 cegos contribuindo para que hoje esses alunos consigam chegar ao 3º grau sem se sentirem excluídos socialmente ou academicamente, pois suas necessidades específicas estão sendo atendidas, e principalmente, que sua vitória, no que tange às barreiras, não sejam intransponíveis, pois as IES podem e devem assumir este compromisso social e humano, buscando atender essa demanda, bastante reprimida, por ações específicas e contextualizadas de acordo com sua clientela.

15 AQUI! A EDUCAÇÃO É PARA TODOS


Carregar ppt "QUALIFICAR O PROFESSOR É ISSO QUE A GENTE FAZ. PROGRAMA DE ATENDIMENTO ESPECIALIZADO DE ENSINO SUPERIOR PARA ACADÊMICOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google