A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Planejamento de Ensino Porque e como planejar o ensino: algumas idéias Aline M. de M. R. Reali Maio, 2009.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Planejamento de Ensino Porque e como planejar o ensino: algumas idéias Aline M. de M. R. Reali Maio, 2009."— Transcrição da apresentação:

1 Planejamento de Ensino Porque e como planejar o ensino: algumas idéias Aline M. de M. R. Reali Maio, 2009

2 Planejar o ensino superior: sim ou não ? Funções básicas da Universidade –Ensino –Pesquisa –Extensão –A Universidade - papel dinâmico frente a sociedade –A formação profissional, a geração de conhecimentos e as ações da Universidade junto às comunidades - padrões diversos e dinâmicos

3 A maior tarefa da educação moderna - ensinar a pessoa a aprender a aprender –o que possibilita a renovação da aprendizagem –ser agente e gerente do seu processo de conhecimento A Universidade e a escola – não são as únicas fontes de aprendizagem

4 A cronologia do conhecimento (estudo, trabalho, aposentadoria) – aprendizagem permanente A formação de profissionais exige: – exercício de habilidades específicas –atendimento das exigências cada vez mais complexas da produção –capacidade de sistematização e utilização do conhecimento

5 a integração ao mercado do trabalho acompanhando seu dinamismo » a ampliação do mercado de trabalho pela capacidade de satisfazer as necessidades, cujo atendimento não esteja expresso no momento. Substituição do modelo de racionalidade técnica pelo de racionalidade prática

6 Perfil do profissional a ser formado pela UFSCAr Aprender de forma autônoma e contínua Produzir e divulgar novos conhecimentos, tecnologias, serviços e produtos Empreender formas diversificadas de atuação profissional

7 Atuar inter / multi / transdisciplinarmente Comprometer-se com a preservação da biodiversidade no ambiente natural e construído, com a sustentabilidade e melhoria da qualidade de vida

8 Gerenciar e/ou incluir-se em processos participativos de organização pública e/ou privada Pautar-se na ética e na solidariedade enquanto ser humano, cidadão e profissional Buscar maturidade, sensibilidade e equilíbrio ao agir profissionalmente

9 Dificuldades para atender a essas exigências: Currículos não estão fundamentados no perfil do profissional que se pretende formar Excesso de créditos, disciplinas, sobrecarga de requisitos Currículos pouco flexíveis Proposição, substituição ou modificação de disciplinas sem análise adequada do currículo

10 Disciplinas com objetivos formativos pouco explicitados Disciplinas com conteúdos repetidos, desatualizados, distantes das demandas formativas, pouco integrados Formação pedagógica insuficiente dos professores

11 Dificuldades de comunicação/expressão dos alunos Ausência de pré-requisitos Avaliação inadequada do ensino e da aprendizagem Valoração excessiva na importância da nota......

12 Alguns pontos-chaves Caracterização do perfil profissional que se deseja formar Identificação dos problemas que afetam cada curso Estabelecimento de fóruns pedagógicos Elaboração de propostas para superação dos problemas Construção de projetos pedagógicos consistentes com o perfil a ser formado

13 Integração entre as atividades de ensino, pesquisa e extensão Conhecimento do aluno como pessoa e membro de uma comunidade Oferecimento de atividades de ensino compatíveis com as demandas.... Planejamento do ensino

14 Ensinar: processos envolvidos (Schulman, 1996,1987) Base de conhecimento Conhecimento do conteúdo específico Conhecimento pedagógico geral Conhecimento de currículo, os materiais e os programas Conhecimento pedagógico de conteúdo

15 Conhecimento dos alunos e suas características Conhecimentos dos contextos educacionais, as características das salas de aula, das escolas, das comunidades e das culturas Conhecimentos dos fins da educação, seus propósitos, seus valores e sua fundamentação filosófica e bases históricas.

16 Modelo de raciocínio pedagógico Compreensão Transformação InstruçãoAvaliação Reflexão Nova compreensão

17 O que é um Plano de de Ensino ? É uma previsão das intenções que o docente tem ao propor uma disciplina (hipótese de trabalho)

18 Etapas para a realização de Planos de Ensino 1. Reflexão prévia sobre o papel da disciplina na formação do alunos adequação da proposta de ensino ao projeto pedagógico da Universidade e à filosofia do curso para a qual está sendo oferecida; conhecimento da realidade –necessidades formativas de cada área específica –condições estruturais/organizacionais para consecução dos ideais de formação profissional –incorporação e aplicação adequada e continuada de novos conhecimentos –contribuições realizadas por egressos

19 2. Elaboração dos objetivos da disciplina 3. Seleção dos conteúdos 4. Consideração contexto -objetivos-conteúdos ao definir- se a metodologia de ensino 5. A avaliação do ensino e da aprendizagem 6. Definição da bibliografia

20 Essa é uma fase de previsão de ações.... -Geralmente é realizada sem o conhecimento prévio dos alunos, mas considera-se sua formação geral e campo de atuação -É uma fase de formulação teórica (de uma hipótese de trabalho) que poderá ou não ser validada durante o desenvolvimento do Plano -As ações docentes devem ser organizadas em função do Plano de Ensino elaborado, o que pode ser realizado por meio de planos de ensino mais ou menos detalhados. -A fase de desenvolvimento é uma etapa prática, que envolve o professor, o aluno real e as variáveis de contexto.

21 -Conhecer o aluno real implica determinar seus pré- requisitos, habilidades, necessidades, de modo que as ações docentes possam ser moduladas para que o resultado corresponda aquilo que o professor se propôs atingir. -O plano de ensino, nesse sentido, é algo flexível e esse caráter deve ser colocado para o aluno para que ele também se comprometa coma sua aprendizagem. -Essa reorganização implica em processos de avaliação continuada do processo ensino-aprendizagem, o que favorece o aperfeiçoamento da hipótese de trabalho inicial. -Em síntese: o Plano de Ensino pode ser considerado como uma explicitação de uma cadeia de ações (planejar- executar-avaliar) que por meio de um sistema de alimentação contínua, leva ao seu aprimoramento.

22 Filosofia do Curso Perfil do Profissional Conhecimento da Realidade Determinação de Objetivos Seleção e organização dos conteúdos Seleção e organização de estratégias Seleção de recursos e materiais Seleção dos procedimentos de avaliação Elaboração do Plano de EnsinoElaboração do Plano de Aula Fase de Aperfeiçoamento Implementação do Plano de Ensino Avaliação do Plano de Ensino Re-planejamento

23 O Modelo de Plano de Ensino da UFSCar

24

25

26

27 Os objetivos - devem contemplar: filosofia do curso propósitos do curso características do profissional a ser formado -São meios para o estabelecimento dos conteúdos e do tipo de ensino a ser desenvolvido e avaliação a ser aplicada Elementos de um Plano de Ensino

28 –Podem ser definidos em função da tipologia dos conteúdos: Factuais Conceituais Procedimentais Atitudinais

29 Factuais (fatos, acontecimentos, situações, dados e fenômenos concretos e singulares: –Idade de uma pessoa –A localização de uma cidade –Os códigos de um sistema lingüístico –Um fato Implica reprodução inequívoca pelo aluno

30 Conceituais Conceitos – fatos, objetos ou símbolos que têm características comuns –Densidade –Impressionismo –Função –Nepotismo

31 –Princípios – mudanças que se produzem num fato, objeto ou situação em relação a outros fatos, objetos ou situações e podem descrever relações de causa-efeito ou correlação Leis e Regras (Lei de Mendel) Normas (de uma corrente arquitetônica) Conexões (entre axiomas matemáticos)

32 Conteúdos e princípios exigem compreensão –O aluno deve ser capaz de repetir a sua definição + utilizá-lo para interpretar, compreender, expor.... Trata-se de um tipo de conteúdo cujas aprendizagens podem ser ampliadas ou aprofundadas.... Envolve elaboração e construção pessoal do conceito

33 Procedimentais Técnicas Métodos Destrezas Estratégias Procedimentos São ações ordenadas e com um fim São dirigidas para a realização de um objetivo Ler, desenhar, observar, calcular, classificar, traduzir, inferir....

34 –Alguns parâmetros para identificação de conteúdos procedimentais: Ações motoras / cognitivas Poucas ações / muitas ações Ações com ordem fixa / ações com ordem variada

35 Atitudinais Valores ( princípios e ideias éticas) solidariedade, responsabilidade... Atitudes (tendências e predisposições) cooperação, respeito.... Normas (padrões de comportamentos a serem seguidas) discernimento, tomada de decisão...

36 Para definir-se o que se pretende ensinar? Como o que se quer ensinar é aprendido.

37 -Devem ser descritos em termos do desempenho esperado do alunos, usando verbos que indiquem ações e permitam verificação -Ex. oferecidos por Bloom et al (1983): -Definir termos técnicos -Aplicar conceitos científicos usados em um trabalho aos fenômenos discutidos em outro -Reconhecer suposições não enunciadas -Distinguir fatos de hipóteses -Planejar uma unidade didática para uma determinada situação de ensino -Indicar incongruências lógicas em argumentos -Comparar teorias

38 Programa/Tópicos e Estratégias de Ensino –O programa - listagem dos tópicos a serem desenvolvidos na disciplina, sejam teóricos ou práticos, de forma detalha –Podem ser organizados em unidades e sub-unidades. –As estratégias se referem à maneira como o docente pretende desenvolver a disciplina. A opção por uma dada estratégia deve estar fundamentada no caráter da disciplina e em seus objetivos.

39 –Exemplos de estratégias quando os tópicos a serem tratados são teóricos: aula expositiva aula dialogada trabalhos em grupo estudos dirigidos. Recursos que podem auxiliar: vídeos, retroprojetor; datashow; tabelas; mapas; jornais; periódicos. –Quando os tópicos não são teóricos como atividades de estágios, práticas de laboratório e outras é conveniente especificar a maneira pela qual a atividade será desenvolvida, o tipo de orientação e supervisão a serem oferecidas

40 TópicosEstratégias utilizadas e condições oferecidas Atividades dos alunosHoras-aula Especifique as unidades ou sub- unidades da parte teórica e da parte prática Para cada unidade ou sub-unidade especifique as condições que você oferecerá para a aprendizagem dos alunos. Ex: explicar, propor exercícios,mostrar, indicar bibliografia, orientar pesquisas Especifique para cada unidade ou sub- unidade, o que você espera de seus alunos. Ex: resolver exercícios, apresentar seminários, discutir em grupo

41 TópicosEstratégias utilizadas e condições oferecidas Atividades dos alunosHoras- aula Tipos de estratégias de ensino -Exposição participativa entremeada com projeções de vídeos sobre diferentes estratégias de ensino -Demonstração do uso de diferentes estratégias adequadas a diferentes objetivos e conteúdos -Supervisão de exercícios práticos -Ouvir com atenção a exposição -Opinar sobre a aplicação de diferentes estratégias de ensino -Apresentar argumentos para o uso de uma estratégia em situação específica -Aplicar uma estratégia adequada a uma situação-problema

42 A Avaliação A avaliação pode ser vista sob duas perspectivas: a do professor e do aluno. ProfessorAluno Verificar nível e a qualidade do desempenho do alunos com base nos objetivos da disciplina e nas estratégias implementadas Verificar a adequação das atividades desenvolvidas ao conteúdo ministrado e aos procedimentos de ensino utilizados Dados devem ser analisados qualitativamente e servir de subsídio para reorganização das ações pedagógicas visando o seu aprimoramento e a aprendizagem do aluno Conhecer o nível e a qualidade de seu desempenho frente aos objetivos da disciplina Identificar suas dificuldades e estabelecer estratégias de superação

43 Funções da avaliação –Diagnóstica – o professor obtém informações sobre o conhecimento sobre os conhecimentos prévias, interesses e necessidades dos alunos. O aluno pode estabelecer estratégias de superação de dificuldades em conteúdos pré-requisitos –Formativa – permite detectar dificuldades no momento em que surgem e estabelecer planos imediatos de superação –Somativa – é aquela realizada em momentos específicos e pode oferecer uma visão do desempenho do alunos em relação ao grupo Tipos de Instrumentos –Entrevistas, questionários, exercícios, provas, argüições coletivas, observação, projetos, seminários, simulações etc

44 Bibliografia Deve incluir as referências mais importantes para o desenvolvimento do curso. Sugestão para a elaboração de um Plano de Ensino (detalhado) Semana/ Aula ObjetivosTópicosAtividades e condições oferecidas pelo professor Atividades dos alunos BibliografiaAvaliação

45 Refe r ências Bibliográficas Bordenave, J. D. e Pereira, A. M. – Estratégias de Ensino- Aprendizagem. Ed. Vozes, Petrópolis, RJ, Reali, A.M.M.R. e Tancredi, R.M.S.P. – Plano de Ensino, Ufscar: São Carlos, SP, Shulman, l. Knowledge and Teaching: Foundations of the New Reform. Harvard Educational Review, 1987, 57 (1), Mizukami, M.G.N.M. e Reali, A.M.M.R. – O professor a ser formado pela UFScar: uma proposta para construção de seu perfil profissional. Zabala, A.- A Prática Educativa: como ensinar. Artmed;Porto Alegre, RS, 1998.

46 Boa sorte nesse início de carreira ! Obrigado. Aline


Carregar ppt "Planejamento de Ensino Porque e como planejar o ensino: algumas idéias Aline M. de M. R. Reali Maio, 2009."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google