A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GESTÃO ESTRATÉGICA DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia - 2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GESTÃO ESTRATÉGICA DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia - 2012."— Transcrição da apresentação:

1

2 GESTÃO ESTRATÉGICA DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia

3 FUNDAMENTOS DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE; CONVERSÃO DE ENERGIA; IMPACTO AMBIENTAL DA CONVERSÃO E TRANSPORTE DE ENERGIA; POLUIÇÃO AMBIENTAL E A QUESTÃO ENERGÉTICA; ADEQUAÇÃO DE ENERGÉTICO PARA O USO FINAL DA ENERGIA; PROCESSOS PRODUTIVOS DE USO INTENSIVO DE ENERGIA; 2

4 3 LEGISLAÇÃO AMBIENTAL; CUSTOS DE CONTROLE AMBIENTAL NA GERAÇÃO DE ENERGIA; PROGRAMA INTERNO DE CONSERVAÇÃO DE ENERGIA; REDUÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL ATRAVÉS DE OTIMIZAÇÃO ENERGÉTICA E RACIONALIZAÇÃO DO USO; ESTUDOS DE CASOS; ENERGIAS RENOVÁVEIS E FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA ELÉTRICA.

5 4

6 ex1: dois reis que gostavam de jogar xadrez quem perdesse deveria pagar com grãos de trigo ( 1 na 1ª casa do tabuleiro, 2 na 2ª casa, 4 na 3ª, 8 na 4ª, até a 64ª casa) o rei perdedor levou seu reino à ruína ex2 experimente dobrar uma folha de papel ao meio de modo a duplicar a sua espessura após 42 vezes o papel formará uma coluna de aprox. 386 mil km ( distância da terra à Lua) 5

7 o crescimento exponencial é enganoso; o crescimento exponencial começa devagar, mas conforme o tempo passa, a curva se torna cada vez mais acentuada. 6 crescimento populacional com progressão até 2100

8 7 Há uma crescente preocupação de que o crescimento exponencial das atividades humanas, como a queima de combustíveis fósseis e o desmatamento de florestas, já esta mudando o clima da Terra.

9 8 veja aqui como foi o crescimento populacional no mundo nos últimos 60 a.

10 9 ver filme1: um mundo com sete bilhões de pessoas

11 10 CALCUTÁ - ÍNDIA SHANGAI - CHINA

12 11 PAÍS DESENVOLVIDO PAÍS SUBDESENVOLVIDO

13 a energia é um dos vetores básicos de infra estrutura que visa o desenvolvimento de uma sociedade, ou seja, melhora de sua qualidade de vida; outros vetores básicos são água e saneamento, transportes e telecomunicações; esse desenvolvimento cria a necessidade de níveis cada vez maiores de materiais e energia, o que resulta em uma grande quantidade de resíduos, em termos de matéria e energia; por isso, é importante o entendimento do conceito de energia e suas múltiplas formas; bem como o uso das formas de energia que apresentam um menor impacto no meio ambiente. 12

14 temos, portanto, um problema de vital importância, que é conciliar o desenvolvimento e as vantagens de um modo de vida saudável e com a preservação do meio ambiente. 12

15 14 MEIO AMBIENTE: - tudo que afeta um organismo vivo ou seja: Conjunto de fatores naturais, sociais e culturais que envolvem um indivíduo e com os quais ele interage, influenciando e sendo influenciado por eles. Dicionário Brasileiro de Ciências Ambientais (Lima e Silva, 2000). Existem vários tipos de meio ambiente (artigo 3º, I, da Lei 6.938/81 da Constituição Federal: a)meio ambiente físico ou natural: constituído pela flora, fauna, solo, água, atmosfera, etc., incluindo os ecossistemas;

16 b) meio ambiente cultural: constituído pelo patrimônio cultural, artístico, arqueológico, paisagístico, manifestações culturais, populares, etc. 15

17 c) meio ambiente artificial: constituído pelo espaço urbano construído, formado pelo conjunto de edificações (espaço urbano fechado) e de equipamentos públicos (espaço urbano aberto). d) meio ambiente do trabalho: conjunto de condições existentes no local de trabalho relativos à qualidade de vida do trabalhador. 16

18 ver filme 2: aquecimento global (Maurício Ricardo) 17 Conhecer bem os principais problemas ambientais e suas causas é o primeiro passo para conceber formas de minimizar impactos ambientais.

19 18 1.crescimento populacional; 2.pobreza; 3.utilização não sustentável dos recursos

20 19 paises subdesenvolvidos - a pirâmide etária da África, tem base larga, indicando um elevado número de jovens. O topo da pirâmide é bem mais estreito. paises desenvolvidos - o topo da pirâmide etária da Europa é mais largo e evidencia grande proporção de idosos e elevada esperança de vida. Fonte: Jones, Walter crescimento populacional

21 20 A população é geralmente agrupada em três faixas etárias: jovens (0-14 anos); adultos (15-64 anos); e idosos (acima de 65 anos). Fonte: Costa, Fernando 2010

22 2. pobreza a maioria das pessoas pobres do mundo não tem acesso às condições básicas para uma vida saudável; seu dia a dia limita-se a encontrar alimento, água e coisas suficientes para sua subsistência; muitas vezes degradam florestas, rios, solo e a vida selvagem; não tendo a preocupação com a qualidade e a sustentabilidade do meio ambiente a longo prazo. 21

23 22 Degradação do capital natural: alguns resultados devastadores sobre a pobreza * em sua opinião, quais dos aspectos acima são os 2 mais danosos? Fonte: Miller, 2007

24 23 Vocês sofrem de uma doença chamada AFFLUENZA? não é a gripe A (INFLUENZA) Já ouviram falar neste termo? Vocês tem os sintomas abaixo? exaustão pelo excesso de trabalho; altos níveis de dívidas e falências; estresse e ansiedade; queda da saúde; frustação na busca por mais e mais bens.

25 3. utilização não sustentável dos recursos muitos consumidores dos países desenvolvidos tem se tornado cada vez mais consumidores, buscando felicidade e realização pessoal; affluenza é um termo empregado para descrever o vício insustentável do superconsumismo, refletido no estilo de vida de consumidores ricos em países desenvolvidos. sintomas da affuenza exaustão pelo excesso de trabalho; altos níveis de dívidas e falências; estresse e ansiedade; queda da saúde; frustação na busca por mais e mais bens. a globalização e a propaganda estão disseminando este vírus pelo mundo, utilizando o conceito de obsolescência 24

26 25 Tipos de obsolescência: Obsolescência técnica ou funcional quando um novo produto ou tecnologia mais funcional, toma o lugar do antigo, por ex., do telégrafo para o telefone, do disquete de 3 1/2 para o CD, DVD pen drive, do celular analógico para o digital, etc.; quando as peças de reposição se tornam tão dispendiosas que é mais interessante comprar um produto novo; quando o produto se torna inútil devido a mudanças em outros produtos. Por exemplo, os chicotes tornaram-se obsoletos quando as pessoas começaram a andar em automóveis, em vez de charretes; da máquina de escrever para o computador.

27 26 Obsolescência planejada (ou programada) as vezes, os profissionais de marketing introduzem deliberadamente a obsolescência em sua gerenciamento de produto [estratégia de produto], com o objetivo de gerar um volume de vendas duradouro reduzindo o tempo entre compras sucessivas. Ex. uma máquina de lavar roupa, que é projetada para deixar de funcionar em cinco anos após a compra, obrigando os consumidores a comprar outra máquina para os próximos cinco anos; uma impressora, etc.; numa indústria altamente competitiva, esta estratégia costuma ser arriscada porque os consumidores podem comprar os produtos dos fabricantes concorrentes; a prática de obsolescência planejada é também considerada por muitos consumidores como um sinal de comportamento antiético.

28 27 Obsolescência perceptiva (ou percebida) a obsolescência perceptiva é uma forma de reduzir a vida útil dos produtos que ainda são perfeitamente funcionais e úteis; os fabricantes lançam produtos com aparência inovadora e mais agradável, além de pequenas mudanças funcionais, dando aos produtos antigos aspecto de ultrapassados; induzem o consumidor à troca. um bom exemplo é o celular; a moda, que se modifica de forma a estimular a frequente aquisição de novos modelos de vestuarios, etc.

29 28 3a. utilização de energia para o desenvolvimento da sociedade esse desenvolvimento cria a necessidade de níveis cada vez maiores de materiais e energia, o que resulta em uma grande quantidade de resíduos, em termos de matéria e energia; Este item será visto em mais detalhes nesta e nas próximas aulas.

30 29 1.poluição do ar urbano; 2.chuva ácida; 3.efeito estufa e as mudanças climáticas; 4.desmatamento e desertificação; 5.degradação marinha e costeira; 6.alagamento (ou perda de áreas agricultáveis ou de valor histórico, cultural e biológico); 7.contaminação. 29

31 1. poluição do ar urbano um dos problemas atuais mais visíveis 30

32 É associado à: queima de carvão mineral e derivados de petróleo: na indústria; no setor de transporte; na geração de eletricidade. principais poluentes do ar: óxidos de enxofre (SO x ); óxidos de nitrogênio (NO x ); dióxido de carbono (CO 2 ); metano (CH 4 ); monóxido de carbono (CO); ozônio (O 3 ); partículas suspensas. 31 As quantidades dependerão das diferentes tecnologias e do tipo do combustível utilizado.

33 32 obs: nos países emergentes e subdesenvolvidos existe a liberação de monóxido de carbono (CO) pela queima da biomassa em ambientes internos nas áreas rurais (para cocção). A concentração destes poluentes no ar tem gerado doenças como: bronquite crônica, asma, rinite alérgica e outras doenças respiratórias e cardíacas. Curiosidade: no campo as mulheres, nos fornos a lenha, ficam expostas a 700 µg/m 3. Os níveis permissíveis pela OMS não devem exceder a 75 µg/m 3. o benzopireno (hidrocarboneto cancerígeno) inalado, diariamente, equivale a 400 cigarros por dia.

34 33 2. chuva ácida o termo "chuva ácida" foi usado pela primeira vez por Robert Angus Smith, químico e climatologista inglês. Ele usou a expressão para descrever a precipitação ácida que ocorreu sobre a cidade de Manchester no início da Revolução Industrial.

35 a água da chuva não é totalmente pura sempre carrega componentes da atmosfera, o próprio dióxido de carbono (CO 2 ) ao se dissolver na água a torna um pouco ácida, com um pH aproximadamente igual a 5,6. A reação da água com o gás carbônico é dada por: CO 2 + H 2 O H 2 CO 3 (ácido carbônico) O ácido formado é um ácido muito fraco, o que dá à água uma diminuição brusca do pH. 34

36 a chuva ácida é um fenômeno causado pela poluição da atmosfera: diferentemente do CO 2, os óxidos de enxofre (SO 2 (dióxido) e SO 3 (trióxido)) e os óxidos de nitrogênio (N 2 O (gás do riso ou hilariante) e NO (óxido nítrico)) presentes na atmosfera formam ácidos fortes, aumentando a acidez da água da chuva; o carvão mineral usado para a geração de energia, tem causado a chuva ácida na Europa, EUA e países asiáticos, grandes consumidores deste mineral; este é um problema sem fronteiras, os ácidos podem ser carregados pelo vento para distâncias superiores a 1000 km, muitas vezes longe das fontes poluidoras, prejudicando outros países. 35

37 pode acarretar muitos problemas para as plantas (enfraquecendo árvores), animais, solo, água e também pessoas; reage com metais e carbonatos atacando muitos materiais usados na construção civil, como mármore e calcários em prédios, estátuas, monumentos; 36

38 para o homem a chuva causa danos à saúde, pois libera metais tóxicos que estavam no solo. Esses metais podem alcançar rios e serem utilizados pelo homem causando sérios problemas de saúde. 37 alguem já sentiu a chuva ácida?


Carregar ppt "GESTÃO ESTRATÉGICA DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE Profª Drª Maria de Fátima Ribeiro Raia - 2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google