A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Seminário Estresse e Hipertensão Cristiana Selbach Margarèth Guèths Oliveirà José Carlos Pereira Jotz Palestrantes: Clique para mudar os slides – Ligue.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Seminário Estresse e Hipertensão Cristiana Selbach Margarèth Guèths Oliveirà José Carlos Pereira Jotz Palestrantes: Clique para mudar os slides – Ligue."— Transcrição da apresentação:

1

2 Seminário Estresse e Hipertensão Cristiana Selbach Margarèth Guèths Oliveirà José Carlos Pereira Jotz Palestrantes: Clique para mudar os slides – Ligue o som

3 Seminário Estresse e Hipertensão Cristiana Selbach Exercícios físicos: fator antiestressante preventivo e auxiliar no combate a hipertensão arterial.

4 HIPERTENSÃO ARTERIAL A hipertensão arterial sistêmica representa uma das maiores causas de morbidade cardiovascular no Brasil e acomete 22% a 44% da população adulta, possuindo também considerável prevalência em crianças e adolescentes. Tem sido documentado por meios de estudos epidemiológicos uma associação entre o baixo nível de atividade física com a presença da hipertensão arterial. E, por outro lado, pesquisas não deixam dúvidas quanto ao efeito benéfico do exercício físico sobre a pressão arterial em indivíduos hipertensos.

5 TRATAMENTO DA HIPERTENSÃO O tratamento de pacientes com HA inclui a eliminação dos fatores que contribuem para esse quadro, e a combinação eficaz de diversos medicamentos. As terapias não-medicamentosas, como perda de peso, exercício físico, redução do sal na dieta e moderação no consumo de álcool, devem ser encorajadas em todos os pacientes. Equipes multidisciplinares formadas por enfermeiros, farmacêuticos, nutricionistas, psicólogos, fisioterapeutas e educadores físicos podem melhorar os resultados do tratamento.

6 Vários estudos complementares tem demonstrado o efeito hipotensor dos exercícios em pacientes hipertensos após uma única sessão de exercício físico aeróbico, e esta redução dos níveis pressóricos é mantida com o decorrer do programa de treinamento físico. A Sociedade Brasileira de Cardiologia recomenda que os indivíduos hipertensos iniciem programas de exercício regular, desde que submetidos a avaliação clínica prévia. Os exercícios devem ser de intensidade moderada, de três a seis vezes por semana, em sessões de 30 a 60 minutos de duração.

7 ESTRESSE O estresse, seja ele de natureza física, psicológica ou social, é composto por um conjunto de fatores fisiológicos que se exageradas em intensidade ou duração podem levar a um desequilíbrio no organismo. Infelizmente o corpo não tem como distinguir entre os fatores físicos ou psicológicos, dando uma reação generalizada para estes dois fatores de estresse.

8 Para aliviar a tensão muscular, advinda do estresse, são os exercícios :de alongamento que devem ser realizados de forma lenta, com uma respiração controlada. A abordagem combinada está muito difundida nos dias atuais, pois a combinação de exercícios aeróbios e a meditação para reduzir o estresse estão sendo prescritas para as situações de tensões diárias. Além disso, algumas técnicas que combinam o exercício físico com o controle da mente como, yoga, Tai Chi Chuan, fazem uso destes meios.

9 Seminário Estresse e Hipertensão Margarèth Guèths Oliveirà Fatores nutricionais

10 ESTRESSE Reação do organismo, com componentes físicos e ou psicológicos, causadas pelas alterações psicofisiológicas que ocorrem quando a pessoa se confronta com uma situação que, de um modo ou de outro, a irrite, amedontre, excite, confunda ou mesmo que a faça imensamente feliz. (Fianoncini, R.L; Fianoncini, RE 2003).

11 O organismo sob estresse produz mais glicose, aumenta a pressão arterial, aumenta adrenalina e cortisol = ajuda na luta ou fuga = mecanismo de sobrevivência! O problema surge quando vivemos em constantes estados de alerta = estresse crônico. Cortisol e Adrenalina = Aceleração do ritmo cardíaco Frequência respiratória AUMENTO DA PRESSÃO ARTERIAL

12 SINTOMAS EMOCIONAIS / MENTAIS Agitação ou apatia Irritação Indecisão Inquietação Ansiedade, Angústia Baixa libido Dificuldades de Concentração Baixa auto estima

13 SINTOMAS COMPORTAMENTAIS Agressividade Hiperatividade ou falta de ânimo Desorganização Dificuldades nos relacionamentos Consumo excessivo de álcool, tabaco, açúcar, chocolate, café, refinados, etc.

14 SINTOMAS FÍSICOS Contraturas musculares Problemas digestivos Dores de estômago Dores de cabeça Queda da imunidade Transtorno do sono e/ou apetite Vertigens Palpitações Sensação de opressão Fadiga

15 A ALIMENTAÇÃO PARA COMBATER O ESTRESSE Deve ser rica em alimentos antioxidantes (combater a ação dos radicais livres = substâncias tóxicas ao organismo e altamente instáveis) e equilibrada/adaptada ao individuo em relação a quantidade e principalmente a qualidade nutricional! DURANTE PERIODOS DE ESTRESSE Maior consumo de proteínas, vitaminas e sais minerais, carboidratos integrais, alimentos ricos em triptofano; cardápio rico em vitamina C, vitaminas do complexo B, devido ao papel no metabolismo dos carboidratos (as vitaminas B1,B2 e Niacina são usadas em maiores doses durante estresse). Maior consumo de alimentos ricos em vitamina A e E. A deficiência dessas vitaminas levam a reações de ansiedade, depressão, insônia e fraqueza muscular.

16 HIPERTENSÃO ARTERIAL: TRATAMENTO: Consiste em, além da medicação, controle de peso, prática de atividade física, redução do consumo de sal,e produtos ricos em sódio, controle do estresse. Consumo indicado: 6 g de sal - no máximo ao dia em dieta normal. Para hipertensos : indicação de dieta hipossódica com 4g, 2g ou sem sal adicional, sendo: 1 g de sal = 1 colher de cafezinho rasa

17 1)Evitar preparações instantâneas, congeladas, enlatadas ou embutidas. Alimentos processados e preparados contém grandes quantidades de sódio. 2)Lavar enlatados em água corrente diminui a quantidade de sódio. 3)Limitar o consumo de álcool em uma ou duas vezes na semana. 4)Modificar as receitas reduzindo a quantidade de sal, realçando o sabor com ervas e especiarias,suco de limão, vinagre.

18 5)Substituir o sal do saleiro por uma mistura de ervas e especiarias. 6)Usar margarina,ricota e queijo de minas,todo sem sal. 7)Evitar pratos ou molhos com queijo. 8)Sopas, caldos e cremes, colocar o sal no final. 9) Cozinhar os alimentos sem sal e adicionar a quantidade indicada após o prato pronto.

19 CUIDAR com SAL LIGHT!!!! É um produto composto de 50% de cloreto de sódio e 50% de cloreto de potássio que também é um sal. Cuidar, salga menos mas usa-se o dobro. SUGESTÃO: Sal marinho

20 Seminário Estresse e Hipertensão José Carlos Pereira Jotz

21 O termo estresse tem sua origem na física. No ser humano entende-se o estresse como todo estímulo que afeta de modo negativo a uma pessoa. Estresse Hans Selye definiu estresse como uma reação automática, não específica, do corpo a qualquer demanda, podendo ser um desafio ou qualquer tipo de mudança que requer uma adaptação.

22 como cada pessoa interpreta O estresse depende da forma como cada pessoa interpreta a existência destes aspectos no seu cotidiano. Pense nos fatores que hoje estão lhe estressando e imagine daqui a dez anos qual a importância destes fatores em sua vida. Existem quatro tipos de alarme que indicam que estamos estressados. São eles: - Reações Emocionais; - Mudanças de Comportamento; - Distúrbios da Concentração e Raciocínio; - Alterações Fisiológicas Psicossomáticas.

23 É caracterizada pelo aumento da pressão arterial, tendo como causas a hereditariedade, a obesidade, o sedentarismo, o alcoolismo, o estresse entre outras. Sua incidência aumenta com a idade. Hipertensão Arterial Objetivo primário do tratamento - alcançar a maior redução possível no risco de longo prazo das doenças e mortalidades cardiovasculares.

24 PAPASPAD Normal entre mmHg entre 80 e 84 mmHg Normal alta entre 130 e 139 mmHg entre 85 e 89 mmHg HAS leve entre 140 e 159 mmHg entre 90 e 99 mmHg HAS moderada entre 160 e 179 mmHg entre 100 e 109 mmHg HAS severa > 180 mmHg> 110 mmHg

25 Para firmar o diagnóstico de HAS – elevação de PA em pelo menos 3 momentos diferentes. Terapia não medicamentosa: - tratamento inicial para HAS leve; - facilitar a parada ou retirada de medicação de pacientes com HAS bem controlada (sempre com acompanhamento médico); - prevenir HAS em populações de alto risco;

26 1. Redução de peso 2. Dieta alimentar 3. Restrição de sódio (sal) 4. Diminuição da ingestão de álcool 5. Exercício aeróbico 6. Suspensão do tabagismo 7. Terapia de relaxamento 8. Terapias alternativas Medidas não farmacológicas para baixar a pressão arterial.

27 Equilíbrio Hans Selye disse: "Amar ao próximo é o mais sábio conselho médico de todos os tempos". Dean Ornish, comentando a alta incidência de doença coronariana: "Precisamos não somente desobstruir as artérias coronárias, mas também os canais dos sentimentos, permitindo a expressão pura e cristalina do nosso ser e reforçando o nosso relacionamento conosco mesmo, com o próximo e com a Divindade".

28 Como uma das consequências do estresse é a tensão muscular, o relaxamento é um excelente antídoto contra o mesmo. Relaxamento Respiração Exercício respiratório: eficazes na redução da ansiedade, da depressão, do cansaço, da irritabilidade e da tensão muscular. É um verdadeiro antídoto contra o estresse.

29 É outra forma de evitar o stress. Muitas pessoas referem ficar mais calmas após ir numa igreja ou num templo. Exercitar a sua Religiosidade Só ir ao local de culto não modifica ninguém. Apenas acalma temporariamente a situação. É preciso ir lá, refletir sobre suas vidas, seus atos e fazer novas escolhas.

30 Daniel Goleman, autor de Inteligência Emocional, no livro A Arte da Meditação:A meditação é, em essência, o treinamento sistemático da atenção. Ela tem como objetivo desenvolver a capacidade de concentração e enriquecer a nossa percepção. Meditação

31 Benefícios da Meditação Descanso físico, mental e emocional Redução da ansiedade; Equilíbrio da respiração, com melhora na oxigenação e na frequência cardíaca Melhora na qualidade do sono, permitindo maior repouso Controle da enxaqueca, cefaléia ou tensões musculares Aumento da capacidade de concentração Melhora do processo digestivo

32 Contatos Cristiana Selbach: Margarèth Guèths Oliveirà: José Carlos Pereira Jotz: Música: I'll Never Fall in Love Again Burt Bacharach Formatação: José Carlos Pereira Jotz


Carregar ppt "Seminário Estresse e Hipertensão Cristiana Selbach Margarèth Guèths Oliveirà José Carlos Pereira Jotz Palestrantes: Clique para mudar os slides – Ligue."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google