A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Rua Professor Veiga Simão | 3700 - 355 Fajões | Telefone: 256 850 450 | Fax: 256 850 452 | |

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Rua Professor Veiga Simão | 3700 - 355 Fajões | Telefone: 256 850 450 | Fax: 256 850 452 | |"— Transcrição da apresentação:

1 Rua Professor Veiga Simão | Fajões | Telefone: | Fax: | | Parceria: Departamento de Saúde Pública Ministério da Saúde

2 Reflectir sobre a presença da sexualidade na vida das crianças e dos jovens com deficiências; Mobilizar-se para participar activamente no processo de inclusão de pessoas com deficiências. Objectivos

3 O resultado da interacção entre pessoas com diferentes níveis de funcionamento e um entorno que não leva em consideração essas diferenças. Deficiência = Limitação Funcional x Ambiente Segundo dados da Organização Mundial de Saúde - OMS, aproximadamente 10% de qualquer população são portadoras de algum tipo de deficiência.

4 Rua Professor Veiga Simão | Fajões | Telefone: | Fax: | | Diversidade Funcional Ambiente Equiparação de oportunidades

5 A deficiência e a Educação Sexual não aceitam Pode-se afirmar que, em relação à sexualidade, as instituições mais próximas da criança – família e escola – não aceitam qualquer atitude ou comportamento que não seja considerado normal. E esta faixa de normalidade é, geralmente, muito estreita, e desfasada em relação à cultura liberal contemporânea. não acolhe não aceita desvio ou distúrbio de personalidade Ela não acolhe as manifestações de curiosidade e exibicionismo, muitas vezes comuns na criança, não aceita expressões de intimidade física entre jovens que são mostradas (e servem de modelo) livremente pelos meios de comunicação, e ainda considera qualquer comportamento com conotações sexuais como desvio ou distúrbio de personalidade. não aceitam Pode-se afirmar que, em relação à sexualidade, as instituições mais próximas da criança – família e escola – não aceitam qualquer atitude ou comportamento que não seja considerado normal. E esta faixa de normalidade é, geralmente, muito estreita, e desfasada em relação à cultura liberal contemporânea. não acolhe não aceita desvio ou distúrbio de personalidade Ela não acolhe as manifestações de curiosidade e exibicionismo, muitas vezes comuns na criança, não aceita expressões de intimidade física entre jovens que são mostradas (e servem de modelo) livremente pelos meios de comunicação, e ainda considera qualquer comportamento com conotações sexuais como desvio ou distúrbio de personalidade.

6 Quando se trata de crianças ou jovens com necessidades especiais, então, somam-se outros estereótipos e preconceitos. É comum ouvirmos, dos adultos, comentários como: Se ele não consegue nem aprender, como é que fica tão curioso com esses assuntos? Será que isto não acontece porque ele tem outros problemas também?. A deficiência e a Educação Sexual

7 Mitos ligados à deficiência As pessoas com deficiência não têm desejos nem necessidades sexuais. Todos os deficientes são iguais. As pessoas com incapacidade não são atractivas. Têm uma sexualidade descontrolada, exagerada,... Têm uma sexualidade descontrolada, exagerada,... Já que a deficiência mental é sempre hereditária, os deficientes não devem ter filhos.

8 Mitos ligados à deficiência Sexualidade do deficiente = problema. Não podem funcionar sexualmente de forma adequada. Não têm capacidade para actuar de forma responsável em relação à sexualidade. São como «crianças», não se deve «despertar» a sua sexualidade. Não se pode fazer educação sexual porque os incita à conduta sexual.

9 A escola e a família não se sentem seguras A escola e a família não se sentem seguras para lidar com as manifestações sexuais destes jovens, porque têm dificuldade em lidar com os demais comportamentos das pessoas especiais. Esta atitude tem duas consequências principais: construção da identidade e do auto-conceito 1- Afecta a construção da identidade e do auto-conceito do jovem com deficiências, já que a sexualidade tem enorme importância neste processo. Potencializam-se os riscos 2- Potencializam-se os riscos provocados pelo desconhecimento da própria sexualidade, num momento do ciclo vital em que ela é vivenciada de forma tão intensa. A escola e a família não se sentem seguras A escola e a família não se sentem seguras para lidar com as manifestações sexuais destes jovens, porque têm dificuldade em lidar com os demais comportamentos das pessoas especiais. Esta atitude tem duas consequências principais: construção da identidade e do auto-conceito 1- Afecta a construção da identidade e do auto-conceito do jovem com deficiências, já que a sexualidade tem enorme importância neste processo. Potencializam-se os riscos 2- Potencializam-se os riscos provocados pelo desconhecimento da própria sexualidade, num momento do ciclo vital em que ela é vivenciada de forma tão intensa.

10 processos excludentes e estigmatizantes Por outras palavras, no caso de jovens com deficiências, aos preconceitos quanto à sua sexualidade e às dificuldades de difusão de informações e orientações sobre sexo por parte dos adultos significativos, agregam-se a processos excludentes e estigmatizantes, que dificultam ainda mais sua inclusão social, e os tornam mais sujeitos a problemas nessa área.

11 Rua Professor Veiga Simão | Fajões | Telefone: | Fax: | | objectivo geral O programa de educação sexual tem como objectivo geral o desenvolvimento saudável da sexualidade. carácter preventivo O seu carácter preventivo, diminui os riscos de doença e promove o bem-estar da pessoa. conteúdoaspectos informativos aspectos relacionais identidade sexual O conteúdo não se deve restringir aos aspectos informativos de natureza biológica, mas principalmente aos aspectos relacionais envolvidos na busca de uma identidade sexual, trabalhando a ansiedade e o conflito gerados.

12 criar espaços expressar livremente Deve-se criar espaços para trocas e discussões, onde os educandos possam expressar livremente as suas ideias, valores, dúvidas e inseguranças sobre a sexualidade no seu quotidiano.

13 quanto maior o grau funções sexuais impulsos relacionar-se Na deficiência mental sabemos que quanto maior o grau, maior será a dificuldade para a pessoa compreender as funções sexuais, de regular e controlar os seus impulsos e relacionar-se com o meio de maneira adequada.

14 Rua Professor Veiga Simão | Fajões | Telefone: | Fax: | | Ensinar Ensinar a transmitir afecto físico de forma adequada; Desanimar Desanimar as demonstrações de afecto inapropriadas; privacidade Ensinar a ajustar os valores familiares e sociais (privacidade); Diferenciar Diferenciar entre o não aceitável em público e o aceitável em privado; Não; Ensinar o direito a dizer Não; qualquer abuso Ensinar a comunicar à família qualquer abuso; Não esquecer Não esquecer de falar de prazer e afecto na educação sexual.

15 Informações quanto a: aspectos biológicos (corpo humano); higiene; órgãos sexuais e suas funções; menstruação; gravidez e métodos anticoncepcionais; ISTs/VIH.

16 Rua Professor Veiga Simão | Fajões | Telefone: | Fax: | | Orientações quanto a: comportamento adaptativo comportamento adaptativo (padrão sócio- cultural); regras e limites regras e limites da conduta sexual: masturbação, namoro, fantasias, erotismo, expectativas e frustrações.

17 Rua Professor Veiga Simão | Fajões | Telefone: | Fax: | | Olha para mim... Enquanto ser humano que sou Enquanto criança que eternamente o será, longe das regras sociais Enquanto pessoa que ama, sofre, sente e se desilude com os outros… E que, acima de tudo, ao receber dá o devido valor! Olha para mim... Como alguém que sorri apesar das contrariedades da vida Que Me tornam diferente Me atiram para uma cama, uma cadeira de rodas, ou simplesmente, me afastam do mundo! Olha para mim... Aquele para quem um sorriso teu é tudo Em que um abraço, um beijo, enfim um carinho teu me chegam para ser feliz! Autor desconhecido

18 Obrigada. Vemo-nos amanhã!


Carregar ppt "Rua Professor Veiga Simão | 3700 - 355 Fajões | Telefone: 256 850 450 | Fax: 256 850 452 | |"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google