A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Valores: Ética Estudo Parceria Inovação Interatividade Inclusão Social Interdisciplinaridade Missão: Oferecer soluções educacionais personalizadas e inovadoras.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Valores: Ética Estudo Parceria Inovação Interatividade Inclusão Social Interdisciplinaridade Missão: Oferecer soluções educacionais personalizadas e inovadoras."— Transcrição da apresentação:

1 Valores: Ética Estudo Parceria Inovação Interatividade Inclusão Social Interdisciplinaridade Missão: Oferecer soluções educacionais personalizadas e inovadoras a fim de agregar valor às instituições e aperfeiçoar os indivíduos envolvidos. nipec

2 nipec A arte e a ciência da comunicação do professor

3 A relação entre o trabalho do professor e o de um ator de teatro nipec

4 Possíveis interpretações Aula show Facilitação do conteúdo Recursos para tornar a aula divertida Foco na figura do professor nipec

5 Elementos fundamentais para a realização de uma experiência teatral Ator nipec PúblicoTexto

6 É o centro da experiência teatral. Representa uma pessoa que não é ele. Trabalha a partir de suas emoções e experiências pessoais. Utiliza-se principalmente de um texto como instrumento. Coloca-se em risco em cada apresentação. Tem como finalidade colocar uma idéia, reflexão ou conceito em discussão. Utiliza-se sempre de outros recursos que contribuam com o texto. nipec O ator

7 Como é a personagem que o professor representa numa sala de aula? Um exemplo de postura ética. Apaixonado por aquilo que ensina. Preocupado e interessado em seus alunos. Concentrado na finalidade de ensinar. Utiliza-se do texto com segurança para transmitir uma visão de mundo implícita. Bem humorado e entusiasmado com sua função. nipec

8 As Posições Perceptivas do Professor 1 a – O professor (Posição da Ação) 2 a – O aluno (Posição para coleta de informações) 3 a – Terceira Pessoa (Posição para Avaliar) nipec

9 Os Sistemas Representacionais FALAR COM TODOS E COM CADA UM! VISUAL (IMAGENS) AUDITIVO (SONS) CINESTÉSICO (SENSAÇÕES) nipec

10 PLANEJANDO UMA APRESENTAÇÃO TAREFA VS. RELACIONAMENTO nipec

11 TOTS Faça uma breve descrição da apresentação. Quais os objetivos explícitos e implícitos para esta apresentação? Quais serão as evidências? O que você fará para alcançar os objetivos? Quais serão os passos específicos? Quais problemas ou dificuldades podem surgir? Quais ações podem evitá-los ou corrigí-los? nipec

12 CRENÇAS DO PROFESSOR CRER QUE AQUILO É IMPORTANTE. CRER NA EDUCAÇÃO. CRER QUE A PLATÉIA ESTÁ INTERESSADA. CRER QUE A PLATÉIA O MERECE. CRER QUE VOCÊ É BOM. CRER QUE VOCÊ DEVE ESTAR ENSINANDO. CRER QUE VOCÊ É IMPORTANTE. CRER QUE VOCÊ É INSUBSTITUÍVEL. nipec

13 Qual é o processo utilizado para se alcançar o resultado esperado? Retomada do texto. Aquecimento físico e emocional. Concentração. Estabelecimento de um ritual pessoal. Aquecimento vocal. nipec

14 Fga. AndressaVieira Especialista em voz Enfoque fonoaudiológi co da comunicação no ensino

15 Introdução Atividade do ensino O professor x mestre Substituição do professor por um meio virtual O professor: poucos recursos e muitas responsabilidades! nipec

16 A recuperação de categoria profissional requer: - Vontade política - Recursos financeiros - Conscientização social Ação pontual: melhorar a comunicação com o aluno nipec Introdução

17 A forma com que o conteúdo é desenvolvido em sala de aula pode ser uma chave de facilitação do processo ensino-aprendizagem. nipec

18 O que seria a comunicação no ensino? Relação professor-aluno Recursos visuais Comunicação não-verbal Comunicação verbal Em uma apresentação os maiores impactos vem da voz (38%) e da linguagem corporal (55%). (fonte:UCLA)

19 Estabelecimento do vínculo entre professor e aluno Um bom professor não necessita apenas dominar o conteúdo e recursos didáticos. Precisa saber cativar o aluno. A voz do professor acalma, transmite, orienta e ensina! nipec

20 O que é a voz? Som produzido pelas pregas vocais Modificado pelo trato vocal Segunda impressão digital nipec

21 Psicodinâmica da voz Influenciamos e somos influenciados pela voz do outro. Voz –Rouca: –Monótona: –Infantilizada: –Rápida: –Lenta: cansaço, estresse repetição e desinteresse ingenuidade ansiedade e pressa falta de organização de idéias nipec

22 De quem é essa voz? JOFERRAZ nipec

23 Professor como profissional da voz Voz preferida: Padrão vocal esperado –Voz de locutor –Voz de cantor nipec

24 Como seria a voz preferida dos professores? Voz forte Articulação precisa Modulação expressiva Boa projeção Velocidade adequada nipec

25 Relação do professor e do fonoaudiológo Alta incidência de alterações Necessidade de plasticidade e resistência vocal Disfonia – dificuldade ou alteração na voz nipec

26 Alterações vocais mais frequentes Fadiga vocal – voz fraca e cansaço ao falar Tensão muscular – voz tensa e abafada Nódulo – rouquidão, falha na voz e força para falar Pólipo – rouquidão e cansaço ao falar

27 Alguns fatores devem ser considerados Fatores do trabalho –Tipo de demanda vocal –Ruído de fundo –Acústica da sala –Distância entre os falantes –Qualidade do ar, poeira –Postura de trabalho –Estresse Fatores individuais –Predisposição –Resistência –Técnica inadequada –Hábitos inadequados –IVAS e FUMO nipec

28 Para diminuir o esforço do professor Minimize os ruídos fechando portas e janelas Procure controlar os ruídos de conversa de alunos sem gritar Estabeleça alguns sinais de alerta Mantenha-se hidratado nipec

29 Higiene vocal – Estratégias para conservar a voz Realizar exercícios físicos constantemente Alimentação – maçã Hidratação Repouso vocal Evitar cigarro e bebidas alcoólicas Bebidas alcoólicas associada ao fumo aumentam três vezes o fator de risco para o surgimento de câncer nipec

30 1)Inspire pelo nariz e emita o som do s lentamente, depois passe para o z. SSSSSSSSSSSSSS……….ZZZZZZZZZZZZZZ nipec Treinamento vocal

31 2)Inspire pelo nariz e emita o som de vibração de língua (TRRR) ou de lábios (BRRR). BBB……..RRRRRRRRRRRRRRRRRRR TTT……..RRRRRRRRRRRRRRRRRRR nipec Treinamento vocal

32 3)Inspire pelo nariz e emita o som do m 4)Inspire pelo nariz e emita o som do m associado às vogais MMMMMM……AAAAAA…….MMMMMM MMMMMM……EEEEEE…….MMMMMM MMMMMM…….IIIIIIIIIIII…… MMMMMM MMMMMM……..ÓOOO……..MMMMMM MMMMMM……..UUUU………MMMMMM nipec Treinamento vocal

33 5)Articule exageradamente a sequência ARA PRA PÁ ARA PRE PÉ ARA PRI PI ARA PRO PÓ ARA PRU PU nipec Treinamento vocal

34 6) Articule exageradamente a sequência O tempo perguntou pro tempo. Quanto tempo o tempo tem. O tempo respondeu pro tempo Que o tempo tem tanto tempo Quanto tempo o tempo tem. nipec

35 Procure um especialista se ficar rouco por mais de 15 dias e nunca se auto- medique. Rouquidão também é problema de saúde! Orientação nipec

36 Assim, pois todo homem, orador, escritor ou poeta, […] que fala ou escreve não por uma necessidade da vida, mas sim para cumprir uma alta missão social; todo aquele que faz da linguagem não um prazer, mas uma bela e nobre profissão, deve estudar e conhecer a fundo a força e os recursos desse elemento de sua atividade. José de Alencar, A Palavra. nipec

37 Em uma experiência teatral Com exceção das tradicionais técnicas de representação propostas pelo encenador russo Constantin Stanislavski, todas as formas de expressão teatral consideram o público como ator participante do evento. Essa é uma das explicações do porquê cada espetáculo é diferente. É fundamental considerar a necessidade da adequação do texto ao público que se deseja atingir. nipec

38 O púb lico O aluno adolescente – entre 14 e 20 anos.Pouco acostumado com a leitura. Muito atingido pela televisão e pelo mundo virtual. Precisa de parâmetros firmes para direcionar seu comportamento. Precisa ser entendido pelo ator como o foco principal de seu trabalho. Precisa se sentir confortável fisicamente e respeitado pelo ator. Precisa ser provocado pelo texto para iniciar o processo de aprendizagem. nipec

39 Quais as principais preocupações do indivíduo ( ator / professor ) durante a representação? Estabelecimento claro da convenção palco-platéia. Firmeza na condução da representação para que ela possa atingir seus fins. Projeção vocal. Preenchimento do espaço cênico. Ações físicas condizentes. Conexão ininterrupta com a platéia que o assiste nipec

40 RAPPORT SEMELHANÇAS GERAM CONFORTO. SEMELHANÇAS GERAM SEGURANÇA. É A EMPATIA CONSTRUÍDA. IGUALAR, AJUSTAR, ACOMPANHAR, ESPELHAR. ENTRAR NA DANÇA E NÃO BATER DE FRENTE. APÓS ESTABELECIDO O RAPPORT O GRUPO O SEGUIRÁ PARA ONDE FOR. EXPRESSÕES FACIAIS, POSTURA, MOVIMENTOS CORPORAIS, GESTOS, QUALIDADES VOCAIS, RESPIRAÇÃO, FRASES E PALAVRAS. nipec

41 A ABERTURA UTILIZAÇÃO DE METÁFORAS. ENFATIZAR A IMPORTÂNCIA DO ASSUNTO. nipec A ABERTURA É MUITO IMPORTANTE. MOMENTO DE CONTRUIR O RAPPORT. AQUECIMENTO PARA ATRAIR A ATENÇÃO.

42 A EXECUÇÃO UTILIZAR TODOS OS CANAIS DE COMUNICAÇÃO (55% CORPORAL, 38% TOM, 7% PALAVRAS) COM CONGRUÊNCIA. OPINIÕES INICIAIS EM MENOS DE 10 SEG. AGRADECER AS PERGUNTAS FEITAS. USAR O NOME. RECAPITULAR AS PERGUNTAS FEITAS. ANTECIPAR AS PERGUNTAS. MOSTRAR QUE ESTÁ EMPENHADO E CONTAGIAR.

43 FALANDO PARA PLATÉIAS HOSTIS. A EXECUÇÃO ECONOMIA DE MOVIMENTOS. UTILIZAR EXPERIÊNCIAS PESSOAIS. NÃO EXPONHA AS PESSOAS. RECOMPENSE OS ALUNOS. SAIBA O NOME DOS ALUNOS. nipec

44 INTENSIFICAR O CONTATO VISUAL.(PEGAR AS MAIS SIMPÁTICAS. 5 SEG) O TIMING. AS PAUSAS QUE ATRAEM A ATENÇÃO. TÉCNICA DO ESQUECIMENTO. SE ERRAR, AGRADECER E SE CORRIGIR. UTILIZE TODO O ESPAÇO (METÁFORA DA MENTE) A EXECUÇÃO nipec

45 MANTER A ATENÇÃO DIRIGIDA: INTENSIDADE REPETIÇÃO MODIFICAÇÃO CONTRASTE A EXECUÇÃO nipec

46 Rever todo o curso. Apresentar exemplos concretos de aplicação. Agradecer a participação da platéia. Recordar o objetivo geral da apresentação. Fazer ponte ao futuro. Eu fico imaginando... Utilizar uma história que inspire e resuma a apresentação. O ENCERRAMENTO É UM MOMENTO MUITO ESPECIAL. TEM QUE SER FORTE.

47 O texto Deve se referir a todos e a cada um. Precisa levar em consideração o público a que se destina. Deve incluir elementos do cotidiano do público. Deve se propor a apresentar um acréscimo ao universo do público. Será enfatizado com a utilização de acessórios. nipec

48 Você conheceu um professor assim? (culpando e acusando) – esqueceu material (dando ordens) – frases imperativas (comparando) – dei aula para seu irmão (fazendo profecias) – estudo x vestibular (fazendo papel de mártir) – cabelos brancos nipec

49 Reflexão... Como cuidar do texto em sua forma e conteúdo para que não sejamos pegos por essas armadilhas da língua? Como contribuir, tendo em vista a questão anterior, para que o indivíduo alcance a autonomia intelectual e moral? nipec

50 FABER, A. MAZLISH, E. Como falar para o aluno aprender. Summus Editorial. São Paulo (2005). nipec

51 Negação dos sentimentos... Descrição da situação Críticas e conselhos... Reconhecimento dos sentimentos Motivos e explicações... Criação de situações imaginárias Ao invés de... Experimente nipec

52 FABER, A. MAZLISH, E. Como falar para o aluno aprender. Summus Editorial. (2005) Páginas 26 – 31. nipec

53 FABER, A. MAZLISH, E. Como falar para o aluno aprender. Summus Editorial. (2005) Páginas 26 – 31. nipec

54 FABER, A. MAZLISH, E. Como falar para o aluno aprender. Summus Editorial. (2005) Páginas 26 – 31. nipec

55 OFEREÇA ESCOLHAS INFORME Acusação Sarcasmo Ordens Humilhação Profecia negativa Ameaças Discurso POUCAS PALAVRAS DESCRIÇÃO DO PROBLEMA nipec

56 Castigos, prêmios e elogios Oferecer alternativas ao invés de ameaçar tentar ajudar escuta sem julgamento expor expectativas descrever o que sente expressar desaprovação respeito mútuo opção de escolha exclusão mostrar como se corrigir apontar caminhos deixar vivenciar as conseqüências do comportamento nipec

57 Três idéias Sentimento x comportamento Comportamento x individuo Elogio que contribui (linguagem descritiva) autonomia representações de si nipec 3


Carregar ppt "Valores: Ética Estudo Parceria Inovação Interatividade Inclusão Social Interdisciplinaridade Missão: Oferecer soluções educacionais personalizadas e inovadoras."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google